10 maio 2008

A Engenharia Política Petista

Verdade seja dita, as quotas raciais no Brasil não servem à população brasileira, mas a uma minoria interessada em ampliar o seu poder. Quem entrar no sitio do PT vai encontrar várias secretarias focadas em atingir as metas de fortalecimento do partido em alguns segmentos. Temos a Secretaria de Juventude que tem de mobilizar jovens e selecionar os futuros líderes do partido. Temos a Secretaria de Formação Política e Cultura que tem como objetivo reproduzir o PT way of life. Temos as Secretarias de Organização e Mobilização mais focadas na coordenação da ação política. Por fim, temos as secretarias voltadas para as clientelas especiais como a de Combate ao Racismo, Movimentos Populares, Mulheres, Meio Ambiente e Desenvolvimento e Sindical.

A Secretaria Sindical coordena a articulação do PT com a CUT, enquanto que a Secretaria de Movimentos Populares coordena a articulação com o MST e movimentos ligados a Igreja da Teologia da Libertação e outros. Esta é a base de poder atual do PT. Todo partido político tem como objetivo a conquista e a manutenção do poder. Neste intuito, ele precisa convencer determinados grupos que é o melhor veículo político para o atendimento dos seus interesses. Além disso, o partido precisa oferecer um discurso com efeito de verdade que seduza um grupo de interessados.

Quem nunca ouviu falar em guerra de sexos? Esta é uma boa oportunidade para a construção de um discurso político. Começa com a transposição da idéia marxista de exploração de classe para o relacionamento entre o homem e a mulher, e continua com a defesa de privilégios para o grupo supostamente explorado. O que ninguém diz é que as mulheres trabalham 5 anos a menos e tem uma expectativa de 5 anos mais longa do que os homens, fazendo com que elas usufruam da previdência 10 anos a mais, por exemplo.

Outra boa oportunidade é a questão da discriminação racial. Existem muitos pobres no Brasil e a maioria deles é negra. A sociedade brasileira sofre as conseqüências da escravidão e do modo como a abolição foi concretizada. Entretanto, a partir das idéias americanas de ação afirmativa, justificadas em termos de uma dívida histórica, foi construído um discurso que defende a implantação de quotas nas universidades para os descendentes negros e pobres destes escravos.

Estas quotas prejudicam os descendentes brancos e mestiços dos exploradores e dos explorados. Se as quotas são eficazes ou se elas beneficiam apenas uma pequena elite, tanto faz, o fato é que ela dá ao PT mais um discurso e cria para ele mais uma clientela eleitoral. Enquanto isto, o verdadeiro problema fica intocado, ou seja, as escolas públicas continuam ruins e ameaçando o futuro de milhões de brasileiros. Os maus políticos são assim, inventam soluções mentirosas para problemas verdadeiros. Contudo, é um belo discurso que deve embalar os sonhos de muitos idealistas, além de deixar muitos engenheiros políticos do partido satisfeitos.

Isto me faz lembrar do Plebiscito do Desarmamento promovido pelo PT. O fato é que o Brasil é um país extremamente violento. Agora, defender que a proibição da comercialização de armas vai resolver o problema da violência era uma falácia e felizmente a população percebeu.

Neste esforço de construção de discursos, eu me ofereço para colaborar com um novo. Gostaria de sugerir a Secretaria dos Gordos. Proponho a idéia de que eles não são responsáveis por serem gordos, mas sim que são vítimas de uma sociedade de consumo que os oprimem e estressam, fazendo com que estas pessoas sensíveis comam um pouco demais e, mais tarde, sejam discriminadas pelos magros e a sua ditadura da estética.

Aliás, faz todo sentido que o PT seja aliado da Igreja Universal. Esta é uma outra arapuca. Chega lá o sujeito arrasado e os caras dizem que é tudo culpa do demônio e dos encostos que podem ser tirados mediante uma pequena tortura e uma pagamento. Descem o pau no infeliz. O engraçado é que o negócio tem um efeito placebo, pois o cara sai de lá com auto-estima mais alta e motivado pela Teologia da Prosperidade, que diz que ele é filho de Deus e tem direito a tudo de bom da vida. Enfim, o pior é que em muitos casos o negócio deve funcionar, senão os caras já teriam ido à falência.

É como esta estória das quotas. Muita gente teria passado sem ajuda delas, no final só servirão a uma elite, e a grande maioria dos credores da dívida de exploração racial continuará na mão, mas isto já não é problema do PT.

Aliás, o racismo é um negócio odioso em qualquer sentido. Nos EUA, uma intelectual negra ativista estava criticando o Obama outro dia, alegando que ele não era um verdadeiro negro porque tinha sido criado por avós brancos e era filho de uma branca. O problema é que o sucesso de Obama, de Rice, de Powell atrapalham o discurso com efeito de verdade que serve aos interesses de uns poucos.

Enquanto isto, o circulo vicioso da pobreza continua. Não serão as promessas do Éden comunista de Marx que nos salvarão. Tampouco seria realista acreditarmos que todos os habitantes da terra terão o padrão de vida dos americanos e europeus. O progresso não está garantido, amanhã não será necessariamente melhor que ontem.

De fato, a verdadeira mudança começa em nós mesmos. É difícil, mas é verdadeira. Enquanto as pessoas não buscarem ser justas e se esforçarem para se realizar como seres humanos, o problema não será resolvido nem pelo comunismo, nem pelo PT, nem por ninguém. Resta descobrir como ajudar as pessoas a se interessarem pelo caminho difícil ao invés de se deixarem levar por discursos mentirosos.
Se bem que este papo de portador da verdade é bem pedante e não passa de outro discurso. Talvez, o melhor que nós temos sejam estas mentiras mesmo. Quem disse que as pessoas querem a verdade? Se a Verdade fosse boa não ficaríamos tão magoados quando a escutamos....

Um comentário:

Morena flor disse...

E a foto do filme "Chica da Silva" é um indício de que o sistema escravocrata do Brasil não conscistia apenas da opressão de negros contra brancos. Ao q me parece, ela foi negra e também teria oprimido outros negros. Também traz à luz de que não é a raça que faz da pessoa uma "vítima permanente" da opressão, e que qualquer pessoa que adquire o poder pode se corromper com ele, independente de raça. Chica da Silva era negra, e quando se apossou do poder - se tornando amante de João Fernandes - passou a agir de igual crueldade com seus pares negros q os senhores(as) brancos(as), demonstrando assim q ser de uma raça "oprimida" não faz de ninguém um "santo".

A novela homônima, veiculada na TV Manchete e reprisada pelo SBT cerca de 1 década depois - extremamente violenta e pesada, por sinal - também trata sobre este tipo de situação.

Agora, queria ver se cobrariam reparação aos descendentes de Chica da Silva, a "Imperatriz do Tijuco" e "Dona de Diamantina" pelos danos provocados a outros negros! Sim, porquê, qdo se trata de cobrar - ou melhor, RETALIAR - descendentes pelos erros dos antepassados, costuma-se tratar dos brancos, não se fala de negros.

Bom texto, Heitor aAbranches!

Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...