12 junho 2007

Brasil 2022

Em 2022, o Brasil estará completando 200 anos de independência política de Portugal. Preocupado com esta importante data, Lula criou a Secretaria de Ações de Longo Prazo sob o comando de Mangabeira Unger. Se o Lula está preocupado, como bons cidadãos devemos nos preocupar também, afinal, há uma grande probabilidade de ele ser presidente do Brasil de então.

Os Evangelhos recomendam que não nos angustiemos com o amanhã; aí está algo bastante difícil de seguir.

Qual será o país que teremos daqui a quinze anos? Ninguém sabe. Não sabemos sequer se estaremos lá. Mas ainda assim arrisco alguns prognósticos. Quais serão os fatores preponderantes para o Brasil neste período?

Na minha opinião, será um embate entre duas forças que poderão gerar três cenários diferentes. Como primeiro cenário, o Consenso de 68 - distribuição de renda, nacional-desenvolvimentismo, proteção à industria nacional e ativismo estatal -, que poderá ser retomado com vigor com um Ciro Gomes; um cenário moderado, onde haveria coexistência do Consenso de Washington e do Consenso de 68 sob a liderança de Lula/Aécio; e um terceiro cenário seria a aplicação do Consenso de Washington - privatização, controle da inflação e abertura da economia - pelo Democratas sob a liderança de Arruda.

Cenário 1: Ciro Gomes/Marina Silva – eleito em 2010 e retorno de Lula em 2014 (Ciro não se re-candidata por lealdade e Lula constrói uma maioria com a esquerda).

Setores menos competitivos serão beneficiados bem como setores intensivos em mão-de-obra não remunerada. Informalidade crescente, retornos elevados com riscos de expropriações e aumentos de impostos, efetiva implantação das quotas raciais, fechamento da Rede Globo, crescente déficit da previdência, Bolsa Família implantado em larga escala, construção do Gasoduto Venezuela-Argentina atravessando o território brasileiro, problemas de infra-estrutura, tabelamento de preços, consolidação do PT como partido hegemônico, estatização da Vale.

Cenário 2: Lula/Aécio – eleito em 2010 e retorno de Lula em 2018 (Lula retorna como uma reação às medidas do PSDB e novamente e constrói uma maioria com setores moderados).

Economia usando alternadamente instrumentos do Consenso de Washington e do Consenso de 68, liberalização marginal das regras de investimento em infra-estrutura, flexibilização da CLT, implantação da TV Lula, aliança PT/PSDB, gestão partilhada das estatais com os sócios privados.

Cenário 3: Arruda/César Maia – eleito em 2010 e retorno de Lula em 2018 (Lula retorna como uma reação às medidas dos Democratas mas não consegue revertê-las, apenas aproveita a capacidade financeira do Estado).

Crescimento acelerado da economia, privatização da Petrobras e do Banco do Brasil, aumento da capacidade de investimento do Estado, foco em educação e saúde, redução da dívida pública, abertura da economia beneficiando os setores mais competitivos, atração de investimentos, fechamento da TV Lula, alta rotatividade de mão-de-obra, aliança Democratas/PSDB. Retomada da ALCA.

Uma suposição heróica seria que os efeitos EUA, China e resto do mundo afetassem igualmente os três cenários. O mais plausível, contudo, é que uma recessão mundial beneficie o cenário 3, pela exigência de maior disciplina de capital, enquanto o cenário 1 seria muito beneficiado pela continuação da enorme liquidez que a economia mundial tem experimentado.

53 comentários:

André disse...

Excelente análise. Bem ao meu gosto: geopolítica, um pouco de estratégia... legal...

Gostei da foto de Antônio Conselheiro...

Mangabeira Unger, o que fala português com um sotaque meio forçado. Um acadêmico obscuro e oportunista. Já foi capacho do Ciro Gomes, atual capacho do Lula. Mas mesmo os capachos se movimentam com facilidade pra lá e pra cá. Acho q Lula é um capacho de si mesmo, às vezes. Mas aí já virou filosofia...

Ciro Gomes, que desgraça

Um Arruda liberal, botando pra quebrar? Já pensou? Ele ou outro, eu apoiaria.

“apenas aproveita a capacidade financeira do Estado”. É só o q esse animal sabe fazer. Aproveita o q outros fizeram.

fechamento da TV Lula: boa

Privatizações, retomada da ALCA e flexibilização do trabalho: idem

“O mais plausível, contudo, é que uma recessão mundial beneficie o cenário 3, pela exigência de maior disciplina de capital” Talvez...

Catellius disse...

André,

A fotografia real do Lula é esta aqui. O envelhecimento poderia ter ficado melhor, mas ver o Lula virar Antônio Conselheiro não é para o estômago de qualquer um, se é que você me entende...
Por isso a coisa foi feita meio nas coxas, he he

Abraços

Catellius disse...

Em verdade vos digo, o prognóstico que fizemos do Lula Release 2022 (ainda versão Beta) ficou mais para Osho (Rajneesh) misturado com Paul Rabbit, ha ha ha

André disse...

É, está meio Rajneesh mesmo. Ficou legal.

Lula Vista Versão Beta, ainda cheio de bugs, de defeitos. Só q, ao contrário dos programas, as coisas não melhoram com o passar do tempo. Lula Vista versão definitiva é ainda pior q a Beta.

Hoje minha mãe me chamou de "blasfemo" pq eu disse que achava ridículo essa gente toda indo à Igreja pedir namorado, marido, amante e derivados pra Santo Antônio. Disse que pedir algo para uma imagem ou um santo não dá em nada, aí ouvi o "blasfemo". E o q é blasfêmia, afinal? Isso lá existe? Se existir, posso ser blasfemo, mas não crédulo (nem desesperado a ponto de pedir namorada pra santo).

André disse...

Ah, sim, também menosprezei o efeito das pílulas de Frei Galvão.

Miracle:

Uma conhecida da família, q estava nas últimas no hospital, teve uma regressão considerável de um tumor, melhorou da água pro vinho num espaço de uns 20 dias e agora vai até poder ir ao casamento do filho, daqui a 3 semanas. As previsões iniciais eram de q ela não iria a lugar algum, a não ser dessa pra melhor.

Responsável: São Galvão. Sem direito à apelação ou discussão.

É, e eu sou Luis XIV, o Rei-Sol. L´État c´est Moi. E ainda por cima blasfemo.

Catellius disse...

Blasfêmia é uma palavra ultrajante, um insulto, contra alguma divindade ou alguma religião, desde que em presença de um adepto que compre as dores da divindade, ou que o próprio insultatore pertença à religião. Assim sendo, não é blasfêmia chamar Zeus de viado, a não ser que se esteja perante um tribunal helênico dois mil anos atrás.
Você não foi blasfemo, principalmente porque não xingou uma divindade ou uma religião, apenas criticou os fiéis, uma crença.
Eu vos absolvo, André.
(Para a audiência) Não vejo culpa neste justo.
Amem!

p.s. o nome deveria ser Windows Parasita. Ô trem custoso, sô, de dar boot e formatar... Falo de um laptop que veio com o W. Vista de fábrica. Um amigo está arranjando um formatador Linux para remover o parasita...

C. Mouro disse...

Pô! Cesar Maia? ...argh! ...estou desesperado com as previsões do Heitor. As opções variam da titica até o cocô, e não dá nem uma chance para idéias realmente liberais/libertarias, ou de liberdade igual para todos. É só desgraça, é o próprio apocalipse inevitável.

Caí em depressão!

...com desesperadas lágrimas nos olhos
C. Mouro

...espero me recuperar de baque tão grande, ...mas "sangue de jesus tem poder"! ...diante deste quadro deprimente, ainda acabo me convertendo; eu quero a pilula azul! ...hehehe!

André disse...

Já usei o Vista, mas numa máquina muito, muito poderosa, bem superior ao q eu tenho aqui (que há menos de 2 anos era o máximo). Só assim ele presta, mas dá muito pau.

O Windows XP até q é razoável, gosto dele, mas como todos os Windows é instável e fica velho com o tempo, arquivos essenciais começam a dar problemas com apenas 2 anos de uso, é sempre a mesma coisa... Baixei um software da Microsoft q avaliou meu PC p/ o Vista, e ele rodaria esse programa bem mais ou menos, a máquina ficaria bem lenta, sem falar em vários aplicativos importantes q foram listados como não suportados pelo Vista. Meu PC ainda pode ser considerado uma máquina pesada/rápida, mas o Vista é exagerado, suga todo o sangue do sistema, tudo o q consegue. Só é bom mesmo num PC top de linha fabricado HOJE, não ontem, e com muita, muita Ram, de preferência logo o máximo, uma placa de vídeo decente e um dual-core iguamente top, porrada mesmo. Se bem q já estamos no Intel quad-core, q é o q vou acabar comprando um dia, imagino. E amanhã já será outra coisa, isso não tem fim e é muito chato. Gosto de informática, mas é cansativo, já fui mais interessado por essas coisas, naquela época em q um PC agüentava bem por uns 3 anos. Daqui a um ano (pq a Microsoft não vai levar menos do q isso pra tapar os primeiros buracos) o Vista deve começar a ficar bom. Essas coisas são sempre lançadas às pressas. Irresponsabilidade e vontade de ganhar dinheiro rápido.

Fui acusado de blasfêmia por ter criticado a crença dos fiéis em Sto. Antônio e por ter duvidado do poder da "transubstanciação galvaniana". Daqui a pouco o famoso processo físico-químico da galvanização vai ser confundido com isso daí, espera só pra ver. Como Deus anda ausente (ou dormindo, ou ambos), vou esperar Ele voltar pra perguntar pra ele qual sua opinião a respeito. Enquanto isso, levarei meu caso até o Vaticano (até parece: se pudesse passear por Roma agora, não perderia meu tempo deixando uma cartinha na caixa de correio santa ao lado da Basílica, em frente ao guardinha suíço. Tomaria era um gelatto e iria direto para as ruínas do Fórum!)

André disse...

Eu também quero a pílula azul da Matrix, mas o povão quer é a do São Galvanizado.

Anônimo disse...

Já tentou apagar a partição e então criar, de preferencia mais de uma, e formata-las para instalar o XP?
Uma instalação(CD) Linux não está apagando a partição?

Abs
C. Mouro

André disse...

É, isso q o C. Mouro disse pode funcionar. Mas nunca precisei desinstalar o XP e formatar o HD. Então não sei como teria q ser feito com o Vista. Geralmente, com um pouco de habilidade e fuçando a gente descobre um jeito. Muia coisa em informática é assim.

Vejam só, no post passado terminei falando em Lênin, Confúcio e Lao-Tsé. Nesse, estou falando de informática...

Daqui a pouco isso aqui vai virar fórum de informática.

Até o presente momento, os religiosos não podem nos acusar de heresia! Ainda não falamos em Deus. Ou contra Ele.

André disse...

Correção: falamos, eu falei, em Deus sim. É que sou um blasfemo, e um dos sintomas da blasfêmia é a erdade de memória... Tenho 30 anos e já estou velho! "Sou um homem velho num mês seco." "Vim tarde demais para um mundo cansado." Uma dessas frases é de Alfred De Mussett. A outra, não me lembro.

A velhice, como disse De Gaulle, é um naufrágio...

Catellius disse...

Caro Mouro,

Eu tentei de tudo. Acho que vou mandar o Notebook para alguém que entenda. Tentei inicializar a partir de um CD de boot com um software formatador instalado, mas nada consegue tirar a porcaria do W. Vista...
F* Shit! he he
Vários softwares não rodam no Vista, o que acompanha o celular, um de controle de caixa do escritório...
É druris...

Heitor Abranches disse...

Catellius,

Tbm tenho este Vista...

Talvez seja o caso de chamar um exorcista.

André disse...

É, tentar arrancar certos sistemas operacionais do HD deve ser um saco mesmo. Um especialista já me falou sobre isso.

Como já falei, se eu instalasse o Vista (mesmo o Ultimate, q a meu ver é a única versão q vale a pena), além da minha máquina virar uma lorpa de tão lenta, já sei que vários aplicativos não seriam nem mesmo reconhecidos. Como o AVG anti-virus e o driver de som da placa-mãe, só pra começar a dor de cabeça...

O Vista é maravilhoso quando funciona. Quando empaca, é pior q carro russo, petista "histórico" e burro (o animal e o membro do partidão, entendam como quiserem)

Roberto Eifler disse...

Gostei muito dos cenários do Brasil 2022, assim como tinha gostado do Consenso de 68 (aliás, a expressão “Consenso de 68” é simplesmente perfeita; nunca a tinha ouvido antes e vou incorporá-la ao meu vocabulário – citando a fonte, é claro).

Quanto aos cenários, só penso que o Heitor deveria usar a metodologia dos economistas mais a fundo e fazer, por exemplo, para o cenário 1, a visão otimista, a visão moderada, e a visão pessimista, e assim para os demais cenários.

O cenário 1 do Heitor me parece mais a visão pessimista do cenário 1, e o cenário 3 me parece mais a visão otimista do cenário 3. Mas isso são detalhes. A exposição é perspicaz e abrangente.
Meus parabéns.

Eduardo Silva disse...

Já que misturaram religião com política, aqui vai um quarto cenário:
4. Jesus volta e acaba com tudo, levando só os católicos para tocar arpa, andar de branco e ver os anjos chatos durante toda a eternidade...

Bocage disse...

C. Mouro, tens bom tino! César Maia no Planalto é de enferrujar a bacia de qualquer Nostradamus.

Roberto Eifler, foste sagaz em tua ponderação; o cenário 3 pareceu-me “a solução para nossos problemas”; perfeito demais para ser verdade, rsrs. Heitor, o que viria a ser “suposição heróica”?

Catellius, o Windows Vista requer 2GB de RAM... Give me a break! Tudo o que dele se esperava é que fosse um sistema operacional, não que encontrasse a cura para o câncer. E se são recomendados 2GB, significa que necessita de pelo menos 4GB de RAM para que funcione apropriadamente. Um “ranário” desses só com dinheiro da SUDAM... Ora, a geringonça daqui movida a XP está lesta com 1GB de RAM. Não embarcarei na roda-viva de comprar um computador potentíssimo para vê-lo funcionar exatamente como este daqui.

Catellius disse...

André,

“retomada da ALCA”


Você deve ter assistido a um inspirado discurso do Chávez em que ele dizia, entrecortando com longas pausas durante as quais olhava com um beicinho a la Mussolini um lado e outro da multidão: “ALCA? .... ... ... ... ALCA? ... ... ... ... ALCA, ALCA, ALCA (agora “dublando” a própria mão que abria e fechava os dedos ao pé do próprio ouvido)... AL CArajo!!!!!! – para delírio da audiência. Foi um dos discursos mais profundos que já vi!

Acho que os EUA não estarão mais interessados na ALCA. Terão feito acordos bilaterais vantajosos com todos os países da AL, e a esquerda brasileira passará a ser contra acordos bilaterais com os EUA, para não perder a prática.

“e flexibilização do trabalho: idem”

O miserável está disposto a trabalhar para mim três dias por semana em troca de R$ 200,00 ao mês. O governo prefere que ele não receba nada porque o salário mínimo é tanto e eu seria um aproveitador do infortúnio alheio, um abominável explorador. Se alguém está morrendo na porta da minha casa, não sou obrigado a lhe dar um emprego, não sou obrigado a sequer preocupar-me com o infeliz. Até aí tudo bem; pago meus impostos. Mas, se eu quiser empregá-lo, aí é salário mínimo com todos encargos ou NADA; se não for assim, deixe o cabra morrer...
Sempre fui contra essa idéia de salário mínimo.

--//--

C. Mouro,

É, não simpatizo com ninguém do PFL (Democratas). E com ninguém do PSDB, PT, PDT, PQP e outros partidos.

“...espero me recuperar de baque tão grande, ...mas ‘sangue de jesus tem poder’! ...diante deste quadro deprimente, ainda acabo me convertendo; eu quero a pilula azul! ...hehehe! “

Se aqueles ignorantes do deserto soubessem que sangue transporta oxigênio pra lá, gás carbônico e fezes de células pra cá, corpúsculos de defesa e de coagulação pra lá e pra cá, e é vermelho porque está enferrujado (ferro oxidado na hemoglobina), deixariam de lado todo o misticismo envolvendo o sangue; sangue de cordeiro, sangue de jezuis, sempre ligado a rituais bárbaros, a sacrifícios para divindades grotescas... Dá até nojo, he he he. Sei que a coisa era para ser simbólica, mas sabemos que não é apenas isso, vide relíquias como o Sudário, transubstanciações e congêneres. Acho mais civilizadas as cenas de Kill Bill, que ao menos envolvem algum humor e alguma "modernidade", do que aqueles Cristos ensangüentados que vi nas igrejas de Cusco, com os joelhos em carne viva, sangue pra todo lado, as estátuas com cabelos humanos doados por ex-votos... Circo de horrores!

Abração!

Catellius disse...

Heitor,

Você caiu nessa também? Só faltou espirrar do Notebook a sopa de ervilhas de Linda Blair. Fiz das tripas coração para tirar o cramulhão de lá, mas não houve jeito... Estou indeciso se o entrego a um profissional da informática ou a um templo da Universal. Às vezes é caso de encosto mesmo...

Do texto, que achei muito bom:

“Os Evangelhos recomendam que não nos angustiemos com o amanhã; aí está algo bastante difícil de seguir.”

O irônico é que deus e as religiões existem justamente porque o homem preocupa-se com o futuro, angustia-se com o porvir, com a morte, com as visões das punições incandescentes usadas pelo “pacífico” homem-deus-chicoteador-de-trabalhadores-do-templo para aterrorizar os neófitos, com visões apocalípticas, com a sua volta para breve (“Voltarei ainda nesta geração”, ho ho ho! Chamem os exegetas!), com banquetes para os quais poucos serão convidados, camelo (ou corda) em buraco de agulha, etc.

--//--

Eifler,

“Quanto aos cenários, só penso que o Heitor deveria usar a metodologia dos economistas mais a fundo e fazer, por exemplo, para o cenário 1, a visão otimista, a visão moderada, e a visão pessimista, e assim para os demais cenários.”


Sim, mas fazer absolutamente todos os prognósticos possíveis é fazer algum prognóstico? Brincadeira, he he.
Senti uma “leve” aposta do Heitor no cenário 3. Arruda e César Maia daqui a 15 anos estarão totalmente corrompidos, cheios de vícios e artimanhas. Serão como o ACM. Eu aposto em alguém jovem, ligado a um partido novo, que saiba pilotar jatos, que pratique esportes! Hua hua hua!

--//--

Eduardo,

“Jesus volta e acaba com tudo, levando só os católicos para tocar harpa, andar de branco e ver os anjos chatos durante toda a eternidade...”


Se você separar nos textos dos concílios e encíclicas dos últimos quinhentos anos a expressão “seja anátema” ou “esteja excomungado”, entenderá que quase todos os católicos de hoje, mais de 99%, já foram automaticamente excomungados e, por isso, não fazem mais parte do Corpo Místico divino, seja lá o que isso signifique. Por exemplo, basta o católico afirmar que o homem não surgiu de um único casal mas de vários, para que esteja automaticamente excomungado, afinal, sem monogenismo, sem pecado original. Sem pecado original, sem pecado para ser purgado por Cristo, sem Imaculada Conceição. Sem Imaculada Conceição, sem infalibilidade papal, e assim por diante. Basta o católico votar a favor do aborto em algum referendo, para que esteja automaticamente excomungado. Jesus levaria consigo a Turma da Clarinha, aquela menininha com Síndrome de Down da novela. O resto da humanidade seria condenado a passar mil decilhões de trilhões de eras elevados à potência de mil decilhões de trilhões de eras em algum lugar pior do que Rondônia, para o qual os goianos levariam cobertor, ha ha ha...
Brincadeira, heim?

--//--

Bocage,

“Tudo o que dele se esperava é que fosse um sistema operacional, não que encontrasse a cura para o câncer.”


Ha ha ha

Abraços a todos!

André disse...

O Vista requer 2 GB de Ram pra rodar no limite. O ideal é jogar logo para 4 Gb, q é o máximo suportado pelas placas-mãe, por enquanto. O próprio Vista já suporta endereçamento de até 124 gb de Ram, se não me engano, por conta de sua arquitetura em 64 bits. E são exatamente esses 64 bits que me interessam, não agora, mas daqui a alguns anos.

E ocupa muito espaço em disco. Recomendo um HD grande. O meu, de 120 Gb, pra mim já é pequeno, mas eu sou suspeito, piois gosto de jogos, eles tem em média 2 a 4 Gb cada, um deles tem 10, e meu disco está com todos eles instalados. Ainda assim, tenho uns 70 Gb livres.

Vídeo on-board, alguns são bons. Mas sempre comprei placas-mãe sem isso, pois vou direto pras placas aceleradoras da Ati ou da NVidia.
O meu, um P4 com HT (hyperthreading, emulador virtual de um 2º processador, a tecnologia precursora do dual-core) de 3 Ghz com 2 Mb de Ram DDR2 (rápida) e uma placa cavalar, às vezes empaca, por conta das malditas deficiências do XP, mesmo o Professional.

Pronto, essa é a última vez q falo em informática.

Catellius, o Chavez disse mesmo isso? Inacreditável. Mas eu acredito.

Eu também acho que os EUA não estarão mais interessados na ALCA.

Os bilateriais são mais vantajosos, rápidos, vc não tem q lidar com 10 parlamentos, plantadores de coca, sindicalistas, guerrilheiros, as Mães da Praça de Maio em Buenos Aires, o MST, a “sociedade civil”, as ONGs e, claro, a Igreja Católica. Um país de cada vez ainda é complicado, mas muito mais fácil.

A esquerda brasileira sempre será contra acordos bilaterais com os EUA.

Salário mínimo talvez tenha sido bom lá naquela época do Vargas, mas hoje não faz mais sentido.

“as estátuas com cabelos humanos doados por ex-votos... Circo de horrores!” Concordo.

Catellius, vc está perdido, vc anda sem cinto de segurança, vc fica acordado até tarde, vc adora o Bezerro de Latão, vc vive sem Deus no coração. Vc se afastou Dele, mas antes o encosto te ajudava. Ele te deu tudo o q vc tem na vida mas agora está tirando, começando pelo notebook. Vc precisa urgentemente ir ao Encontro dos 301 Homens de Deus (já tem 300, só falta vc), segurar a Chave da Vitória numa das mãos e a Rosa Branca de Nazaré na outra, andar com os Sapatos da Fé, tomar um banho com o Sabonete do Descarrego e finalmente ser ungido com o Óleo Santo do Monte Sião (mais conhecido como Liza). E fiat lux!, o Senhor operará uma mudança em tua vida, assim como operou uma mudança na vida de Jeroboão, filho de Absalão, que batizou Abdias de Tessalônica, que se converteu e se juntou ao povo dos Moabitas, que foi ter com o Rei da Síria, inimigo dos Macabeus em sua guerra contra os Nababeus, que os oprimia (os Moabitas ou quem vc preferir). Deus só escreve assim, por linhas tortas. Eu desisto.

Amém, Amados!

André disse...

“um lugar pior do que Rondônia, para o qual os goianos levariam cobertor”

Lá até os cobertores derretem. À sombra. Rondônia, Roraima, Amapá...

C. Mouro disse...

Cesar Maia foi cria do Brizola. Só isso já desmoraliza. Mas o tipo é desavergonhado: ele certa vez num desses programas de debates fez comparação de deficit nominal de um pais com deficit operacional do BR - ele é economista - e foi apartado por outro economista que que bem demonstrou a fraude. O salafrário calmamente esperou ou outro terminar e continuou seu falatório como se nad tivesse acontecido. O outro ficou meio que entre desesperado e pasmo; triste de ver.
O tipo é um oportunista da pior espécie, não tem qualquer apreço por coisa alguma decente, é Zé Serra da vida; um traste se qualquer apreço pela livre iniciativa e nem por qualquer tipo de liberdade, é parasita nato. É intervencionista e descarado, um josé serra criado pelo Brizola. Faz qualquer coisa que lhe convenha, não vale nada, é apenas um oportunista absoluto.

Abraços
C. Mouro

André disse...

Serra, dizem q é um bom administrador, não sei, tanta gente fala isso q eu já desconfio dessa assertiva, mas transmitir a imagem dele à rude massa é muito difícil. Ele é inexpressivo, com aquela cara de Uncle Fester, o tio Funério da Família Addams. Maia é só um oportunista, como Ciro Gomes, Roseana, Tasso Jereissati (vive em cima do muro e sua visão política não passa da divisa do Estado do Ceará), esse cara que agora está no governo (ou será prefeitura?) do Rio, Maluf, Mercadante, Marta Suplicy & Chanel, com seu maridinho, o francês falsificado na Argentina Luis Favre, a tiracolo, et caterva...

Os que se tornam mais poderosos se estabilizam como coronéis regionais, como a família Sarney, a de ACM na Bahia e, em grau um pouco menor, mas nem tanto, a república do jeca tatu de Roriz, que muito estrago fez e continuará fazendo aqui em Brasília, enfim, essa gente que arranca todo o sangue de seus feudos, apresenta umas obras, umas melhoras de infraestrutura, dá um leitinho (de soja), um prato de comida e dois shows por ano dos "dois filhos de Francisco" para o lumpenproles da vida. São as "grandes realizações". O resto do pessoal com alguma consciência eles compram, subornam ou, quando a situação permite, mandam matar.

Num chute, a gente tira uns quinze a vinte, talvez, com boas intenções e cérebro na Câmara, talvez uns dez assim no Senado, e acabou.

Poderia falar na Câmara Legislativa daqui, mas nem dá vontade. Aquilo ali deveria ser alvo de bombardeio aéreo, sei lá.

Realmente o horizonte é pobre, C. Mouro. Um deserto de homens e de idéias. O Brasil está cheio de ninguém.

C. Mouro disse...

Show de bola, André:

"Poderia falar na Câmara Legislativa daqui, mas nem dá vontade. Aquilo ali deveria ser alvo de bombardeio aéreo"

Estou contigo e não abro! ...hehehe!

Um país onde um FHC foi - e pelo jeito para muitos ainda é - "a opção capitalista", no sentido de liberal, é um país desgraçado.
Um país onde os oportunistas e "ex- esquerdistas" (estes tipos são igual gay, não tem "ex", pois nunca perdem a tendência totalitária, intervencionista) são percebidos como líderes "capitalistas" (seja lá o que isso possa ser) ou como defensores da livre iniciativa e da população pagadora de impostosnão é um país, é um feudo bananéio.
Há quem diga até que os milicos (pouca diferença dos políticos) são a "direita liberal" oposta aos esquerdistas; mesmo depois de desgraçarem o país com as estatais que se tornaram cabides para seus filhotes e agregados. Fazendo-os defensores do Estado intervencionista e voraz coletor de impostos para sustentar tal parasitismo.

Pobre feudo bananéio onde um traste como J. Serra é considerado "a direita" que se opõe a esquerda, como um defensor do mercado ou dos pagadores de impostos. ...esse é um país desgraçado, um feudop bananéio sem futuro.
...um considerado defensor do tal "capitalismo" ser um sujeitinho salafrário que não respeita contratos nem o direito de propriedade, que não honra compromissos, que beneficia o primo /amigo com pirataria e etc..
Desgraçado o país, feudo bananéio, onde um ex-comuna safado, um ex-brizolista, um prof. doutrinador de universitários e autor de livros imbecis, podem ser entendidos como oposição às idéias de esquerda.

PQP!**1000...
Não há um só que não defenda o intervencionismo estatal, no máximo rendem-se moderadamente a uma verdade já impossível de ser ignorada... ...e só por isso estes canalhas passam a ser entendidos como "bem intencionados defensores de um tal de capitalismo".
PQP!***5000 ...até os que defendem idéias de liberdade (liberais/libertárias) se rendem aos termos inventados fofocosamente por profetas do estatismo.

PQP!**10000!
....é desanimador ver o que se faz passar por oposição às idéias esquerdistas que fazem do Estado um deus mágico e sábio que tem direito de mandar na vida da população.
O Estado é o deus e seus intermediários são as autoridades sobre os comuns mortais cheios de pecados.
...antes eram os profetas e clérigos, agora são os políticos e altos burocratas as autoridades sobre a massa pecadora!

é triste!
Esse não é um país, é um feudo bananéio.

Abraços
C. Mouro

Simone Weber disse...

Heitor,

Estou mais para o Laissez-faire do que para o New Deal e, sendo assim, torço imenso pela concretização do terceiro cenário. Não sou religiosa do fundamentalismo de livre mercado e tampouco metafísica por crer na "mão invisível" de Adam Smith, mas não escondo minha predileção pela corrente liberal, principalmente quando penso nos tipos que a combatem.

Para que o cenário 3 seja viável, o cargo de Presidente da República não poderá ser tão disputado quanto hoje. Tudo o que não precisamos é de presidentes egocêntricos como os que listaste, Heitor. Dá-me outra pílula azul...

Cenário 4: Instituições Fortes/Sociedade Civil Organizada (Qualquer Partido ou Chapa)

Beijocas a todos.

André disse...

Na Europa, FHC seria só mais um social-democrata. Aqui chamam ele de neoliberal...

"ex- esquerdistas" (estes tipos são igual gay, não tem "ex", pois nunca perdem a tendência totalitária, intervencionista)” Morro de rir com esses ex-gays que entram em igrejas evangélicas e viram heterossexuais. Pô, que sejam “homens” e assumam a viadagem! Como é possível deixar de ser uma coisa que deve estar lá nos genes, lá no nosso “cerne biológico irredutível”? É igual a um hetero “virar” viado. Ou gosta de um ou gosta dos dois, mas desde o início. Esse negócio de virar e desvirar... Acho q ninguém vira, já nasce assim.

Os militares, com raras exceções, são nacionalistas de direita. E são muito burros. Mas o discurso deles não difere muito do da esquerda. Acham que recursos naturais são estratégicos, isso é relativo. O conhecimento, a educação e a tecnologia são muito mais estratégicos (vide Coréia do Sul, Japão e tantos outros q, se fossem habitados por brasileiros, estariam na merda, pq lá não tem porra nenhuma de presentinho da Mãe Natureza, eles importam quase tudo, transformam, exportam, e se o país parar, tá todo mundo ferrado). Brasileiro acha q o Brasil é “grande” por causa da extensão territorial. Nossa sorte é q os países vizinhos são umas porcarias e infinitamente inferiores ao Brasil em termos econômicos (e com muito mais problemas sociais do q a gente, em alguns lugares). Tirando o Chile, q não quer nada com ninguém e vem se mantendo isolado na medida do possível, o Brasil é mesmo o “melhor” aqui, mas a que preço? Poderia ser muito mais.

Dizem que inventaram a eleição em 2 turnos pra impedir que Brizola, o populista radical, e que já foi muito popular, ganhasse uma eleição pra presidente de uma vez. Não sei se é sério, mas é divertido.

De vez em quando aparecem umas figuras interessantes. Roberto Campos, p.ex., não cresceu muito politicamente porque era um liberal declarado. Ninguém gostava muuuuito de ter ele por perto, ele incomodava. Além do mais, era um político de eleitorado pequeno, mas cativo, garantido. Não era material pras massas, não falava para elas. Nunca iria seduzir um eleitorado imenso. Mas talvez a carreira q ele fez, diplomática, depois em vários governos, como Ministro, depois no Legislativo, tenha sido mesmo o objetivo dele. Ele tinha recheio pra estadista, mas não acho q tenha nutrido esse tipo de ambição maior, de ser presidente. Não tinha poder de fogo pra tanto.

Outro foi Carlos Lacerda, que era um intelectual brilhante (excelente tradutor de livros, entre outras coisas), mas esse era um radical. Era o cão, perseguia tudo e todos, de acordo com as circunstâncias. Por muito tempo, inspirou medo nos círculos políticos, tanto quanto Getúlio no auge. Aliás, Lacerda foi um dos responsáveis pelo massacre ao baixotinho dos Pampas, aquela crise feia que terminou com seu suicídio (e que, junto com 64, parece ter sido o último grande momento de convulsão social no Brasil, uma dessas raras ocasiões em que a coisa fica preta mesmo. E pensar que tem gente q pensa q aquela manifestação de adolescentes contra o Collor “parou o país” ou foi algum tipo de movimento espontâneo de massa, quá, quá, quá). Lacerda morreu nos anos 70 de exaustão emocional, esgotamento e algum desgosto pela vida, dizem. Tinha grandes idéias, mas era perigoso. Não teria tido escrúpulos em fazer uma faxina e cortar algumas cabeças no Brasil. Ele pensou por um tempo que tivesse chance junto aos militares, que a ditadura poderia até colocá-lo na presidência. Se deu mal, foi cassado como os outros. Mas ele apoiou o movimento, pois esperava se beneficiar dele. Foi comunista na juventude, dessa época só reteve o calculismo frio de Lênin e passou para o conservadorismo. Um grande político, um tipo muito raro, algo admirável, apesar da vocação totalitária, da total falta de escrúpulos e da frieza. Um homem mau (?) porém capaz. Teria feito muitas reformas se tivesse tomado o poder, disso não duvido, mas também não duvido q teria matado quem fosse (e o quanto fosse) preciso. De qualquer maneira, ele não era o típico político nacional.

Parece q numa certa época Jânio também tinha essa fama de homem perigoso, seus colegas o temiam. Mas, depois de sua renúncia desastrada, ficou desacreditado. Decepcionou profundamente seus eleitores. Pra mim, foi um irresponsável. Abriu o caminho para Jango (segundo a absurda lei eleitoral da época, o vice e o presidente não precisavam ter relação nenhuma um com o outro, podendo vir de legendas/coligações diametralmente opostas). Deve ter ocorrido a Jânio que sua saída poderia levar ao poder um homem abertamente rejeitado pelo tipo de gente que votou nele. Não queriam Jango de jeito nenhum, muita gente não o queria, e não só na elite. A complexa história de 1961, daquele parlamentarismo criado às pressas pra evitar um golpe e acomodar Jango no poder, é, a meu ver, mais interessante do que a de 64. E foi a catalisadora dos eventos que levaram ao 64. Quase houve um golpe em 61. Mas a atuação dos militares foi algo mais discreta e o Marechal Lott não queria um golpe. Claro q a história de 61 até o plebiscito (parlamentarismo ou presidencialismo) em 63, com a subseqüente radicalização de Jango (manipulado por outros mais espertos; num golpe de esquerda ele nem teria durado muito no poder, logo seria exilado ou morto e substituído por alguém ainda mais safado e disposto a sujar as mãos de sangue, alguém como Brizola ou Miguel Arraes, quem sabe), toda aquela bagunça e o golpe, tudo isso já foi pras calendas gregas. Mas é um período muito interessante.

Holy Father disse...

"“Voltarei ainda nesta geração”, ho ho ho! Chamem os exegetas!"

O que você coloca entre aspas, Cattellius, não são palavras de N.S.J.C.. Ele disse "não passará esta geração antes que tudo isto aconteça".

São Mateus, 24,
27. Porque, como o relâmpago parte do oriente e ilumina até o ocidente, assim será a volta do Filho do Homem.
28. Onde houver um cadáver, aí se ajuntarão os abutres.
29. Logo após estes dias de tribulação, o sol escurecerá, a lua não terá claridade, cairão do céu as estrelas e as potências dos céus serão abaladas.
30. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem. Todas as tribos da terra baterão no peito e verão o Filho do Homem vir sobre as nuvens do céu cercado de glória e de majestade.
31. Ele enviará seus anjos com estridentes trombetas, e juntarão seus escolhidos dos quatro ventos, duma extremidade do céu à outra.
32. Compreendei isto pela comparação da figueira: quando seus ramos estão tenros e crescem as folhas, pressentis que o verão está próximo.
33. Do mesmo modo, quando virdes tudo isto, sabei que o Filho do Homem está próximo, à porta.
34. Em verdade vos declaro: não passará esta geração antes que tudo isto aconteça.

Lemos o mesmo em São Marcos 13:30 e São Lucas 21:32.

N.S.J.C. faz uma extensa e detalhada descrição do fim do mundo e de Seu glorioso retorno. Acrescenta que tudo ocorrerá antes da passagem da presente geração. Alguns apologistas defendem estas passagens com a observação que "geração" pode ser traduzida como "raça". "Esta geração" pode significar também a geração de todo aquele que lê a Palavra de Deus, pois nem os anjos saberão quando retornará. Apenas Deus Pai e Deus Filho.

Catellius disse...

Caro Holy Father,

""Esta geração" pode significar também a geração de todo aquele que lê a Palavra de Deus"

Exegese esdrúxula, para variar.
E mais uma prova de que o seu Jesus não era senão um lunático, se é que existiu:

"...o sol escurecerá, a lua não terá claridade, cairão do céu as estrelas e as potências dos céus serão abaladas."

Jesus foi capaz de dizer aos apóstolos que deviam comer de sua carne e beber de seu sangue para viverem eternamente, mesmo que isto lhes tenha causado um profundo desconforto, mas os broncos acabaram entendendo o que o candidato a messias quis dizer - coisa que muito astrônomo hoje não foi capaz de compreender. Então o que custava para Jesus lhes dizer que a luz da lua vem do sol (vejam a redundância da profecia de J.C.), que as estrelas não estão penduradas no firmamento, sujeitas a cair quando as "potências do céu" forem abaladas? É óbvio que Jesus também não entendia nada de astronomia, apesar de ter sido co-criador do universo... O Calhamaço de Embustes só entra no imenso cabeção dos crentes.

" Ele enviará seus anjos com estridentes trombetas"

E os grandes compositores do século XIX se revirarão no túmulo. Não por causa do Juízo Final mas pela péssima qualidade musical.

" Do mesmo modo, quando virdes tudo isto, sabei que o Filho do Homem está próximo, à porta."

Para que "sinais" como esses? Para dar tempo do povo se arrepender? Com esses "sinais" até Richard Dawkins ficaria aterrorizado e reconheceria a veracidade de tudo o que sempre denunciou como mitologia, pediria perdão e seria salvo. Hum..., à tal altura não será mais possível arrepender-se? Então já será o Juízo Final, ora bolas. Sinais escancarados como esses são de fazer rir, ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha
- Quando seu amigo morrer será o sinal de que ele não vive mais.
ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha

Ricardo Rayol disse...

Esqueceu do nosso amigo Walter Carrilho, candidato da blogosfera à 2010.

Catellius, tem uma tarefa lá no Heitor Caolho para você.

Roberto Eifler disse...

André,
Já que vc tocou num assunto que me interessa muito, que é o "nature x nurture", tenho alguns pontos a esclarecer:

Heterossexualismo e homossexualismo são imprintings definitivos (é aquele história do gansinho que saiu do ovo e a primeira coisa que se mexe na frente dele passa a ser a mãe gansa). Trata-se de um mecanismo inato que determina uma gravação definitiva nos períodos bem iniciais da vida.

Bissexualismo não existe. Todo bissexual é na realidade homossexual.

Existe, em certas épocas, como a nossa, um tipo de bissexualismo que é aquilo que minha avó chamava de "sem-vergonhice", que é um heterossexual praticar homossexualismo porque isso é considerado um comportamento de vanguarda, da moda, entre os que se consideram uma elite ("elite sexual", que muitos confundem com "elite intelectual", principalmente os intelectuais). Sói acontecer, pois, que tem muito marmanjo por aí dando o rabo para ser moderno, ou pós-moderno (antigamente era existencialista).

Nada contra o homossexualismo. É só para definir as coisas.
Um abraço.

André disse...

Grande Eifler! É isso mesmo: nature vs. nurture.

Bom, aqui do outro lado do canal da Mancha, nada contra o terceiro (e o quarto? e o quinto?) sexo.

Mas bissexualismo não existe? A pessoa não pode gostar mais de um do q de outro sexo, mas ainda assim cortar dos dois lados? Ou gostar igualmente dos dois? Todo bissexual é na realidade homossexual? Será mesmo? Eu acho que tem de tudo nesse mundo, não sei...

Mas... chega de sodomia. Os sacrossantos cruzados de Edessa da semana passada podem estar lendo isso daqui e eu não quero acordar com potes de fogo grego sendo catapultados contra a janela do meu apartamento/castelo e um ariete fazendo meu prédio vibrar (olha a simbologia fálico aí, gente!). O horário não permite essas transviadagens.

É isso aí, pessoal, nada de chamar JC de JC. Daqui pra frente é NSJC.

Se "não passará esta geração antes que tudo isto aconteça", êta geração longa essa...

Mas tudo bem, Holy Father. Cá entre nós, eu me amarro em cenários apocalípticos. Só não quero estar neles. O Apocalipse da Bíblia é meio kitsch, muito show de luzes e efeitos pro meu gosto (só falta um Charlton Heston e um Yul Brynner), mas daria um bom filme.

Tudo muito bom, tudo muito bem... mas por que é que o mundo tem que acabar pra NSJC voltar? É porque temos sido maus? Não dá pra adiar isso um pouquinho? (vejam, gramáticos de plantão, como empreguei corretamente o porque. Graças a NSJC, aprendi bem a NGB – norma gramatical brasileña!)

"...o sol escurecerá, a lua não terá claridade, cairão do céu as estrelas e as potências dos céus serão abaladas." Ou seja: corte de luz, nada de luar para os namorados, vai chover supernova em cima da gente e o Paraíso e o Vaticano também vão sofrer (as potências dos céus). Nostradâmico.

" Ele enviará seus anjos com estridentes trombetas"
Pois se eles fizerem um décimo do que Mozart fez no Dies Irae do Requiem, eu me converto. Viro Holy Follower, maria-vai-com-as-outras.

" Do mesmo modo, quando virdes tudo isto, sabei que o Filho do Homem está próximo, à porta." Para isso, bastaria o Filho do Homem tocar a campainha ou bater palmas dizendo “ô de casa!” Sem Armagedom.

C. Mouro disse...

...hohoho!
"E os grandes compositores do século XIX se revirarão no túmulo. Não por causa do Juízo Final mas pela péssima qualidade musical"

...hehehe! ...Catellius, este teu comentário resposta tá me fazendo rir frouxamente. ...hehehe!

Esse Holy Father deve ser um tremendo sacana, não pode alguém falar essas coisas a sério no sec XXI.

André,
esse feudo bananéio não tem chance de dar certo não, talvez para os bisnetos haja esperança.
RC ficou liberal mais tarde, segundo quem conviveu com ele. Claro que nunca foi um esquerdinha, mas era um conservador que depois virou liberal, quando já estava desgraçado politicamente. Mas era bom, muito bom, sabia o que fazia e era um fraseologista de primeira.

Até o Bresser numa palestra sem povo tira onda de Roberto Campos, eles sabem o que fazem. Ver o tipo falando contra aquilo que antes defendia é nojeto. Mas dos que vi, um que me impressionou numa palestra foi o A.C. Pastore. Só vi uma, mas o cara foi fantástico, absolutamente fantástico nas explicações. ...talvez por isso tenha desaparecido, ninguém quer lembrar seu nome - deve assustar. Mas foi uma vez só, não sei se seria sempre assim, mas impressionou pela capacidade.

Um abração
C. Mouro

C. Mouro disse...

Ôpa!
"Daqui pra frente é NSJC"

Bom, eu direi VSJC! ao falar com os que crêem em tal senhor ...hehehe!

Mas ainda acho que o HF é um sacana curtindo com a nossa cara.

Quanto aos boiolas, também acredito que seja algo inerente ao indivíduo. E certamente tem que aprecie os dois lados, afinal, nesse mundão de deus tudo é possivel, até o HF crer realmente no que nos fala.

Abração
C. Mouro

Roberto Eifler disse...

Oi, André, desculpe voltar ao assunto, mas é só para esclarecer:

Pessoas bissexuais não existem. Existem comportamentos bissexuais de pessoas heterossexuais ou homossexuais. Acontece que a pressão da "nurture" sobre a "nature" é muito grande, o que confunde a cabeça das pessoas. Mas a "invenção" da bissexualidade pelo menos criou uma válvula de escape para os enrustidos.

Voltando ao início: existem dois tipos de comportamentos bissexuais: o dos homossexuais que enganam a si próprios e/ou aos outros, e o dos heterossexuais que fazem "experiências" sexuais, pois isso hoje em dia tem um apelo de vanguarda.

André disse...

C. Mouro, é mesmo, Bob Fields parece ter sido um conservador que depois virou liberal. Mas não acho q isso tenha acontecido por ele ter se desgraçado politicamente. E acho q ele se tornou liberal não muito mais velho. Mas não dá pra saber só de ler as memórias do cara. Todo mundo dá uma enfeitada na própria vida, autobiografia é assim mesmo.

Bresser é um mosca morta nojento com aqueles dentinhos amarelos e aquele meio sorriso de maluco.

E o q vc acha da Cláudia Costim, super sexy com aquele visual "cabo de vassoura com uma peruca numa das pontas", ex-Ação Católica e atual dona de uma biblioteca enorme com muitos volumes em alemão? Ela tira a maior onda: só lê Thomas Mann, Heidegger, Hegel... e ainda saca essas vaporosidades todas no original. Livro q pesa menos de 8 kg não entra na prateleira dela não. Em outras línguas, é fato, esses caras são intraduzíveis (não o Mann), há certos paralelepípedos verbais que só são compreensíveis em alemão.

Tem também aquele procurador da república maluco, q queria ter virado padre, o Luiz Francisco, acho. Ele sofreu um acidente grave de carro ainda novo, o q o impediu de entrar para uma determinada ordem religiosa q exigia alguns testes físicos, coisas como longas caminhadas. Virou um sacerdote do direito. Ele anda num fusquinha caindo aos pedaços e tem alguns poucos pares de sapato e peças de roupa, tudo da mesma cor, tudo igual. Doa dinheiro pro PT e quejandos. Esse é o tipo mais perigoso: o fanático. Vc já viu o livrão (umas 2 mil pgs) q ele escreveu, tentando provar a origem cristã do marxismo? Ou a origem marxista do crisitanismo, sei lá. Muito doido, folheei uma vez, é simplesmente insano. Ele passou uns vinte anos escrevinhando aquilo.

Nunca vi o Pastore pessoalmente, mas ele é um crânio. Escreve muito bem, fala muito bem.

VSJC fica melhor

Sinal dos tempos! Vermelho, pode atravessar a rua...

HF é high frequency. VHF, very high... UHF, ultra high... VLF, very low... Quem já operou rádio nas Forças-Armadas sabe do q estou falando.

Eu sigo o UHF, ultra holy father, o meu, o seu, o nosso guia espiritual, de Juazeiro do Norte até Katmandu, onde vamos encenar o Apocalipse de São João, com as atrizes gatinhas da Rede Globo e grande show com Renato Aragão.

E com a Luize Altenhofen de diabinha, em homenagem ao C. Mouro, primeiro na fila pro Julgamento Final.

Para nossas leitoras, Gianechini e Fábio Assunção já estão confirmados no elenco.

Roberto Carlos, infelizmente, não irá cantar. Está processando o Céu por direitos autorais em torno daquela letra ("Nossa Senhora, me dê a mão/ coisas do meu coração...) E se vencer vai jogar o Céu no incinerador, junto com aquele livro.

André disse...

Ok, Eifler, agora entendi o q vc queria dizer. Ficou claro, crystal clear.

Carreira disse...

Olá! Agradeço a vista que fez ao http://www.cegueiralusa.blogspot.com/.
Gosto bastante do seu blog. Certamente visitá-lo-ei muitas vezes.
Abraço,
Carreira

Marise M. disse...

Waw!!!!!
Só tem crânio aqui nesse blog!!!
Tô impressionada! Entendi tudo e achei tudo muito legal!!
Menos a parte religiosa, que eu acho que vcs tem algum recalque com a religião. Fora isso, tudo 10!!

Holy Father disse...

Rejeitar a Deus, que nos ama infinitamente, é uma escolha bem insensata; aceitar o amor de Deus e buscar corresponder a ele com todo o nosso empenho é uma escolha sensata a cada instante. O resto é descrição do além, é imaginar o não-tempo etc., coisas que estão além de nossos recursos cognitivos.

Todos estes sarcásticos do Pugnacitas podem ser "gênios" da ciência mas são ignorantes com relação a Deus. Talvez não tenham visto bons exemplos de pessoas religiosas na juventude ou não tenham ouvido boas interpretações da Bíblia. Se para eles a Bíblia não é verdadeira porque cientificamente não é verossímil, "só lamento"...

ele viu o tesouro, não entendeu e "passou batido".

Você colocaram a fé dentro do campo da lógica, e descobriram que a fé não obedece à lógica – logo é falsa.

Se o assunto é o filósofo grego, temos que levar em consideração a história.

Se o assunto é a Igreja Católica, não há história que justifique (ou pelo menos que contextualize) os seus erros.

Se vocês realmente querem entender, procurem ler outras fontes também. Uma dica: leiam Filotéia, de São Francisco de Sales. Um dos melhores livros de espiritualidade que eu já li. Parece-me que sua preocupação, Catellius, é destruir mitos, mas nisso você acaba muitas vezes atacando a fé autêntica, sem lucro nenhum, principalmente para você mesmo. Respeito a sua liberdade de pensar, mas me parece que você livremente já escolheu uma linha, e sua pesquisa vai no sentido de confirmar o que você já de antemão escolheu. A única conclusão a que você pode chegar assim é de que a fé é uma besteira, o que aliás parece ser o ponto de partida das suas pesquisas. Eu sugiro que você comece a pesquisar o lado de quem teve a experiência de Deus, de quem viveu retamente seguindo a fé cristã. Você terá muito a ganhar!

André, melhore suas fontes de formação espiritual. Percebo que está querendo agradar aos outros, titubeia, entra na onda, mas sinto algum respeito interno pelas coisas sagradas. Que Jesus ilumine você!

Leio os santos doutores e os documentos da Igreja, que ensinam uma doutrina sólida, que faz todo sentido e pode me ajudar a chegar ao céu.

Céticos, ateus e outros pensadores são interessantes como curiosidade, mas não devem nortear a vida do homem sensato.

Mas eu sei que lá no fundo, lá no fundo do peito de vocês ainda há uma chamazinha piloto de Deus e de Jesus Cristo. Tenho fé que um dia ela tomará conta de vocês.

Que Deus abençoe todos vocês.

André disse...

Welcome aboard, Marisa M.!

Que crânios que nada, aposto que vc deve ser tão inteligente quanto nós.

Quanto ao recalque religioso (só posso responder por mim) eu sou um “velho” de 30 anos, então acho normal ter alguns recalques. Mas não estou senil ainda!

André disse...

Al-salam aleykum, Holy Father, the Chosen One, the Almighty One, the Big One, O Homem Santo do Pugnacitas, nosso Sidarta Gautama!

“Rejeitar a Deus, que nos ama infinitamente, é uma escolha bem insensata” Se Ele existe e é tão esperto, não me preocupo, pq sei q ele entende as minhas razões. Vamos nos entender direitinho e Ele vai ter algumas explicações pra dar.

Se vc acha que há um lugar quentinho reservado para nós no além-tumulo, não se vanglorie tanto: o frio do Paraíso pode ser igualmente letal. Há diversas concepções do Paraíso. Em algumas delas, ele não é um lugar muito aprazível. Se assemelha mais a uma ditadura dos anjos, que não são descritos exatamente como benévolos. Afinal, é sempre bom lembrar que alguns demônios, não todos, eram anjos caídos. As duas “raças” têm coisas em comum. Além disso, a perfeição do Paraíso não comporta muita liberdade. Lá não há lugar para muito questionamento, discordância e muito menos “democracia representativa”. Ninguém vota no Céu. Perfeição é uma palavra que pode ser interpretada (exegetas, exegetem agora!) de várias formas, e em algumas ela significa contemplação fria por toda a Eternidade. Não sei se tal rigidez seria tolerável para meros seres humanos “desencarnados”, em estado etéreo.

Eu não pretendo ser um gênio da Ciência nem de nenhuma outra área. Sou só um chato perguntador.

E como não ser “ignorante em relação a Deus”? Ele é inacessível ao intelecto humano...

“bons exemplos de pessoas religiosas na juventude” Vi alguns, mas não se deviam à crença religiosa. Gente boa é gente boa, ponto.

A Bíblia tem imenso valor histórico, apesar das deturpações, conscientes e inconscientes, pelas quais passou. Porém, seu valor é também alegórico em grande parte. Claro que acho certos eventos nela descritos interessantes, e claro que um conhecimento considerável da Bíblia é exigido de todo aquele que realmente gosta de História. Contudo, isso não quer dizer que eu a tome como parâmetro ou guia, pois ela é mais alegórica do que factual, mais inverossímil do que verossímil, mais mitológica do que real. Apesar disso, traduz algumas das aspirações e, naturalmente, fantasias de poder, de dois dos grupos religiosos mais importantes da humanidade, os judeus e os cristãos (muito mais deste do que daquele, afinal, os cristãos batotearam o Velho Testamento da Tanak e se “vingaram” do judaísmo com o Novo Testamento, radicalmente distinto do Velho). Nesse sentido, a Bíblia é um bom manual pra se saber o que judeus e, principalmente, cristãos, pretendiam ser, o que queriam ser e como se viam no mundo. Alegorias e mitolgias também são História. Dissociar a mitologia grega e romana das vidas dessas duas civilizações não faria sentido. Afinal, era no que eles acreditavam. A Bíblia é isso, um sistema de crenças, e não é o único disponível.

O problema é que desde o Séc. XVII ficou difícil levar esse sistema de crenças a sério, bem como qualquer outro. O homem atingiu um grau de consciência que não permitiu mais sua sujeição a sistemas baseados em fé, punição e recompensa, ordens ditadas de cima e maniqueísmos afins. O homem não domina a Natureza, mas tem um grau de controle razoável sobre ela. O Iluminismo, the Enlightenment, oficialmente, e alguns períodos antes dele, de leve (a Renascença, p. ex.), abriram comportas que não podem mais ser fechadas, para o bem ou para o mal. E acima do bem e do mal, como diria um Nietzsche.

Claro, tem gente que acredita mais na vinda do Apocalipse e não acredita em, digamos, antibióticos. A luz não chegou de modo uniforme ao mundo, e jamais chegará. Mas isso não é motivo para ela se apagar.

Se “o assunto é o filósofo grego”, temos que levar em consideração a história de sua época e o contexto em que viveu. Quem garante que Aristóteles, se estivesse entre nós hoje, acreditaria nas mesmas coisas em que acreditava quando viveu?

A Igreja Católica é uma força geopolítica imensa, uma ex-superpotência européia e ainda um centro de poder respeitável. É isso que me interessa. Seus aspectos religiosos, que a sustentam, me interessam até certo ponto, mas não me satisfazem nem me orientam. Só que eu não sou bobo a ponto de considerá-los bobos. Bento XVI não é um tolo, antes muito pelo contrário. Ele sabe do que está falando e não age por impulso. Porém, eu não concordo com sua visão de mundo e seus ideais, que para mim são ultrapassados. E acho que a Igreja poderia contribuir mais para o mundo se revisasse pelo menos meia dúzia de crenças e dogmas completamente equivocados.

Não sairia por aí queimando padres e crentes em nome da “Razão”, caso tivesse o poder mais do que absoluto que a Igreja teve. Sei que muitos católicos também não me queimariam, mesmo que voltássemos pra época da roca, do tear e dos cavaleiros andantes. Acontece que não posso confiar na massa, na maioria, porque sei que ela é estúpida e ameaçadora. E sei que muitos deles só não me queimam porque felizmente a Igreja e as religiões em geral sobreviveram mal ao bombardeio a que vem sendo submetidas há mais ou menos 300 anos.

Por outro lado, não acho que haverá um retorno à Idade Média ou que um dia o homem caia tanto que uma religião possa retroceder tanto, reinstituindo certas práticas sádicas. O fato é q o mundo mudou, as religiões perderam espaço e força, mas não vão acabar. Disse aqui uma vez que religião pra mim é uma tentação emocional resistível. Irresistível, por certo, para a maioria, que jamais conseguirá viver privada do que ela tem a oferecer. Desde que não interfiram na minha vida, tudo bem, convivo bem com essa gente. O que não me tira o direito de criticá-las e apontar suas sandices, assim como vc tem o direito de torcer a lógica e a razão para fundamentar o que não pode ser fundamentado.

E vc leia os aforismos de Baltasar Grácian, jesuíta espanhol. Leia François De La Rochefoucauld, moralista, talvez um ateu não-declarado, por medo de se expor. Leia Montaigne, que acreditava em Deus, mesmo sendo um cético estóico. Literatura não precisa ser “atéia” para ter valor, naturalmente.

A última coisa que quero é agradar aos outros. Quando isso acontece, ótimo. Quando desagrado, chateio, logo me endireito (mas só um pouquinho). Tento, com pouco sucesso, não desrespeitar nenhuma coisa sagrada para os outros.

Aliás, entendo como sagrado tudo o que é importante pra mim e que me dá prazer, mesmo que às vezes mundano (e daí?), e nem tudo o que é importante pra mim tem bases estritamente racionais. Também tenho minhas irracionalidades. Só que pra mim uma boa conversa, uma barra de chocolate ou uma taça de vinho ou um livro, uma música ou um filme são tão sagrados quanto a missa ou a Bíblia para alguns. Eu, francamente, morro de tédio em missas. Só não é pior do que culto protestante/evangélico, que quase sempre bate muito abaixo da linha do intelecto, da linha do suportável. A long time ago, in a galaxy far, far away, tive uma namorada, católica carola, que pensou poder me “aperfeiçoar” me levando à missa. Só aperfeiçoou meu sono. Agüentei porque ela era uma gata de fechar o comércio (e matar as véinha da rua de inveja, há, há - "Indecentes depravados! Se beijando em púiblico!") e também porque ela respeitava minhas crenças e eu as dela, por mais obtusas que fossem.

Caso um dia eu dê de cara com um padre que seja um excelente orador, até fico acordado, discordando. Só que até agora só vi padres fraquinhos, fraquinhos...

“Céticos, ateus e outros pensadores são interessantes como curiosidade, mas não devem nortear a vida do homem sensato.” Pois eu acho que a curiosidade deve ser o Norte.

Eduardo Silva disse...

Sobre tantos assuntos, aqui seleciono alguns para discorrer.
Primeiro sobre o juízo final.Como sabemos Jesus deu início a era cristã, inclusive nossos dias são contados a partir desse nascimento, porém perscrutando mais, vemos uma contradição. Jesus não é o início da era cristã, é o fim, é o derradeiro da era humana. Jesus não veio para criar algo, para inovar algo, seja religião, seja um modo de vida etc., ele veio para acabar com tudo. Destarte, a vinda de Jesus é a garantia do nosso declínio, do nosso fim, do fim do universo. Jesus apenas veio, não para salvar, mas para destruir, se ele não viesse, ficaríamos a eternidade aqui na terra, sem preocupações com a vida após a morte, pois não teria um "rei de outro mundo" que por pura discricionariedade viesse à terra e prometesse acabar com tudo determinado dia.

Jesus disse:"não passará essa geração antes que tudo pereça"(acho que é isso). Me expliquem por favor o que Jesus quis dizer com "geração", pois são 2000 anos...

Eduardo Silva disse...

Acabo concordando com C.Mouro quando diz que HF está fazendo chacota conosco, é árduo acreditar que uma pessoa nessa época tão secular(aqui no sentido exegético de ênfase à razão) acredite nisso que nosso comentador falou...
Decerto é impossível ver a fé com os olhos da razão, porque a religião é pura fantasia e não passa disso, e é assim em todos os lugares, seja numa tribo aborígene da África, ou entre os católicos...

Eduardo Silva disse...

Aqui vai um exemplo do último post.

A sagrada hóstia dos católicos. Alguém que já participou de uma missa me diga sinceramente se sente algum cheiro diferente ou gosto diferente no pão e no vinho.Óbvio que não, não sente, eu posso usar os pão e vinho para os fins mais libidinosos ou concuspicenciais possíveis sem o menor problema, pois são simplesmente pão e vinho, nada além disso. A ciência olha para o pão e para o vinho e diz: isso é pão e vinho. A religião olha para os mesmos pão e vinho e diz: é o corpo e sangue de JC. É pura fantasia, os objetos não são sagrados em si mesmos, eles apenas são sagrados como objetos pensados e projetados em nossa subjetividade como sagrados, ou seja é a forma que nós os vemos e sentimos que os tornam sagrados, eles não são sagrados em si mesmos... Isso é o que a sociologia chama de eficácia simbólica e a religião é mestra nisso, assim são o catolicismo e as religiões que adoram o falo, e esse é o mesmo que o pão e vinho...

Anônimo disse...

Aí Heitor, vou fazer minhas previsões para o Pugnacitas 2022. Na minha opinião, será um embate entre duas forças que poderão gerar dois cenários diferentes. Como primeiro cenário, o Consenso de 68 (: Não de 1968, gente! De 68 d.C. mesmo :) - moderação de comentários, dogmas, falta de humor, ativismo religioso (Holy Father/Anônimos); um cenário de supremacia do Consenso da Razão - sem moderação de comentários, sem dogmas, muito humor, etc. Tô mais com o cenário 2, hehe

Holy Father disse...

Como João Paulo II disse na encíclica "Fé e Razão", não há oposição entre a verdadeira fé e a verdadeira ciência.
Tem muito cientista picareta que tenta usar a ciência para provar que Deus não existe.
E tem muita gente com uma fé ingênua, que acha que negando a ciência está afirmando Deus.
O relato da criação no livro de Gênesis não é histórico e tampouco científico; é alegórico. É para dizer que nada do que existe é acaso; tudo foi querido e pensado por Deus. Mas não existe a intenção de revelar "como" foi que Deus fez isto.
É bem possível que na época em que foi escrito este "mito da criação" tenha sido até mesmo um grande avanço científico. Já existe um notável senso de observação da natureza, do cosmos, das diferentes espécies de animais. Neste relato vemos astronomia, geologia, zoologia, antropologia, sociologia, etc. Em estado muito embrionário, mas presente.
Mas, voltando ao argumento inicial: a Bíblia não revela uma verdade científica, mas teológica. E o avanço da ciência, longe de representar uma ameaça para a fé ou a religião, antes contribui para o seu amadurecimento. Da mesma forma a fé, longe de representar uma ameaça ou retrocesso para a ciência, ilumina a ciência com o sentido do divino e com o senso da ética, sem a qual a ciência torna-se desumana.

André disse...

Jesus criou o cristianismo. Inovou bastante. Agora, concordar com a inovação é outra coisa. Se tivesse vivido mais tempo, teria criado o q mais? Herético, gnóstico, heterodoxo e macrobiótico como só eu, imagino que talvez algum povo lá da região da Índia - onde ele morreu aos 110 anos - saiba.

Esse negócio de “o Começo”, “o Fim” é puro catastrofismo diante da opressão romana.

Sobre ilusão, Freud considerava as religiões ilusões e também delírios/neuroses de massa. Bom, as religiões podem ser uma ilusão, mas seus efeitos são bem reais... Têm uma força cultural enorme e não podem ser ignoradas. Se fosse 100% ilusão, seria inofensiva, irelevante. Como os elfos.

André disse...

correção: se fossem... seriam inofensivas, irrelevantes...

C. Mouro disse...

Coisa que falta:
A força do Estado servir para fazer valer os contratos. Atualmente os contratos são meras cartas de intenções sem muito valor. É o aparato judicial que arbitra segundo "interpretação" ideologica das leis, que pouco valem.
Ou seja, não há segurança juridica e muito menos o aparato judiciario preocupa-se com o que é justo ou legal, é um mero teatro onde se realizam pantomimas para amansar o tal de povo (se não existisse o judiciário haveria justiça, feitas pelas próprias mãos e com isso haveria tendencia a se respeitar).

O Estado deve e não paga, e o pior é que as leis o autorizam.
As leis também estabecem privilégios para indivíduos e grupos, sobretudo para governantes e autoridades: bizarramente as estabelecem privilégios ante a lei.
Assim, a igualdade perante a lei é uma frase de efeito, pois que as leis não são gerais, genéricas, são feitas específicas, visando indivíduos específicos - ou seja a justissa* brasileira não só echerga quem julga mas pede para ver a identificação, inclusive ideológica e partidária; uma vergonha!.

...quem faria o aparato judiciario visar a justiça e não a ideologia conveniente ao Poder estatal????

Quem liberaria a economia indistintamente, e não apenas liberando especificamente e sob controle(?), distribuindo "passes de liberdade" para fulanos e sicranos - sempre visando quem usufruirá, sempre limitando os participantes da "liberação".

Quem fará com que as leis sejam justas e impessoais, que não distinguam indivíduos ou grupos, mas ações (se 1000 MST pode invadir e receber terra e dinheiro e crédito e sementes, e cesta básica na tenda, então o Zé sozinho também)???

Quem estabelecerá que as leis deverão ser cumpridas????

Quem exigirá que as leis sejam objetivas e não sustetíveis às cretinas "interpretações" de juizecos ideológicos ou promotores.

Quem estabelecerá leis auto aplicaveis???? SERIA SHOW!

Quem fará com que o aparato judiciario sirva para dirimir dúvidas e examinar a justiça das questões com base nas leis (como se clausulas contratuais)???? ...em vez de fazer com que as leis sejam a origem do direito, fazer com que sejam a garantia do direito, quem fará isso???

Quem reduzirá impostos e os universalisará - nada dessa safadeza de isenções e incentivos e isso e aquilo para os amigos do rei ou para corromper categorias e patrocinadores partidarios.

...e muiiito mais!

Srs. eu penso que a safadeza impera e assim permanecerá.
Como magnificamente disse GENIAL Frédéric Bastiat, algo assim:
"O Estado é uma grande ficção através da qual todos almejam viver às custas dos outros"

e magnificamente também bradou:
"A lei pervertida! E com ela os poderes de polícia do Estado também pervertidos! A lei, digo, não somente distanciada de sua própria finalidade, mas voltada para a consecução de um objetivo inteiramente oposto! A lei transformada em instrumento de qualquer tipo de ambição lesiva, ao invés de ser usada como freio para reprimi-la! A lei servindo à iniquidade, em vez de, como deveria ser sua função, puni-la!
Se isso é verdade, trata-se de um caso muito sério, e é meu dever moral chamar atenção de meus concidadãos para ele"

Bastiat também tocou num ponto chave quando incorretíssimo politicamente criticou o fato de haver preocuipação com diversão antes de se ter pão. ...é, os inseparáveis "pão e circo".

...esse Bastiat era fantástico! ...foi lá, no ponto certo da questão; o Poder. ...mas ninguém parece se importar com o Poder, mas apenas se dá importancia se está sendo usado da forma com que se concorda convenientemente; seja para auferir vantagens objetivas ou apenas para exorcisar recalques e alegrar a inveja.

....isso é humano, demasiado humano, como já disse quem entendia bastante da "alma humana".

Abraços
C. Mouro

Catellius disse...

Holy Father,

"Se vocês realmente querem entender, procurem ler outras fontes também. Uma dica: leiam Filotéia, de São Francisco de Sales. Um dos melhores livros de espiritualidade que eu já li."


A maioria dos ateus foi não foi criada por céticos e ateus. Minha formação, por exemplo, é cristã e conheço as coisas que estou rejeitando.

“Céticos, ateus e outros pensadores são interessantes como curiosidade, mas não devem nortear a vida do homem sensato.”

Ora, eu não os li como se fossem curiosidade e tampouco li textos católicos como se fossem apenas curiosidade. Talvez a sua necessidade de acreditar seja maior do que a nossa.

--//--

Excelente comentário, André!
Ótimo mesmo!

Gostei também muito do que o Eduardo escreveu.

Já publicamos um novo post. Abraços a todos!

Catellius disse...

Vixe, fiquei muito tempo com esta janela aberta, enquanto publicava o texto que você me mandou por e-mail um tempo atrás, Mouro, e agora que vi seu comentário, nascido arquivado, he he. Sugiro que o cole no novo post. Abraços

C. Mouro disse...

Show!
E. Silva foi preciso:

"É pura fantasia, os objetos não são sagrados em si mesmos, eles apenas são sagrados como objetos pensados e projetados em nossa subjetividade como sagrados, ou seja é a forma que nós os vemos e sentimos que os tornam sagrados, eles não são sagrados em si mesmos..."

Abraços
C. Mouro

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...