15 janeiro 2007

Eleição do presidente da Câmara

O governo está parado à espera da escolha do presidente da Câmara. As nomeações para cargos e trocas de ministros aguardam as demonstrações de lealdade da base de sustentação do chefe do Executivo. Os nomeados tremem e se articulam à espera do desenrolar dos próximos acontecimentos na Câmara. Mas, afinal de contas, qual é o poder do presidente da Câmara?

Bem, poderes são muitos, a começar pelo poder de iniciar ou engavetar um pedido de impeachment contra o chefe do Executivo. Comenta-se que nos últimos dois anos foram engavetados cerca de 20 pedidos pelo Aldo, e o Severino queria a diretoria de "furar poço" da Petrobras para engavetar o pedido de impeachment referente ao Mensalão. Ficou querendo.

Além disso, temos os poderes óbvios de marcar sessões de votação das matérias ou não, o que pode viabilizar a aprovação de um projeto ou impedi-la. Considerando a preponderância do Executivo nas iniciativas legislativas é importante a cooptação do ocupante deste cargo para o sucesso da agenda do Executivo na Câmara.

Ademais, considerando-se que o vice-presidente da República está sendo tratado de um câncer este cargo torna-se ainda mais importante pois pode tornar-se substituto imediato do presidente nas constantes viagens e se o chefe do Executivo sofrer um impeachment pode até mesmo sucedê-lo.

Hoje não parece provável que uma presidência da Câmara pertencente ao PT daria prosseguimento a um processo de impeachment contra o chefe do Executivo mas certamente cobraria do presidente um espaço no governo condizente com o apoio recebido, diferentemente de um presidente da Câmara de um partido aliado minúsculo que teria conseguido a cadeira graças à influência de cargos e de emendas do orçamento do chefe do Executivo de quem ele seria devedor.

Talvez a eleição para a presidência da Câmara de um representante de um grande partido ou mesmo do PT possa marcar uma reversão da tendência da dominação do Executivo e a obliteração dos partidos nas decisões. Talvez as negociações se desloquem para o atacado e saiam do varejo.

Talvez marque o lançamento de um nome do PT como pré-candidato à presidência da República e o deslocamento do poder dentro do PT do grupo palaciano em direção ao grupo de parlamentares do partido que, detendo tal cargo, poderá exercer mais influência sobre o Diretório Nacional do Partido, sobre os rumos do próprio governo e quem sabe até mesmo da sucessão de 2010.

9 comentários:

André (Brasília) disse...

Respondendo ao seu post em meu site:

(www.execout.blogspot.com)

Pugnacitas é melhor q eneadáctilo. Só de lembrar do Lula já tenho nojo. Nem consigo mais olhar p/ a cara dele, nem ouvir aquela voz de alcoólatra, e isso já tem uns dois anos. Ele é sujo (não apenas no sentido moral/ético, mas no estético/visual/higiênico também).

Bom, como estou preso a concursos públicos, serão sempre poucos e esparsos os posts no meu site e no novo, www.execout2.blogspot.com, mas o original tem mais de 200 posts, muita coisa interessante, desde q quem o visite goste de geopolítica e assuntos militares (e tenha paciência p/ pesquisar os arquivos...)

Até mais!

Ricardo Rayol disse...

Em primeiro lugar wellcome maguila. Mas uma coisa muito muito estranha me ocorreu. Se o PT está meio que ignorando a eleição de 2010, se o vice está canceroso e se o presidente da pocilga pode ser do PT, logo em caso de impeachment o prórpio PT pode eleger um candidato sem estresse. Tenham medo, muito medo...

Catellius disse...

Grande Heitor!
Seja bem-vindo ao Pugnacitas (Ex- Eneadáctilo).

Se um azarão do calibre do Sarney subir novamente à presidência, estamos perdidos.

Mas não subestimemos a saúde física do nosso presidente (do fígado de aço) e principalmente sua saúde política. Um impeachment é improvável neste cenário de sindicalistas, UNE, universidades, artistas e mídia cooptados pelo petismo.
Quanto ao tão "mal falado" povo, é o único que não tem culpa, já que teve melhorias reais em seu poder aquisitivo. Sabendo da crassa ignorância de nossos concidadãos não podemos exigir que levem em conta o cenário global favorável, a demanda chinesa, as chuvas, quando avaliam os números do governo petista ou como reagem quando sentem os benefícios na pele (ou no estômago).
Abração

André disse...

Sarney, o bigode-escovão com aquele terno jaquetão de difunto, de volta ao "puder", como ele mesmo gosta de dizer? Daqui a pouco até a Venezuela do Chapolin Colorado vai parecer mais atraente... Aliás, "não contavam com minha astúcia" cai melhor nele do que gritar "Socialismo ou muerte"...

Suzy Tude disse...

Na minha humilde opinião, acho que tanto Aldo quanto Arlindo não fazem tanta diferença no que diz respeito ao apoio à Lula (impeachment, por exemplo). Mas você toca num assunto muito peculiar que me faz refletir a respeito de uma certa apartação entre o Lulismo e o petismo. No caso do Lulismo, existe o perigo do populismo autoritário à moda Chávez, do 3º mandato...
De outro prisma, Arlindo é o PT de Dirceu, dos mensaleiros. Neste caso específico, resta ainda saber se Lula vai aderir a este PT, o que, para mim, significaria o rumo ao partido único.
Os perigos estão latentes. Basta escolher com qual perspectiva se quer trabalhar, se bem que não depende de nós fazer o presidente da Câmara. Por isso poderíamos defender uma reforma política real, estrutural, que por isso mesmo, dificilmente se fará. Mas seria muito produtivo que se acabasse com o voto secreto nas duas Casas, pelo menos saberíamos quem está defendendo o que.


Grande abraço

pianola / Sonia R. disse...

Não haverá mais nada para inventar?
Voltarei com mais tempo para ler o resto do blogue.

Bom dia A todos.

Heitor Abranches disse...

Caro Alkimistas do Brasil,

Como já disseram alguns, o Lula é mais esperto que isto...Ele é um surfista que surfa as tendências do partido e sabe usar muito bem as pessoas, como usou o José Dirceu e que muito provavelmente saberá usar o próximo presidente da Câmara. Este tipo de líder carismático como diria Max Weber tende a ser deletério pois à sua sombra não crescem outras lideranças e esta postura de pai dos pobres infantiliza as relações com o povo. Atacá-lo é inútil pois ele se alimenta disso se escudando em sua origem humilde. Culpa ele não carrega nenhuma. É tudo culpa dos 500 anos da elite no poder, a tal herança maldita. Ele se diz o primeiro homem do povo a governar. Ele se diz o povo no poder. Quem poderá criticar isto? Mensalão? Aquilo é tudo exagero da imprensa e da Globo que persegue o PT, não é mesmo? Maldita imprensa. Permita-me discordar quanto ao voto secreto na Câmara. Ele não deve ser secreto para nada exceto para as eleições dos postos internos da Casa. Se isto ocorrer o Executivo terá a liberdade de perseguir os traidores que foram comprados com cargos e emendas no orçamento. Não acho que o Executivo tenha de ter este tipo de poder. Já tem tantos.

Heitor Abranches disse...

André,
O mundo está indo para a esquerda. Hoje a disputa pelo indicado democrata à presidência dos Estados Unidos é entre um negro filho de um africano de verdade (acho que nigeriano) e uma branca americana de nome Obama, quase Osama e a ex-primeira dama, senadora e expoente feminista a chifruda Clinton....Se bem que acho que a cabeça da chapa vai ser dela e a vice vai ser do Obama que ainda tá novo e pode ser presidente daqui a oito anos.

Filipe Moura disse...

Lula disse que a disputa entre Chinaglia e Aldo não compromete o governo de coalizão proposto por ele e que já conta com a adesão de 11 partidos!
Lula até disse que não irá mais fazer gestões para que a base aliada tenha apenas um nome em disputa. Ele disse que gostaria que tivesse um único candidato, mas como não foi possível, disse que devemos apenas esperar o resultado. Chinaglia e Aldo são "como filhos", segundo Lula, motivo pelo qual decidiu não se colocar a favor de nenhum deles.
Os blogueiros estão dando uma de jornalistas. "Se o Diogo pode bancar o parajornalista por que não posso?", devem pensar.
Boa sorte a todos vocês.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...