05 março 2010

Ateus serão salvos, católicos não.

Durante quase toda a história humana o mundo foi um lugar bestial. Adorava-se toda sorte de deuses, amaldiçoava-se os genitores, roubava-se até doces de crianças, homens raptavam as mulheres dos vizinhos, estes assassinavam aqueles em troco, os familiares das vítimas vingavam-se nos dos algozes, a criança escondida de olhar aterrado, única sobrevivente, crescia jurando eliminar todos desafetos. O que os movia não era o amor pelos iguais – por estes não vertiam uma lágrima -, mas o ardor pela desforra. As esposas de uns fornicavam com os maridos das outras, todos mentiam sempre (bastaria deduzir que o oposto do que era dito era a verdade, mas eram estúpidos), entregava-se à luxúria mais abjeta nas ruas em plena luz do dia, como fazem os cães, homens com homens, mulheres com mulheres, humanos com animais. E o pior – é-me penoso escrevê-lo: comia-se animais de patas fendidas que não ruminavam e misturava-se no mesmo tecido fios de lã e linho.

Não sabiam os torpes mortais que havia um único Deus, ciumento (disse-o ele próprio), que a tudo assistia de seu trono quando o céu não estava nublado e se arrependia (disse-o ele próprio) de tê-los criado, embora fosse incapaz de errar. A despeito de não existirem quaisquer leis para determinar o que era certo e o que era errado e estabelecer punições para cada crime, Deus castigou severamente Caim quando este assassinou ¼ da humanidade com uma única cajadada – algo de fazer inveja a Calígula, que gostaria que o povo tivesse um único pescoço, para cortá-lo -, e afogou a humanidade inteira exceto a família de Noé, incluindo depravados bebês de colo, para erradicar o mal na Terra, empresa para a qual seu engenho e onipotência se revelaram inúteis, como sabemos, uma vez que o mal se instalou novamente após Noé amaldiçoar o neto Canaã porque o pai deste viu aquele pelado e borracho sem o cobrir.

Antes do século XV a.C., incontáveis tentativas de se estabelecer uma moral, uma lei, fracassaram na China, Índia, Egito e Mesopotâmia. O Código de Hamurabi, por exemplo, jamais foi colocado em prática, pois os legisladores não possuíam autoridade divina. Foi, na verdade, fruto de sua soberba, pois se julgavam capazes de organizar as gentes sob leis morais sem o auxílio do Deus Único. Já tinham tentado, unidos, construir a Torre de Babel, para tornarem célebres seus nomes, conforme está escrito, mas Deus, a quem aborrecia os empreendedores, disse, com as seguintes palavras: “‘Eis que são um só povo, disse ele, e falam uma só língua: se começam assim, nada futuramente os impedirá de executarem todos os seus empreendimentos. Vamos: desçamos para lhes confundir a linguagem, de sorte que já não se compreendam um ao outro.”

Cansado de tanta iniqüidade e soberba entre suas criaturas, e de puni-las sem citar o artigo da lei que violavam, Javé deu-lhes, por meio de Moisés, o decálogo, que não eram dez mas dezenas de mandamentos. Ensinou-lhes, entre outras coisas, a adorá-lo mas nunca em altares feitos de pedras talhadas, a não fazer estátuas, não matar, não roubar, não levantar falso testemunho, a honrar os pais, a não cobiçar os bens do próximo.

Mas a espécie humana ainda era refém do pecado de Adão e Eva, os quais, paradoxalmente, só adquiriram malícia após pecarem e por conseguinte não pecaram de fato, e as leis mosaicas de nada adiantaram contra a marca passada de geração para geração que ele produziu. Deus entendeu ser imperativo enviar o filho, que ninguém conhecia, para que as bestas-feras humanas o destroçassem, como bem vimos no filme de Mel Gibson - era a única maneira de tirar os pecados do mundo, pensou. O motivo pelo qual não enviou o filho para ser morto na época de Noé, não nos é dado saber. Quiçá porque Pôncio Pilatos, Herodes, Judas e outros personagens dos evangelhos não haviam nascido ainda. O Filho de Deus mudou a lei divina vigente e, hipocritamente, disse nada ter mudado, que "passará o céu e a terra, antes que desapareça um jota, um traço da lei.”

Nos dois mil anos que se seguiram à vinda do Messias, o mundo continuou entregue à completa selvageria: trevas medievais, conquistadores sanguinários, saques, estupros, hordas de bárbaros, cruzadas, ordálias, justas, inquisições, guerras santas, perseguições e torturas, crimes de todos os tipos. Como que acordando de um longo delírio, Deus, de cuja permissão uma simples folha outonal precisava para se desprender da árvore, voltou atrás de sua antiga decisão e permitiu que os homens mesmos formulassem suas leis não divinas e as aplicassem, separassem o estado da religião, criassem direitos humanos universais, inéditos crimes de guerra, o sufrágio universal, o respeito às diferenças, a liberdade de credo, lutassem contra a escravidão e as castas, definissem ser errado apedrejar adúlteras e perseguir homossexuais, queimar feiticeiras e hereges, etc.

O mundo continuou selvagem, mas muito melhor do que na época em que Deus ditava as regras a seus representantes terrenos. O criador, finalmente, ficou feliz com suas criaturas, orgulhoso de Sócrates, Epicuro, Nietzsche, Bentham, Jefferson e outros luminares, arrependeu-se do arrependimento de tê-las inventado e percebeu, após tanto tempo, com um sorriso melancólico perdido entre os cachos brancos da barba, que estava sobrando na sua própria obra, para além de carregar infinitos crimes monstruosos nas costas, e então condenou-se a si mesmo à morte, à não existência. Foi o fim dos milagres grandiosos, dos mares se abrindo, das chuvas de rochas, dos anjos da morte a ceifar vidas de primogênitos. Os fiéis órfãos insistem em que não morreu, como Elvis, e que a prova de que ainda está por aí é sua própria criação, uma vaga alcançada em um estacionamento concorrido, uma unha encravada curada, um cancro que regrediu.

Foi melhor assim. Se valessem até hoje todos os mandamentos ditados a Moisés e se o legislador e o juiz ainda fossem vivos, nós ateus seríamos salvos enquanto a maior parte dos cristãos, nomeadamente os católicos, iria para o inferno. Façamos o teste!

Êxodo, 20

1.Então Deus pronunciou todas estas palavras:
2.“Eu sou o Senhor teu Deus, que te fez sair do Egito, da casa da servidão.


CATÓLICOS E ATEUS: Isto independe de crença.

3.Não terás outros deuses diante de minha face.

CATÓLICOS: Têm o Pai, o Espírito Santo, Jesus, Maria (embora digam venerá-la), Santos (semideuses).
ATEUS: Não têm outros deuses (não têm nenhum, mas isto é um mero detalhe)

4.Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra.

CATÓLICOS: Esculturas de divindades estão entre as coisas preferidas pelos católicos.
ATEUS: Fazem esculturas artísticas e de homens notáveis.

5.Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto. Eu sou o Senhor, teu Deus, um Deus zeloso que vingo a iniqüidade dos pais nos filhos, nos netos e nos bisnetos daqueles que me odeiam,
6.mas uso de misericórdia até a milésima geração com aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.


CATÓLICOS: Prostram-se diante delas. Prestam-lhes culto.
ATEUS: Não prestam culto a esculturas artísticas e tampouco a representações de figuras históricas. Os comunistas que se dizem ateus – pelo menos por aqui comunistas são quase sempre católicos - têm seus ídolos e devotam a eles um fervor religioso.

7.“Não pronunciarás o nome de Javé, teu Deus, em prova de falsidade, porque o Senhor não deixa impune aquele que pronuncia o seu nome em favor do erro.

CATÓLICOS: Quanto mais piedoso um devoto, mais usa o nome de Deus por qualquer bobagem.
ATEUS: Ateus não pronunciam o nome de Javé em prova de falsidade, nem ficam usando o seu nome em vão. A maioria – na qual não me incluo – sequer pensa em deuses.

8.Lembra-te de santificar o dia de sábado.
9.Trabalharás durante seis dias, e farás toda a tua obra.


CATÓLICOS: Santificavam o domingo, e olhe lá. Agora nem isso.
ATEUS: Como os católicos, não santificam dia algum.

10.Mas no sétimo dia, que é um repouso em honra do Senhor, teu Deus, não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem teu servo, nem tua serva, nem teu animal, nem o estrangeiro que está dentro de teus muros.
11.Porque em seis dias o Senhor fez o céu, a terra, o mar e tudo o que contêm, e repousou no sétimo dia; e por isso. o Senhor abençoou o dia de sábado e o consagrou.


CATÓLICOS E ATEUS: Trabalham no sábado, se for preciso, e apertam botões de elevadores, mesmo os kosher.

12.Honra teu pai e tua mãe, para que teus dias se prolonguem sobre a terra que te dá o Senhor, teu Deus.

CATÓLICOS E ATEUS: Boa parte dos católicos e ateus age conforme o mandamento.

13.Não matarás.

CATÓLICOS E ATEUS: Boa parte dos católicos e ateus age conforme o mandamento.

14.Não cometerás adultério

CATÓLICOS E ATEUS: Boa parte dos católicos e ateus age conforme o mandamento.

15.Não furtarás.

CATÓLICOS E ATEUS: Boa parte dos católicos e ateus age conforme o mandamento.

16.Não levantarás falso testemunho contra teu próximo.

CATÓLICOS E ATEUS: Boa parte dos católicos e ateus age conforme o mandamento.

17.Não cobiçarás a casa do teu próximo; não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seu escravo, nem sua escrava, nem seu boi, nem seu jumento, nem nada do que lhe pertence.

CATÓLICOS E ATEUS: Boa parte dos católicos e ateus age conforme o mandamento.

(...) 23.Não fareis deuses de prata, nem deuses de ouro para pôr ao meu lado.

CATÓLICOS: Reprovados.
ATEUS: Ateus não fazem deuses nem de prata nem de ouro nem de platina nem de adamantium.

24.Tu me levantarás um altar de terra, sobre o qual oferecerás teus holocaustos e teus sacrifícios pacíficos, tuas ovelhas e teus bois. Em todo lugar onde eu fizer recordar o meu nome, virei a ti para te abençoar.

CATÓLICOS e ATEUS: Nunca fizeram isso. Matam esses bichanos para comê-los.

25.Se me levantares um altar de pedra, não o construirás de pedras talhadas, pois levantando o cinzel sobre a pedra, tê-la-ás profanado.

CATÓLICOS: Católicos constroem altares com pedras talhadas. Templos bonitos espalhados mundo afora, construídos na melhor das intenções, mas que desagradam sobremaneira seu deus.
ATEUS: Ateus não levantam altares, mas SE levantassem um altar de pedra, não o construiriam com pedras talhadas.

26.Não subirás ao meu altar por degraus, para que se não descubra a tua nudez.”

CATÓLICOS: Os altares católicos são acessados por degraus, amiúde.
ATEUS: Ateus não têm altares.

E seguem outros mandamentos, desnecessário transcrevê-los por aqui.

Itens avaliados: 16
CATÓLICOS: Pontuação: 6 em 16 = 37,5% = INFERNO!
ATEUS: Pontuação: 12 em 16 = 75% = PARAÍSO! Com direito a anjinhos com harpa e tudo!

107 comentários:

André disse...

O Código de Hamurabi não foi praticado? Que coisa... não sabia.

Se Adão e Eva não tinham malícia antes, não poderiam ter pecado, já que pecar exige alguma malícia. Claro, pecado não existe, mas se a gente for seguir a lógica, é isso aí.

Não adianta, religiosos escapam dizendo “ah, mas tem o livre-arbítrio...”

Ou seja, Ele é legal, nós é que não somos. A culpa é sempre nossa.

“Não cometerás adultério. CATÓLICOS E ATEUS: Boa parte dos católicos e ateus age conforme o mandamento.”

Hummm... será? Bom, pode ser. Mas acho que muitos não pulam a cerca por falta de oportunidade e impedimentos mil. Querer eles querem. E uma hora alguns acabam pulando.

O mesmo para o falso testemunho e a cobiça às coisas do próximo.

Catellius disse...

"O Código de Hamurabi não foi praticado? Que coisa... não sabia."

Ironia minha. Para demonstrar como foram inúteis os dez mandamentos, já que sempre foi proibido matar e roubar.

Abs

Carlos Esperança disse...

Um bom post. Bem documentado e com humor q.b.

Julio Carrancho disse...

"Ensinou-lhes, entre outras coisas..."

O termo “coisas” representa mau Português na sentença.
Todo o resto do texto, excelente! Evite-se usar tal termo abstrato quando se pretende enumerar “coisas”!... :-)

Anônimo disse...

"O termo “coisas” representa mau Português na sentença."

???

É o tipo do sujeito que não tem o que dizer.

Imaginem só, deve ser um filólogo que, no dia-a-dia, em vez de discordo diz discrepo, em vez de familiarizado, diz tenho privância, e em vez de em baixo, sotoposto.

Sintaxe e gramática certas são questões morais, como diria Eliot. Não desculpas para frescuras.

Anônimo disse...

Ótimo blog. Veja a oração do Frei Betto, Cattelius.



ORAÇÃO DO PAI-NOSSO

Versão de Frei Betto

Pai-nosso que estais no céu, e sois nossa Mãe na Terra, amorosa orgia trinitária, criador da aurora boreal e dos olhos enamorados que enternecem o coração, Senhor avesso ao moralismo desvirtuado e guia da trilha peregrina das formigas do meu jardim,

Santificado seja o vosso nome gravado nos girassóis de imensos olhos de ouro, no enlaço do abraço e no sorriso cúmplice, nas partículas elementares e na candura da avó ao servir sopa,

Venha a nós o vosso Reino para saciar-nos a fome de beleza e semear partilha onde há acúmulo, alegria onde irrompeu a dor, gosto de festa onde campeia desolação,

Seja feita a vossa vontade nas sendas desgovernadas de nossos passos, nos rios profundos de nossas intuições, no vôo suave das garças e no beijo voraz dos amantes, na respiração ofegante dos aflitos e na fúria dos ventos subvertidos em furacões,

Assim na Terra como no céu, e também no âmago da matéria escura e na garganta abissal dos buracos negros, no grito inaudível da mulher aguilhoada e no próximo encarado como dessemelhante, nos arsenais da hipocrisia e nos cárceres que congelam vidas.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje, e também o vinho inebriante da mística alucinada, a coragem de dizer não ao próprio ego e o domínio vagabundo do tempo, o cuidado dos deserdados e o destemor dos profetas,

Perdoai as nossas ofensas e dívidas, a altivez da razão e a acidez da língua, a cobiça desmesurada e a máscara a encobrir-nos a identidade, a indiferença ofensiva e a reverencial bajulação, a cegueira perante o horizonte despido de futuro e a inércia que nos impede fazê-lo melhor,

Assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e aos nossos devedores, aos que nos esgarçam o orgulho e imprimem inveja em nossa tristeza de não possuir o bem alheio, e a quem, alheio à nossa suposta importância, fecha-se à inconveniente intromissão,

E não nos deixeis cair em tentação frente ao porte suntuoso dos tigres de nossas cavernas interiores, às serpentes atentas às nossas indecisões, aos abutres predadores da ética,

Mas livrai-nos do mal, do desalento, da desesperança, do ego inflado e da vanglória insensata, da dessolidariedade e da flacidez do caráter, da noite desenluada de sonhos e da obesidade de convicções inconsúteis,

Amemos.

Catellius disse...

Obrigado André, Carlos Esperança, Anônimos e Júlio Carrancho.

Anônimo,

Que oração absurda, rsrs!
Esse frei é um herege!

Abaços!

Catellius disse...

Digo, Abraços*

Jota disse...

Isso não é um artigo escrito por um ateu, mas por um evangélico que trata a bíblia como única forma de obter a verdade e que faz interpretação literal do que está escrito.
Parece um pastor escrevendo.

Anônimo disse...

Um artigo escrito por alguém sem muito discernimento, com os mesmos cacoetes de qualquer fanático religioso. Literal. Literalmente banal, aliás.

Catellius disse...

"um evangélico que trata a bíblia como única forma de obter a verdade e que faz interpretação literal do que está escrito."

Na Bíblia está muito claro quando algo é simbólico. E está claro quando algo é literal, como as ordens dadas por Javé para que Josué mate até bebês de colo cananeus. O joguinho literal/simbólico foi inventado para que se pudesse blindar a Bíblia de críticas, é algo completamente ad hoc. A historinha de Adão e Eva, por exemplo, foi considerada algo literal até Darwin - e olhe que quem interpretava as escrituras em concílios era o próprio Espírito Santo, segundo a doutrina oficial. E agora os católicos se consideram mais evoluídos que seus "irmãos separados" por considerarem simbólico algo que já teve interpretação literal. Durante milênios julgaram poder explicar o mundo com suas verdades reveladas. Quando ficou provado que era apenas ignorância, passaram a dizer "isso é ciência, isso é fé, isso é literal, isso é simbólico". A analogia com A raposa e as Uvas de Esopo é óbvia. Tentaram alcançar as uvas, não conseguiram e agora dizem que sua fé não tenta explicar nada. E que ciência e fé não estão em conflito.

Se qualquer coisa que consideram simbólico fosse provada como literal, regozijar-se-iam por estarem certos, hehe.

E mais. Considera-me superficial? Você não conhece a própria fé. Vejamos um trecho da recentíssima encíclica Humani Generis, de Pio XII:

“Mas, tratando-se de outra hipótese, isto é, a do poligenismo, os filhos da Igreja não gozam da mesma liberdade, pois os fiéis cristãos não podem abraçar a teoria de que depois de Adão tenha havido na terra verdadeiros homens não procedentes do mesmo protoparente por geração natural, ou, ainda, que Adão signifique o conjunto dos primeiros pais; já que não se vê claro de que modo tal afirmação pode harmonizar-se com o que as fontes da verdade revelada e os documentos do magistério da Igreja ensinam acerca do pecado original, que procede do pecado verdadeiramente cometido por um só Adão e que, transmitindo-se a todos os homens pela geração, é próprio de cada um deles. [cf. Rom 5, 12-19

É literal mesmo! E é ridículo mesmo. E coisas ridículas imploram por ser ridicularizadas!

Catellius disse...

Obrigado pela dica, Jota.

Vou fazer um post sobre essa pretensão dos católicos citando a encíclica do Papa de Hitler. Os católicos não têm direito de ver a historinha de Adão e Eva como algo simbólico. TÊM OBRIGAÇÃO de interpretá-la literalmente. Podem considerar a serpente e o fruto proibido como simbólicos, mas não um homem e uma mulher terem sido criados do nada, do jeitinho que são hoje homens e mulheres, e cometerem um pecado cuja marca foi passada de geração para geração. Sem pecado original o batismo perde o sentido, a vinda de Jesus perde o sentido. Os católicos tendem a ver o pecado original apenas como uma tendência para o pecado que todos homens têm. Não conhecem a própria fé, são uns camaleões que professam o catolicismo por mero cacoete social.

Catellius disse...

Se qualquer coisa que consideram simbólica*

Quando escrevo às pressas a última flor do Lácio sofre... Que o Julio Carrancho não leia...

Jota disse...

Catellius, mil desculpas.

Não sabia de tamanha sabedoria sua.
Agora eu entendo.
Tudo evolui, transforma, mas a religião não deve jamais sofrer qualquer tipo de modificação.
Aí reside sua suma inteligência, regada de preconceito, quem diria, advindo do fundamentalismo.

Ou seja, serve para a religião apenas os textos religiosos provenientes de religiosos (fundamentalismo forte hein?), e tais textos não podem jamais apresentar algo diferente do que já foi apresentado.

Belíssimo conceito de religião!!!

E eu em minha doce ilusão achar que rendia uma a discussão interessante e abrangente...

Você entende muito de igreja católica, até já se proclama o com autoridades papais: "TÊM OBRIGAÇÃO de interpretá-la literalmente.

E sim, é por isso que eu estou te ridicularizando, porque "coisas ridículas imploram por ser ridicularizadas!"

Catellius disse...

Jota,

“Tudo evolui, transforma, mas a religião não deve jamais sofrer qualquer tipo de modificação.”

A Igreja Católica pode mudar, claro, assim como outras religiões. Pode permitir, se quiser, a ordenação de mulheres, acabar com o celibato obrigatório, não fazer uma cruzada contra a camisinha e pesquisas com células-tronco embrionárias, pode passar a não se imiscuir em assuntos políticos, abrir mão dos seus santos, de Maria, do latim como língua oficial, pode transferir sua sede de Roma para Cachoeira Paulista, ao lado da Canção Nova. Transformações, boas ou más, podem ocorrer, claro, não só na ICAR mas em qualquer religião. O que é engraçado é uma religião abrir mão de supostos ensinamentos de uma divindade perfeita, única e incapaz de errar, porque humanistas passaram a achar aquilo um atraso. Ou passarem a considerar simbólico algo que sempre foi literal porque a ciência avançou, achar que a interpretação dos destinatários da mensagem, dois ou três mil anos antes, estava errada, o próprio profeta Moisés entender errado o que o criador do universo lhe disse pessoalmente, porque o Jota assim o quis, hehe. Ou acharem que Javé não ordenou a matança de bebês de colo durante a conquista da Terra Santa, que Josué disse serem ordens divinas apenas para ser obedecido, que o escritor inventou ou que aquilo tudo era simbólico porque Javé é bom e jamais faria aquilo. Ora, para que diabos serve a Bíblia então? Ora, se a moral vem de Deus e ele diz que não devemos deixar viver feiticeiras e que não devemos encostar em mulheres menstruadas, porque mudar de idéia só porque a sociedade acha isso errado?

A encíclica de Pio XII não deixa dúvidas de qual seja a doutrina católica no assunto “Adão e Eva”. Mas a cúpula da camaleônica ICAR permite ao clero e aos fiéis uma visão heterogênea sobre o assunto, faz vista grossa para determinados desvios, porque quer agradar a gregos e troianos. Prefere adaptar-se darwinianamente à situação, hehe. Mas a ICAR não evoluiu tanto quanto querem seus defensores.

Catellius disse...

“Ou seja, serve para a religião apenas os textos religiosos provenientes de religiosos (fundamentalismo forte hein?), e tais textos não podem jamais apresentar algo diferente do que já foi apresentado.
Belíssimo conceito de religião!!!”


Religião é, grosso modo, uma comunidade religiosa que segue a regra do seu fundador ou reformador. É uma doutrina. Para se conhecer uma religião devemos ler os escritos dos seus fundadores, dos seus mantenedores, de seus representantes, líderes. Se você não concordar com o que está no Catecismo, faça como Lutero e tantos outros: funde uma religião ou seja um herege. Simples. E mais: você fala que eu pareço um protestante mas é você que faz como eles. Quem inaugurou o livre exame das escrituras foram os protestantes e suas bíblias de Gutenberg debaixo do sovaco. Na ICAR, antes, durante e depois de Lutero o que vale é a interpretação oficial, dos exegetas supostamente inspirados pelo Espírito Santo. Então esse joguinho de “você não sabe analisar”, “você vê tudo de um jeito simplista” é balela. Está no Catecismo, nas encíclicas, silabos e concílios toda a interpretação oficial. É ela que vale, não a sua. Se quiser fazer a própria, é um herege. Um auto-excomungado.

“E eu em minha doce ilusão achar que rendia uma a discussão interessante e abrangente...”

Abrangente? Aquele seu petardozinho? Pfff!

“Você entende muito de igreja católica, até já se proclama o com autoridades papais: "TÊM OBRIGAÇÃO de interpretá-la literalmente.”

Fico com Camilo Silva Coelho, um professor de teologia português: Claro que há passagens simbólicas na Bíblia, mas em princípio as palavras devem ser interpretadas no seu sentido literal, enquanto nada encontrarmos nos textos que nos indique estarmos perante linguagem alegórica. Neste pormenor apoio a posição teológica de Saramago. Não podemos esquecer de que os judeus, que foram os destinatários do Velho Testamento, interpretaram literalmente as passagens em que o seu deus mandava aplicar a pena de morte com manifesto desprezo pela vida humana, e através dos séculos muitas foram as vítimas dessa interpretação, pois morreram literalmente, de morte violenta. Não foi morte fingida ou morte simbólica.
Havendo duas interpretações, uma dos destinatários que foram também contemporâneos do escritor bíblico e outra interpretação que aparece dois ou três milénios mais tarde, penso que a interpretação de quem está mais perto no tempo, deverá merecer maior credibilidade.

Vejamos, por exemplo, o seguinte mandamento, nas palavras do próprio criador do universo: Géneses 17:14: "- O incircunciso, que não for circuncidado na carne do prepúcio, essa vida será eliminada do seu povo; quebrou a minha aliança.”
Simbólico? Não, uma vez que os destinatários da mensagem interpretaram o mandamento literalmente. Ou o deus do Novo Testamento não é o mesmo do Velho ou temos aí uma “evolução” impressionante em um ser perfeito que não pode errar ... Se uma passagem cristalinamente literal como essa for simbólica, então a Bíblia não é um meio de comunicação válido entre Javé e os homens. Na verdade, não é. Com suas contradições, presta a quem tolera gays e a quem deseja discriminá-los. A sua utilidade, na verdade, é baixar o senso crítico dos fiéis quando os líderes a citam como a Palavra de Deus. Os interesses dos líderes religiosos, claro, podem “evoluir” com o tempo, para melhor ou para pior - neste caso como evolui um câncer. Se antes eles tinham alianças com os reis e ignoravam o populacho, hoje, nas democracias, falam às consciências dos eleitores, repetindo, em uma curiosa adaptação darwiniana ao meio - isso que você chama de "evolução"...

Jota disse...

"O que é engraçado é uma religião abrir mão de supostos ensinamentos de uma divindade perfeita, única e incapaz de errar, porque humanistas passaram a achar aquilo um atraso"
Ou seja: elas não podem mudar. Se você for mais direto, garanto que será melhor para todos. Então você deveria ter começado sua mensagem assim: "A igreja católica NÃO pode mudar.
E também gostaria de saber de onde é que você tirou que o evolucionismo exclui "uma divindade perfeita, única e incapaz de errar".
Ou seja, da igreja católica você só conhece aquilo que serve pra montar seu discursinho...
E ainda: muito antes de humanistas acharem a interpretação literal um atraso, já existiam pessoas que não faziam interpretação literal. Bem fraco esse seu argumento.
"achar que a interpretação dos destinatários da mensagem,, dois ou três mil anos antes, estava errada, o próprio profeta Moisés entender errado"
Ou seja, ela não pode mudar [2]
E eu nem sabia que as pessoas do antigo testamento liam o antigo testamento para fazerem interpretações errôneas.
(mas, aqui eu confesso que já não sei mais nada de Moisés, portanto, não entendi muito bem seu argumento. Ou seja, Moisés entendeu errado o que o Criador disse ou escreveram de forma subjetiva (ou errada) os acontecimentos e as palavras ditas pelo Criador com Moisés?)
Ficou confuso.
"Ou passarem a considerar simbólico algo que sempre foi literal porque a ciência avançou, achar que a interpretação dos destinatários da mensagem, dois ou três mil anos antes, estava errada, o próprio profeta Moisés (..)jamais faria aquilo."
O seu argumento são os fatos ou você ainda vai apresentar os argumentos?
"Ou acharem que Javé não ordenou a matança de bebês de colo durante a conquista da Terra Santa,"
Essa conquista eu não conheço. Isso é da bíblia? Ou você já mudou o foco?
"Ora, para que diabos serve a Bíblia então?"
Essa pergunta é especial pra você, pois sua argumentação é toda baseada nela.

Não é por isso. A prova? A postura em relação as pesquisas com células embrionárias e todas aquelas mudanças indicadas por você. A sociedade está aí gritando contra essas posições, mas ela não mudou.
Bem simples, não é mesmo?
Do contrário você deveria dizer (de novo): "A igreja católica NÃO pode mudar.

Jota disse...

"Mas a ICAR não evoluiu tanto quanto querem seus defensores."
Isso porque se trata de evidências. Ou você não sabia disso?
Para eles escrevem de fato a evolução como ensinamento, precisariam mais que evidências.
"Mas a cúpula da camaleônica ICAR permite ao clero e aos fiéis uma visão heterogênea sobre o assunto"
Não é uma visão heterogênea, visto que existem outras teorias além do criacionismo cristão e evolucionismo, é apenas uma visão que não trata de méritos biológicos. Ao menos que você queira interpretar literalmente.
"Religião é, grosso modo, uma comunidade religiosa que segue a (...).Se você não concordar com o que está no Catecismo, faça como Lutero e tantos outros: funde uma religião ou seja um herege."
Quando eu disse que "serve para a religião apenas os textos religiosos provenientes de religiosos, e tais textos não podem jamais apresentar algo diferente do que já foi apresentado" eu estava criticando seu programa "anti-evolução" anti-mudanças; você defende (cada vez mais) que não pode haver mudanças.
Ou seja, ao contrário do que você pensa, uma pessoa que apresente algo diferente não é necessariamente um herege, daí que ela evolui, muda,
A religião, conceitualmente, também possui pontos que mudam. Isso é inerente a correto conceito de religião.
Se você considera que ela não pode mudar, então seu conceito de religião está falho.
"o que vale é a interpretação oficial, dos exegetas supostamente inspirados pelo Espírito Santo."
Na realidade, mesmo na Igreja Católica, qualquer um pode receber inspiração do Espírito Santo para ler a bíblia. Não é necessário ser exegeta.
"Está no Catecismo, nas encíclicas, silabos e concílios toda a interpretação oficial. É ela que vale, não a sua"
Sim. E daí?
É uma religião, não concordou, as portas estão abertas também para sair.
Desde quando catecismo, encíclicas, etc, impedem a mudança que é inerente a toda religião?
"Se quiser fazer a própria, é um herege."
Mentira, você pode ter uma pessoal, mas será um herege para aquela religião se pregar ela (que deve ser contraditória a vigente) como verdadeira ou correta.
Quer que ela seja a verdadeira? Apresente ela as autoridades e espere pelo processo de verificação. Se estiver errado, será indicado onde está o erro. Se estiver certo, poderá ser adotada (excluindo ou não alguma outra).
"Fico com Camilo Silva Coelho"
Fique com quem quiser. Eu posso escolher Joseph Ratzinger, Tomás de Aquino, Agostino, Battista Mondin, Keith Ward, etc.
"Havendo duas interpretações, uma dos destinatários que foram também contemporâneos do escritor bíblico e outra interpretação que aparece dois ou três milénios mais tarde, penso que a interpretação de quem está mais perto no tempo, deverá merecer maior credibilidade."
Tudo bem, mas nesse caso tente se ater apenas ao velho testamento.
E não se esqueça do árduo processo de se livrar das contradições interpretando de forma literal.
"Simbólico? Não, uma vez que os destinatários da mensagem interpretaram o mandamento literalmente."
Quem é o povo dele? apenas os judeus? Porque se for, os cristãos estão livres.
Ou ainda: isso foi superado (mudou) com o cristianismo. É uma outra religião.
Então eu pergunto por que seu desejo de que os católicos "TÊM OBRIGAÇÃO de interpretá-la literalmente"?
"Ou o deus do Novo Testamento não é o mesmo do Velho ou temos aí uma “evolução” impressionante em um ser perfeito que não pode errar"
Mas porque Deus evoluiu? Só por que você, com a cultura ocidental fortemente influenciado pela Igreja Católica, acha que a circuncisão é um atraso, coisa primitiva?
"Com suas contradições, presta a quem tolera gays e a quem deseja discriminá-los."
Em que sentido tolerar e discriminar?
Não se esqueça que foi você quem disse: "TÊM OBRIGAÇÃO de interpretá-la literalmente"

Jota disse...

"A sua utilidade, na verdade, é baixar o senso crítico dos fiéis quando os líderes a citam como a Palavra de Deus"
A maioria dos tapados com pouco senso crítico são aqueles que fazem interpretação literal...
Isso é bem irônico, pois parece que necessitamos dos exegetas, dos catecismos, encíclicas etc.
Naturalmente dizendo (por experiências próprias de qualquer um que estude qualquer coisa) precisamos sempre de mais de uma fonte.
Ou seja, no fundo não iria baixar o senso crítico, por que seriam lidos vários livros de variados assuntos: teologia, filosofia, sociologia, antropologia. Não tem como ficar obtuso, sem senso crítico ao ler tanta coisa assim.
Ao menos, claro, que você esteja se referindo aos líderes religiosos que dizem para ler apenas a bíblia.
"Os interesses dos líderes religiosos, claro, podem “evoluir” com o tempo, para melhor ou para pior"
Não são apenas os interesses que evoluem, a religião em si também. E diga-se de passagem, não necessariamente para atender interesses dos líderes.
"hoje, nas democracias, falam às consciências dos eleitores, repetindo, em uma curiosa adaptação darwiniana ao meio - isso que você chama de "evolução"
Eu não quero nenhum religioso tapado tomando conta do estado, mesmo que as influências da religião dele no governo sejam discutíveis.
E definitivamente, você não entendeu ao que me refiro quando digo "evolução" da religião.
Sugiro que leia antropologia e sociologia.

Jota disse...

Faltou esse pedaço em negrito ainda no primeiro comentário:
Não é por isso. A prova? A postura em relação (...)

Jota disse...

Desculpem, mas é por causa do html...
A sua alegação que comento é:"porque mudar de idéia só porque a sociedade acha isso errado?"
Não é por(...)

André disse...

Em homenagem a Nelson Mandela, queria fazer um pequeno Apartheid aqui.

Ok, nada contra quem acredita em Deus, quem odeia Deus (seja lá por quais motivos), quem é católico, quem odeia a igreja católica. São só umas questões rápidas:

Não é exatamente isso (entre outras coisas) que o evolucionismo faz? Ele não exclui "uma divindade perfeita, única e incapaz de errar"?

E a sociedade, a brasileira pelo menos, está aí gritando contra quais posições? Está a favor da igreja (contra as stem cells, p. ex.) ou contra ela? Acho que está a favor das pesquisas, não está?

O evolucionismo darwinista pode ainda ser incompleto, mas já está bem fundamentado. Em fatos, em evidências.

Boa semana pra todos

Jota disse...

"Não é exatamente isso (entre outras coisas) que o evolucionismo faz? Ele não exclui "uma divindade perfeita, única e incapaz de errar"?
De forma alguma!
Por que excluiria?

"Está a favor da igreja (contra as stem cells, p. ex.) ou contra ela?
Claro que tem parte contra e parte a favor.
Mas a questão é que não é por isso (exigência de parte da sociedade) que ela irá mudar uma posição que depende da sua doutrina.

"O evolucionismo darwinista pode ainda ser incompleto, mas já está bem fundamentado. Em fatos, em evidências."
Exato.
E é devido a estar incompleto que certas religiões não assumem oficialmente ser a correta. (a própria ciência não diz isso, e tal teoria é estritamente da alçada da ciência)
O que não significa que é para ensinar o criacionismo como o certo ou para dizer que o evolucionismo está errado. (dizer isso é um erro)
A teoria é cheia de evidências sim, é bem fundamentada, mas está incompleta.
E a ciência é rigorosa...

André disse...

"De forma alguma! Por que excluiria?"

Certo, isso eu entendo, essa convivência. Ainda que pense que o conceito tradicional de Deus acaba sendo excluído pelo evolucionismo, não tem como. Por isso acho difícil aceitar, mas tudo bem, se tem gente que quer ver Deus como o responsável por toda a diversificação da Natureza através do processo descrito por Darwin, I'm fine with it.

"Mas a questão é que não é por isso (exigência de parte da sociedade) que ela irá mudar uma posição que depende da sua doutrina."

Naturalmente. Acho que no futuro vai acabar mudando de posição. Mas ela não deve mesmo ceder às pressões populares, está certa em fazer isso. Nem é a primeira vez que vai contra a maioria. Afinal de contas, é uma sobrevivente. As pessoas pensam que a igreja é boba, arcaica, ultrapassada, mas de boba ela não tem nada. É uma organização muito inteligente. E altamente adaptável.

Acho que o evolucionismo sempre será incompleto, mas nem por isso será desacreditado. Sempre vai haver quem o ponha em dúvida, porém não há mais volta.

Jota disse...

"Certo, isso eu entendo, essa convivência. Ainda que pense que o conceito tradicional de Deus acaba sendo excluído pelo evolucionismo,"
Quem pensa que exclui, simplesmente não sabe nada sobre o conceito de Deus, o reduz ao ato da criação como descrito pela bíblia!

"As pessoas pensam que a igreja é boba, arcaica, ultrapassada, mas de boba ela não tem nada. É uma organização muito inteligente. E altamente adaptável."
E não só uma igreja X ou Y, mas isso costuma ser inerente a qualquer religião.

Jota disse...

André, uma pequena correção:
A Igreja Católica não é contra pesquisas com célula tronco qualquer (stem cells), mas apenas contra as células tronco embrionárias, que na maioria das vezes implica na destruição do embrião.
Talvez no futuro, a julgar pelo avanço científico, possam tirar células tronco embrionárias sem que se mate o embrião.

André disse...

"E não só uma igreja X ou Y, mas isso costuma ser inerente a qualquer religião."

Sim, só falei na católica, mas me referia a todas. Ou quase todas.

Pois é, são contra as pesquisas com as embrionárias. Eu não equiparo um embrião a, p. ex., um feto, mas entendo a posição de quem pensa assim. Acho muito radical, de qualquer forma.

Acontece que dificilmente a clonagem de células adultas, maduras, oferecerá as mesmas vantagens e facilidades da clonagem das embrionárias. Estas são células ainda não-especializadas, podem se transformar em qualquer outra. E são mais fáceis de manipular, quando comparada com as maduras. O potencial é ilimitado. Os avanços com as adultas dependerão dos avanços com as embrionárias, que são o campo principal.

Agora, aproveitar as embrionárias sem matar o embrião, não sei se isso será possível. Seria bom, mas me parece que não vai dar. Nem no futuro distante. Só um palpite.

Catellius disse...

Vamos lá! Paciência...

Jota,

“Se você for mais direto, garanto que será melhor para todos. Então você deveria ter começado sua mensagem assim: ‘A igreja católica NÃO pode mudar’”.

Pode mudar à vontade, desde que não sejam verdades de fé, dogmas, decisões de concílios inspiradas pelo Espírito Santo. Mudar a interpretação da historinha de Adão e Eva de literal para simbólica por causa de Darwin também seria absurdo. Por isso a ICAR não aceita o poligenismo. Para ela, Deus criou Adão e Eva e todos são descendentes deste casal. A Igreja pode mudar sua posição sobre o aborto, por exemplo. Durante séculos o tolerou até que o feto tivesse forma de gente, braços, pernas, etc. Depois mudou de posição. Nessas coisas ela pode evoluir, pois não entram em choque com coisas ditas diretamente por Javé ou com dogmas e verdades de fé. Não acredito que tenha que explicar essas coisas simplíssimas para você. Que raio de católico você é?

“E também gostaria de saber de onde é que você tirou que o evolucionismo exclui "uma divindade perfeita, única e incapaz de errar". “

O que eu escrevi: “O que é engraçado é uma religião abrir mão de supostos ensinamentos de uma divindade perfeita, única e incapaz de errar, porque humanistas passaram a achar aquilo um atraso.”
Interpretação de texto = 0
Chame o Espírito Santo...

Se uma divindade perfeita, única e incapaz de errar diz explicitamente que devemos matar feiticeiras, quem são os homens para dizerem que é um atraso fazer isso, por que a Igreja considera isso algo errado, se por tantos séculos não apenas achou certo mas mandava-as para a fogueira? Obviamente desautorizaram a divindade ou passaram a interpretar que aqueles ensinamentos não eram de Deus mas costumes da época. Como saberão que parte foi realmente ditada por Javé, qual aconteceu de fato, qual é verdade qual é mentira? Mas não há nada nesses mandamentos, ditados pela própria boca do criador, que soem simbólicos. São bem práticos e explícitos. E Jesus, hipocritamente, diz que não veio mudar absolutamente nada da lei de Moisés ou dos profetas. O episódio do corban ilustra bem isso. Daqui a pouco falo dele. Enfim, essas coisas a Igreja Católica não poderia mudar. A não ser que considerasse que o deus do Velho Tetamento não é o mesmo do Novo.

Catellius disse...

“E ainda: muito antes de humanistas acharem a interpretação literal um atraso, já existiam pessoas que não faziam interpretação literal. Bem fraco esse seu argumento.”

Onde diabos escrevi que humanistas acham a interpretação literal um atraso? Novamente, a mesma frase. Difícil, heim? Escrevi: “O que é engraçado é uma religião abrir mão de supostos ensinamentos de uma divindade perfeita, única e incapaz de errar, porque humanistas passaram a achar aquilo um atraso.”
Interpretação de texto = 0
Chamem o Espírito Santo!

Humanistas passaram a achar um atraso leis absurdas e desumanas supostamente ditadas por um deus e postas em prática por clérigos. Estes, com o tempo, passaram a adaptar a mensagem para que ficasse mais aceitável em um mundo mais civilizado, que não apoiava mais condenações à morte por heresia, por bruxaria, por homossexualismo, etc.

E eu nem sabia que as pessoas do antigo testamento liam o antigo testamento para fazerem interpretações errôneas.

Mas pá! Os sacerdotes tinham os manuscritos e, por tradição, desde os profetas que tinham recebido as mensagens, passavam a interpretação para o povo. A lei era clara. E seu deus ficava furioso quando não a seguiam do modo que os sacerdotes ensinavam. A interpretação era literal. Aí, 3000 anos depois daqueles rudes pastores da Idade do Bronze, me vêm uns civilizados, refinadíssimos, adaptando ad hoc o Velho Testamento para ele virar um livrinho Zen Budista, paz e amor, hehe. Parvos no úrtimo! A simbologia da linguagem era tão sutil, tão hermética, que ninguém a entendeu senão literalmente por 3000 anos, e quando passaram a entendê-la de um jeito simbólico, sem nenhum consenso entre os estudiosos, claro, ela já não tinha nada a acrescentar à moral vigente, que se inspirava em uma miríade de pensadores muito superiores ao barbudo Javé. Nem os judeus seguem hoje baboseiras como não misturar linho e lã no mesmo tecido. No entanto, o estúpido Javé abominava a tal mistura, hehe. Sabe-se lá por quê...

Catellius disse...

“Ou seja, Moisés entendeu errado o que o Criador disse ou escreveram de forma subjetiva (ou errada) os acontecimentos e as palavras ditas pelo Criador com Moisés?) Ficou confuso.

Escrevi: “o próprio profeta Moisés entender errado o que o criador do universo lhe disse pessoalmente, porque o Jota assim o quis, hehe.”
Deus transmitiu mandamentos para Moisés, dezenas, que as entendeu de um modo literal. Está bem claro que animais Javé quer que o homem não coma. Jesus disse que veio dar pleno cumprimento à lei do Velho Testamento e aos profetas , que nada mudou. Por que não seguem? Moisés interpretou errado o que lhe foi dito pessoalmente? Não foi Deus que falou aquilo? Um ser perfeito se arrependeu e mudou os mandamentos? Melhorou-se, aquele que é perfeito?

“Essa conquista eu não conheço. Isso é da bíblia? Ou você já mudou o foco?”

Vá ler Josué. É o seu livro sagrado. Lá Deus manda que ele mate todos os cananeus, que eram milhares e milhares. Manda matar até animais, não deixar nada, absolutamente nada vivo. Nem crianças e bebês de colo. Dá essas ordens depois de dizer “não matarás”. E mais: quando Josué não dá conta de matar sozinho com seu exército, Javé envia uma chuva de rochas para matar os fugitivos da carnificina! Um assassino cruel, o seu deus, Jota. Agora, me dizer que aquilo é linguagem simbólica é simplesmente uma estultice. Não é. É uma narrativa pura e simples.

Catellius disse...

“A postura em relação as pesquisas com células embrionárias e todas aquelas mudanças indicadas por você. A sociedade está aí gritando contra essas posições, mas ela não mudou.”

Eu escrevi: pode mudar SE QUISER, que não altera em nada a palavra ditada por Javé, os dogmas, a interpretação das escrituras. Para mim, ela pode ser contra ou a favor. Claro que acho uma irresponsabilidade sua atitude de pregar contra a camisinha em locais da África, para a massa ignara contaminada pelo HIV. Lamentável. Atitude criminosa, na verdade!

“Para eles escrevem de fato a evolução como ensinamento, precisariam mais que evidências.”

Mas pá! “Evolução como ensinamento” Ho ho ho! E a Lei da Gravidade é um ensinamento religioso, por acaso? Claro que se uma descoberta da ciência contradiz uma historinha bíblica os adaptáveis religiosos logo dirão que ela é simbólica, hehe! E a evolução, embora tenha lacunas, está mais do que provada. Só um analfabeto científico a coloca no mesmo patamar de um modelo científio qualquer, como o do universo curvo ou sei lá o quê.

“Ou seja, ao contrário do que você pensa, uma pessoa que apresente algo diferente não é necessariamente um herege...

Eu escrevi: “Se você não concordar com o que está no Catecismo, faça como Lutero e tantos outros: funde uma religião ou seja um herege. Simples.” Ou seja, se você NÃO CONCORDAR COM O QUE ESTÁ NO CATECISMO. E com os dogmas e verdades de fé. Algo diferente do que apresentou São Francisco, por exemplo, uma vida voltada para a pobreza e a humildade, nada de herege.

Catellius disse...

A religião, conceitualmente, também possui pontos que mudam. Isso é inerente a correto conceito de religião. Se você considera que ela não pode mudar, então seu conceito de religião está falho.

Putz! Então a mudança é inerente ao conceito de religião? Se uma religião não mudar, deixa de ser religião? Hu hu hu hu! Ho ho ho ho! Absurdo dos absurdos!

“Na realidade, mesmo na Igreja Católica, qualquer um pode receber inspiração do Espírito Santo para ler a bíblia. Não é necessário ser exegeta.

Tome aí, do Catecismo: §85 "O ofício de interpretar autenticamente a Palavra de Deus escrita ou transmitida foi confiado unicamente ao Magistério vivo da Igreja, cuja autoridade se exerce em nome de Jesus Cristo", isto é, foi confiado aos bispos em comunhão com o sucessor de Pedro, o bispo de Roma."
E outra passagem do Catecismo: §113 2. Ler a Escritura dentro "da Tradição viva da Igreja inteira". Consoante um adágio dos Padres, "Sacra Scriptura principalius est in corde Ecclesiae quam in materialibus instrumentis scripta - a sagrada Escritura está escrita mais no coração da Igreja do que nos instrumentos materiais". Com efeito, a Igreja leva em sua Tradição a memória viva da Palavra de Deus, e é o Espírito Santo que lhe dá a interpretação espiritual da Escritura ("...segundo o sentido espiritual que o Espírito dá à Igreja"). Aspas.

Interpretação por tradição quer dizer alguma coisa para você? Ora, o Espírito Santo não pode fazer interpretações conflitantes ao longo dos anos. E há outra máxima famosa na interpretação das escrituras, válida ainda hoje: "Omnes sensus fundantur super litteralem - Todos os sentidos (da Sagrada Escritura) devem estar fundados no literal"
Embora existam os sentidos alegórico, espiritual, anagógico, moral, etc., a não ser que fique claro se tratar de uma linguagem simbólica, a leitura deve ser literal, principalmente se os destinatários da mensagem assim a entendiam e a aplicavam, na própria Bíblia. Jesus, por exemplo, por ocasião da questão do corban, diz que a pena de morte, ditada por Javé a Moisés, para quem desonrar pai e mãe é literal e critica os fariseus por seguirem a tradição e não a palavra de Deus. Leia, Marcos, 7, 8 a 13: “Deixando o mandamento de Deus, vos apegais à tradição dos homens. E Jesus acrescentou: Na realidade, invalidais o mandamento de Deus para estabelecer a vossa tradição. Pois Moisés disse: Honra teu pai e tua mãe; e: Todo aquele que amaldiçoar pai ou mãe seja morto.”
E você acha que outras leis semelhantes não são mais válidas? Você acha que a Igreja católica não deveria insistir na pena de morte para filhos que se recusam a sustentar pais idosos? A lei é do Velho Testamento. E do Novo também, pois Jesus a endossa, como endossa todas outras leis. Então, Jota, você não conhece a própria fé. E até seu papa é um camaleão hipócrita por não pregar a morte de filhos que desonram os pais.

Catellius disse...

Desde quando catecismo, encíclicas, etc, impedem a mudança que é inerente a toda religião? .

Qual mudança é INERENTE a toda religião?

.Mentira, você pode ter uma pessoal, mas será um herege para aquela religião se pregar ela (que deve ser contraditória a vigente) como verdadeira ou correta. .

Do Catecismo: H.4.1 Definição de heresia: §2089 A incredulidade é a negligência da verdade revelada ou a recusa voluntária de lhe dar o próprio assentimento. "Chama-se heresia a negação pertinaz, após a recepção do Batismo, de qualquer verdade que se deve crer com fé divina e católica, ou a dúvida pertinaz a respeito dessa verdade; apostasia, o repúdio total da fé cristã; cisma, a recusa de sujeição ao Sumo Pontífice ou da comunhão com os membros da Igreja a ele sujeitos."

Onde está escrito que só não pode pregar ela? Ha ha ha! Até mesmo uma dúvida pertinaz o torna um herege! Acreditar, portanto, no poligenismo, o que vai totalmente de encontro ao Evolucionismo, o torna sim um herege! “tratando-se de outra hipótese, isto é, a do poligenismo, os filhos da Igreja não gozam da mesma liberdade” – de acreditar. Palavras de Pio XII na encíclica Humanis Generis.

. “Ou ainda: isso foi superado (mudou) com o cristianismo. É uma outra religião. “.

Então você está dizendo que não é o mesmo deus, que o Velho Testamento não foi inspirado por Javé, e demonstra não conhecer o que já citei do Novo Testamento. Jesus afirma categoricamente não ter vindo abolir um traço, um jota, nadica de nada das leis e dos profetas do Velho Testamento. Ora, a lei está lá na sua Bíblia para você ler. Ou o VT está lá por mera curiosidade histórica?

.Então eu pergunto por que seu desejo de que os católicos "TÊM OBRIGAÇÃO de interpretá-la literalmente"?.

Deixei bem claro: alguns episódios têm obrigação sim. Têm obrigação de acreditar no monogenismo, por exemplo.

.”A maioria dos tapados com pouco senso crítico são aqueles que fazem interpretação literal...” .

É porque muitos ensinamentos da Bíblia são tão ridículos que os religiosos inteligentes mas com grande poder de dissociação não os aceitam, e optam por explicações ad hoc, simbólicas, espirituais, etc. E estes “evoluídos” tendem a tratar como tapados os que interpretam literalmente. Ora, a culpa é das historinhas ridículas. A historinha de Noé é simbólica? Os “evoluídos” acham que sim, porque Noé não pode ter enfiado casais de ornitorrincos na arca, mas não há NADA naqueles trechos bíblicos que sugira uma longínqua intenção simbólica.

“Ao menos, claro, que você esteja se referindo aos líderes religiosos que dizem para ler apenas a bíblia. “

Pode ler o que quiser. Mas a doutrina católica está no Catecismo, toda.

Catellius disse...

Na pressa, algumas citações do Jota ficaram sem aspas. Mas estão em negrito...

Marcos Vinícius Ferrari disse...

Caraca
Catellius matou a pau!!!!
O Jota parece estar mesmo precisando do Espírito Santo pra entender o que o Catellius escreveu.

Jota disse...

Puxa saco na área?

Jota disse...

Vamos lá! Paciência...[2]

Vou começar pelas partes que tornam totalmente evidente e mais saborosa a ignorância petulante do Catelluis: (noutras palavras: “vou matar a pau”)
Pode mudar à vontade, desde que não sejam verdades de fé, dogmas, decisões de concílios inspiradas pelo Espírito Santo.
“Pode ler o que quiser. Mas a doutrina católica está no Catecismo, toda.”
"Ou seja, se você NÃO CONCORDAR COM O QUE ESTÁ NO CATECISMO."
Então a mudança é inerente ao conceito de religião? Se uma religião não mudar, deixa de ser religião? Hu hu hu hu! Ho ho ho ho! Absurdo dos absurdos!"

Eu poderia dizer: “Não.. nem tão engraçado assim, sr. fantástico.
Quanta infantilidade a sua!
Você realmente acha que o catecismo de hoje é o mesmo de 300 anos atrás?
Quer dizer que hoje eu sou um herege em comparação aos católicos de 300 anos atrás??
kkkkkk
Sua "argumentação" fica cada vez mais patética! Blablablabla”
Mas o seu problema permanece o mesmo.

Você ainda não percebeu que está "atrás do próprio rabo" em muitos "problemas" que você apresenta por aqui.

Antes de você querer fazer força para rir de algo (e me fazer dar gargalhadas), leia mais.
Já dei a chave do seu problema: em 15/03/2010 às 11:21:00, eu escrevi: “Belíssimo conceito de religião!!!”
Mais tarde (15/03/2010 20:34:00), em resposta a outros chiliques seus, eu disse novamente um conselho para sua relação com religião: “Sugiro que leia antropologia e sociologia.”
Está claro que você não seguiu meus conselhos. Não que devesse, mas seria melhor para você; acredite, conhecer faz bem.

Todas as suas citações acima são IRRELEVANTES ante ao meu conselho.

E aí segue, ad nauseum, ad hoc, etc, seus pseudo argumentos:
“Para ela, Deus criou Adão e Eva e todos são descendentes deste casal. A Igreja pode mudar sua posição sobre o aborto, por exemplo. Durante séculos o tolerou até que o feto tivesse forma de gente, braços, pernas, etc. Depois mudou de posição. (sic) católico você é?” mas pá!
”eu escrevi: pode mudar SE QUISER, que não altera em nada a palavra ditada por Javé, os dogmas, (sic). Lamentável. Atitude criminosa, na verdade!” pfff
”Eu escrevi: “Se você não concordar com o que está no Catecismo, faça como Lutero e tantos outros: funde uma religião (sic) uma vida voltada para a pobreza e a humildade, nada de herege.” blábláblá
Eu não vou ficar aqui toda vida citando você, né?

“Humanistas passaram a achar um atraso leis absurdas e desumanas supostamente ditadas por um deus e postas em prática por clérigos. Estes, com o tempo, passaram a adaptar a mensagem para que ficasse mais aceitável em um mundo mais civilizado,
Blarg. Nauseum.
Humanistas?????
Então mais uma sugestão: leia história. (porque com esses seus argumentos parece que você é do período iluminista)
Ou ainda: leia Santo Agostinho. (“ da igreja católica você só conhece e/ou cita aquilo que serve pra montar seu discursinho...”)

Jota disse...

“Mas pá! “Evolução como ensinamento” Ho ho ho! E a Lei da Gravidade é um ensinamento religioso, por acaso?”
E porque a catequese não poderia falar dela livremente? No catecismo há um adendo sobre essa questão...
Se Adão e Eva faz parte da antropologia cristã, o evolucionismo tem que ser citado.[2]
”está mais do que provada”
E eu disse o contrário? Pfff
“Qual mudança é INERENTE a toda religião?”
Desde o inicio eu disse para você ler ao invés de falar besteira.
Vá ler.
Do Catecismo: H.4.1 Definição de heresia: §2089 A incredulidade é a negligência da verdade revelada ou a recusa voluntária de lhe dar o próprio assentimento.”
Desculpa, você se refere somente ao catolicismo... você é católico?

Tudo isso leva a reforçar a aparência inicial que temos a seu respeito: um pastor evangélico da laia de Sonia, RR Soares, Edir Macedo, etc...
A interpretação TEM QUE SER LITERAL.

Mas veja só que interessante! Descobri algo no catecismo (que além da bíblia, parece ser um constante material de consulta pra você): “108 – Todavia a fé cristã não é uma “religião do Livro”. O cristianismo é a religião da “Palavra” de Deus, não de uma palavra escrita e muda, mas do Verbo encarnado e vivo”.

Logo, ad nauseum:
”No entanto, o estúpido Javé abominava a tal mistura, hehe. Sabe-se lá por quê” sobrou.
”Então você está dizendo que não é o mesmo deus, que o Velho Testamento não foi inspirado por Javé (sic) mera curiosidade histórica?" Sobrou de novo
da igreja católica você só conhece e/ou cita aquilo que serve pra montar seu discursinho...”

Aliás, muito mais simples e saudável que esse seu velho discurso petulante, redundante, ad nauseum, nonsense, é que você aceite que a Igreja Católica não é a religião que você queria, ditatorialmente, que ela fosse, ou que ela seja.

Mas você é contra isso não é? É contra mudanças, é ditador em favor da interpretação literal, não sabe nada sobre religiões...

”O que é engraçado é uma religião abrir mão de supostos ensinamentos de uma divindade perfeita, única e incapaz de errar, porque humanistas passaram a achar aquilo um atraso”.
Minha interpretação 0??? Não!! É porque essa frase sua é tão absurda que eu tentei dar algum sentido. Parece que falhei.

O que me entristece é saber que eu perdi meu tempo discutindo com alguém sem erudição. Um tapado. Ou menos talvez, apenas um idealista radical.

Apenas duas coisas, pequenas por sinal, destrói todo seu discursinho
1- Saber conceitualmente sobre religião
2- A Igreja Católica não é uma religião do Livro.
O resto é chilique. Birra de criança. Achar que sabe o que nunca soube.

Pois é, sua festa pode até não acabar por aqui, mas perdeu a graça.
Lembre-se bastante disto: antes de atacar qualquer interpretação da Igreja Católica, ataque somente e tão somente o fato dela não ser, como você ditatorialmente quer que ela seja, a “religião do Livro”.
Ou caia (outras inúmeras vezes, como já ocorreu aqui) nas contradições pela falta de saber o que é uma religião.

Jota disse...

PS: ”Se uma religião não mudar, deixa de ser religião? Hu hu hu hu! Ho ho ho ho! Absurdo dos absurdos!”
Gostaria que você citasse um exemplo de uma religião que não mudou e não deixou de existir.
E faça rápido senão eu vou morrer de tanto rir!
Por favor, não me mate!

Marcos Vinícius Ferrari disse...

Ficou com ciuminho, o Janotinha, opa, Jotinha.

Se uma religião não mudar em 1 ano ela deixa de ser religião, segundo o patetão aí. Existe um período, pelo jeito, tem que mudar em 100 anos ou em 1000 anos kkkk. Cê é burro pra caralho! Se ficar a mesma religião então não é religião.

Cattelius, esse daí é um tal de Luciano Henrique, o maior patetão da blogosfera.

Meteu o rabo no meio das pernas sobre o lance de ele mesmo interpretar a bíblia com a ajuda do espírito santo kkkk. Só o magistério pode, patetão!!!!!

Jota disse...

KKKKKKK
Marquinhas, opa, Marcos, o pateta.
Muito edificante seu comentário.
Estou impressionado.
Leia mais.

ps: quem é Luciano Henrique?

Jota disse...

Se uma religião não mudar em 1 ano ela deixa de ser religião, segundo o patetão aí. Existe um período, pelo jeito, tem que mudar em 100 anos ou em 1000 anos kkkk
Eu falei isso?
Você é bem burro hein Marcos!
Leia mais. [2]

Catellius disse...

Idi(j)ota,

“Você realmente acha que o catecismo de hoje é o mesmo de 300 anos atrás? Quer dizer que hoje eu sou um herege em comparação aos católicos de 300 anos atrás?? Kkkkkk Sua ‘argumentação’ fica cada vez mais patética! Blablablabla” Mas o seu problema permanece o mesmo.”

Mas pá! O catecismo de 30, 50, 300 ou 450 anos atrás era exatamente o mesmo, o Catecismo do Concílio de Trento, de 1566. Mas pá! O de 1992, sob o pontificado de João Paulo II, veio atualizá-lo, não contradizê-lo, pá! Nele foram incluídos temas que não haviam sido abordados, como aborto e eutanásia, e o Novo Catecismo foi organizado de uma forma mais didática, muito boa, por sinal. Com certeza, se forem organizados novos catecismos no futuro, provavelmente incluirão novos temas, mas jamais mudarão verdades de fé, dogmas e o conteúdo de catecismos anteriores, que nada mais são do que resumos da doutrina católica. Mas pá! O Idi(j)ota é um católico de meia tigela, como a esmagadora maioria dos católicos, hehe. Aposto que achou que Catecismo da Igreja Católica era a aulinha que ele tomou lá em Pindamonhangaba, ho ho ho, lá onde ele era molestado pelo pároco, que nunca mandou flores, chuif, chuif! Não sei se é o Luciano Henrique, como afirma o Marcos, mas a estultice é a mesma e, como ele, tem os dois pés no chão... e as duas mãos também. Como diria o C. Mouro, para asno só faltam os olhos, hehehe!

“Sugiro que leia antropologia e sociologia.” “Leia história” “Leia Santo Agostinho”

Conselhos típicos de parvos que desejam passar erudição, he he he. Ao indicarem isso ou aquilo genericamente tentam dar a entender que são versados no assunto, ho ho ho! Se leu o que quer que eu leia, que diga qual o argumento de uma vez, parvo no úrtimo!

Sobre lei da gravidade: “E porque a catequese não poderia falar dela livremente? No catecismo há um adendo sobre essa questão...”

Ô analfabeto, “por que” separado, na pergunta. Catequese falar sobre a lei da gravidade? Ha ha ha ha ha ha ha! Caramba! Não acredito! No catecismo há um adendo sobre essa questão? Qual? Sobre evolucionismo? Sobre lei da gravidade?

“Se Adão e Eva faz parte da antropologia cristã, o evolucionismo tem que ser citado.[2]”

Tem que ser citado? Bom, no Catecismo não é citado nem evolucionismo, nem lei da gravidade, burrão! A historinha de Adão e Eva poderia se harmonizar com o evolucionismo. Bastaria o estúpido Javé criar dois primatas peludos feitos à sua imagem e semelhança, e à do Idi(j)ota, e deixá-los evoluir, para cientistas no futuro não pensarem mal dele. Se não for assim, não há harmonia entre doutrina católica e evolucionismo. Pergunta: você acredita no monogenismo? Não? Herege de merda, hehehe! E eu pensando que discutia com um católico... O sujeitinho é um herege no limbo, nem católico nem protestante, nem porra nenhuma. Falando em limbo, nunca foi afirmado que existia. Há pouco Bento XVI declarou que não existe. No catecismo está escrito: “...nos permitem esperar que haja um caminho de salvação para as crianças mortas sem Batismo”. Até nisso a doutrina não mudou, porque o limbo não faz parte dela, era uma mera esperança para crianças não batizadas.

Catellius disse...

Sobre definição de heresia: “Desculpa, você se refere somente ao catolicismo... você é católico?”

He he he! Depois que constatou que é um herege, pela definição da Igreja da qual achava que fazia parte, esse excomungado, depois que constatou que só quem pode interpretar genuinamente com a ajuda do Espírito Santo é o magistério da Igreja e não merdéis como ele, o Idi(j)ota tergiversa ridiculamente, hehehe. Que interessa se sou católico, parvo? Posso discutir doutrina católica sem ser católico. Só é difícil fazer isso com católicos, que, amiúde, não sabem bosta nenhuma sobre o assunto. Ficam mandando os outros lerem isso ou aquilo (“fico com Tomás de Aquino”), hehehe. Leu a Suma Teológica, o bruto, hehe, sabe quantas penas um anjo tem...

“Mas veja só que interessante! Descobri algo no catecismo (que além da bíblia, parece ser um constante material de consulta pra você): ‘108 – Todavia a fé cristã não é uma ‘religião do Livro’. O cristianismo é a religião da ‘Palavra’ de Deus, não de uma palavra escrita e muda, mas do Verbo encarnado e vivo”.

Mas pá! Eu falei em “interpretação pela tradição” no comentário de 17/03/2010 às 16:05:00. Se a tradição é importante para a interpretação, por que mudar, evoluir por causa de descobertas científicas, estúpido? E outra: Sei que a Igreja Católica não segue apenas a Bíblia. Você é um excomungado se não crê na Assunção da Virgem, que não aparece na Bíblia. Contudo, NADA da doutrina da Igreja Católica deveria contradizer a Bíblia. Por isso os exegetas têm explicações mirabolantes para afirmar que quando Jesus diz que “o mal é o que sai da boca” está dando pleno cumprimento à lei de não comer ruminantes sem patas fendidas e outras restrições alimentares. Mas a interpretação bíblica deve ser sempre a mesma, se é inspirada pelo Espírito Santo. Não pode variar com os anos, bronco!

“...é ditador em favor da interpretação literal, não sabe nada sobre religiões...”

Há escritos obviamente simbólicos, como o Apocalipse, Isaias, trechos de Cânticos e outros. Há parábolas, etc. E há livros nitidamente literais que alguns tentam dar um ar simbólico para blindá-los de críticas, por serem cruéis ou ridículos ou mentirosos ou tudo isso junto.

“Apenas duas coisas, pequenas por sinal, destrói todo seu discursinho.
1- Saber conceitualmente sobre religião
2- A Igreja Católica não é uma religião do Livro.”


“Duas coisas (...) destrói” – Não destrua a inculta e bela, pascácio de merda!
“Saber conceitualmente sobre religião”... Ha ha! O idi(j)ota acha que a mudança é condição sine qua non para a definição de religião, o que é uma redonda burrice, e quer que a sua igreja mude de doutrina com os anos. Diretrizes pastorais não são obrigatórias de serem seguidas e podem variar com os anos. Não a interpretação já decidida em concílios, dogmas de fé, etc. Mas pá!
É claro que a Igreja Católica não segue apenas a Bíblia, como o protestantismo. Se para discutir a doutrina católica cito um concílio, uma encíclica, um dogma, o Catecismo, estou citando porventura a Bíblia, seu idi(j)ota????

Ah, e obrigado por comentar aqui no Pugnacitas.

Jota disse...

Diretrizes pastorais não são obrigatórias de serem seguidas e podem variar com os anos. Não a interpretação já decidida em concílios, dogmas de fé, etc. Mas pá!
mas pá! Sua burrice é tamanha que achou, desde o início, que me referia a algo diferente!

"É claro que a Igreja Católica não segue apenas a Bíblia, como o protestantismo. Se para discutir a doutrina católica cito um concílio, uma encíclica, um dogma, o Catecismo, estou citando porventura a Bíblia, seu idi(j)ota????"
Ou seja, todo seu estúpido discurso de interpretar a bíblia literalmente foi por água a baixo!
Ou você já se esqueceu que "TÊM OBRIGAÇÃO de interpretá-la literalmente."?

Jota disse...

"Tem que ser citado? Bom, no Catecismo não é citado nem evolucionismo"
Seu lerdo. Leio o catecismo.
Se esqueceu de ler também?

"E há livros nitidamente literais que alguns tentam dar um ar simbólico para blindá-los de críticas, por serem cruéis ou ridículos ou mentirosos ou tudo isso junto."
Não me diga!! Tem livros diferentes?? Com estilos literários diferentes? É mesmo?
E você só diz isso agora?
E qual é o estilo do Genesis, tão citado por voce, sr. mestre em letras?

""sob o pontificado de João Paulo II, veio atualizá-lo, não contradizê-lo, pá! Nele foram incluídos temas que não haviam sido abordados, como aborto e eutanásia, e o Novo Catecismo foi organizado de uma forma mais didática(sic) blablabla"
Não cansa de correr atrás do próprio rabo?

Tstststststststststs
E nem sei de onde é que você tirou que sou católico, pois eu não disse isso em lugar nenhum.

Se a merda não está na sua cabeça, está sem dúvida perto do seu rabo, o qual eu espero que você consiga morde-lo o quanto antes, para quem sabe assim, deixar ao menos um pouco de sua imensa estupidez, ao falar ad hoc, nonsense, ad nauseum sobre algo que você não sabe tanto quanto gostaria.

Jota disse...

Comentar é sempre um prazer, duro é ter que aturar idiotas pseudo intelectuais falar do que não sabe.

Como nós, uma vez que eu quis tratar de uma Igreja que pouco conheço, e você, de um fenômeno que nada sabe. (e assim provamos ao longo da discussão)

Dois débeis mentais. Sem dúvida.

Jota disse...

"Leu a Suma Teológica, o bruto, hehe, sabe quantas penas um anjo tem..."
SEU BURRO!
Não sabia que a Suma tratava disso.
Quantas penas um anjo tem?
Aposto que ninguém que tenha lido sabe te responder isso.
Retardado.
Ainda bem que eu não li toda bosta que você escreveu.

Catellius disse...

“achou, desde o início, que me referia a algo diferente!”

O que diretrizes pastorais têm que ver com interpretação das escrituras? Você falava todo tempo de mudanças de diretrizes pastorais? Ha ha ha ha ha! Você sabe o que seja? Por exemplo: "o curso de casais deve ocorrer 6 meses antes do casamento" ou "estão proibidos instrumentos de percussão nas missas" ou "a missa não deve mais ser rezada em latim" ou "não devemos mais chamar protestantes de hereges e sim de 'irmãos separados'" ou mesmo um concílio como o Vaticano II, que não foi essencialmente dogmático mas pastoral, não exige adesão de fé.

“todo seu estúpido discurso de interpretar a bíblia literalmente foi por água a baixo!”

“Abaixo”, não “a baixo”, "leitor" de Tomás de Aquino e Santo Agostinho e pisoteador da última flor do Lácio.

Por isso discussões por escrito são mais interessantes que as verbais.

Estão lá, para quem quiser ver; as primeiras linhas que me dirigi ao Idi(j)ota desonesto foram as seguintes: “Na Bíblia está muito claro quando algo é simbólico. E está claro quando algo é literal...”

Bem diferente de “seu estúpido discurso de interpretar a bíblia literalmente”.

Teve o focinho ralado em absolutamente todas as questões. Demonstrou ser um completo bronco que não faz senão repetir parte do que ouve por aí, sem nem entender ao certo o que diz. Não sabe qual a interpretação oficial, não conhece doutrina católica, é um jumento que sai por aí zurrando e desembestando a dar coices a torto e a direito. Valeu para rir um pouco.

Catellius disse...

E essa agora:

"Se a merda não está na sua cabeça, está sem dúvida perto do seu rabo"

No seu caso é bem o oposto: se a merda não está no seu rabo, está SEM DÚVIDA na sua cabeça!

Além de analfabeto, o idi(j)ota é parvo no úrtimo! Nem xingar direito o jegue sabe, só zurrar mesmo... Ha ha ha ha!

Carlos Eduardo disse...

Eu sabia que isso ia dar m*, mas até que eu gosto de ver o circo pegar fogo.

Se tivesse um "Grande Tolices Blogueiras" essa discussão seria um prato cheio.

Um abraço a todos.

Anônimo disse...

zzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Carlos Rafael disse...

O Sr. Jota não sabe que Tomás de Aquino era chamado de Doctor Angelicus devido a suas descrições detalhadíssimas dos anjos. Na Suma Teológica, que certamente não leu, o santo discorre até sobre a distância que dois anjos devem estar entre si para que possam conversar sem gritar.

Jota disse...

"Bem diferente de “seu estúpido discurso de interpretar a bíblia literalmente”."
Seu idiota.
Esse discurso é seu.
Presta atenção.
Se você diz que "TEM OBRIGAÇÃO de interpretar literalmente" mas não se refere a que, e a culpa é minha????
Redação = 0!!

Você ainda não se explicou como fica isso em frente ao 108 do catecismo, estou ansioso pelo seu ad hoc, ad nauseum.

Sua lógica é tão soberba, que você diz: "Depois que constatou que é um herege, pela definição da Igreja da qual achava que fazia parte, esse excomungado, depois que constatou que só quem pode interpretar genuinamente com a ajuda do Espírito Santo é o magistério da Igreja e não merdéis como ele, o Idi(j)ota tergiversa ridiculamente, hehehe.!
Mas vejamos:
1 Eu sou católico? quando me apresentei por católico?
2 se eu não sou um católico, posso ser um herege nos termos postos por você "Igreja da qual achava que fazia parte"
3 Qual a razão dessa sua mentira? Cansou de tentar morder o próprio rabo?
4 Ou se cansou de tentar, com sua suma sabedoria, dizer a razão do meu "nome" ser Jota?
5 Se eu não sou católico, por qual razão você me excomungou?
6 Caso eu fosse católico, e eu não conhecendo a doutrina da minha suposta Igreja, eu poderia ser de fato um herege, visto o fato de não conhecer "a verdade"?
7 E ainda nesse caso, eu ainda poderia ser excomungado?
8 Quem é Luciano Henrique?[2]
9 Qual a verdadeira razão sua em nessa infantilidade de caçar fantasmas?
10 Esse Luciano existe ou é um ser imaginário que vocês criaram por algum estranho tipo de necessidade?
11 Não seria mais interessante se tentassem parar de fazer suposições idiotas sobre a minha pessoa?
12 ou isso faz parte da necessidade de auto-afirmação?
13 em sua suma inteligência, por que "Posso discutir doutrina católica sem ser católico" não se aplica ao meu caso? Por que tenho que ser católico, ou qual a razão de você querer isso? Necessidade de auto-afirmação?

"Ficam mandando os outros lerem isso ou aquilo (“fico com Tomás de Aquino”), hehehe. Leu a Suma Teológica, o bruto, hehe, sabe quantas penas um anjo tem..."
1 Por que tirou minha frase do contexto para montar seu porco discurso?
2 Nessa frase especificamente, inclusive com o recorte que você fez, eu não mando você nada!!!!
3 Por que a necessidade de manipular?
4 Por que continua tão ridículo?
Sim, vou repetir: "da igreja católica você só conhece e/ou cita aquilo que serve pra montar seu discurso"
Confesso que fiquei ansioso pela contagem matemática ou metafísica do Tomas de Aquino sobre a quantidade de penas...

Catellius disse...

Opa, obrigado Carlos Rafael. Não tinha nem lido o que o idi(j)ota escreveu.

Ma che Brutta Figura! Que papelão. Humilhado até os cascos!!! Quando diz "retardado" xinga-se a si mesmo, he he he! Vejamos:

"Não sabia que a Suma tratava disso.
Quantas penas um anjo tem?
Aposto que ninguém que tenha lido sabe te responder isso."


Você não sabe muuuuuitas coisas, católico de araque.

A parte da angeologia (sobre anjos, seu estúpido) é muito extensa e, usando a tipicamente medieval quaestio disputata, vai tratando sobre a substância dos anjos, sem rodeios. Obviamente, a quantidade de penas é pilhéria minha, por isso o parvo vai dizer que sabia da extensão do tema na Suma Teológica e dos detalhes ridículos acerca dos anjos contidos na obra do escolástico, mas que nunca ouvira falar na quantidade de penas, hehe. Se tivesse lido, entenderia a piada... Papelão dos diabos!

Trecho da Suma: "Pois, não é menor a virtude do anjo que a da alma. Ora, a alma está simultaneamente em vários lugares, por estar toda em qualquer parte do corpo, como diz Agostinho. Logo, o anjo pode estar em vários lugares simultaneamente."

Lógica chinfrim para os dias de hoje, embora muito superior à (i)lógica do nosso binário Idi(j)ota, que ao menos é mais divertida.

Jota disse...

"Bem diferente de “seu estúpido discurso de interpretar a bíblia literalmente”."
Seu idiota.
Esse discurso é seu.
Presta atenção.
Se você diz que "TEM OBRIGAÇÃO de interpretar literalmente" mas não se refere a que, e a culpa é minha????
Redação = 0!!

Você ainda não se explicou como fica isso em frente ao 108 do catecismo, estou ansioso pelo seu ad hoc, ad nauseum.

Sua lógica é tão soberba, que você diz: "Depois que constatou que é um herege, pela definição da Igreja da qual achava que fazia parte, esse excomungado, depois que constatou que só quem pode interpretar genuinamente com a ajuda do Espírito Santo é o magistério da Igreja e não merdéis como ele, o Idi(j)ota tergiversa ridiculamente, hehehe.!
Mas vejamos:
1 Eu sou católico? quando me apresentei por católico?
2 se eu não sou um católico, posso ser um herege nos termos postos por você "Igreja da qual achava que fazia parte"
3 Qual a razão dessa sua mentira? Cansou de tentar morder o próprio rabo?
4 Ou se cansou de tentar, com sua suma sabedoria, dizer a razão do meu "nome" ser Jota?
5 Se eu não sou católico, por qual razão você me excomungou?
6 Caso eu fosse católico, e eu não conhecendo a doutrina da minha suposta Igreja, eu poderia ser de fato um herege, visto o fato de não conhecer "a verdade"?
7 E ainda nesse caso, eu ainda poderia ser excomungado?
8 Quem é Luciano Henrique?[2]
9 Qual a verdadeira razão sua em nessa infantilidade de caçar fantasmas?
10 Esse Luciano existe ou é um ser imaginário que vocês criaram por algum estranho tipo de necessidade?
11 Não seria mais interessante se tentassem parar de fazer suposições idiotas sobre a minha pessoa?
12 ou isso faz parte da necessidade de auto-afirmação?
13 em sua suma inteligência, por que "Posso discutir doutrina católica sem ser católico" não se aplica ao meu caso? Por que tenho que ser católico, ou qual a razão de você querer isso? Necessidade de auto-afirmação?

"Ficam mandando os outros lerem isso ou aquilo (“fico com Tomás de Aquino”), hehehe. Leu a Suma Teológica, o bruto, hehe, sabe quantas penas um anjo tem..."
1 Por que tirou minha frase do contexto para montar seu porco discurso?
2 Nessa frase especificamente, inclusive com o recorte que você fez, eu não mando você nada!!!!
3 Por que a necessidade de manipular?
4 Por que continua tão ridículo?
Sim, vou repetir: "da igreja católica você só conhece e/ou cita aquilo que serve pra montar seu discurso"

Melhor assim? rá!

Anônimo disse...

Eu não entendi:
O que um escreve deve ser entendido como piada, mas a resposta do outro não?
Não seria mais interessante "dois pessos duas medidas"?

Catellius disse...

Estou me divertindo tanto, que vou responder às perguntas do Idi(j)ota!
1 Eu sou católico? quando me apresentei por católico?

Opa, é um covarde, um Judas Iscariotes, é óbvio que é! Diga que não é e irrite o seu deus, energúmeno (no sentido de endemoniado mesmo). Até ateus que foram batizados, mesmo na infância, são hereges, segundo a Igreja Católica, idi(j)ota! Leia o comentário de 17/03/2010 16:05:00. Você é um covarde e um apóstata!

Vejamos o que você escreveu:

“Você realmente acha que o catecismo de hoje é o mesmo de 300 anos atrás?
Quer dizer que hoje eu sou um herege em comparação aos católicos de 300 anos atrás??”

Não escreveu “quer dizer que hoje alguém é herege em comparação...” A primeira pessoa é reveladora.

Outro trecho:
“Fique com quem quiser. Eu posso escolher Joseph Ratzinger, Tomás de Aquino, Agostino, Battista Mondin, Keith Ward, etc.”

Hum... Curioso para um não católico...

E no blog do Tonny Bellotto o pato escreveu: “Como católico, vi padres presos e acho nada mais justo pelo que fizeram.”
Ha ha! Vai dizer que não foi ele que escreveu, o mentiroso. Jesus está vendo, heim, apóstata?

2 se eu não sou um católico, posso ser um herege nos termos postos por você "Igreja da qual achava que fazia parte"

Se foi batizado... Do catecismo: "Chama-se heresia a negação pertinaz, após a recepção do Batismo, de qualquer verdade que se deve crer com fé divina e católica, ou a dúvida pertinaz a respeito dessa verdade; apostasia, o repúdio total da fé cristã; cisma, a recusa de sujeição ao Sumo Pontífice ou da comunhão com os membros da Igreja a ele sujeitos."

3 Qual a razão dessa sua mentira? Cansou de tentar morder o próprio rabo?

Cansei de fazer outra coisa com um rabo nesta sala que não é o meu... Católico covarde.

Catellius disse...

4 Ou se cansou de tentar, com sua suma sabedoria, dizer a razão do meu "nome" ser Jota?

Jotalhão?

5 Se eu não sou católico, por qual razão você me excomungou?

É católico sim, mentiroso. Lembre-se, filho do demônio, Jesus se envergonhará também de você. Durma com essa mentira, covarde!

6 Caso eu fosse católico, e eu não conhecendo a doutrina da minha suposta Igreja, eu poderia ser de fato um herege, visto o fato de não conhecer "a verdade"?

A “negação de qualquer verdade que se deve crer com fé divina” faz de você um herege, estúpido, ainda que você seja esse pato ignorante que não conhece a doutrina da fé que covardemente não assume.

7 E ainda nesse caso, eu ainda poderia ser excomungado?

Você é um excomungado, covarde. Ainda que seu padre não saiba e continue a lhe dar o corpo de Cristo que você engole nas missas para se juntar à massa fecal de cuja fermentação vêm suas idéias e argumentos.

8 Quem é Luciano Henrique?[2]

É um idiota como você, de um site em que ele declara amor a Dawkins. Eu disse “não sei se é o Luciano Henrique, como disse o Marcos”. Sei lá quem é esse Marcos também. O perfil é falso porque não aparece o logotipo do blogger, embora tenha colocado um link para um “perfil não disponível”.

9 Qual a verdadeira razão sua em nessa infantilidade de caçar fantasmas?

Não estou caçando ninguém.

10 Esse Luciano existe ou é um ser imaginário que vocês criaram por algum estranho tipo de necessidade?

Existe. Tem um blog. Procure no Google. Escreve mal e é péssimo argumentador.

11 Não seria mais interessante se tentassem parar de fazer suposições idiotas sobre a minha pessoa?

Caramba! Tantas perguntas sobre o mesmo tema, sobre você ser ou não católico, sobre você ser ou não o Luciano Henrique. Duas perguntas já bastavam, enrolador.

12 ou isso faz parte da necessidade de auto-afirmação?

Enrolador, hehehe.

13 em sua suma inteligência, por que "Posso discutir doutrina católica sem ser católico" não se aplica ao meu caso? Por que tenho que ser católico, ou qual a razão de você querer isso? Necessidade de auto-afirmação?

Você é um covarde. Eu tenho endereço e parte do que penso está em meus posts, para quem quiser ler. Você é um católico que se vale do anonimato para fingir que não é, apenas porque não disse categoricamente “sou católico”, como fez no blog do Titã. É um covarde. Cuisp!

Jota disse...

Não faça discursos estúpidos, nunca disse que era católico.
Eu sou católico?
"A primeira pessoa é reveladora.
Como é típico da sua suja manipulação do que está escrito, mais uma frase que você tirou do contexto. Ela começa: "Eu poderia dizer: “Não.. nem tão engraçado(...)Quer dizer que hoje eu sou um herege em comparação aos católicos de 300 anos atrás??"
Há um motivo lógico pelo qual eu não podia dizer, ou você acha que eu usei a suposição apenas para enfeitar meu discurso???

Se eu dissesse "eu gostaria" ou "eu desejaria" etc... nada disso me faz católico. Talvez apenas poderíamos pensar numa condição anterior: "ex". (que também não é o meu caso. E não vejo razão para deixar de defender uma religião só por não fazer parte dela. Nem de atacar alguma)

"Hum... Curioso para um não católico..."
Hum... realmente curioso.
Não reparou que isso é uma lista de outros teólogos que não o seu coelhinho? Keith Ward não é católico...

"E no blog do Tonny Bellotto o pato escreveu: “Como católico, vi padres presos e acho nada mais justo pelo que fizeram.”
1 quem é o pato?
2 quem é tonny bellotto?
3 qual é o endereço do blog dele?
4 você está novamente me confundido com outro? Porque esse vício?

"Ha ha! Vai dizer que não foi ele que escreveu, o mentiroso.Jesus está vendo, heim, apóstata?
HA HA HA!! Que bom que ele está vendo. E se você fosse ele saberia quem eu sou.
Continua patético!
Quem sabe eu seja também todos os anônimos, os Andrés, e todos aqueles que comentaram sem ter que logar.
Vindo de sua patetice, nem seria surpresa se você pensasse isso.

"Se foi batizado... Do catecismo: "Chama-se heresia a n(...) da Igreja a ele sujeitos."
Ótimo. Já sei mais sobre o catolicismo.

"Cansei de fazer outra coisa com um rabo nesta sala que não é o meu... Católico covarde
Errou duas vezes: o rabo é seu e eu não sou católico.
E eu ainda não estou cansado. hehe

Jotalhão?
Mas o nome realmente faz diferença para você?

É católico sim, mentiroso. Lembre-se, filho do demônio, Jesus se envergonhará também de você. Durma com essa mentira, covarde!
Mentira sua.
E ainda vou dormir hoje no mesmo fabuloso sono de todos os dias da minha vida.

"A “negação de qualquer verdade que se deve crer com fé divina” faz de você um herege, estúpido, "
Sim seu estúpido.
Por isso eu disse: visto o fato de não conhecer "a verdade"?
Como eu posso negar algo que não conheço, seu idiota?
"ainda que você seja esse(..) isso é ad hoc seu para que eu seja um herege? Visto que sua citação se resume a "negar a verdade".

"Você é um excomungado, covarde. Ainda que seu padre não saiba e continue a lhe dar o corpo de Cristo que você engole nas missas"
Eu não teria que ser católico para ser excomungado?
Se você soubesse quantas vezes eu comunguei...

Jota disse...

É um idiota como você, de um site em que ele declara amor a Dawkins
Idiota é o que não falta na internet, com blogs, artigos, comentários, etc.

"Existe. Tem um blog. Procure no Google. Escreve mal e é péssimo argumentador.
Eu procurei, mas achei um jogador de futebol. Luciano Henrique é muito genérico.
De qualquer forma eu não quero nada. Mesmo ele tendo a sua repulsa (o que pode fazer dele um personagem significativo para quem não pensa como você) eu não vou procurar.

"Tantas perguntas sobre o mesmo tema, sobre você ser ou não católico, sobre você ser ou não o Luciano Henrique. Duas perguntas já bastavam, enrolador."
E quem tem mais méritos nessa questão? O enrolador ou aquele que se (in?)digna de sempre responder o enrolador?

"Você é um covarde. Eu tenho endereço e parte do que penso está em meus posts, para quem quiser ler. (...) como fez no blog do Titã. É um covarde. Cuisp!
Não sou um covarde. Eu não tenho perfil, endereço (virtual não é?) com coisas escritas sobre o que penso porque não me interessa ter. É um direito meu.
Não vou assumir algo que não sou só para te satisfazer.
De novo, não sei quem é titã nem sobre o blog dele.
Mas que mania de caçar fantasmas, hein?!

Catellius disse...

Ok, me convenceu.
É que conhece tão pouco sobre o assunto que julguei se tratar de um católico, hehe.

Pergunta: foi batizado?
Provavelmente sim.
Então, segundo a Igreja Católica, você é um herege, ainda que não seja católico, por "recusa da sujeição ao Sumo Pontífice ou da comunhão com os membros da Igreja a ele sujeitos."
É isso aí!

André disse...

É CAFLITO! CAFLITO! Meu Padim Padi Ciço!

Engenheiros, engenheiros, juriscasultos, dipromatas, homens de fino trato... caindo aqui com as moeda no chão...

Acho que eu também vou pro Inferno. Não solicito, não camuflo, não escamoteio, mas vou. Fui batizado na Igreja Católica, mas não acredito em tantas coisas (e fiz tantas outras erradas) que acho que fui excomungado e condenado a queimar no mármore do Inferno quando ainda era uma blástula.

E isso porque sou um agnóstico meio gnóstico, se é que isso é possível, um sufi fora do lugar. Imaginem se eu não fosse.

Mas... e se o Paraíso for o Inferno? Um tipo de Inferno. Isso sempre dificultou o funcionamneto das minha catraca aqui.

Holy Father disse...

Sei que, pela estrita lógica, você teria razão e, aparentemente, Jesus
endossa o preceito de levar à morte quem amaldiçoa pai e mãe. Mas
o desdobramento do discurso não leva sua fala para lá. Jesus está
mostrando que os fariseus distorcem a lei em seu próprio benefício:
declaram "corban", isto é, oferenda, os recursos de que deveriam dispor
para dar assistência aos pais, para se eximirem da assistência a eles
devida. Ele denuncia, apelando para o contraste entre o rigor da lei na
exigência de respeito aos pais e a malícia farisaica em seus truques para
levarem vantagem. Em nenhum momento a atitude de Jesus é induzir
pessoas à prática da pena de morte. O que eu acredito que prejudicou
bastante os evangelhos, assim como o restante das escrituras, foi o
literalismo, que sempre leva a um entendimento estreito. Um exemplo
análogo é o que ocorre com o próprio Direito, que, em sua literalidade,
é fonte de muita injustiça. O contexto e o espírito de uma lei, junto à
compreensão de sua finalidade, é que auxiliam sua correta aplicação
(quando a própria lei não é absurda). Aqui, Jesus não está criticando os
fariseus porque eles deixam de matar a quem amaldiçoa os pais, mas
porque, sendo aparentemente tão legalistas, fazem só o que é de seu
interesse, e não o que julgam ser correto. Não lembro de uma única
passagem em que Jesus chegue espinafrando uma atitude sincera, mesmo
que ele a julgasse equivocada. Enfim, se não pensarmos no Evangelho
como numa equação matemática, podemos continuar encontrando nele
grande riqueza.

Holy Father disse...

Apague a mensagem anterior, por favor.

Sei que, pela estrita lógica, você teria razão e, aparentemente, Jesus endossa o preceito de levar à morte quem amaldiçoa pai e mãe. Mas o desdobramento do discurso não leva sua fala para lá. Jesus está mostrando que os fariseus distorcem a lei em seu próprio benefício: declaram "corban", isto é, oferenda, os recursos de que deveriam dispor para dar assistência aos pais, para se eximirem da assistência a eles devida. Ele denuncia, apelando para contraste entre o rigor da lei na exigência de respeito aos pais e a malícia farisaica em seus truques para levarem vantagem. Em nenhum momento a atitude de Jesus é induzir pessoas à prática da pena de morte. O que eu acredito que prejudicou bastante os evangelhos, assim como o restante das escrituras, foi o literalismo, que sempre leva a um entendimento estreito. Um exemplo análogo é o que ocorre com o próprio Direito, que, em sua literalidade, é fonte de muita injustiça. O contexto e o espírito de uma lei, junto à compreensão de sua finalidade, é que auxiliam sua correta aplicação (quando a própria lei não é absurda). Aqui, Jesus não está criticando os fariseus porque eles deixam de matar a quem amaldiçoa os pais, mas porque, sendo aparentemente tão legalistas, fazem ó o que é de seu interesse, e não o que julgam ser correto. Não lembro de uma única passagem em que Jesus chegue espinafrando uma atitude sincera, mesmo que ele a julgasse equivocada. Enfim, se não pensarmos no Evangelho como numa equação matemática, podemos continuar encontrando nele grande riqueza.

André disse...

Olá, Holy Father! Quanto tempo, hein?

Gostei muito do seu comentário.

Ana Carolina Gandra disse...

Por que não 'jus primae noctis', em latim? Por que em francês?

Ana Carolina Gandra disse...

Escrevi no post errado. Desculpem-me.

Catellius disse...

Mateus, 5

17. Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição.
18. Pois em verdade vos digo: passará o céu e a terra, antes que desapareça um jota, um traço da lei.
19. Aquele que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar assim aos homens, será declarado o menor no Reino dos céus. Mas aquele que os guardar e os ensinar será declarado grande no Reino dos céus.

Anônimo disse...

Esse texto parece ter saído da Desciclopédia

Misto-X disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Duas crianças crescidas. Muitos pretensos adultos não passam disso, crianças crescidas.

Carlos Rafael disse...

Com relação à interpretação das Escrituras, Jesus deu esta missão aos seus apóstolos, que hoje se perpetuam no que chamamos de Magistério da Igreja: "Ide e ensinai todas as nações..."

Portanto, sobre estas questões a interpretação correta encontra-se no Catecismo da Igreja Católica, que, como todos sabem, é atualíssimo e recebeu contribuições dos Bispos do mundo inteiro. Sinceramente acredito que este trabalho tenha tido grande assistência do Espírito Santo!

Sobre essas questões, vocês podem pesquisar na primeira seção do Catecismo, que trata do nosso CREDO.

Se cada um só acreditar no que acha que faz sentido, não precisaríamos de revelação; cada um criaria o seu deus, à sua imagem e semelhança. Na prática, estaríamos vivendo como os pagãos honestos, procurando seguir o que nos dita a consciência.

Entendam bem: não sou contra os questionamentos. Mas há questões de usos e costumes, e há questões de fé. O celibato dos padres é uma questão de uso, de disciplina interna da Igreja. Não há nenhum impedimento doutrinal para que se casem. Já a existência do inferno, por exemplo, não é uma questão subjetiva, ou seja: a sua existência não depende da opinião das pessoas. Jesus disse que existe, e o mencionou diversas vezes. Acho que não era para meter medo nas pessoas, porque repetidas vezes ele disse "Não tenhais medo". Portanto, a existência do inferno não é uma questão de opinião, mas de revelação. Ou se acredita ou não se acredita.

Apesar do Catellius ser ateu, e dos seus ataques ferinos à religião, que me desagradam, está com absoluta razão nas questões que discutiu com Jota. Sou católico e sou forçado a admiti-lo.

Não me pareceram crianças, como o anônimo escreveu, nem ambos foram humilhados, como escreveu o Misto-X. Estes dois, ao contrário, parecem não ter nada a acrescentar à questão. Parecem-se com hienas.

Misto-X disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Misto-X disse...

E tudo bem, retiro o que disse sobre humilhação, mesmo eles tendo chegado ao nível de trocarem elogios como "burro" e "merda" mutuamente.

Desculpem.

Carlos Rafael disse...

Misto-X, talvez tu não tenhas lido toda a discussão. Pio XII exorta na encíclica Humani Generis, conforme citado pelo Catellius nesta sessão de comentários:

“Mas, tratando-se de outra hipótese, isto é, a do poligenismo, os filhos da Igreja não gozam da mesma liberdade, pois os fiéis cristãos não podem abraçar a teoria de que depois de Adão tenha havido na terra verdadeiros homens não procedentes do mesmo protoparente por geração natural, ou, ainda, que Adão signifique o conjunto dos primeiros pais; já que não se vê claro de que modo tal afirmação pode harmonizar-se com o que as fontes da verdade revelada e os documentos do magistério da Igreja ensinam acerca do pecado original, que procede do pecado verdadeiramente cometido por um só Adão e que, transmitindo-se a todos os homens pela geração, é próprio de cada um deles. [cf. Rom 5, 12-19]


Romanos, 5
12. Por isso, como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim a morte passou a todo o gênero humano, porque todos pecaram...
13. De fato, até a lei o mal estava no mundo. Mas o mal não é imputado quando não há lei.
14. No entanto, desde Adão até Moisés reinou a morte, mesmo sobre aqueles que não pecaram à imitação da transgressão de Adão (o qual é figura do que havia de vir).
15. Mas, com o dom gratuito, não se dá o mesmo que com a falta. Pois se a falta de um só causou a morte de todos os outros, com muito mais razão o dom de Deus e o benefício da graça obtida por um só homem, Jesus Cristo, foram concedidos copiosamente a todos.
16. Nem aconteceu com o dom o mesmo que com as conseqüências do pecado de um só: a falta de um só teve por conseqüência um veredicto de condenação, ao passo que, depois de muitas ofensas, o dom da graça atrai um juízo de justificação.
17. Se pelo pecado de um só homem reinou a morte (por esse único homem), muito mais aqueles que receberam a abundância da graça e o dom da justiça reinarão na vida por um só, que é Jesus Cristo!
18. Portanto, como pelo pecado de um só a condenação se estendeu a todos os homens, assim por um único ato de justiça recebem todos os homens a justificação que dá a vida.
19. Assim como pela desobediência de um só homem foram todos constituídos pecadores, assim pela obediência de um só todos se tornarão justos.

Carlos Rafael disse...

Eu sou católico.
Eu não tenho vergonha de crer na doutrina da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, por mais absurda que pareça para os dias de hoje, para sujeitos como o Catellius, ateus, e para católicos desviados do verdadeiro caminho.

Rezo por vocês para que sejam dignos de Deus, na hora do Juízo.

Claro que Adão e Eva existiram de fato, como contam as Escrituras, que jamais mentem, pois lá está contida a palavra de Deus, mais do que confirmada pela Igreja.

A própria ciência já demonstrou, pelo exame do estudo dos mitocôndrias, que todos descendemos de uma só mãe. Eva significa justamente "mãe de todos os viventes".

A lingüística parece indicar que todos os idiomas devem vir de um só tronco original.

Não tivessem existido Adão e Eva, não seríamos todos irmãos, e isso levaria ao racismo. Foi o que pregou o nazismo. A idéia estapafúrdia evolucionista de que descendemos de vários casais símios diferentes conduz ao racismo e aos monstruosos campos de concentração.

Fosse verdadeiro o poligenismo, haveria raças humanas sem pecado original, raças superiores portanto, e Jesus não seria o salvador de todos nós, apenas dos descendentes do casal que pecou.

Carlos Rafael disse...

E mais:

A encíclica Humani Generis é documento do Magistério Pontifício Ordinário, repete o que sempre a Igreja ensinou com base nas Sagradas Escrituras. Quando um documento do Magistério Pontifício Ordinário reforça, repete o que foi revelado e que sempre ensinou a Igreja, esse ensinamento é infalível.

Estudem, tu e o Jota, o que significa a Infalibilidade Papal em pronunciamentos ex cathedra. Se não a aceitam, não são católicos.

Se tu e o senhor Jota consideram a Tradição e o Magistério pontifício ultrapassados, que assumam-se hereges e excomungados. É vergonhoso ver um ateu ensinando a católicos sobre o catolicismo. Vergonhoso!

Se Adão e Eva são “metáforas” e não existiram de fato, como os senhores provam que Cristo ressuscitou mesmo? Ou será que a Ressurreição de Cristo foi ..”metafórica” também?

Na Alemanha e em outros países europeus há Doutores em Teologia que ensinam justamente isso: que Cristo não ressuscitou de fato.

Os senhores não sabem os rudimentos da doutrina católica.

Se nem todos os homens descendem de Adão e Eva, então nem todos têm o pecado original. E isso é totalmente herético.

Catellius disse...

Ha ha ha ha!
Bravo! Bravo! Bravo!
Clap clap clap!

Outros textos:

"Foi a Sabedoria que guardou o primeiro homem, formado por Deus para ser o pai do gênero humano, o único criado.” (Sab 10,1)

“De um só (homem) fez (Deus) todo o gênero humano, para que habite sobre a face da Terra.” (At 17,26)

“Foi por um só homem que o pecado entrou no mundo e pelo pecado a morte, que atingiu todos os homens etc.” (Rom 5,12.17-9)

“Assim como a morte veio por um homem, é também por um homem que veio a ressurreição dos mortos. Pois, como todos morrem em Adão, todos também recuperarão a vida em Cristo.” (1 Cor 15,21s.)

De acordo com o Concílio de Trento, Sess. 5, can. 1: “o primeiro homem, Adão, transgrediu o mandamento de Deus”; can. 2: “o pecado de Adão afetou toda a descendência deste, à qual comunica culpa e morte”; e can. 3: “o pecado de Adão é um ato único; transmite-se por geração, não meramente por imitação”.

Ora, e como magistralmente você escreveu, se o Papa pronuncia-se repetindo o que sempre a Igreja ensinou, então tal pronunciamento é INFALÍVEL. Se negam isto, são excomungados, deixam de ser católicos.

O que você escreveu sobre a Eva Mitocondrial está redondamente errado, Carlos Rafael.

O fato de existir uma Eva Mitocondrial não significa que ela foi a única mulher existente em sua época, mas que foi a única que produziu uma linhagem direta de descendentes que persiste até hoje. A perda de uma linhagem mitocondrial tem semelhanças próximas à perda dos sobrenomes em sociedades patriarcais. A única diferença é que esses sobrenomes são passados pela descendência masculina, enquanto as mitocôndrias são transmitidas pelas mulheres.

Abaixo, o caso hipotético de uma ilha deserta povoada, inicialmente, por seis pessoas de sobrenomes diferentes. Em apenas três gerações, apenas um sobrenome restou.

Geração 1
Casamento a: Maria Pereira x Fernando Souza
Casamento b: João Silva x Maria Costa
Casamento c: Marcos Pinheiro x Patrícia Lima

Geração 2
Nasceram de a: Miriam Souza e Cristina Souza
Nasceram de b: Marcos Silva e Cristiano Silva
Nasceu de c: Lúcia Pinheiro

Casamento d: Marcos Silva com Cristiana Souza
Casamento e: Cristiano Silva com Lúcia Pinheiro

Geração 3
Nasceram de d: Carlos Silva e Fabiana Silva
Nascera de e: Bruno Silva e Francisco Silva


Todas as pessoas na ilha são "Silva" e todas descendem de um único "Silva Científico".

O monogenismo é uma balela.

Tire o Pecado Original e o castelo de cartas que é o cristianismo colapsará.

Catellius disse...

E a Eva Mitocondrial teria vivido há uns 150 mil anos.

Enquanto o "Adão Científico" teria nascido 84 mil anos antes.

Misto-X disse...

Carlos, em comum com o Catellius você tem não apenas um grande conhecimento do desenvolvimento da doutrina, mas a mania de taxar as pessoas de "hereges e excomungados".
Sou grato pelos elogios e percebo toda sua “catolicidade” ante tais elogios, sobretudo a parte da doutrina que fala da caridade e do apostolado.
Disso eu sinto vergonha por você. Talvez se descesse de seu altar e tivesse boa intenção no ensinamento eu teria melhor disposição em aprender. (parece que conhecer a doutrina está longe de ser tudo em um católico, não é mesmo?!)
Eu nem quero saber da encíclica, o que eu pedi foi sobre o catecismo, você não citou o catecismo. Poderia por favor responder a minha pergunta?
E se esta doutrina não está lá, faça-se o favor de engolir os elogios emitidos à minha pessoa.
Se as encíclicas são para renovar ou reforçar a doutrina, quero saber onde se encontra no catecismo algo que dê aval para interpretação OBRIGATORIAMENTE literal. Foi essa a minha questão. Se você disser que não há, eu aceito essa resposta..
E eu não quero suas orações. Poupe a você e a mim.
"Claro que Adão e Eva existiram de fato"
EU NUNCA disse que eles não existiram....
"A própria ciência já demonstrou, pelo exame do estudo dos mitocôndrias, que todos descendemos de uma só mãe."
Que ótimo! Ponto para Adão, Eva e o Genesis.
Não há absolutamente nenhuma objeção em relação aos resultados da pesquisa?
"Não tivessem existido Adão e Eva, não seríamos todos irmãos"
Convenhamos, a palavra irmão pode abarcar muita coisa. Não é prova de nada.
"idéia estapafúrdia evolucionista de que descendemos de vários casais símios diferentes conduz ao racismo"
Ora, mas não somos racistas mesmo tendo os mesmos pais? Achei fraca sua analogia. Ao menos na frase foi muito reducionista.
"idéia estapafúrdia evolucionista de que descendemos de vários casais símios diferentes conduz ao racismo, raças superiores portanto,"
Gostei. Mas não responde a sua afirmação que a diferença de pais símios conduz ao racismo.
“Quando um documento do Magistério Pontifício Ordinário reforça, repete o que foi revelado e que sempre ensinou a Igreja, esse ensinamento é infalível.”
Não é isso que faz dele infalível. Nem o documento (encíclica) nem o ensinamento.
Desculpe, mas você também não sabe tanto quanto acha

Além do mais, há uma diferença muito grande na escrita do Genesis em relação aos Evangelhos, o que não implica que se uma coisa é tomada por metafórica a outra também deva ser.

Você está caindo num erro bobo, achar que vim aqui discutir interpretações bíblicas, como se tais discussões estivessem muito bem resolvidas no âmbito dos estudiosos.
Essa pretensão é do Catellius e não a minha.
Eu não sou um Catellius que veio apontar um possível absurdo no desenvolvimento dos estudos de um tema (interpretação biblica) da sua religião.

No mais, bons estudos para mim.
Grato.

Catellius disse...

Misto-x,

“Acho que é o tipo de discussão que só é possível pelo completo desentendimento de um pelo outro.”

O Jota estava totalmente perdido, e parecia não compreender o que eu estava escrevendo.

“Depois do desentendimento, claro, as ofensas.”

As ofensas mostram como somos pessoas más, hehe, que não sabem discutir. Contudo, as ofensas não tornam verdade o que o Jota escreveu e mentira o que escrevi, ou o inverso. Palmas para o Holy Father e para o Carlos Rafael, que não quiseram posar de gostosinhos acima das brigas entre mortais, hehe. Entraram no mérito da discussão e assumiram uma posição. Não são hienas, hehehe.

“Talvez apenas tenha faltado a ambos a clareza de dizer: Jota-> o meu discurso é fenomenológico. Catelius-> o meu discurso é teológico”

A discussão foi óbvia; comentei o que o Jota escreveu, colocando os trechos entre aspas, demonstrando como ele não entende de doutrina católica, apesar de querer se passar por familiarizado com Santo Agostinho, Tomás de Aquino e outros. Simples. Eu não estou dizendo que é a doutrina é verdadeira, obviamente. Sou ateu. Discuti sobre doutrina e pronto.

“Assim um não deixaria o outro falando sozinho ou não resumiriam suas respostas a ofensas.”

Quem resumiu as respostas a ofensas, hahaha? Tire as ofensas e sobrarão dezenas de páginas de argumentos bem embasados – os meus, claro, porque o Jota demonstrou ser um parvo completo. Às vezes não parecia saber nem o que discutia.

“Gostaria então,Carlos, que calasse meu espírito de ‘hiena’ e me explicasse porquê e qual a passagem do catecismo (pois como você falou ‘sobre estas questões a interpretação correta encontra-se no Catecismo da Igreja Católica’.) daria o pleno aval para que a ‘historinha de Adão e Eva’ seja ser interpretada OBRIGATORIAMENTE de forma literal.”

Pelo jeito você faz coro ao Jota.
Acho que está mais do que demonstrado que você é obrigado a aceitar que todos descendemos de um único casal, criado por Javé, se você for católico. Você não é obrigado a ser flamenguista. Mas ser flamenguista significa torcer pelo Flamengo. Não é obrigado a ser católico. Mas ser católico significa aceitar a doutrina católica, e se ela afirma que quem não seguir os dogmas e verdades de fé não é católico, então não é, ora bolas. Agora, se a cobra simboliza o demônio, se comer o fruto proibido significa alguma outra desobediência grave a Deus, nada disso vai de encontro à doutrina do Pecado Original.

Mas você, pelo jeito, é outro herege excomungado. Não tome isto como ofensa. Também sou, hehe, do ponto de vista dos católicos.

Misto-X disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Catellius disse...

Saudações, Misto-x, Carlos Rafael e Holy Father.

O melhor para a ICAR foram a reforma de Lutero, o Iluminismo, a democracia, o ateísmo. Involuntariamente ela vai se adaptando aos novos tempos, vai se domesticando, apesar de não poder mudar a interpretação que dá às escrituras, ao contrário do que crê o Jota, pois ela viria do Espírito Santo, que não pode evoluir por ser perfeito, segundo crêem. Claro que a ICAR não está menos mentirosa, sua doutrina não está menos falsa, mas a Igreja de Roma perdeu o aspecto selvagem típico de monopólios poderosos.

Acho que a liberdade, o livre-pensamento, o racionalismo, a defesa dos direitos universais do homem necessitam de ameaças constantes para que continuem vivos, pujantes. Infelizmente é assim que funciona. Em meio a uma natureza exuberante, de clima ameno, sem predadores e inimigos, homo sapiens da Amazônia viviam no neolítico em pleno séc. XX, enquanto animais da mesmíssima espécie, norte-americanos, visitavam a lua. A religião é, destarte, por ser tão irracional, uma partezinha importante para o desenvolvimento do pensamento racional. Nem que seja como exemplo a não ser seguido, grosseiramente falando.

Não devemos desejar um paraíso de liberdade e racionalismo nos moldes daquele paraíso esperado por religiosos, comunistas e outros homo-ideologicus, mas apenas uma luta constante. A luta é interessante para todos, não o fim da guerra. Eu não quero o fim das religiões. Além de tudo, gosto de rir, hehehe!

Do ponto de vista dos religiosos, repetindo o primeiro parágrafo, as heresias e os excomungados, os ateus e irreligiosos, o laicismo e todos os inimigos da Igreja a tornaram - sou obrigado a reconhecer - uma instituição melhor. Durante os séculos em que teve um poder desmedido, afogou em sangue todos os opositores e foi se tornando cada vez mais violenta e intolerante.

Hoje faz das suas presepadas, claro, o próprio vigário de Cristo acobertava pedófilos, antes de usar o fano, a instituição demoniza preservativos, mas fazer o quê? Se Javé era um insano, o que esperar de seus representantes comerciais, hehe?

Os racionais têm uma longa luta pela frente. E ela durará enquanto existirem seres humanos (ainda mais porque crentes têm mais filhos, hehe).

Catellius disse...

Gostei dessa:

“Ora, eu não apenas posei de ‘gostosinho’ mas também comentei.”

E dessa:

“Se o seu discurso não é de quem entende de teologia, vale de pouco a nada.”

A lógica está invertida. O meu discurso em primeiro lugar não valeria nada, depois deduzir-se-ia que não entendo de teologia, não o contrário. Enfim, um discurso não vale pelas credenciais do arguente. E de “teologia católica” no sentido de “doutrina católica” eu entendo mais do que a esmagadora maioria dos católicos, mais do que o Jota, certamente, e do que você, imagino. Mas não sou teólogo, claro.

Catellius disse...

Quer minhas credenciais?

Já fui Cavaleiro de Graça Magistral da Ordem Soberana Militar de Malta, da Igreja Católica, tendo ingressado nas fileiras dessa ordem leiga, fundada no século XI, por recomendação do Cardeal Dom José Freire Falcão, de Brasília, para quem colaborei como arquiteto por alguns anos.

Já fiz o projeto arquitetônico de pelo menos 40 igrejas e de inúmeras creches conduzidas pela ICAR.

Já fiz pinturas que estão no Patriarcado de Jerusalém, na Ordem de Malta da Bélgica, na Igreja de São Pedro em Istambul, em outras igrejas, em capas de livros, como um lançado agora nos EUA intitulado "History of Modern Christianity in the Holy Land", escrito pelo padre e estudioso Hanna Kildani.

Sou de uma família católica praticante, com padres na família, tias freiras; meu pai abandonou o seminário pouco antes de se casar. Meu irmão já foi guia católico para a Terra Santa. Conversas sobre doutrina católica permearam toda minha infância e adolescência.

Tenho uma boa biblioteca religiosa e li e leio bastante sobre o assunto. Não vou ficar citando o que já li, claro!

Já morei um ano na Terra Santa. Entendo um pouco de árabe e hebraico.

Enfim, eu tenho "credenciais" para cagar na Igreja Católica e em sua doutrina ridícula, simbólica ou não, literal ou não, que conheço e desprezo, hehehe.

Mas não desprezo os católicos. Toda minha família é católica, embora não haja ninguém xiita. Minha esposa é católica não praticante, certamente herege. Gosto quando o Holy Father comenta por aqui (fazia tempo que não aparecia). Reprovo, claro, quando pessoas inteligentes, católicas ou não, terceirizam o cérebro para representantes divinos ao invés de usar o bom senso.

Hereges e excomungados (Na verdade, quase todos os católicos são hereges excomungados, embora não saibam) como o Misto-X e o Jota são muito mais desejáveis em nossa sociedade plural, do meu ponto de vista, do que o Carlos Rafael, que apenas demonstra não ser um católico herege e excomungado. Ele deve ser um analfabeto científico que acha o evolucionismo uma teoria da conspiração, deve ver a ação do demônio em tudo, deve abominar a camisinha, pesquisas com células-tronco, deve ser favorável à missa em latim, deve ler o Monfort, do católico talibã Orlando Fedeli.

Recuso-me a debater verbalmente assunto polêmico como religião, faço-o apenas por escrito. Claro que meus amigos sabem que sou ateu. Não deixo de soltar alguns comentários maldosos, vez ou outra. Não tenho problemas de convivência com pessoas como o Misto-x e o Jota - este é parvo no úrtimo mas deve ser divertido. Não gosto de me relacionar com xiitas como o Carlos Rafael, ao vivo e a cores. Mas aqui ele é mais do que bem-vindo.

Demonstrou ser um católico que conhece bem sua doutrina, e era esse o assunto nesta caixa de comentários.

Abraços a todos

Catellius disse...

Enfim, desculpem-me pelo discurso agressivo.

PAX VOBISCUM

Anônimo disse...

"presepadas, claro, o próprio vigário de Cristo acobertava pedófilos,"
Cadê as provas?
Eu não quero o fim do ateísmo, muito menos do catellius, eu gosto de rir. HAHAHA!

"Os racionais têm uma longa luta pela frente."
Falsa dicotomia = FALÁCIA
HAHAHAHAHA!

"Não vou ficar citando o que já li, claro! "
E deveria?
Suas credenciais dizem tudo! Tu é O cara!
HAHAHAHA!

"Enfim, eu tenho "credenciais" para cagar"
Não é credencial, idiota, é liberdade.
HAHAHAHAHA!

(o Carlos Rafael)"deve ser um analfabeto científico que acha o evolucionismo uma teoria da conspiração, deve ver a ação do demônio em tudo"
Olha só. É também vidente!!
Mais uma para as credenciais!
HAHAHAHA!

Carlos Rafael disse...

Misto-X

Procura por "Infalibilidade", no Catecismo, e "Adão", e entenderá. Pio XII era infalível quando repetiu na Encíclica uma crença antiga da Igreja, para não dar margem a modernismos.

Catecismo:
§ 402

Todos os homens estão implicados no pecado de Adão. São Paulo o afirma: "Pela desobediência de um só homem, todos se tornaram pecadores" (Rm 5,19). "Como por meio de um só homem o pecado entrou no mundo e, pelo pecado, a morte, assim a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram..." (Rm 5,12)

O Catecismo, que antes esclarece os simbolismos, nunca está em linguagem simbólica. Se lá está repetido "por um só homem", "o primeiro criado", entende-se, sem margem para dúvidas, que a Igreja condena o poligenismo, que não se harmoniza "com o que as fontes da verdade revelada e os documentos do magistério da Igreja ensinam acerca do pecado original, que procede do pecado verdadeiramente cometido por um só Adão e que, transmitindo-se a todos os homens pela geração, é próprio de cada um deles."

Carlos Rafael disse...

Não vejo o demônio em tudo, Sr. Catellius. Vejo-o aqui, neste blog, e em outros locais onde Deus não é bem-vindo.

Fico feliz que não gostes de se relacionar ao vivo e a cores com xiitas como eu. Lucramos imensamente, eu e os de minha espécie, os descendentes de Adão.

Acertaste. Acho o evolucionismo uma fraude. Raças, todavia, podem sofrer alterações fenotípicas, como os cães. O pequinês e o dobermann são diferentes exteriormente mas são cães, compatíveis geneticamente. Há homens baixos, altos, morenos nos trópicos, brancos nas regiões temperadas, há alterações genéticas visíveis. Isto é bem diferente de dizer que viemos de macacos.

Frequento sim o site da Montfort. Outros católicos deveriam fazer o mesmo.

Carlos Rafael disse...

Anônimo,

Era de se esperar que o Catellius fosse no passado um católico com tantas credenciais. Os principais inimigos da Igreja vêm de dentro, não de fora. Leonardo Boff e outros hereges que o digam. Conhece e pode ter sempre conhecido a doutrina com a cabeça, não com a alma.

Anônimo disse...

"A religião é, destarte, por ser tão irracional, uma partezinha importante para o desenvolvimento do pensamento racional."(...)
"Os racionais têm uma longa luta pela frente."

ATENÇÃO!!!! Falácias de falsa analogia e falsa dicotomia detect!!!!!

Está explicado porque esse bostinha de ateu se mete a falar somente da doutrina dos outros: para não ter que fazer sempre um discurso cheio de falácias, ter que sustentar de modo (ir)racional seu pensamento vazio, ridículo e cheio de contradições optou por atacar os outros.
Grande fuga!!!

André disse...

Muitas vezes os mais desviados do verdadeiro caminho são aqueles crentes mais ferrenhos.

Ser digno de Deus, na hora do Juízo? Don't worry, tenho certeza que eu e ele vamos nos entender direitinho.

"Claro que Adão e Eva existiram de fato, como contam as Escrituras, que jamais mentem, pois lá está contida a palavra de Deus, mais do que confirmada pela Igreja."

Ai, minha Evinha Mitocondrial... Cacentração! Muita cacentração nessa hora! Sinto a dor fluindo até o meu cerebelo. Funções vitais caindo.

Já ensinam na catequese o que é uma mitocôndria? Não? Então, tá. :(

"Não tivessem existido Adão e Eva, não seríamos todos irmãos, e isso levaria ao racismo. Foi o que pregou o nazismo."

??? E o que uma coisa tem a ver com a outra?

Somos irmãos por causa de um casal imaginário, lendário?

E a diversificação racial, ou melhor, genética?

"A idéia estapafúrdia evolucionista de que descendemos de vários casais símios diferentes conduz ao racismo e aos monstruosos campos de concentração."

Não são símios. Estes também fazem parte da festa, porém o principal aí é algo bem mais abrangente: os hominídeos todos.

Ah, quer dizer que o Ardipithecus Ramidus, o Orrorin Tugenensis, a Elza Soares, a Dilma Rousseff, a Alcione e grande elenco têm culpa no cartório? E pelo racismo? Coitados dos meus amigos hominídeos.

Até gostaria de saber qual daqueles bichinhos peludos deu no Australopithecus Afarensis, depois no Homo Erectus, enfim, na família toda, até chegar na gente. Só pra cumprimentá-lo. Só pra agradecer. Bichinhos danados! Resistentes.

Isso porque acho que nunca saberemos exatamente de qual ramo, dentre vários de hominídeos, nós derivamos. Alguns ramos não deram em nada, outros deram nos primatas, outros deram em nós. Talvez houvesse um tronco único, mas duvido. A mim me parece que as coisas foram mais complicadas, com a evolução de todos correndo mais ou menos separadamente, senão completamente separada. Diversos ramos.

"Fosse verdadeiro o poligenismo, haveria raças humanas sem pecado original, raças superiores portanto, e Jesus não seria o salvador de todos nós, apenas dos descendentes do casal que pecou."

Pecado não existe, é uma construção teológica e cultural. O poligenismo daria em raças superiores? Hummm... acho que um eugenista das SS não concordaria com isso. Só se fosse o poligenismo das raças catalogadas como arianas.

"Quando um documento do Magistério Pontifício Ordinário reforça, repete o que foi revelado e que sempre ensinou a Igreja, esse ensinamento é infalível."

Infalível? Tipo "não contavam com minha astúcia"? "Suspeitei desde o princípio?" "Sigam-me os maus?"

Depois dessa, só posso dizer uma coisa:

"Se aproveitam de minha nobreza!"

"É vergonhoso ver um ateu ensinando a católicos sobre o catolicismo. Vergonhoso!"

Audácia da Pilombeta! Olha o instinto de racinha superior aí gente. Ou crencinha superior. E eu, que sou um agnóstico com uma quedinha pelo gnosticismo. Sim, sim, sou meio diferentinho. A perua aqui vai morrer afogada? Nem moooorta, santa!

Mas porque é vergonhoso?

Claro que a Ressurreição de Cristo foi metafórica. A história é bonita, legal, bacana, cheia de simbolismos, tudo bem. Nada contra. Você deveria ficar contente com o fato de certas metáforas terem tamanho poder, tamanha influência, já que se preocupa tanto com o seu catolicismo.

E cuidado, pois a cocncorrência é forte: a religião mais popular hoje no mundo parece ser o islamismo. Não é à toa. Estamos falando de muitas virgens depois da morte.

Sem falar no materialismo banal, porém eficaz, dos evangélicos. Se bem que isso vocês, católicos, souberam copiar mais ou menos bem com o tal movimento carismático, de uma chatice sem fim.

André disse...

"Na Alemanha e em outros países europeus há Doutores em Teologia que ensinam justamente isso: que Cristo não ressuscitou de fato."

Que bom! Esses aí evoluíram. Darwin explica. Ou você realmente acha que uma organização sofisticada e que sobrevive há séculos é composta apenas de idiotas? De boba a Igreja Católica não tem nada, garoto. Ainda que precise dos serviços de inocentes úteis, de invertebrados como você.

"Os senhores não sabem os rudimentos da doutrina católica."

É você quem não chega nem a arranhar a superfície.

"Se nem todos os homens descendem de Adão e Eva, então nem todos têm o pecado original. E isso é totalmente herético."

Pode parar, pode parar. Heresia pra mim é pouco. Já fui chamadao de blasfemo, apóstata, idólatra, iconoclasta, anabatista, sibarita, cananeu, moabita...

Só me falta chegar no seu nível de conhecimento, o de um filisteu.

Filista, a deusa, deve estar muito contente com os seus.

Uma sopa (não a primordial, de proteínas e bactérias) com diversidade genética que vira racismo lá na frente? Vá ler uns livros e volte daqui a quinze anos. Meu Deus... Javé se envergonharia de você, rapaz.

Seu catolicismo não significa nada. Conheço católicos de verdade. Você é só mais um idiota travestido de qualquer coisa.

Mas não tem jeito. Volta e meia aparece uma besta pra dizer que o Eterno Retorno de Nietzsche "confirma" as reencarnações e demais pasteurizações do Além do espiritismo kardecista.

Agora é a Eva Mitocondrial que servirá, para alguns, pra isso. Confirmar o Gênesis.

Não tem solução.

"Eu não sou um Catellius que veio apontar um possível absurdo no desenvolvimento dos estudos de um tema (interpretação biblica) da sua religião."

Se fosse só UM absurdo...

"Claro que a ICAR não está menos mentirosa, sua doutrina não está menos falsa, mas a Igreja de Roma perdeu o aspecto selvagem típico de monopólios poderosos."

Naturalmente

André disse...

"Já fui Cavaleiro de Graça Magistral da Ordem Soberana Militar de Malta, da Igreja Católica"

Viram, noviças afetadinhas? O cara aí é praticamente um Cruzado. Já viu muito sangue muçulmano. Sorry, periferia.

Na minha família teve um bispo que largou a igreja porque se apaixonou por uma gatinha. Ou gatona. Lá no interior de São Paulo, e isso em 1900 e lá vai coquinho. Foi o maior escândalo.

Eu, porém, estou mais pra imperador bizantino do tipo maquiavélico, sem muito saco para discussões (bizantinas, como não poderia deixar de ser) religiosas, porém consciente de que não dá pra administrar meu império sem levar essa maldita em conta. Prefiro uma guerra, na verdade.

Já fui chamado de blasfemo quando fiz pouco de uma matéria de jornal (mulheres tapadas pedindo marido pra Santo Antônio, fazendo simpatias - heresia! heresia! - e promessas). Divertido, em última análise. Na hora eu ri... Continuo rindo disso.

Tolero bem religiosos fanáticos, até porque sei que a maioria late, late mas não morde. Quer dizer, bem que gostariam de nos morder, de nos queimar. Só que esse tempo passou. Ficam aí, ruminando sandices, esperando a volta de Dom Sebastião.

"...um analfabeto científico que acha o evolucionismo uma teoria da conspiração, deve ver a ação do demônio em tudo, deve abominar a camisinha, pesquisas com células-tronco, deve ser favorável à missa em latim, deve ler o Monfort, do católico talibã Orlando Fedeli."

Foi o que pensei.

"Recuso-me a debater verbalmente assunto polêmico como religião, faço-o apenas por escrito."

Idem. Pessoalmente, só discuto com vc e outra meia-dúzia.

"Não vejo o demônio em tudo, Sr. Catellius. Vejo-o aqui, neste blog, e em outros locais onde Deus não é bem-vindo."

Haja trabalho para o Pemba, o Tumba-Tupá, o Canho do Pé Preto, Aquele que não ousa dizer o nome... desse jeito, vai ter que pegar um pouco de pó de onipresença emprestado de Deus.

Daqui a pouco ele vai dizer que reprodução não existe, que tudo se faz por geração espontânea: ponha um pouco de trigo num subsolo e voilá, ratos!

Paciência, paciência. Já dizia Didi Mocó: assim como são as pessoas, são também as criaturas.

E antes que os mais exaltadinhos aqui pensem assim "que Deus te dê em dobro aquilo que me desejares" eu já aviso: "Seus dois e mais quatro, apostados contra mim, bem entendido."

A ignorância é a maior multinacional do mundo.

Anônimo disse...

A ignorância é a maior multinacional do mundo."
Também acho.
E é por isso que o Catellius, no auge de seu raciocínio superior de ateu, recorreu a falácias.
HAHAHAHAHA!!
Mas essa parte você nem citou... Que pena!
Eu gostaria de ter lido seu apoio também às falácias. Ficou faltando...
HAHAHAHAHA!!

Catellius disse...

André, saudações!

Bom fim de semana!

Catellius disse...

Vejamos o que o bostão do anônimo escreveu:

“ATENÇÃO!!!! Falácias de falsa analogia e falsa dicotomia detect(as)!!!!!
Por conta do que escrevi: "A religião é, destarte, por ser tão irracional, uma partezinha importante para o desenvolvimento do pensamento racional. Nem que seja como exemplo a não ser seguido, grosseiramente falando."

Nossa! Quantos pontos de exclamação. Ele ficou realmente empolgado, heim?
Onde se vê aí falsa analogia, parvo? Qualquer tentativa de analogia, aliás?

Falácia do Espantalho, hehe.

A religião cristã demanda fé na revelação, confiança na tradição, o catolicismo exige confiança cega na infalibilidade do Papa quando se pronuncia ex cathedra, mesmo que seja algum disparate como “Maria nasceu sem Pecado Original”. Os religiosos podem ser racionais em incontáveis momentos, mas não por causa da fé religiosa. Se houvesse motivos racionais para se crer, aliás, a fé não seria necessária. Um fiel não precisa crer, religiosamente falando, no que sabe que existe. O que as religiões pregam de racional, não é exclusivo da religião, por exemplo “o amor é bom”, “a família é importante”.
Outra coisa. Escrevi: “partezinha importante”, “ exemplo a não ser seguido”. Há várias formas de ser irracional sem se recorrer à religião. E há os graus de plausibilidade. O monogenismo poderia ser plausível antes de Darwin. Hoje é implausível. No entanto, é herege e excomungado quem não reconhece veracidade absoluta na condenação de Pio XII ao poligenismo, em pleno séc. XX. Porque o poligenismo não se harmoniza com o Pecado Original. Sem ele, a vinda de Cristo perde o sentido e o Velho Testamento também, porque os exegetas consideram muitas das histórias e personagens como prefigurações de Cristo, como Adão, Melquisedeque e Moisés. Assim sendo, não é racional ser católico. Falo dos não excomungados. Católicos excomungados que aceitam o poligenismo por serem racionais, não são católicos e nem sequer sabem disso.
Enfim, não há falsa dicotomia.
Mais um espantalho esgrimido pelo bostão, hehe.

E agora, impagável:

“Está explicado porque esse bostinha de ateu se mete a falar somente da doutrina dos outros: para não ter que fazer sempre um discurso cheio de falácias, ter que sustentar de modo (ir)racional seu pensamento vazio, ridículo e cheio de contradições optou por atacar os outros.
Grande fuga!!! “


Mas pá! Segundo ele, o ateu aqui fala somente da doutrina dos outros para não ter que fazer um discurso falacioso. Logo, segundo o parvo, quando falo do cristianismo e da Bíblia – até no post, onde me valho de algumas falácias deliberadas para mera ridicularização, como por exemplo “provando” que ateus vão para o céu e católicos não – meu discurso é impecável, sem qualquer deslize lógico, hehe. Que parvo no úrtimo! Então, se considera meus argumentos contra a religião despidos de falácias, e levando-se em conta que os religiosos são tão racionais, deve tornar-se ateu, por força da razão, hehehe. Por favor, continue religioso, hahaha!

André disse...

Oi, meu amigo. Saudações pra vc também. E um ótimo feriado.

Marcos Vinícius Ferrari disse...

Esse negócio de Falácia detectada é coisa do Luciano Henrique, o patetão!

É, anônimo, aka Luciano aka Jota, o de focinho ralado (boa)... Tomou com vontade agora, heim?

ObservadorNet disse...

Os católicos estão com problemas demais para se preocuparem com certas coisas.
Creio que fé jamais será um problema.

Mas faço minhas as palavras de um conhecido meu: "Sou agnóstico. E, como agnóstico, digo que é mais fácil falar com um crente do que com um ateu. Aliás, é impossível dialogar com um ateu. A intolerância, no início do século XXI, aqui na Europa, está do lado dos ateus."

E como brasileiro advirto que não apenas na europa, mas também nas américas.

Marcos Vinícius Ferrari disse...

Que Treta!

O Henrique Raposo, colunista do Expresso, escreveu esta semana sobre o Christopher Hitchens. Ou talvez tenha sido sobre o ateísmo. Ou sobre a «família de esquerdistas que deixou de pensar quando o fascismo e o nacionalismo acabaram na Europa.» Ou, se calhar, foi sobre outra coisa qualquer. Apesar de curto, mérito que lhe reconheço, o texto do Henrique anda por muitos lados sem chegar a parte nenhuma.

O título diz ser sobre a mediocridade do ateísmo mas o texto alega que Hitchens só ataca a religião porque é de esquerda, explica que Hitchens é zangado é preguiçoso e remata dizendo que Hitchens deve tudo a Deus. Não percebo como isso tornaria o ateísmo mais medíocre mesmo que fosse verdade. Não sei o que o Henrique julga que é o ateísmo, mas o meu não se torna medíocre por causa do Hitchens. Isto para mim não é pertencer a um clube de futebol ou a uma seita religiosa. O meu ateísmo é uma opinião minha, pelas minhas razões e se for medíocre a culpa é minha e não do Hitchens.

É irónico que o Henrique chame preguiçoso ao Hitchens quando «compara, de forma leviana, a religião ao fascismo» sem lembrar o «papel essencial da religião na luta contra os totalitarismos do século XX». É o típico exagero do protagonismo “da religião” (como se só houvesse uma). O que derrotou os totalitarismos do século XX foi a industria dos EUA e URSS nos anos 40 e a economia do ocidente nas décadas seguintes. Esses foram os factores mais importantes. Não foram os segredos de Fátima que derrubaram o muro de Berlim nem as forças armadas do Vaticano que tiraram Hitler do poder. E na entrevista que o Henrique refere, Hitchens apenas afirmou que «Nos anos 30 e 40 do século XX, diria que a mais perigosa era o catolicismo romano porque estava relacionado com o fascismo». O apoio do Vaticano a Mussolini é um dado histórico bem estabelecido.

A acusação de preguiça é irónica porque basta um pouco de atenção para ver que várias seitas religiosas fundamentalistas, cristãs, muçulmanas e outras, adoptam elementos do fascismo. O nacionalismo, as formas de liderança, a revitalização pela violência e outros. E o próprio fascismo começou pela mistura de política e religião. Segundo Mussolini, o fascismo é «uma concepção religiosa na qual o homem é visto na sua relação imanente com uma lei superior e com uma Vontade objectiva que transcende o indivíduo e o eleva à participação consciente numa sociedade espiritual». Isto e as milícias armadas dos fundamentalistas cristãos nos EUA, ou organizações como al Qaeda, mostram que a relação de certas religiões com o fascismo não é um capricho preguiçoso nem leviano do Hitchens. É uma tendência preocupante.

No fim, o Henrique Raposo remata com «nunca digo que sou ateu. Sou agnóstico. E, como agnóstico, digo que é mais fácil falar com um crente do que com um ateu. Aliás, é impossível dialogar com um ateu.» E pronto. Não explica o quê, nem porquê, nem como ser impossível dialogar com um ateu faz com que o Henrique já não saiba se existe ou não existe Deus.

O texto do Henrique é uma baralhada incoerente de alegações. Não se percebe se é por estar zangado ou por ser de esquerda que o Hitchens deixa de ter razão. Não explica o que os problemas do Hitchens possam ter que ver com a mediocridade do ateísmo. E ainda menos como é que o Henrique ficou agnóstico por causa disso. Reforça também a ideia que se deve ser agnóstico para não incomodar os crentes. Deus não existe, mas vamos todos dizer ah, não sei, a ver se ninguém se aborrece. E quanto a ser impossível dialogar com ateus, talvez fosse boa ideia experimentar primeiro. Isso, e pensar no que quer dizer antes de escrever e carregar em “publish”.

Catellius disse...

Obrigado, Ferrari, pelo texto.


ObservadorNet:

"Os católicos estão com problemas demais para se preocuparem com certas coisas.
Creio que fé jamais será um problema."


Duas orações que não significam nada. Parabéns, Observador, pela completa inutilidade dessas asserções.


"Mas faço minhas as palavras de um conhecido meu: 'Sou agnóstico. E, como agnóstico, digo que é mais fácil falar com um crente do que com um ateu. Aliás, é impossível dialogar com um ateu. A intolerância, no início do século XXI, aqui na Europa, está do lado dos ateus.'"

"Mas" por que?
O medíocre cronista Henrique Raposo, do português Expresso Online, é seu conhecido? Hum... "Um conhecido meu..." He he! Se você faz suas as palavras dele, então você é agnóstico? Ateu, portanto?

O que esse HR escreveu é uma parvoíce completa!
O parvo do HR diz: "E é por causa deste ateísmo 'cool' e preguiçoso que nunca digo que sou ateu. Sou agnóstico. " Ah, se o ateísmo não fosse 'cool' e preguiçoso HR diria ser ateu, hehe, e aí já seria impossível de se dialogar com ele. Mas é agnóstico, que, para todos os efeitos, também não adora deuses, o que significa, para todos efeitos, ateísmo do tipo bonitinho, hehe. Parvo no úrtimo!

"É impossível dialogar com um ateu" - Outra asserção absurda!

"A intolerância está do lado dos ateus" - Ótimo! Os islâmicos da Europa são tolerantes, assim como católicos e protestantes na Irlanda, católicos croatas, bósnios islâmicos, Sérvios Ortodoxos, turcos e gregos, etc. Intolerantes são os ateus, que ousam publicar livros e aparecer em debates na televisão, proferir torpes palestras sobre o assunto. Sem falar nas arruaças, nos protestos, nos ataques terroristas a metrôs, nos aviões que jogam contra prédios...

O HR escreve, ainda: "Quando compara, de forma leviana, a religião ao fascismo, este nosso esquerdista esquece o papel essencial da religião na luta contra os totalitarismos do século XX (quer fascismo, quer comunismo). "

Ora, e o Tratado de Latrão, entre a Igreja e o Fascismo de Mussolini, quando ela recebeu o Estado do Vaticano e outras regalias, como religião oficial do governo fascista italiano, catolicismo obrigatório nas escolas, etc.? E o apoio da Igreja à Franco, Salazar, Pinochet e outros fascistas? Esse Henrique, conhecido do ObservadorNet (hehe) é um panaca completo. Não vale a alfafa que come!

André disse...

"Os católicos estão com problemas demais para se preocuparem com certas coisas."

Depende de quais coisas sejam essas.

"Creio que fé jamais será um problema."

Sim, tudo bem, e daí?

"A intolerância, no início do século XXI, aqui na Europa, está do lado dos ateus."

Nossa, que exagero.

"Sou agnóstico. E, como agnóstico, digo que é mais fácil falar com um crente do que com um ateu. Aliás, é impossível dialogar com um ateu."

E, mais uma vez, depende do crente, ateu, gnóstico, agnóstico... Pessoas são pessoas, são infinitamente variadas, não rótulos.

ObservadorNet disse...

A sua gentileza de pronta resposta mostra que é muito difícil dialogar com um ateu. (ao menos com um ateu do seu nível ideológico)
Eu citei uma parte que o Henrique disse, parte que me é comum,mas você, em contrapartida, pegou tantas citações quantas fossem necessárias para montar seu discurso contra o Henrique.
Esse problema não é meu, mas seu e do Henrique.
Por acaso acha que sou fã ou algo do gênero do Henrique? hehe
Muito obrigado por reforçar as palavras do Henrique que faço minhas sobre a intolerância ateísta.
É, de fato, “impossível dialogar com um ateu".

Por falar em completa “inutilidade de asserções”, sugiro que faça o mesmo aviso a sua tiete André.

Parabéns pelas palavras.

Anônimo disse...

São engraçados alguns comentadores de blogs. A rotina é sempre a mesma. Ficam putinhos, não tem mais o que dizer, repetem as bobagens, reiterando e supostamente explicando porque todas elas são incríveis (e, claro, porque só idiotas não as entendem). Civilizados que são, ou posam, pois virtualmente não dá mesmo pra gente passar fogo em alguém, o que é uma pena, e sem coragem de mandar o outro para a puta que o pariu ou, mais ao ponto, se foder, soltam um "parabéns pelas palavras" ou viadagem parecida. Bando de mariolas!

Vivi disse...

"Um conhecido meu"

Observador, conhece pessoalmente o tal Henrique?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...