30 janeiro 2014

A Última Mutação do Totalitarismo Petista

As manifestações de junho, os rolezinhos em shopping e o temor das manifestações da Copa provocaram uma mutação no totalitarismo petista. Como já dizia uma velha professora marxista, a diferença entre o autoritarismo e o totalitarismo é que em um governo totalitário mobiliza-se milícias para oprimir e intimidar a população. É o caso da Venezuela; lá um manifestante de oposição não apanha da polícia, ele apanha das milícias pró-chaves.

O Gilbertinho nunca foi tão importante no Palácio do Planalto. Ele conseguiu se tornar a conexão do governo com as milícias que estão sendo organizadas por “movimentos populares” para intimidar a população durante a Copa. É uma espécie de Black block governamental que irá entrar em choque com quem quiser protestar contra o governo.

É por causa desse tipo de arranjo que é importante a tal rotatividade no poder. Para evitar que a “quadrilha” instalada, além de aparelhar as instituições do Estado, utilize os seus recursos para mobilizar parcelas da população para lhe dar proteção ostensiva e oprimir quem ousar discordar deles. Infelizmente, hoje temos que reconhecer que a maioria das pessoas ainda não entendeu isso, ou seja, que é melhor votar em um Eduardo Campos, uma Marina que tem mais ou menos as mesmas ideias do núcleo petista mas que não é composto pelas mesmas pessoas. Talvez esse seja justamente o problema; os petistas não estão no poder pelas ideias, elas apenas servem de pretexto para permanência de algumas pessoas. Por isso que um debate real não pode existir porque o discurso é apenas instrumental.

Como enfrentar o totalitarismo petista? Não sei. Se eu soubesse estaria coordenando alguma campanha da oposição e talvez nem quem está ocupando esse cargo tenha essa resposta. Acho que um começo é termos humildade para reconhecer que em uma coisa o PT tem sido competente: em conservar o poder. Não tem uma economia brilhante, não tem um projeto de país, não tem uma boa gestão, mas sabe construir um discurso que corrói e divide a sociedade e o mantém como árbitro dos conflitos que ele próprio alimenta.

Talvez um começo na luta contra o totalitarismo petista seja não ir para a rua e sair na porrada com os apoiadores do regime, mas adotarmos um discurso plural e tolerante. Esse discurso começa por “eu acho”, “na minha opinião”,...deixemos o monopólio da verdade para o PT. O começo de uma sociedade verdadeiramente plural está na criação da capacidade de debater questões sem ofender e sem desqualificar quem discorda da gente. É por isso que o PT não é um partido democrático, porque ele não discute; ou ele compra (39 ministérios...) ou ele desqualifica quem pensa diferente dele. A ausência de um diálogo é uma característica do autoritarismo que consome a sociedade brasileira.

Portanto, em minha opinião, dar mais um mandato para a Dilma e para o PT não é bom para o Brasil. Acho que precisamos arejar, pelo menos as pessoas. O Eduardo Campos é Socialista, apesar do site do PT chamá-lo de playboy traidor. Esse é justamente o ponto. O que está em discussão hoje, na minha opinião, não é uma questão de ideias, é simplesmente manter a hegemonia de um grupo de pessoas liderada pelo Lula, que tem a primazia de indicar os seus postes a partir de quadros do PT para os principais cargos da República. Sou da opinião que o Lula não deve ter esse poder, nem um partido político essa primazia e tenho esperança que a população venha a compartilhar do meu ponto de vista.

22 janeiro 2014

A Violência do PT

Em 2014, assistiremos a muitas violências praticadas pelo PT. São violências permitidas no jogo civilizado de disputa pelo poder. A violência começa pela propaganda que geralmente está baseada em uma meia verdade e na manipulação de alguma crença do público alvo. Já vi dezenas de comerciais do governo federal (petista), de estatais (petistas), governos estaduais (petistas),...que tem o objetivo que criar fantasias que negam a realidade.

A violência continuará pela difamação de adversários que serão perseguidos por investigações usando as organizações do Estado aparelhadas para servir ao partido... por negociações, intimidações, ameaças,...mas tudo isso faz parte do jogo civilizado de disputa pelo poder, afinal, o que é a civilização senão a violência organizada.

Às vezes mal dá para esconder a violência que aflora em declarações ásperas de mandatários indignados diante de alguma pergunta ou situação incômoda. A Dilma é uma pessoa muito violenta, com um passado de violência,... Ela, por outro lado, não é covarde. O Lula é. Mas, o Lula é ardiloso e inteligente. Mas, também é violento...especialmente naqueles discursos em que está mais encachaçado.

A violência começa no próprio desejo pelo poder, afinal, o que faz um petista pensar que é melhor que qualquer outro e que o poder de governar lhe deveria ser entregue? Talvez uma crença mais razoável seja que ele seja melhor do que os outros que querem o poder. Não, seria honestidade demais, isso é privilégio de poucos narcisistas. A maioria dos petistas deve acreditar que o Partido e suas idéias e práticas são melhores para o Brasil.

Quando falo dos petistas, não é exatamente do partido que falo... Falo de uma mentalidade brasileira que está representada no Partido dos Trabalhadores...um tipo de violência que é nossa. É um tipo de violência ressentida contra o sucesso e o trabalho. Um ranço marxista para o qual não existe sucesso sem exploração...

Acho que a violência para os americanos é diferente. Para eles, a violência faz parte da identidade nacional, dos seus filmes, ... Lá temos o mocinho, o psicopata assassino que no final é morto e podemos ter alívio e uma catarse. Na mentalidade petista, a violência tem um significado diferente, é um reflexo da exploração capitalista onde os bandidos são as vitimas e as vítimas são burgueses.

Para os petistas, só existe redenção na violência se ela é exercida em nome do Partido e pelo poder... O fato de que as pessoas beneficiadas serão eles mesmos é um pequeno detalhe necessário para um bem maior.

E no fim, eles lutam pelo que? Talvez eles lutem por lutar...talvez eles não acreditem nas baboseiras que um dia acreditaram quando eram estudantes...mas eles acabaram se tornando tão bons em lutar que continuam pelo gosto das vitórias, pelo gosto de poder,...o poder é delicioso,...a excitação, a adulação, as trepadas,...No fim é isso, é uma afirmação muito tortuosa da vida que se afirma pela violência, pela subjugação dos outros, pela mentira e pela morte.

O PT e o Quinto Poder – o Poder de Investigar

Recentemente, foi publicado um livro do delegado aposentado da Polícia Federal, Romeu Tuma Jr que denuncia a prática petista de elaborar dossiês sobre aliados e inimigos no melhor estilo do velho SNI dos militares. Em seu livro, aproveita para dizer que Lula era informante do antigo DOPs do qual era investigador. Nessa questão, fica a palavra do Lula contra a do Tuminha.

O melhor é o título do livro, assassinato de reputações, pois ninguém está interessado em um processo com defesa, provas, contraditório, nada disso. O importante é desmoralizar o sujeito e desqualificar o interlocutor. O PT gosta desse tipo de estratégia.

De fato, quem forçar um pouquinho a memória irá se lembrar da fábrica de dossiês montada por Dilma a partir de dados de gastos do governo FHC com objetivo de atingir seus velhos inimigos. Esse tipo de prática é disseminada pelo governo e pelos vários sub-grupos do PT. Em 2010, o ex-petista, ex-diretor e ex-assessor da Previ, Geraldo Xavier Santiago, denunciava que a Previ havia se tornado mais uma fábrica de dossiês.

É sabido por qualquer servidor da Polícia Federal que as diretorias foram loteadas entre os presidentes dos sindicatos locais dos delegados da Polícia Federal, prática aliás disseminada em toda a administração pública petista, ou seja, sindicalista que vira executivo.

É estranho que o petista e ministro do STF e TSE Toffoli tenha agora proibido que o Ministério Público faça investigações de crimes eleitorais. Estranho, pois afinal, o que a imprensa divulga é que o próprio Toffoli esteve envolvido na investigação que levou a queda do ex-governador Arruda.

Se bem que todos lembram que um dos motivos das manifestações de 2013 foi a famigerada PEC 37 que iria proibir o Ministério Público de fazer investigações. Monopólio que deveria ser dado a Polícia Federal, quer dizer, aos sindicalistas da Polícia Federal.

A única explicação que me ocorre para a ação de Toffoli é ciúme, afinal, ao que me consta o Toffoli não tem uma gota de republicanismo. E é estranho, afinal, que se faça essa proibição ao mesmo tempo em que tramita no STF ação da OAB proibindo doações de empresas para campanha.

Parece que o Toffoli quer reservar para si o direito de decidir se investiga ou não, ou seja, o Partido dos Trabalhadores, por meio do ex-advogado de campanha do Lula e ex-assessor jurídico de José Dirceu deve decidir se pode ou não haver uma investigação. Enquanto isso, ficamos daquele jeito...o governo abre investigações secretas contra seus adversários e vaza algumas informações quando lhe convém e nega aos denunciados acesso aos autos.

O PSDB de São Paulo que o diga...Há meses é acusado na questão dos trens sem ter direito de ver os autos ou se defender....Aliás, a investigação é conduzida apenas no tocante aos inimigos do partido, deixando de lado possíveis envolvimentos de aliados e dos próprios petistas.

A lei do PT é assim, é para os adversários...E com isso, o partido amplia seu poder e persegue os inimigos.

08 janeiro 2014

Não tem jeito, o PT vai ganhar

Curiosamente, conversando com as pessoas, o que mais ouço é “Não tem jeito, não tem opção, o PT vai ganhar”. Por um lado, as pessoas reconhecem que o PT governa mal, mas ainda assim não conseguem enxergar uma alternativa. Fico intrigado, pois até 2002, o PT votou contra todas as reformas que tentavam controlar a inflação e organizar as finanças do Estado. Era um partido pequeno, irresponsável, não tinha experiência administrativa significativa e ganhou. Tinha algumas pessoas interessantes, mas elas já eram. O Cristovam vazou, o Suplicy esclerosou, a Marina deu no pé, o Palocci, que foi um bom ministro da Fazenda, foi destruído, e o Celso Daniel foi assassinado. Sobrou o terceiro time, como admitiu outro dia o próprio Gilbertinho em entrevista para a Piauí; e sobrou também o Lindinho.

O PT não é tão bom assim. A melhor análise que já vi do PT foi do brilhante Demétrio Magnoli, que "psicanalisou" o partido. Para ele, a queda do Muro de Berlim fez muito mal para o PT, pois eliminou a referência do socialismo real que havia evoluído em uma crítica ao stalinismo. O resultado disso é que para o PT o socialismo real se tornou uma fantasia idealizada. Vejam o caso do comissário Tarso e outros que mal disfarçam suas taras em liderar as multidões para fazer uma constituinte revolucionária, como escreveu em um artigo outro dia.

O PT é ruim porque o pessoal que faz parte dele é problemático. Temos uma galera da Teologia da Libertação, com uma leitura do Evangelho a partir de Marx; temos os sindicalistas, que em geral têm aqueles problemas amplamente conhecidos que são a picaretagem e a falta de gosto pelo trabalho; e, por último, aquele bando de desajustados que sonha em implantar uma ditadura qualquer em que eles mandem. Ah, não podemos esquecer daquele pessoal de classe média que papagaia umas coisas politicamente corretas e, por último, mas não menos importantes, os funcionários públicos, sedentos de privilégios e sem muita vontade de produzir. Quase esqueci dos estudantes. No tempo em que o Genoíno ainda tinha senso de humor, ele brincava que na época de estudante ele trabalhava muito na organização enquanto o Dirceu "passava o rodo". O próprio Dirceu admitiu em entrevista que se iniciou na vida pública ao propor uma greve na PUC-SP para forçar os padres a fazer turmas mistas. É complicado imaginar que a origem disso tudo pode ser o tesão do Dirceu.

Mas acho que, no fundo, o que sustenta o PT é a culpa e a preguiça. Os funcionários públicos têm medo de votar em qualquer outro, pois poderia ser exigente e a classe média morre de culpa de ter um padrão de consumo americanizado em um país miserável. Talvez aqui tenhamos uma divisão que mencionei em outro artigo: os espertos e os otários. Estes têm sentimento de culpa mas são preguiçosos e mentirosos. Os espertos não têm sentimento de culpa mas, ironicamente, sabem manipular os outros que têm, pois possuem traços de psicopatas; e os otários gostam de ser manipulados, pois fazem o que gostariam sem ter de assumir a responsabilidade pelos seus atos.

Talvez o problema seja esse. O PT não é forte, mas nós, como povo, somos muito fracos. É um gigante adormecido. Preferimos acreditar na salvação gratuita pelo Estado e não na ética do trabalho feito dia após dia. Parece que afinal Weber tinha alguma razão. A ética do trabalho protestante faz diferença, enquanto a passividade diante da providência do Estado operada pela interseção do Partido dos Trabalhadores talvez esteja mais de acordo com a mentalidade brasileira.

02 janeiro 2014

2015, o amanhecer de uma nova era sem o PT na Presidência

Se Deus quiser, em 1º de janeiro de 2015 teremos um outro partido governante no Brasil. A grande vantagem da democracia é que de tempos em tempos podemos trocar a “quadrilha” governante e darmos chance para outros também se locupletarem. O PT já deu o que tinha dar. É hora de o Brasil mostrar que é maior do que o PT e que os petistas não são donos do Brasil, que o Brasil ainda não é uma Venezuela.

Ano que vem o PT completa 12 anos no poder. Vamos ser claros, Lula e sua panelinha mandam no Brasil há 12 anos. Mais que isso, só Getúlio, que mandou 15 anos. Para quem tem dúvidas, outro dia vi uma entrevista da nova embaixadora americana no Brasil, que apresentou suas credenciais para as autoridades brasileiras, inclusive o Lula, a quem foi beijar a mão em São Paulo. Eike Batista, antes do colapso, foi pedir penico para Dilma e .... Lula.

Em 2015, o Lulinha irá devolver o seu passaporte diplomático. Milhares de sindicalistas deixarão cargos de gerência e diretorias de empresas estatais e retornarão aos sindicatos onde fizeram suas carreiras. Suas contas bancárias já estão abarrotadas de dinheiro. Suas aposentadorias já estão garantidas. Esse foi o programa mais bem sucedido do governo Lula, o Bolsa Boquinha, que arrumou bons salários e permitiu o enriquecimento de milhares de petistas.

O Brasil merece um Bolsa Família que não represente uma aposentadoria prematura, que tire as criancinhas dos sinais de trânsito e as ponha na escola, uma boa escola. O Brasil não merece políticas raciais que alimentem a separação entre os brasileiros para criar mais um curral eleitoral para o partido. O Brasil merece um governo que tenha competência para melhorar a educação e a saúde. O Brasil merece um governo que respeite os contribuintes. O Brasil merece um governo que trate com justiça os criminosos ao invés de ficar passando a mão na cabeça deles alegando que são vítimas da sociedade. Chega dessas Marias do Rosário.

O Brasil merece um governo que não seja burro de dar isenção para a indústria automobilística ao invés de investir em transporte público. O Brasil não merece ter um pibinho. O Brasil desperdiçou uma década com a má administração petista. Tivemos a China importando bilhões e os Estados Unidos com taxa de juros negativas. Melhor que isso, como dizia o Lula, nunca antes na história deste país...e o que o PT fez com essa oportunidade? Muito pouco.

Infelizmente, nesses 12 anos, o PT comprou muita gente. Hoje, temos categorias do serviço público que têm salários imorais. No Senado está difícil arrumar alguém que aceite ser diretor, pois os servidores mais antigos já estão quase todos no teto constitucional, para não falar nos que já furaram o teto, e não ganhariam nada em assumir essa responsabilidade. Os empresários pegam bilhões do BNDES que pega bilhões do Tesouro Nacional que pega bilhões do nosso Bolso. É o Bolsa Fortuna do PT, quantos milionários o PT não fez com nossos impostos?

Está na hora de mandar essa gente para casa onde eles, como todos os demais brasileiros, tenham que viver sob um governo. Claro que o PT continuará poderoso, pois já tem a maior bancada da Câmara dos Deputados, com 88 membros, já nomeou 9 dos 11 ministros do STF, e por aí vai...O PT continuará poderoso mas voltaremos a ser uma democracia onde os que estão no governo passam um tempo na oposição e depois voltam novamente, quem sabe até melhores.

Agora, se é para sermos uma ditadura de partido único, espero que o PT siga o exemplo do Partido Comunista Chinês, cuja legitimidade é fruto da capacidade de fazer o país crescer sob uma boa administração. Infelizmente, não acredito que eles tenham essa capacidade, acho que se virarmos uma ditadura do partido único, seremos uma grande Venezuela. Petróleo para isso, acho que já temos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...