28 outubro 2013

Para o PT, a lei não passa de um pretexto para perseguir


Infelizmente, para o PT a lei não passa de um pretexto para perseguir seus adversários. De um instrumento que garante a cidadania e a liberdade, passa a ser um instrumento de opressão e ferramenta para a sustentação da hegemonia deste partido gramsciano.

Recentemente, um petista fez um acordo com a Siemens para que denunciasse as propinas pagas para o metrô de São Paulo, em troca de imunidade. A Siemens e a Alston vendem turbinas em todo o país (Itaipu, Petrobras, muitos e muitos trens), mas só interessou ao governo do PT os negócios da Siemens com o estado de São Paulo, que é governado pelo PSDB. Ao PT não interessa esclarecer os casos de corrupção relacionados à Alston, apenas aqueles que tenham ligação com seus adversários.

Outro exemplo foi o caso do Arruda em Brasília em que, segundo jornais, se negociou um acordo de delação no qual um ex-colaborador de Roriz entregou uma fita comprometedora em troca de imunidade. O projeto deu certo, Arruda foi preso, Roriz foi afastado e tudo foi armado para a eleição de um petista para governar Brasília. De acordo com os jornais, houve envolvimento até de um outro petista que foi nomeado para o STF, na tramoia. A ironia era que o Arruda tentava uma relação harmoniosa com os petistas. Chegou até mesmo a tentar construir um monumento para o Lula em frente à rodoviária. O caminho da puxação de saco parece que não dá certo com estes caras. Aprendam a lição do Arruda: quem puxa saco de petista só se f*.

Outro sujeito preferiu o caminho do enfrentamento com os petistas. Era o senador Demóstenes Torres. Assim como muitos outros, ele era um santo do pau oco. Bem, para esse sujeito foi montada uma operação que, se aproveitando da sua proximidade com o bicheiro Cachoeira, destruiu mais um adversário do PT. Quantos bicheiros existem no país? Dezenas. Mas o PT só estava interessado no bicheiro amigo do Demóstenes. Segunda lição: se for bater de frente, cuidado com a retaguarda. No processo, surgiu a questão da construtora Delta, uma das maiores do país. Curiosamente, os petistas só tinham interesse em investigar os negócios desta empresa em Goiás, que é governada pelo PSDB. Tentaram queimar o governador, mas havia um grande risco da história da Delta sair de controle, e aí eles se saciaram com a cabeça do Demóstenes, naquela ocasião.

Na eleição para o governo de São Paulo, uma velha obsessão do Lula, tivemos o dossiê comprado contra o Serra pelo assessor do Mercadante. O dossiê era falso e o dinheiro foi apreendido pela Polícia Federal. Vai se saber em que buraco deve estar este delegado da PF... Aparentemente, o Mercadante se recuperou da roubada e está de volta na rodinha do Lula e deve coordenar a campanha da Dilma.

Antes disso, ainda tivemos o famoso caso do Daniel Dantas, que dominava a Brasil Telecom com o apoio de fundos estatais de previdência. Segundo os jornais, ele teria se recusado a pagar algumas dezenas de milhões para o caixa 2 do PT. Pior que isso, tentou virar o jogo contratando uma empresa internacional de espionagem chamada Kroll para obter informações e chantagear os petistas. Deu tudo errado para ele. A Polícia Federal virou a sua vida de cabeça para baixo. Ele foi preso. Em retrospecto, talvez ele devesse ter negociado...Terceira lição: pode ser que valha a pena pagar os caras.

Talvez este governo não seja mais do que uma quadrilha que, utilizando o aparato de força do Estado, submete uma população e persegue seus adversários. O PT mudou? Acho que não. Acho que sempre foi isto mesmo. Muita CPI, muito jogo de cena, muito marketing, muito discurso de igualdade...

Espero que chegue o dia em que o Brasil fique livre desses hipócritas.

24 outubro 2013

O PT faz mal feito (o caso do Leilão de Libra)

Algum tempo atrás assistimos às ridículas privatizações dos aeroportos promovidas pelo PT. Em um dos casos, entregou-se um aeroporto para uma operadora argentina de terceira categoria com dinheiro de fundos de pensão de estatais alavancada por dinheiro do BNDES financiado por dinheiro do Tesouro. Pouco tempo depois veio a privatização de rodovias, que quase não tiveram interessados. Agora, temos este leilão do Campo de Libra, um dos maiores do mundo, que teve apenas um interessado e que deu o lance mínimo... O padrão que vejo nisto é simples: o PT faz mal feito.

O Maluf antigamente tinha o jingle “Rouba mas faz”. Do PT, especialmente depois do Mensalão, acho que pode ser dito “Rouba e faz mal feito”. Se bem que, como disse Marina Silva, o grupo que participou do Mensalão era um sub-grupo do partido do qual ela não participava e muitos petistas também não. De qualquer forma, se o partido não expulsou então fica na conta do partido mesmo. Aliás, tem uns vendidos na rede que insistem em dizer que o Mensalão nunca aconteceu. Gente burra ou comprada que nunca leu o Relatório da CPI dos Correios, que foi presidida por um petista, e que esquece que quem começou tudo isto foi o dedo duro do Roberto Jefferson a partir de uma briga com o Dirceu. Até hoje fico intrigado com o olho roxo com que Jefferson apareceu. Naqueles dias, Dirceu andava tão arrogante que após dar um chá de cadeira de 3 horas no Gabeira, este foi embora do Planalto e também do partido.

Vários esquerdistas e nacionalistas passaram semanas dando chiliques contra a espionagem americana, dizendo que o alvo era a Petrobras. Não perceberam que nenhuma das majors americanas decidiu participar do leilão de Libra. Talvez o verdadeiro temor dos petistas seja que os americanos descubram todos os malfeitos que a Polícia Federal aparentemente é incapaz de fazer. Aliás, acho que quem dirige a nossa política externa não é mais o Sargento Garcia, acho que é o João Santana, pois aquele discurso da Dilma contra a espionagem foi puramente eleitoral.

O que importa é que se não conseguimos nos defender da espionagem americana, então não conseguimos nos defender da chinesa, européia,...é só querer que dá para espionar a gente. A ABIN, na melhor tradição do SNI, ainda tem o seu foco na espionagem da sociedade brasileira, especialmente da oposição; proteger-nos da espionagem estrangeira não é uma das suas prioridades, especialmente na era petista, onde agentes da ABIN foram recentemente detidos na Pernambuco do governador Eduardo Campos.

Explicar o fracasso deste leilão é difícil, mas vamos tentar. Uma das explicações é a confusão regulatória petista. Aliás, tudo culpa da Dilma, pois o Congresso não mexeu em uma vírgula do projeto do Executivo, elaborado pessoalmente por ela para a regulação do Pré-Sal. Depois de iniciado o leilão, o governo decidiu nomear a diretoria da empresa de petróleo do Pré-Sal, coisa que já deveria ter sido feita há tempos. Até então, a Agência Nacional de Petróleo (ANP) iria fiscalizar e participar do consórcio de Libra, uma aberração regulatória que pode ter afugentado muitas empresas. Além disso, os indicados para estes cargos são empregados e ex-empregados da operadora Petrobras que também dirigem a ANP.

O marco regulatório de Dilma no setor petróleo foi um desastre. Nem o Gabrielli conseguiu impedir as burradas desta figura autoritária. Hoje, a Petrobras é a empresa mais endividada do mundo para tentar sustentar o PAC e um sonho nacionalista que ignora que a Petrobras é uma empresa onde a maioria das ações sem direito a votos pertence a acionistas privados brasileiros e estrangeiros. De fato, o governo faz tanta questão de ignorar isto que não permitiu os “minoritários” indicassem seus dois conselheiros para a direção da empresa...Acho que estas são as explicações para o fracasso deste leilão. Muito autoritarismo da Dilma, que atropela a todos, inclusive seus companheiros de partido. Qual o investidor que pode pagar para ver em um ambiente de negócios deste? Poucos, como o pessoal das telecomunicações, que fez fusões que contrariam a legislação mas que teve assessoria, dizem, do próprio Dirceu... Com um marco confuso como este acho que alguns cardeais do partido não demoram a arrumar novos clientes para suas consultorias.

14 outubro 2013

Titulares à sombra dos seus reservas

Hoje, na política brasileira, temos uma situação curiosa. Os três principais candidatos à presidência da República estão à sombra de seus reservas. A começar pela Dilma, que vive na sombra do Lula, passando por Aécio, que não tem a projeção nacional do Serra, e pelo Eduardo Campos, que ainda não é tão popular quanto a Marina.

Especula-se que Dilma iria para o banco de reservas se sua intenção de voto caísse abaixo de 30%. Independente disto o Lula já está em campanha. De fato, ele foi talvez o presidente que menos governou o Brasil. Ele nunca parou de fazer campanha. Infelizmente, para o Brasil, o único inimigo à altura do Lula tem sido o seu câncer. Se ganhar a próxima eleição, ele terá dominado o Brasil por mais tempo que Getúlio Vargas, que ficou 15 anos no poder.

Para Eduardo Campos, sua candidatura seria inviável se ele não crescer na intenção de voto, pois simplesmente não haveria segundo turno, o que forçaria a entrada de Marina como cabeça de chapa. De qualquer forma, é melhor para o PSB ter duas cabeças, pois o jogo é duro contra o PT. Depois do anúncio da candidatura, o PSB perdeu 20 deputados. Bom trabalho Lula. Se bem que uma parte dos que saíram estão ligados ao Ciro, que teve um ataque de pelanca por não ser ele o candidato. Cá entre nós, trocar o Ciro pela Marina parece ótimo negócio.

Para Aécio, a situação é mais confortável, pois a tendência é que os votos da direita venham para ele. E ele ainda é senador e controla a máquina do partido, portanto as chances de Serra são menores, mas em política tudo é possível. Considerando que ele enfrenta os eternos boatos de que é um cheirador...Será que teriam coragem de usar isto contra ele? Só se ele crescesse muito.

O PT chegou a representar a renovação na política quando, em 1979, rompeu a polarização entre ARENA e MDB. Foi também um avanço por não ter sido uma das siglas criadas por Getúlio, mas hoje o PT representa um novo tipo de autoritarismo à semelhança dos militares e seu projeto de poder passa pela monopolização da política brasileira, o que em última instância visa deixar as pessoas sem possibilidade de escolher seus governantes. O PT irá escolher por elas em seus quadros. Como diz o gigante João Santana, os anões irão se destruir. Espero que não pelo bem do Brasil.

Ontem li algo que mostra o que é o Brasil do PT. A direção do Fundo de Pensão dos Correios perdeu cerca de R$ 1 bilhão em operações duvidosas. O resultado disso foi a demissão do diretor financeiro indicado pelo PMDB, mas o presidente do Fundo indicado pelo PT continua como se não tivesse nada a ver com isto. Se o PT faz isso com a aposentadoria dos trabalhadores, imagina como está administrado mal este nosso Brasil. É por isso que precisamos de opção, de alternância de poder, para que haja consequência para os governantes pela sua má administração.

09 outubro 2013

Como o PT sacaneou a candidatura da Marina

Hoje, li uma entrevista surpreendentemente lúcida de Alfredo Sirkis onde afirma que no Brasil mais uma vez se fez justiça ao estilo do Mensalão, ou seja, aos amigos tudo, aos inimigos a lei. Ao negar a aprovação do Rede Sustentabilidade, o TSE, assim como STF, mostram a influência do Partido dos Trabalhadores em suas decisões. Sou grande fã de sincericídios como os do ex-prefeito Cesar Maia ou até mesmo do destempero do Ciro Gomes, pois eles costumam tratar os eleitores como iguais ao invés de valerem-se daquelas manipulações e provocações chulas que são características do Lula, por exemplo. Sirkis fala o que todos sabem: o PT abateu o avião de Marina ainda na pista de decolagem.

Na semana passada, o Lula passou o recibo da sacanagem toda quando afirmou que estava na hora de se discutir mandato para ministros do STF. Curiosamente, o ministro Toffoli, ex-advogado do PT no TSE e atual ministro do STF, indicado pelo Lula, havia acabado de ser o voto da virada na aprovação do partido Solidariedade de Paulinho, o que havia deixado o grande líder indignado. Especula-se que a traição era consequência da sensação de desprestígio de Toffoli, que aparentemente não estava sendo consultado nas indicações de Dilma para o STF. Na votação do partido de Marina, Toffoli arrumou, convenientemente, uma viagem.

Outro que passou o recibo da sacanagem foi o futuro presidente do STF, o ministro Lewandowiski, que criticou a falta de rigor na legislação eleitoral brasileira, que estava permitindo a criação de um excesso de partidos. Pois é, o mesmo Lewandowiski que é o grande defensor da leniência no julgamento do Mensalão de repente achou que se precisa de rigor na legislação eleitoral. Vejam que a bússola moral deste sujeito é confusa. Uma explicação para esta confusão é quem está sendo julgado, se for o PT aplica-se a leniência e se for alguém adversário aplica-se o rigor da lei.

Será que a Dilma é responsável direta por ter sacaneado a candidatura da Marina? Lembrem que o general Geisel nunca aprovou nenhuma tortura, muito pelo contrário, tomou medidas contra elas incluindo a demissão do general Frota. Getúlio Vargas negou ter mandado o chefe de sua segurança matar o oposicionista Carlos Lacerda, mas acabou se suicidando quando a situação saiu de controle. O Assad nega ter mandado bombardear com gás letal uma área civil ocupada pelos rebeldes matando mais de 500 crianças. De qualquer forma, poucos duvidam de que isto foi feito por seus correligionários e em benefício destes mandatários.

Mas nem tudo é culpa do PT. Marina falhou ao subestimar a influência do PT em seu julgamento, falhou em achar que teria o mesmo tratamento do PROS e do Solidariedade. Subestimou a ação de bloqueio dos cartórios eleitorais sob influência de políticos locais. E se recusava a ouvir aqueles que a alertavam sobre isto. Como disse Sirkis, apesar de ser uma pessoa de boas intenções, está acostumada a ter um séquito acrítico o que traz algumas desvantagens óbvias. Torço para que o eleitor tenha o discernimento de pôr na conta do PT mais esta afronta ao direito dos eleitores brasileiros de escolher seus governantes.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...