13 abril 2013

Brasil do PT: Uma Sociedade Paternalista

O Brasil do PT é uma sociedade paternalista. Por onde começar? Vamos começar pelo tema da maioridade penal. Sempre que acontece algum crime monstruoso praticado por algum menor a sociedade se revolta e deseja discutir o tema da redução da maioridade penal para responsabilizar aquele indivíduo pelo seu ato. E o que faz o PT? O Ministro da Justiça, o José Eduardo Cardozo, se apressa em dizer que tal mudança, em sua opinião - leia-se na opinião do partido -, é inconstitucional.

O argumento dos petistas tem sua lógica. Eles partem de um resíduo de coletivismo metodológico marxista para chegar a esta conclusão. Embora muitos deles sejam pequenos e grandes burgueses ou, como diria Roberto Campos, burgueses de Estado, ainda continuam carregando os vícios do pensamento marxista. Eles não acreditam no individuo, portanto não acreditam em responsabilizar uma pessoa por seus atos. Acreditam que as condições sociais de uma determinada categoria determinam as ações de uma pessoa e deveriam ser determinantes no julgamento da sociedade sobre suas ações. Portanto, se algum menor comete um crime bárbaro foi porque não teve oportunidade e, portanto, quem deveria estar sendo julgada seria a sociedade burguesa, capitalista e desigual.

Mas os petistas não estão satisfeitos em destruir a responsabilidade dos indivíduos, eles querem também destruir o mérito dos indivíduos. Podemos ver isto na questão das cotas para acesso ao ensino superior. Primeiro que o governo admite que é incapaz de gerar uma educação básica de boa qualidade em grande escala.

Temos alguns centros de excelência públicos como escolas de aplicação, colégios militares, escolas técnicas que normalmente aprovam alunos nos melhores cursos das universidades públicas. O governo do PT quer aprimorar e expandir estas experiências bem sucedidas? Não. O negócio do PT é destruir o indivíduo e reduzi-lo a nada além de parte de uma condição social. Para isto, implanta cotas sociais e raciais e faz de tudo para destruir o sistema de avaliação e seleção das universidades públicas tentando impor um monopólio de uma grande prova massificada e mal gerida com pouquíssima capacidade de selecionar bons alunos.

Portanto, creio que as questões da maioridade penal e das cotas unem e dão sentido ao pensamento medíocre dos petistas. Para eles não há indivíduo, seja no sentido positivo ou negativo. Não deve existir mérito para aqueles que estudam e se esforçam e não deve haver punição para aqueles que cometem crimes bárbaros. Todos serão julgados de acordo com a sua classe social de origem e o governo lhes dará de forma paternalista as condições para sua subsistência.

E nem falamos do Bolsa Família, que estimula o emprego informal quando não a simples ociosidade. Quando não estimula o investimento dos pais em educação e coloca todos sob a generosidade do Partido que espera deles o seu votinho na próxima eleição. Gramsci ficaria feliz. O PT é o novo príncipe que, sob uma ampla coalizão de forças que incluem os maiores ladrões do país, tem a hegemonia na sociedade. Mas, por baixo deste discurso mentiroso de justiça social mudam-se as palavras mas tudo continua igual. Antigamente tínhamos a cesta básica do coronel e hoje temos o Bolsa Família do PT. Antigamente tínhamos os amigos do Rei, hoje temos os amigos do PT como o Eike Batista, que não compra um pão em uma padaria sem um empréstimo do BNDES ou uma parceria com alguma estatal. Enfim, o petismo só realimenta a miséria, a mediocridade e a irresponsabilidade que tornaram o Brasil o país que é.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...