18 dezembro 2013

O PT, os espertos, os otários e o Financiamento Público de Campanha

As grandes tragédias em política tendem a acontecer quando dois tipos de personagens se unem, o esperto e o otário. O esperto pode ser localizado nas Executivas de grandes partidos como o Partido dos Trabalhadores. São pessoas frias e calculistas que traçam e executam as estratégias para ganhar e manter poder de forma inescrupulosa. Alguns deles são até mesmo psicopatas. Gente como Celso Daniel cruzou o caminho dessas pessoas. Os otários são geralmente o público alvo da propaganda de um marqueteiro político. São aquelas pessoas que se deixam confundir e enganar. Sejamos claros; elas não são burras mas escolheram a ignorância.

A política pode até estar no coração dos otários, mas infelizmente eles não pensam a política. Para esses, qualquer coisa se justifica em nome da justiça social, do resgate da dívida histórica, da vitória do partido sobre os adversários, do ódio aos Estados Unidos, ... , enfim, um conjunto de crenças que foi formado e alimentado e que faz parte de seu ser. Os otários não são necessariamente idiotas. Em geral, eles estão se beneficiando do governo petista e talvez até mesmo em função disso eles apoiem os golpes do partido. Saber ou não saber as consequências dos seus atos é uma escolha e escolheram não saber, não entender, acreditar em qualquer coisa e se beneficiar.

Os espertos, por outro lado, são pragmáticos, manipuladores e conhecem as crenças do seu rebanho. Eles propõem o controle social da mídia, o financiamento público de campanha, uma constituinte exclusiva, uma reforma política e outras bobagens belamente embaladas em pacotes mercadológicos que, na verdade, são propostas que visam única e exclusivamente eternizar o poder do Partido dos Trabalhadores.

A última agora é a ADIN da OAB propondo ao STF proibir doações particulares para campanhas políticas. Articular com a OAB o encaminhamento de uma proposta de partido é coisa de gente muito esperta. Os espertos e os otários do Partido dos Trabalhadores estão jubilosos. Quem raciocina um pouco, lamenta. Mais uma lei que se for criada será cumprida em detrimento da oposição. Aqui a lei ainda é um instrumento de perseguição dos adversários políticos.

A lei é ruim; primeiro, porque Caixa 2 é formado justamente de doações ilegais, que não serão alcançadas por essa lei e, hoje, a melhor máquina de captação de recursos é a do PT, que está no poder. Segundo, porque a Polícia Federal vai perseguir as captações ilegais justamente dos partidos de oposição. Somente um otário acredita que uma organização liderada pelo Ministro da Justiça do PT não será influenciada por ele. Terceiro, que o PT já conta com uma ampla rede de ONGs (financiadas pelo governo e dirigidas por petistas), sindicatos e outras entidades que indiretamente apoiarão as campanhas dos seus candidatos com recursos públicos e privados.

Portanto, a proposta simplesmente criminaliza doações de campanha ao invés de tornar transparentes e criteriosas tais ações. Mais do que isto, o que seria de fato necessário seria, além de disciplinar as doações de campanha de empresas e pessoas físicas, também disciplinar a participação de sindicatos, ONGs, e entidades diversas nas campanhas. Não porque tais entidades não possam participar, mas porque receberam recursos públicos e precisam prestar contas da sua utilização, inclusive se estão sendo usadas em campanhas políticas de seus dirigentes. Enfim, trágico é o futuro de um país dominado por espertos e otários.

2 comentários:

Catellius disse...

Excelente!

Anônimo disse...

O NORTE E NORDESTE É MISERÁVEL E ANALFABETO QUE VOTA NA TERRORISTA-COMUNISTA DILMA!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...