25 março 2010

A qual instância o vice-deus apresentará sua renúncia?

Janer Cristaldo


O cerco se fecha. A edição do New York Times de hoje revela que várias autoridades do Vaticano, entre elas o então cardeal Joseph Ratzinger, encobriram o abuso sexual de 200 crianças surdas por um religioso de Wisconsin, o padre Lawrence Murphy. Em 1996, Ratzinger não respondeu a duas cartas sobre o caso, enviadas pelo arcebispo de Milwaukee, denunciando os crimes.

A notícia repercutiu na primeira página dos mais importantes jornais da Europa, desde o Suddeutsche Zeitung ao Corriere della Sera, passando pelo Libération, Le Monde e El País. Só não encontrei nada no Osservatore Romano, que dá sua primeira página à uma audiência de Sua Santidade dedicada a São Alberto Magno, à celebração da Anunciação na tradição sírio-ocidental, ao encontro entre Obama e Netanyahu e a um plano de desenvolvimento de um bilhão de dólares na Índia.

A affaire envolve também o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, que em fevereiro deste ano afirmava ser necessário que os padres pedófilos “reconheçam suas culpas, já que das provas pode surgir a renovação interior”. Na época das cartas do arcebispo de Milwaukee, Ratzinger presidia a Congregação para a Doutrina da Fé e Bertone era seu vice. Oito meses depois da denúncia, cardeal Bertoni encarregou os bispos de Wisconsin de instruir um processo canônico secreto que teria podido levar ao afastamento do padre Murphy.

Bertone, segundo o NYT, encerrou o processo depois que padre Murphy escreveu pessoalmente ao então cardeal Ratzinger que não deveria ser submetido a processo porque estava arrependido e em precárias condições de saúde: “Quero simplesmente viver aquilo que me resta na dignidade de meu sacerdócio”, escreveu o padre, já perto de sua morte, em 1998.

Então tá! Se estava arrependido, não precisa levar a frente o processo. Não se tratou exatamente, no caso, de uma ação entre amigos. Mas de uma ação entre cardeais. Vai, meu filho, teus pecados te são perdoados.

Esta é a segunda denúncia, em menos de uma semana, a apontar diretamente para o sucessor de Pedro. Sábado passado, Elke Hümmeler, na Baviera, citava 120 relatos de abusos feitos desde que um padre foi transferido em 1980 para trabalhar com crianças em Munique, mesmo sendo suspeito de ter cometido abusos na cidade de Essen. A arquidiciose bávara foi presidida entre 1977 e 1982 por quem? Pelo cardeal Joseph Ratzinger. O sacerdote, em vez de ser denunciado à polícia, foi submetido a sessões de terapia, endossadas pelo atual pontífice.

Quem acoberta dois, acoberta dez, cem ou quantos forem necessários. Não será de espantar que surjam, nos próximos dias ou meses, novas denúncias da cumplicidade criminosa de Sua Santidade.

Ontem ainda, Bento aceitou a demissão de John Magee, bispo irlandês de 74 anos, secretário de três papas e acusado de encobrir casos de pedofilia na diocese de Cloyne. Em carta pastoral, o papa pediu perdão – mas não punição – pelo acontecido.

Magge apresentou sua renúncia ao vice-Deus. Pergunta que se impõe: a quem apresentará a sua o vice-Deus? Ao Big Boss?

92 comentários:

blaise2 disse...

"arcebispo de Milwaukee."

Um que se salvou...Será que já morreu?Gostaria de saber por onde anda e o que o "Vai-te,cano" fez com ele.Deve ter mandado pra uma missão entre canibais.hehe

É...Que coisa,não?Em tempos modernos, de altas tecnologias da informação, nunca foram
tão verdadeiros os ditados antigos "o diabo ajuda a fazer,mas não ajuda a esconder;dá a panela,mas não dá a tampa".

Vale pros podres dos religiosos diversos e pros falsários plagiadores protegidos pelos chefes e patrões.
No caso do Bento não cabe impeachment( se nem pro Lula coube,né?).Se a pressão continuar em cima das safadezas que fez,faz e ajuda a abafar,pode acontecer de ele ter de renunciar?Já houve algum precedente de papa que teve de cair fora?

Lia¬¬

Janer disse...

Código de Direito Canônico 332 § 2: "Se acontecer que o Romano Pontífice renuncie ao seu múnus, para a validade se requer que a renúncia seja livremente feita e devidamente manifestada, mas não que seja aceita por alguém".

Anônimo disse...

"O cerco se fecha"
hehehe
Bem irônico. Parece que tem um bocado de gente na expectativa de pôr fim a uma guerra, destruir um inimigo.
Será que dessa vez o gol sairá???!!!

Janer disse...

Não vai sair gol nenhum. Como Sarney, o papa sequer cogita em renunciar. Não vai largar aquele osso divino, o poder pontifical, a pompa do Vaticano, o conforto de Castel Gandolfo.

Mas assim como a impunidade de Sarney desmoraliza o Senado, a impunidade do papa desmoralizará ainda mais a Igreja.

Anônimo disse...

A guerrinha particular de um fodido de gorrinho colorido, de um ateu comentador de blog

blaise2 disse...

Se batina fosse de bronze,heim,Janer?Quantas badaladas dia e noite.Por essas e outras que não querem mulheres no Vaticano nem como datilógrafas.hehehe
Manter a mulherada na periferia da da hierarquia era garantia que as coisas dos homens ficarariam entre homens.Sabem que mulher é curiosa,bisbilhoteia e dá com as línguas nos dentes mesmo.Não é uma das virtudes guardar segredo.Por isso que a Maçonaria não deixa a gente participar ;)
Os corvos do Vaticano se protegem da nossa curiosidade mandando as religiosas lá pra pqp,vão cuidar de órfãos,velhos e abandonados em asilos,as babás e enfermeiras do senhor.Por mais megera que seja uma freira/madre superiora,desconheço casos de abusos sexuais da pimpolhada.Podem/podiam até encher de tabefes,mandar ajoelhar no milho( o de pipoca dói mais,viu),botar pra esfregar o chão dos internatos,mas comer os criancinhas já é viajar na maionese.Nem Irmã Selma da Insana.
A sacanagem fica/va entre elas e os padres chegados em mulher,ou entre elas mesmas,vai saber...

Se o Bento Sarney Calheiros não larga o osso, não renuncia,então faz mais mal à ICAR do que renunciando??
Hummm...
Já escolhi minha campanha..."Fica,Bento,fica!"

Lia¬¬

blaise2 disse...

Uai,que raios de gorrinho colorido é esse?
Ademais,não deve ser pior do que os sapatinhos vermelhos dos Pinóquios do Pedro.De verniz ainda!Sem falar dos chapéus formato de barata e o solidéu que plagiaram daqueles outros que nunca aceitaram o Cristo.

Axé!

Luis disse...

Pelo nível do comentário da Lia, não é, sem dúvida nenhuma, por causa das mulheres serem bisbilhoteiras e de darem com as línguas nos dentes que são postas na periferia.

De resto, sou a favor da sua campanha: "Fica Bento, fica!"
E isso é algo que qualquer católico pró Bento pode gritar, afinal, ainda falta muito para alcançar uma "impunidade".

Farini disse...

Parece que há tempos se conheciam casos que, hoje, são denunciados como de pedofilia.

O curioso é: por que eles não foram denunciados antes, já que há tempos eles ocorrem?

O Papa João Paulo II, graças a Deus, mandou punir os padres envolvidos e entregá-los à polícia, "ao braço secular", como se dizia na Idade Média. Fazendo isso o Papa, graças a Deus, contrariou a política péssima que vinha sendo seguida durante décadas pelos Bispos americanos, que deixaram o câncer crescer em vez de extirpá-lo.

Valentemente o Papa João Paulo II exigiu tolerância ZERO, para os padres criminosos.

Outra pergunta que deve ser levantada: por que logo se tentou ligar a pedofilia do clero com o celibato?

Há muitos pedofílicos casados...

Até parece que se quis aproveitar a onda para sabotar o celibato.

Farini disse...

Por que há tantos casos de pedofilia dentro da igreja?

Muito simplesmente porque a corrupção do ótimo é que dá o péssimo.

O padre ou é santo ou cai nos piores pecados.

Foi o caso de Lutero que, sendo sacerdote, além de cometer pecados imensos, estabeleceu o princípio que se devia acreditar firmemente e que, então se poderia pecar até em nome de Cristo.

Janer disse...

Os crimes não foram denunciados antes por várias razões.

Primeiro, a criança não tem noção de crime nem de aquilo seja crime.
Segundo, a criança suspeita de que aquilo é algo feio e sente vergonha.
Terceiro, tem medo de represálias.
Quarto, só recentemente surgiram as primeiras denúncias, o que levou os que sofreram abusos a sair do armário.

O João Paulo não denunciou ninguém à polícia e foi outro acobertador de pedófilos. Os padres que hoje estão na cadeia - há uma trintena deles na França - só foram presos em função das denúncias à Justiça por parte das vítimas.

Quem está sabotando o celibato são os próprios padres, que já não suportam os grilhões da Igreja. Há milhares de padres casados no Brasil e no resto do mundo. A probição do casamento é o motivo maior da redução do clero.

Clóvis disse...

Pois se não suportam "os grilhões", que larguem a batina, ou sequer a procure.
Afinal, quem aceitou ser padre porque achou que a Igreja mudaria sua posição sobre o celibato durante seu sacerdócio ou porque esqueceram de avisar para ele sobre o celibato??
Ou esses "grilhões" surgiram do nada, de repente?

Bullshit!

Antes de serem padres idiotas,fracos ou criminosos; são humanos idiotas,fracos ou criminosos.

Janer disse...

Não é bem assim. Se largam a batina, perdem o "droit de cuissage".

Ana Carolina Gandra disse...

Por que não 'jus primae noctis', em latim? Por que em francês?

Ana Carolina Gandra disse...

E o que tem isso a ver com largar a batina?

Janer disse...

Me ocorreu a expressão francesa. É que no caso não se trata da primae noctis, mas de muitas outras.

Diz-se também droit de jambage.

André disse...

Droit de seigneur.

But... many, many nights, not just one.

A lot of them. And mornings and evenings.

http://en.wikipedia.org/wiki/Droit_de_seigneur

André disse...

O que tem a ver? Simples: se largam a batina, perdem esse ambiente que tanto adoram e onde podem fazer isso.

Catellius disse...

"Antes de serem padres idiotas,fracos ou criminosos; são humanos idiotas,fracos ou criminosos."

Clóvis, o celibato obrigatório é ótimo para criminosos e péssimo para aqueles que você parece chamar de fracos e idiotas.

Por terem tendências criminosas muitos procuram a batina, porque o sacerdócio lhes dá cobertura. Não precisam casar, serem vistos com uma mulher, muitos pais baixam a guarda quando lhes confiam os próprios filhos, para tardes de catequese, como coroinhas, cantores, noites em acampamentos. Todos padres que abusam sexualmente de menores cometeriam os mesmos crimes fora da igreja? Ou seriam pedófilos não criminosos – aqueles que não consumam suas preferências sexuais, apenas sentem atração por crianças? A porcentagem de padres pedófilos é maior do que a de pedófilos em relação à população em geral. Os bispos, cardeais, papa, e toda estrutura eclesiástica, que acobertam os crimes dos pedófilos, agem assim EXCLUSIVAMENTE por motivos religiosos, para protegerem sua instituição, é difícil acreditar que acobertariam crimes por aí, de vizinhos ou de colegas de trabalho. Denunciariam às autoridades ainda que anonimamente. Os crimes de autoridades como o Ratzinger é que são o terreno fértil para germinarem os crimes dos padrecos.

blaise2 disse...

Caríssimo Luis,quando eu quiser sua opinião sobre mim eu peço.Como tal coisa nunca vai acontecer,faça a fineza de guardar pra si.Sua opinião deve ser dad sobre o tema e não sobre os comentaristas A,B ou C.Não acha?
Pelo sim,pelo não,muito obrigada pela deferência...Mas se a carapuça serviu,faça bom uso.Não tenha medo,não vou espalhar seus segredos,que são muitos e tenebrosos por certo,não por ser bisbilhoteira,mas porque sua existência não faz nenhuma diferença pra absolutamente ninguém.
Colocarei seu santo nome em minhas orações e despachos :)
Paz e bem,Axé,saravá!

Luis disse...

Caríssima Lia, eu emito minha opinião quando eu quiser e sobre o que eu quiser, assim como TODOS do blog fazem.
Se você se sentiu inferiorizada pela minha opinião, se a carapuça serviu, isso não é problema meu. Eu falei sobre sua opinião e não da sua pessoa. Ou não tenho a liberdade de discordar da sua opinião?
O maior erro do meu comentário foi dar a possibilidade de generalizar a todas as mulheres, sendo que cabia somente ao que você disse.
Espalhar meus segredos?? Que piada sem graça!!!
Tal é o valor de minha existência que você escreveu apenas para falar sobre mim. Parabéns! Me inspirou a escrever de novo... sobre sua opinião.
E como não bastasse se ridicularizou me ameaçando. =P
Que medo!!!!

Anônimo disse...

E não é que o Janer é esperto?
De uma hora pra outra ele muda a qualidade do celibato de "grilhões" para um prêmio, uma dádiva, o "droit de cuissage"!

O velhinho está ficando atento!

Clóvis disse...

Catellius,
“Clóvis, o celibato obrigatório é ótimo para criminosos e péssimo para aqueles que você parece chamar de fracos e idiotas.”
Ótimo seria se fosse um pouco mais explícito sobre o motivo do celibato ser benéfico para criminosos.

“Por terem tendências criminosas muitos procuram a batina".
Creio que isso é o que você acha.
Quem te falou? Uma pesquisa? Um estudo sobre a personalidade ou motivos de serem seminaristas ou padres? Honestamente, é a primeira vez que ouço alguém dizer que muitas pessoas com tendências criminosas procuram à batina. Gostaria de saber a fonte.

Agora, vou supor que exista alguém que tenha tal tendência criminosa e ele, de alguma forma, fica sabendo que a batina é uma ótima maneira de encobrir seus crimes.
Então ele passa friamente por MAIS de 5 anos de seminário estudando e fazendo provas para testar o estudado; após ganhar seu troféu (a batina) tem que torcer para que o “destino” o coloque onde ele quer, numa paróquia onde seu trabalho esteja, pelo menos uma vez por semana ou por mês associado a crianças (programas como “tardes de catequese, como coroinhas, cantores, noites em acampamentos.”), para enfim tentar começar a agir, e depois que começar a praticar os crimes, contar com questões como: 1 “a criança não tem noção de crime nem de aquilo seja crime” (portanto não delata). 2 “a criança suspeita de que aquilo é algo feio e sente vergonha”. (portanto não delata) 3 (a criança) “ter medo de represálias”. 4 torcer para que não haja de forma alguma uma “primeira denúncia” (também por que outros abusados podem “sair do armário”) 5 esperar que seus superiores (caso saibam do crime) acreditem que acobertar serve “para proteger sua instituição” 6 (etc etc)
Outro fator bem fantástico, é que para cometerem seus crimes com garantia de acobertamento, procuram justamente uma posição social que os expõe como poucas.

Essa “indústria” ou rede de pedofilia ou de acobertamento ao crime que vocês tentam montar aqui me parece um tanto absurda.
Se inserirmos nesse contexto um detetive que refaça o mesmo caminho do frio criminoso, daria um excelente romance comparável aos de Dan Brown, tanto na engenhosidade da imaginação quanto nas falhas com a seriedade; além de (óbvio) explorar um assunto polêmico envolvendo autoridades, que por si só bastaria para ter uma boa audiência. (mas tudo bem, é entretenimento. É bem válido.)

“Todos padres que abusam sexualmente de menores cometeriam os mesmos crimes fora da igreja? Ou seriam pedófilos não criminosos – aqueles que não consumam suas preferências sexuais, apenas sentem atração por crianças?"
Honestamente, não sei. Se você sabe, poderia contar pra gente. Não é preciso dizer que estou muito mais interessado em fatos que na sua pura opinião.

Clóvis disse...

“A porcentagem de padres pedófilos é maior do que a de pedófilos em relação à população em geral”
Se isso é uma pesquisa, eu gostaria de saber a fonte.
Mesmo (eu) ignorando a questão percentual [se temos dois padres e um é pedófilo = 50%, se temos 3 leigos e um é pedófilo =33,3%; ou 2 grupos de pessoas: grupo 1 com 754 indivíduos e grupo 2 com 3.525 indivíduos. Para uma porcentagem igual a 20% de pedófilos teríamos no grupo 1 -> 150,8 indivíduos; grupo 2-> 705 indivíduos – que quase corresponde a 100% (mais precisamente a 93,5%) do grupo 1]; gostaria de saber se essa é uma pesquisa mundial, ou quais os países que foram alvos da pesquisa, se esses padres são católicos, anglicanos casados ou não casados, se são esses três tipos de padres, também gostaria de saber se essa pesquisa dá base para generalizar os dados em relação aos padres no mundo todo e, caso positivo, quais os atributos que dão a essa pesquisa tal capacidade.

"Os crimes de autoridades como o Ratzinger".
Algumas autoridades de fato criminosas, outras, como o caso do Ratzinger, sem crimes, apenas acusados.

Nada disso escrevo para eximir os crimes de quem os cometeu (e para mim há uma diferença muito clara entre criminosos e acusados), espero que recebam a punição não só da Igreja, mas também fora dela; mas o quadro que vocês tentaram pintar aqui é realmente muito ridículo.

Janer disse...

Escreve um leitor: “Essa “indústria” ou rede de pedofilia ou de acobertamento ao crime que vocês tentam montar aqui me parece um tanto absurda. (...) O quadro que vocês tentaram pintar aqui é realmente muito ridículo”.

Vocês quem, cara-pálida? Todos os jornais do Ocidente? Os tribunais americanos que condenaram a Igreja ao pagamento de mais de dois bilhões de dólares por abusos de crianças? Os tribunais da Irlanda, Alemanha e França, que estão investigando e julgando os padres pedófilos? Quando escrevo sobre estes senhores, estou apenas escrevendo sobre o que está na primeira página de todos os jornais do mundo.

Sempre que abordo o assunto, não falta um crente sem argumentos que alegue que o que escrevo é conseqüência de minha adolescência católica, insinuando de cambulhada que sofri algum abuso durante meus dias de colégio. Ora, assim sendo, sofreram abusos os jornalistas do New York Times, do Der Spiegel, do Süddeutsche Zeitung, do Le Monde, do Libération, do Nouvel Observateur, do L’Express, do El País, do Corriere della Sera, do L’Espresso, da Veja, do Estadão, da Folha de São Paulo. Em suma, sofreram abuso todos os jornalistas do Ocidente.

Há quem alegue que pedófilos não existem só na Igreja Católica. Claro que não e ninguém afirmou isso. Ocorre que não se vê em nenhuma outra profissão tal percentual de abusos como nos ministros da Igreja Católica. Alguém tem notícias de práticas pedófilas generalizadas entre advogados, engenheiros, médicos, dentistas, enfermeiros? Não temos notícias disso. O que não exclui que entre advogados, engenheiros, médicos, dentistas, enfermeiros não haja pedófilos. Mas a prática não é nem de longe generalizada a ponto de merecer as manchetes do mundo todo.

Se, por um lado, estupro ou abuso sexual constituem crimes, no caso da Igreja católica o caso tem um agravante. Seus ministros fazem voto de castidade. Padre católico não pode ter relações sexuais nem com menores nem com maiores, nem com homens nem com mulheres. E muito menos com crianças. A rigor, está proibido até mesmo da prática de sexo solitário.

Isto é desumano? Qualquer que seja a resposta a esta pergunta, é bom lembrar que a ninguém se obriga ser sacerdote. Muito menos a permanecer na Igreja.

Clóvis disse...

Janer,
"Vocês quem, cara-pálida? Todos os jornais do Ocidente?"
Vocês do BLOG Pugnacitas. Mais precisamente, Janer, Catellius e André (leitor).
Que jornal falou de "droit de cuissage", de "droit de jambage", que "muitos procuram a batina, porque o sacerdócio lhes dá cobertura" que "se largam a batina, perdem esse ambiente que tanto adoram e onde podem fazer isso"?
Seja mais atento, caro cara-pálida!

"Os tribunais americanos que condenaram a Igreja ao pagamento de [...]julgando os padres pedófilos?
Eu falei que isso é mentira? Falei que não há criminosos?
Eu disse que era preferível que não procurassem o celibato, que não virassem padre. E vocês vieram com "droit de cuissage", de "droit de jambage", que "muitos procuram a batina, porque o sacerdócio lhes dá cobertura" que "se largam a batina, perdem esse ambiente que tanto adoram e onde podem fazer isso"? [2]
A primeira página de todos os jornais do ocidente falam disso?

"Quando escrevo sobre estes senhores, estou apenas escrevendo sobre o que está na primeira página de todos os jornais do mundo."
Que jornal falou de "droit de cuissage", de "droit de jambage", que "muitos procuram a batina, porque o sacerdócio lhes dá cobertura" que "se largam a batina, perdem esse ambiente que tanto adoram e onde podem fazer isso"? [3]

"Sempre que abordo o assunto, não falta um crente sem argumentos que alegue que o que escrevo é conseqüência de minha adolescência católica, insinuando de cambulhada que sofri algum abuso durante meus dias de colégio. [...] sofreram abuso todos os jornalistas do Ocidente."
Poupe-me de seus inimigos pessoais. Eu não disse nada disso. Nem sabia de sua "adolescência católica" e seus "dias de colégio".
E mesmo agora sabendo, não vou usar como argumento.

"Há quem alegue que pedófilos não existem só na Igreja Católica. Claro que não e ninguém afirmou isso."
Nem eu dei a entender que vocês disseram isso.

"Ocorre que não se vê em nenhuma outra profissão tal percentual de abusos como nos ministros da Igreja Católica."
Eu quero a fonte dessa pesquisa. Cite-a, por favor. Quero analisar todos os dados.

"Mas a prática não é nem de longe generalizada a ponto de merecer as manchetes do mundo todo."
????????
Ela merece as manchetes porque são generalizadas?
E em nome de quais editores você afirma isso? (além do pugnacitas, claro)

"Isto é desumano? Qualquer que seja a resposta a esta pergunta, é bom lembrar que a ninguém se obriga ser sacerdote. Muito menos a permanecer na Igreja."
Exatamente isso que eu disse no primeiro comentário, cara-pálida.
E você e seus amigos vieram enrolando com todo aquele papo de "droit de cuissage", "sacerdócio lhes dá cobertura" etc, e você, Janer, 'de uma hora pra outra mudou a qualidade do celibato de "grilhões" para um prêmio, uma dádiva' [2].
E um tanto de gente foi atrás. rs

É tudo bem cômico sim.

Janer disse...

Fontes? Não há fontes. Porque não há fatos. Exceção feita dos padres católicos, nenhum outro ofício reuniu tantos pedófilos. Por isso não há fontes.

Droit de cuissage? Sim, fui eu quem falou em droit de cuissage. Quando bispos, cardeais e mesmo o papa acoberta um clero que estupra e abusa sexualmente de menores, está caracterizado o droit de cuissage. Direito pleno e adquirido. E garantido pela Santa Madre. Se os jornais não falam disto, é por falta de percepção dos jornalistas.

Clóvis disse...

"Fontes? Não há fontes. Porque não há fatos."
Não confunda fatos com provas.
As notícias não tiveram por base a imaginação dos jornalistas.

Mas se você afirma que "nenhum outro ofício reuniu tantos pedófilos" é por que deve ser um fato. Você foi capaz de constatar. E constatou baseado em...?

Agora, se você está listando a profissão de todos os pedófilos, e nessa listagem percebeu que tem mais padres que leigos, gostaria de saber que profissão está em segundo lugar.
Só por curiosidade.

"Exceção feita dos padres católicos, nenhum outro ofício reuniu tantos pedófilos."
O que você acha não me interessa.
Quero saber o que pode realmente dar base a isso.

"Direito pleno e adquirido."
Em pedofilia? No mundo ocidental?
Não sabia que isso era possível em relação à pedofilia, e se é um "direito pleno e adquirido" vamos ter que brigar na justiça para que tal direito seja retirado.
Queira desde já fazer sua queixa junto às autoridades.

"Se os jornais não falam disto, é por falta de percepção dos jornalistas."
E porque você não conta aos jornalistas?
Já contou? E porque eles não publicaram essa ideia? Será que eles fazem parte do complô ou acharam muito absurda e estapafúrdia?

Já que estamos em teorias de conspirações, gostaria de saber se o homem de fato fez aquela famosa viagem à Lua.
rs

André disse...

Ora, é evidente que a batina e todo aquele ambiente eclesiástico são perfeitos para quem quer fazer isso com crianças. A proteção é quase total.

Fora que a viadagem em si (não necessariamente pedofilia, claro) já grassa nos seminários, no começo.

"Vocês do BLOG Pugnacitas. Mais precisamente, Janer, Catellius e André (leitor)."

Ha, garoto. Já fui "escritor" também. Aqui e em outros lugares. E continuo escrevendo e escrevinhando. Hoje prefiro ficar só nos comentários.

Quem falou em "droit de cuissage" foi o Janer, só isso. E acho que mandou bem.

"Eu quero a fonte dessa pesquisa. Cite-a, por favor. Quero analisar todos os dados."

Isso é típico de quem não tem mais argumentos.

Como disse o Janer: "Fontes? Não há fontes. Porque não há fatos. Exceção feita dos padres católicos, nenhum outro ofício reuniu tantos pedófilos. Por isso não há fontes."

"Se os jornais não falam disto, é por falta de percepção dos jornalistas."

Exatamente

"Direito pleno e adquirido" foi uma ironia do Janer. Ou precisa desenhar?

"E porque eles não publicaram essa ideia?"

Porque a imprensa prefere não colocar as coisas nesses termos. Mas é a verdade.

O homem foi à Lua. Mas aposto que tem muita gente na Igreja com saudades da época em que a Terra era plana, quadrada, chata... aliás, em várias igrejas, não só na católica.

Clóvis disse...

"O homem foi à Lua. Mas aposto que tem muita gente na Igreja com saudades da época em que a Terra era plana, quadrada, chata... aliás, em várias igrejas, não só na católica."
Mais uma pra conta dos burros. Acham que a igreja inventou tudo isso.
Vá ler seu ignorante.

"Hoje prefiro ficar só nos comentários."
Com esse seu nível, é melhor ficar mesmo.

"Isso é típico de quem não tem mais argumentos.
Não me interessa o que você acha.
Se alguém diz que a PORCENTAGEM é maior, logo, tem que haver dados.
Simples assim.
Se você não gosta, o problema é seu. A imaginação é sua.
E não reflete a realidade.

"Porque a imprensa prefere não colocar as coisas nesses termos. Mas é a verdade."
E em nome de quais editores você afirma isso? [2]
E porque você não conta aos jornalistas?
Já contou? E porque eles não publicaram essa ideia? Será que eles fazem parte do complô ou acharam muito absurda e estapafúrdia? [2]

Risível

O++Cioso disse...

Kkkkkkkkkkk!!!!!!

Clóvis-não-me-interessa-o-que-você-acha, Clóvis-há-controvérsias-quero-provas-fatos-bibliografia-e-firma reconhecida

1

Catéquitus, Janer, André e pecadores

1

Kkkkkkkkkk! empate emocionante Kkkkkkkkkkkkkk

Catellius disse...

Quando tiver tempo já respondo ao Clóvis.

Vou colar uns links por aqui, hehe.
Para um livro, por exemplo, publicado pela Editrice Pontificia Università Gregoriana intitulado "Formando uma Identidade Sacerdotal", que ganhou o prêmio Bellarmino em 1998 (sei lá que desgraça é essa). Lá são citadas pesquisas que apontam que o número de homossexuais é maior entre padres, outra que atesta que a taxa de homossexuais em relação à população em geral é de menos de 10% enquanto que entre padres a porcentagem é de aproximadamente 30%!!!

Há reportagens que denunciam uma subcultura gay de Seminário.

Por acaso, a maior parte dos abusos sexuais é contra meninOs, não?

E depois, com calma, vou colocar links de entrevistas com cardeais e outras "autoridadis" católicas que defendem que o sacerdócio ATRAI pessoas com comportamento sexual doentio.

Dos religiosos que abandonam o hábito, quase 95% é por causa do celibato, porque desejam casar, com MULHERES! Isto também está no livro supracitado.

Mas depois venho aqui com calma...

Catellius disse...

Não era O+cioso, com um só +?

O estulto voltou?

Catellius disse...

"o sacerdócio ATRAI pessoas com comportamento sexual doentio."

O sacerdócio hoje, para o qual se exige celibato, claro. Não há tantos escândalos sexuais entre pastores protestantes, por exemplo. Uma grande diferença entre essas duas castas de "homens de Deus" está no celibato. Fora a especial proteção que os ativos "eunucos" ganham de Roma...

Catellius disse...

Algumas pesquisas:

Some estimates of the percentage of current priests with a homosexual orientation:

Analysis of the estimates of others:
According to Amanda Ripley of Time Magazine, estimates range from 15% to 50%. 3
According to Bill Blakemore of ABC News, "...nobody knows what percentage of the American priesthood is gay; estimates range from less than 10% to more than 30%." 4

Personal estimates:
Richard Sipe, a psychotherapist and former priest, has studied celibacy, chastity, and sexuality in the priesthood for four decades. He has authored three books on the topic. He once estimated that 30% of the priesthood is homosexually oriented. 5 Elsewhere, he is quoted as estimating that between 25% and 45% of American priests are homosexual in orientation. 6 He told the Boston Globe: "If they were to eliminate all those who were homosexually oriented, the number would be so staggering that it would be like an atomic bomb; it would do the same damage to the church's operation...It would mean the resignation of at least a third of the bishops of the world. And it's very much against the tradition of the church; many saints had a gay orientation, and many popes had gay orientations. Discriminating against orientation is not going to solve the problem."

Sister Maryanne Walsh, spokesperson for the National Conference of Catholic Bishops, said that it would it be difficult to find evidence to support these Sipe's estimates of the percentage of gay men in the priesthood. She feels that it is also irrelevant. She said: "There's no real purpose in saying whether someone is homosexual or heterosexual. The issue is whether they can make a commitment [to chastity]." 6

Bishop Jerome Listecki is an auxiliary bishop in Chicago. He estimates that "perhaps more than 10%" of priests have a homosexual orientation." (Emphasis ours). 5

Father Donald Cozzens, an author, psychologist, and Catholic seminary president says that there is such a high percentage of gay priests in the church that he is concerned that 'the priesthood is or is becoming a gay profession.' 5 In his book, "The Changing Face of the Priesthood," -- published in the year 2000 -- he estimates that 50% of Roman Catholic priests have a homosexual orientation.

A NBC report on chastity and the clergy found that "anywhere from 23 percent to 58 percent" of the Catholic clergy have a homosexual orientation. 7

Author and sociologist James G. Wolfe estimated that 48.5% of priests were gay. 8

Actual surveys:
In the Fall of 1999, the Kansas City Star sent a questionnaire to 3,000 priests in the U.S. 73% did not reply. The low response rate could be anticipated. One would expect homosexuals and bisexuals to be reluctant to respond to the questionnaire since it deals with such a sensitive issue, and originated from a newspaper. Homosexual and bisexual priests would probably be less likely to reply to the survey. Among the 801 priests who did reply:
75% said they had a heterosexual orientation;
15% homosexual;
5% bisexual. 9

During 1990, Rev. Thomas Crangle, a Franciscan priest in Passaic, N.J., mailed a survey to 500 randomly selected priests. Of the 398 responses, about 45% said that they were gay. 10
Conclusion: If we assume that all of the estimates are of equal validity, then about 33% of priests have a homosexual orientation -- about one in three.

Catellius disse...

VIADOS!!!!!

Catellius disse...

Mais ou menos 30% dos padres são viados.

Já entre seminaristas...

With the church's current requirement of priestly chastity, seminaries are having difficulty recruiting heterosexuals to the priesthood.

Father Donald Cozzens wrote that several studies have concluded that about 50% of priests and seminarians are gay. 5
David France of Newsweek, referring to St. John's Seminary in Camarillo, CA, wrote: "Depending on whom you ask, gay and bisexual men make up anywhere from 30 percent to 70 percent of the student body at the college and graduate levels." 3
Rt. Rev. Helmut Hefner, rector of St. Johns Seminary "accepts that his gay enrollment may be as high as 50 percent." 3
Gay journalist Rex Wockner commented: "When I was in the Catholic seminary in my early 20s (St. Meinrad College, St. Meinrad, Ind., 1982-1983; University of St. Mary of the Lake, Mundelein, Ill., 1983-1984), at least 50 percent of the students were gay....At St. Mary of the Lake, the straight students felt like a minority and felt excluded from some aspects of campus life to such an extent that the administration staged a seminar at which we discussed the problem of the straight students feeling left out of things..." 6
Author and sociologist James G. Wolfe estimated that 55.1% of seminarians were gay. 7
Bishop Jerome Listecki is an auxiliary bishop of Chicago, rejects some estimates that as many as 50% of seminarians have a homosexual orientation. 3
It would seem that about 50% of present-day seminary students may have a homosexual orientation.

Catellius disse...

Pope John Paul II held a meeting with the American cardinals which dealt with the clerical sex scandals. Afterward, Bishop Wilton Gregory, head of the U.S. Conference of Catholic Bishops said: "One of the difficulties we do face in seminary life or recruitment is made possible when there does exist a homosexual atmosphere or dynamic that makes heterosexual men think twice [about entering.] It is an ongoing struggle to make sure the Catholic priesthood is not dominated by homosexual men."

Catellius disse...

"Just because one doesn't live out one's sexuality doesn't mean it's been turned off. No, I must see how I react sexually and learn to deal with it," Hamburg Auxiliary Bishop Hans-Jochen Jaschk explained on German Radio on Friday.

Kothgasser told his interviewer he sometimes wished he had a family, especially when he met "beautiful people," and called this a "very natural" human feeling.

CELIBACY ATTRACTS PEDOPHILES

Jashke said celibacy was not the reason for sexual abuse but added: "The celibate lifestyle can attract people who have an abnormal sexuality and cannot integrate sexuality into their lives. That's when a dangerous situation can arise."

Professor Klaus Beier, head of the Institute of Sexology and Sexual Medicine at Berlin's Charite Hospital, told the ZDF discussion round that pedophile tendencies developed at puberty and were not influenced by celibacy.

But he added: "Celibacy attracts pedophiles into the service of the Catholic Church."

Catellius disse...

Opa, é não é só esse bispo que acha que o celibato atrai pedófilos.

Depois colo mais, com calma, para satisfazer a ânsia do Clóvis por informação, hehehe.

André disse...

"Há reportagens que denunciam uma subcultura gay de Seminário."

Não me surpreende. Deve ser uma viadagem louca.

"Dos religiosos que abandonam o hábito, quase 95% é por causa do celibato, porque desejam casar, com MULHERES! Isto também está no livro supracitado."

O que tem de ratazana de sacristia que não resiste a um padre... mocinhas assanhadas. Algumas nem tão mocinhas assim. Algumas histórias são engraçadas, outras curiosas. Muitos desses casamentos até dão certo. E há os casinhos, entre mulheres e padres que não abandonam a igreja.

Já o tão falado Padre Fábio de Mello parece ser viado. Muito amigo do Gabriel Chalita, mais conhecido como Bichalita. E não é que a mulherada é doidinha por esse padre, meninos!

É, parece que o cabeça de mingau do Ocioso voltou.

"Opa, é não é só esse bispo que acha que o celibato atrai pedófilos."

Legal. Ainda vamos para o Inferno, mas muito bem documentados. Gostei desse quase verbete da Britannica sobre a viadagem por lá.

Um abraço!

Catellius disse...

Por exemplo, segundo dados divulgados em pesquisa patrocinada pelo governo irlandês, mais de 7% dos abusos contra menores DIVULGADOS na Irlanda foram perpetrados por padres (e outros religiosos, como há em mosteiros e internatos). Sem falar que não há na sociedade em geral um acobertamento como vemos na ICAR. Há mais casos ocultos no meio religioso do que aqui do lado de fora.

Qual a porcentagem de padres em relação à população, na Irlanda?

No Brasil a proporção é de 1 para cada 10000, na Itália é de 1 para 1000, a maior do mundo. Claro que nem todos os religiosos são padres, mas a maior parte dos abusos que vêm à tona ocorre entre padres, não entre freiras ou monges. De qualquer modo, 0,01% no Brasil e 0,1% na Itália - dois países de maioria católica - são porcentagens ridículas. Qual a porcentagem na Irlanda? Mais de 7%? He he he!

Toma!

Cansei, por ora.

A Semana Santa está aí. Não se esqueça de orar pelas vocações...

Janer disse...

Pretender que a Igreja não é a instituição que mais pedófilos une é negar o óbvio. E confesso não saber qual o interesse de alguém em negar o óbvio. Aqueles que vêm nas denúncias dos jornais uma campanha contra a Igreja esquecem que as denúncias são feitas também por católicos que se sentem mal no seio de uma Igreja que acoberta crimes.

Antes de pensar no celibato como causa das práticas pedófilas, cabe lembrar que a Igreja sempre foi misógina, de Paulo a Agostinho e até os dias atuais. Há nos pensadores católicos uma forte ojeriza à mulher, ser imperfeito para muitos deles. Daí à "opção preferencial" pelos efebos,o caminho é curto. Ou seja,o homossexualismo está latente nas origens da Santa Madre.

Nada contra os homossexuais. Cada um se diverte como melhor lhe apraz. Ao longo de minha vida profissional, não poucas vezes fiz a defesa do homossexualismo como opção de vida ou comportamento.

Acontece que padre fez voto de castidade.

André disse...

"Há mais casos ocultos no meio religioso do que aqui do lado de fora."

Sem dúvida

Não se esqueçam de orar pelas vocações e, se vcs foram bonzinhos até o momento, o toelhinho da Páscoa irá visitá-los.

Se vcs foram maus, a versão Monty Python dele é que virá:

http://www.youtube.com/watch?v=XcxKIJTb3Hg

"...esquecem que as denúncias são feitas também por católicos que se sentem mal no seio de uma Igreja que acoberta crimes."

"Há nos pensadores católicos uma forte ojeriza à mulher, ser imperfeito para muitos deles."

"Acontece que padre fez voto de castidade"

É isso aí. Muito bom. E bom feriado pra todos aqui.

Clóvis disse...

Catellius,
Obrigado pela tentativa de falar sobre o tema.
Não percebeu, porém, que tratamos de crimes. (ao menos, claro, que considere homossexualismo crime no sentido em que estamos discutindo)

Suas pendências com homossexuais (ou viados, já que assim prefere); espero que sejam resolvidas logo.

Pedi dados de pesquisas (que sustentaria a tese de percentual), e você apenas enrolou. Não que eu duvide que você os tenha, vou procurar tal livro e depois, claro, confrontar com minhas questões.
Os poucos que apresentou não levam a qualquer conclusão que não seja pontual. (“mais de 7% dos abusos contra menores DIVULGADOS na Irlanda foram perpetrados por padres” -> “também gostaria de saber se essa pesquisa dá base para generalizar os dados em relação aos padres no mundo todo e, caso positivo, quais os atributos que dão a essa pesquisa tal capacidade.” [3]). {obs.: muito interessante seu destaque a palavra “divulgados”. Ao contrário do que pensam alguns, ela dá margem a interpretação favorável e desfavorável.}.

Melhores lutas a você.

Vivi disse...

O país com mais padres em relação à população é a Itália, com 0,1%

Logo, a Irlanda tem menos de 0,1% da população composta por padres

7% dos crimes de pedofilia na Irlanda foram cometidos por padres

Logo, a porcentagem de criminosos pedófilos entre padres é maior do que entre a população em geral, na Irlanda. Deveria ser 0,1% dos crimes de pedofilia cometidos por padres, se estes fossem como o resto da população, normais! A change de um padre ser pedófilo, na Irlanda, é então mais ou menos 70 vezes maior do que a chance de um cidadão normal ser.

O Clóvis vai dizer que é só na Irlanda. É mais provável que não. E o Clóvis virá com um "Onde estão as pesquisas?"

Anônimo disse...

O pregador da Casa Pontifícia, Raniero Cantalamessa, leu esta sexta-feira em frente ao Papa uma carta onde são comparados os «ataques» contra a Igreja a propósito dos casos de pedofilia com os «aspectos mais vergonhosos do anti-semitismo», noticia a agência Lusa.
Segundo as agências internacionais de notícias, a carta, em sinal de «solidariedade» era de um «amigo judeu», que comparava o «ataque violento contra a Igreja e contra o Papa» à hostilidade contra os judeus.

«A utilização do estereotipo, a passagem da responsabilidade e do erro pessoal ao erro colectivo lembram-me os aspectos mais vergonhosos do anti-semitismo», dizia a mensagem lida por Raniero Cantalamessa, padre tido como um dos mais próximos do Papa Bento XVI, durante as celebrações da Paixão de Cristo, na Basílica de São Pedro, em Roma.

«É repulsivo»

A comunidade judaica já reagiu a este episódio, com o secretário-geral do Conselho dos Judeus da Alemanha a classificar as declarações de Cantalamessa como uma insolência.

«É repulsivo, obsceno e sobretudo ofensivo para todas as vítimas de abuso e também para todas as vítimas do Holocausto. Estou sem palavras. O Vaticano está agora a tentar transformar os autores [dos abusos] em vítimas», afirmou Stephan Kramer.

O porta-voz do Vaticano, o padre Frederico Lombardi, disse posteriormente que não se trata da posição oficial da Igreja.

Nas últimas semanas têm sido noticiados novos casos de pedofilia na Igreja católica europeia, nomeadamente na Alemanha, Áustria, Holanda e Suíça.

Disqus disse...

Como é que sabe que a maioria dos crimes sexuais contra menores é declarada? A esmagadora maioria não é. E, parece que nos dias de hoje, gente abusada há mais de vinte anos lembra-se agora de pedir indemnizações. A mim, quer-me parecer que se sentiriam mais inclinados a denunciar um padre do que um familiar (relembro que a maioria dos violadores são próximos das vítimas).

Anônimo disse...

Não vejo razão em deixar de pedir pesquisas, pois se são dados, vieram de uma pesquisa, e não da cabeça de alguém.
Qual o medo? mostra as pesquisas!

Anônimo disse...

Vejo que a vivi tem uma ótima leitura, ou o catellius escreve muito mal. O cara falou que a porcentagem de padres da Irlanda é de 7%, ela leu que “7% dos crimes de pedofilia na Irlanda foram cometidos por padres”.
E depois reclama que tem gente querendo pesquisas. hehehe
Viu o motivo? É para não cair em erros induzidos por ideologias como você alegremente fez.

Catellius disse...

Eu escrevi:

"mais de 7% dos abusos contra menores DIVULGADOS na Irlanda foram perpetrados por padres (e outros religiosos, como há em mosteiros e internatos)."

A porcentagem de padres na Irlanda não pode passar de 0,1%, uma vez que esta é a porcentagem da Itália, país com maior número de padres em relação à população.

Então, caro Anônimo, você é que não sabe ler.

Anônimo disse...

É pq vc escreve mal mesmo.
Mais abaixo começa a falar da relaçao da proporçao de padres e para cada cidadao e joga novamente a mesma porcentagem
"No Brasil a proporção é de 1 para cada 10000, na Itália é de 1 para 1000, a maior do mundo. Claro que nem todos os religiosos são padres, mas a maior parte dos abusos que vêm à tona ocorre entre padres, não entre freiras ou monges. De qualquer modo, 0,01% no Brasil e 0,1% na Itália - dois países de maioria católica - são porcentagens ridículas. Qual a porcentagem na Irlanda? Mais de 7%?hehehe"

Escrevendo mal assim fica difícil mesmo. Só sua turminha para entender.
E cadê a pesquisa?? hehehe

Anonymous disse...

'Maisde 7%?' Há um ponto de interrogação, anônimo burro.

Yuri S. C. disse...

Senhores, sei que esse assunto já está batido e que essa, digamos, notícia do post é ultrapassada.

Mas, veracidade das pesquisas à parte, vocês poderiam me explicar um pouco dessa matemática por aqui utilizada nos comentários.

O primeiro dado de pesquisa apresentado (mesmo a fonte sendo descartada) foi: mais de 7% de abusos na Irlanda foram praticados por padres (aqui vou generalizar como o catellius: a pesquisa incluía religiosos, e não apenas padres, mas deixemos esse pequeno detalhe de lado)

Depois é apresentada a proporção de padres no Brasil e na Itália, 0,01 e 0,1 respectivamente.
(discordo do fato das porcentagens serem "ridículas", afinal, são elas que sustentam o discurso)
Notemos que o catellius não deu a proporção na Irlanda, apenas perguntou qual seria essa proporção.

A vivi, com sabedoria, deduz que a Irlanda tem menos que 0,1% da população composta por padres. (uma vez que 0,1% é a maior proporção no mundo)
Ela continua o raciocínio: 7% dos crimes de pedofilia na Irlanda foram cometidos por padres (primeiro dado que foi apresentado por catellius)

Segue que ela faz uma inferência que os dados apresentados não permitem fazer: "porcentagem de criminosos pedófilos entre padres é maior do que entre a população em geral, na Irlanda"
Se a "população em geral" é qualquer um, a afirmação é bem falsa, pois sobram 93% da "população geral". (uma vez que 7% dos crimes de pedofilia foram cometidos por padres", tem que sobrar 93% de crimes cometidos por leigos)

Se tal pesquisa está divida entre ocupações (profissões etc), ela (vivi) igualmente não pode fazer tal inferência, pois os dados aqui apresentados não excluem que qualquer outra profissão tenha um percentual maior que o percentual entre padres.
Afirmar o que ela afirmou com base nesses dados, sob qualquer aspecto, é uma afirmação sem base lógica e matemática.

1 - Aqui segue um adendo importante sobre os erros de interpretação da vivi a propósito dessa pesquisa: afirmar que "7% dos crimes de pedofilia são cometidos por padres" é diferente que afirmar que há X% de padres pedófilos, pois uma pessoa pode cometer 7% de qualquer coisa sendo que várias pessoas podem ficar "a cargo" de preencher os 93%; dessa forma os dados aqui apresentados não refletem o percentual de padres pedófilos SEQUER na Irlanda.

Ela (vivi) segue com disparates cada vez piores: Deveria ser 0,1% dos crimes de pedofilia cometidos por padres, se estes fossem como o resto da população, normais!. Não há dado algum que diga que o resto da população possui 0,1% de incidência em pedofilia. Na realidade, deveria ser 93%.
Salvo engano meu, os dados 0,1% e 0,01% são relativos à proporção de padres na população em Itália e Brasil respectivamente.
Mas talvez ela esteja confundindo os números, mas não vou tentar fazer adivinhações sobre a razão do erro dela.
Ela foi à Marte na afirmação anterior. E (obviamente) não voltou antes de dar seqüência ao raciocínio: A change de um padre ser pedófilo, na Irlanda, é então mais ou menos 70 vezes maior do que a chance de um cidadão normal ser..
Como ela chegou a esse número?

Segue que a graciosa e feliz pergunta do catellius ”Qual a porcentagem (de padres na população) na Irlanda? Mais de 7%? He he he!” figura como mera provocação, pois obviamente é menor que 0,1%, e nenhum dos dados apresentados dão subsídios para afirmar que há X% de padres pedófilos na Irlanda. (como demonstrei em 1)

O Clóvis não disse nem deixou a entender "que é só na Irlanda". O que ele disse foi bem claro e concordo com ele: "(saber) se essa pesquisa dá base para generalizar os dados em relação aos padres no mundo todo e, caso positivo, quais os atributos que dão a essa pesquisa tal capacidade.”

Yuri S. C. disse...

Isso são questões básicas em qualquer tipo de pesquisa, principalmente no que diz respeito à sociedade. (e muito mais importante aqui, pois os dados foram apresentados para sustentar a tese de que a relação entre padre e pedofilia é bem estreita)

Bom feriado.

Anônimo disse...

Finalmente alguém com cérebro.

E as respostas serão as de sempre. "Ih, é da Opus Dei", "Parvo! Parvo no Úrtimo!!! Hehehe! Rsrsrs!", "Ora, o droit de cuissage explica tudo isso, mon cher, isso é vieux jeux..."

Catellius disse...

Cérebro de minhoca ou de gente? He he

“O primeiro dado de pesquisa apresentado (mesmo a fonte sendo descartada) foi: mais de 7% de abusos na Irlanda foram praticados por padres (aqui vou generalizar como o catellius: a pesquisa incluía religiosos, e não apenas padres, mas deixemos esse pequeno detalhe de lado)”

No Annuarium Statisticum Ecclesiae 2007, em inglês, usa-se o termo “priests” para diocesanos e religiosos: “priests, both diocesan and religious”. Lá está o número de religiosos no mundo. Vocês são fracos em pesquisa. Já que acham que a fonte foi descartada, vou entregar mastigado para vocês:

Annuarium Statisticum Ecclesiae 2007
Brasil tem a menor proporção de padres do mundo católico
THE SAVI REPORT - Sexual Abuse and
Violence in Ireland
-

Lemos, no relatório financiado pelo governo irlandês: “Combining religious ministers and religious teachers, they constituted the largest single category of authority figures as abusers of boys; 5.8 per cent of all boys sexually abused were abused by clergy or religious. A smaller proportion (1.4 per cent) of girls abused were abused by clergy or religious.”

Bom, 5,8 + 1,4 = 7,2% dos abusos sexuais contra menores na Irlanda foram cometidos por religiosos.
Detalhe: Chegou-se às porcentagens do relatório a partir de mais de três mil casos analisados.

Catellius disse...

“Segue que ela (Vivi) faz uma inferência que os dados apresentados não permitem fazer: "porcentagem de criminosos pedófilos entre padres é maior do que entre a população em geral, na Irlanda"
Se a "população em geral" é qualquer um, a afirmação é bem falsa, pois sobram 93% da "população geral". (uma vez que 7% dos crimes de pedofilia foram cometidos por padres", tem que sobrar 93% de crimes cometidos por leigos)”


Sim, mas se os leigos são 99,99% da população e cometem 93% dos crimes sexuais contra crianças, significa que cometem menos crimes desse tipo do que os não leigos. Simples!

“Se tal pesquisa está divida entre ocupações (profissões etc), ela (vivi) igualmente não pode fazer tal inferência, pois os dados aqui apresentados não excluem que qualquer outra profissão tenha um percentual maior que o percentual entre padres.”

Digamos que garis cometam 10% dos crimes sexuais. Mas se eles são 1% da população, a proporção de pedófilos entre garis é menor do que entre padres, se estes são 0,1% da população e cometem 7% dos crimes sexuais contra menores. Simples. Mas tomemos o relatório supracitado. Peguemos professores, que estão divididos entre professores leigos e religiosos.

Professor que é um religioso: 3,9% de todos os abusos contra meninos, 0% de todos abusos contra meninas
Professor que não é um religioso: 1,3% de todos abusos contra meninos, 1,1% de todos abusos contra meninas.

Irlanda. População: aprox. 6 milhões. Nº de professores: aprox. 60 mil = 1% da população.
Proporção de religiosos é na verdade de 0,075% (fonte: Ireland is running out of priests. Proporção de religiosos professores é obrigatoriamente muito menor do que a de religiosos em geral.
No entanto, professores religiosos abusam mais, em números absolutos, do que os professores não religiosos. Percentualmente, então, a chance de um professor religioso abusar de um menor é dezenas de vezes maior do que a de um professor não religioso.

Catellius disse...

1 - Aqui segue um adendo importante sobre os erros de interpretação da vivi a propósito dessa pesquisa: afirmar que "7% dos crimes de pedofilia são cometidos por padres" é diferente que afirmar que há X% de padres pedófilos, pois uma pessoa pode cometer 7% de qualquer coisa sendo que várias pessoas podem ficar "a cargo" de preencher os 93%; dessa forma os dados aqui apresentados não refletem o percentual de padres pedófilos SEQUER na Irlanda.”

Bela falácia! E poderia ser o contrário. Cada padre cometeu um crime apenas e entre a população como um todo um pedófilo apenas foi responsável por centenas de casos... Comentário patético.

“Ela (vivi) segue com disparates cada vez piores: Deveria ser 0,1% dos crimes de pedofilia cometidos por padres, se estes fossem como o resto da população, normais!. Não há dado algum que diga que o resto da população possui 0,1% de incidência em pedofilia. Na realidade, deveria ser 93%.

Nossa! Que ignorância! Se os padres são 0,1% da população e respondem por 0,1% dos casos de crimes sexuais contra menores, tudo estaria normal. Mas são 0,075% e respondem por 7%! A população leiga é 99,925% da Irlanda e responde por 93% dos crimes. Então comete menos crimes proporcionalmente, é claro!


“Ela foi à Marte na afirmação anterior. E (obviamente) não voltou antes de dar seqüência ao raciocínio: A change de um padre ser pedófilo, na Irlanda, é então mais ou menos 70 vezes maior do que a chance de um cidadão normal ser..
Como ela chegou a esse número?”


Acho que enquanto ela está em Marte, você não chegou ainda à lua, hehe. Ela é mais rápida que você. Faça as contas: quanto é 7 dividido por 0,1? 70! O normal seria responderem por 0,1% dos casos, se a proporção fosse igual à da população em geral. Mas a Vivi foi acanhada por desconhecer que a porcentagem de religiosos (diáconos, freiras, etc.) é de 0,075%, na Irlanda. Então a chance de um religioso abusar de um menor é 93 vezes maior do que a de um não religioso (7 / 0,075). Impressionante!

“O Clóvis não disse nem deixou a entender "que é só na Irlanda". O que ele disse foi bem claro e concordo com ele: "(saber) se essa pesquisa dá base para generalizar os dados em relação aos padres no mundo todo e, caso positivo, quais os atributos que dão a essa pesquisa tal capacidade.”

Quando apresentarmos a situação dramática nos EUA, na Inglaterra, na Alemanha, aí os tergiversadores dirão “mas isto reflete a situação no resto do mundo?”. Não há limite, hehe.

Vejamos os EUA, por exemplo: Leiam The Nature and Scope of the Problem of Sexual Abuse of Minors by Priests and Deacons - Relatório comissionado pela “Conference of Catholic Bishops” – confiável?

Lemos, por exemplo: “Surveys for 90% of the priests and deacons reported to have had allegations of child sexual abuse included the year of ordination. If the yearly ordination totals for diocesan priests accused are compared to the overall number of diocesan priests ordained in that year, the percentages of accused priests range from a maximum of almost 10% in 1970, decreasing to 8% in 1980 and to fewer than 4% in 1990.”

Impressionante!

Catellius disse...

E imaginemos como era antigamente, quando a Igreja não era obrigada a se reportar à justiça comum... Como era a situação nos internatos e orfanatos conduzidos pela Igreja? E nos seminários, onde os aspirantes entravam com 7, 8, 9 anos? E nas paróquias?

A Igreja Católica fede!

Catellius disse...

Algo importante:

Considerando uma média de nascimentos na Irlanda de aprox. 80 mil por ano, temos que na época da pesquisa havia aprox. 1,4 milhão de pessoas não aptas a cometer abusos contra menores por terem elas próprias menos de 18 anos (80 mil x 18), desconsiderando os que morreram antes da maioridade, para melhorar os números para os padrecos pedófilos. Considerando que toda população de padres é maior de idade, julgo que a comparação deveria ser feita em uma população de 4,8 milhões, não de 6,2 milhões. Assim sendo, volta a proporção de aprox. 0,1% de padres na sociedade irlandesa - na sociedade acima dos 18 anos, uma vez que o número de religiosos na Irlanda é de 4752 (em 2008). A chance de um padre abusar de uma criança na Irlanda é, então, aprox. 70 vezes maior do que a de um não padre, como bem escreveu a Vivi.

Há pequenas distorções pela disparidade entre datas. O número de religiosos é de 2008. A população da Irlanda é de 2009, o relatório SAVI é de 2002. Mas não há distorção suficiente para branquear os padres irlandeses. Eles deveriam ser 7% dos adultos de toda Irlanda, não 0,1%, ou a população adulta irlandesa deveria ser 70 vezes menor. Não há desculpa...

Catellius disse...

Ainda do "The Nature and Scope of the Problem of Sexual Abuse of Minors by Priests and Deacons - Conference of Catholic Bishops"(EUA):

• The total number of priests with allegations of abuse in our survey is 4,392. The percentage of all priests with allegations of sexual abuse is difficult to derive because there is no definitive number of priests who were active between the years of 1950 and 2002. We used two sets of numbers to estimate the total number of active priests and then calculated the percentage against whom allegations were made.

• We asked each diocese, eparchy and community for their total number of active priests in this time period. Adding up all their responses, there were 109,694 priests reported by dioceses, eparchies and religious communities to have served in their ecclesiastical ministry from 1950-2002. Using this number, 4.0% of all priests active between 1950 and 2002 had allegations of abuse.

• The Center for Applied Research in the Apostolate (CARA) reports a totalof 94,607 priests for the period 1960-2002. When we look at the time period covered by the CARA database, the number of priests with allegations of sexual abuse is 4,127. Thus, the percentage of priests [page 7 begins] accused for this time period is 4.3% if we rely on the CARA figures assessing the total number of priests.

• If we examine the differences between diocesan and religious priests, then our numbers result in a total of 4.3% of diocesan priests with allegations of abuse and 2.5% of religious priests with allegations of abuse. The CARA numbers yield a total of 5% of diocesan priests from 1960-1996 with allegations of abuse and 2.7% of religious priests from 1960-1996 with allegations of abuse.

• Our analyses revealed little variability in the rates of alleged abuse across regions of the Catholic Church in the U.S.—the range was from 3% to 6% of priests.



----///----


Aproximadamente 4% de todos padres americanos entre 1950 e 2002 eram/são pedófilos que cometeram, contra menores, abusos sexuais que vieram à tona. Se 4% de TODOS adultos americanos que viveram entre os anos de 1950 e 2002 fossem pedófilos pegos, qual seria esse número? Estratosférico.

Catellius disse...

Na verdade, o relatório é do "John Jay College of Criminal Justice" comissionado pela Conferência dos Bispos Católicos dos EUA

Fui

Janer disse...

Bento está mais sujo que senador de Brasília. Na Espanha, a Associação de Teólogos e Teólogas João XXIII pediu sua demissão, em manifesto no qual afirma que o papa não tem a idade nem a mentalidade para enfrentar os desafios colocados à Igreja. "Nos parece que o pontificado de Bento XVI está esgotado. Pedimos para que ele, com o devido respeito à pessoa do papa, apresente a demissão de seu cargo", diz a associação.

Bento irá demitir-se? Claro que não. Se nem senador brasileiro corrupto renuncia ao cargo, não se pode esperar que um vice-deus se demita. O que constitui sumo gáudio para os inimigos de sua igreja. Quanto mais Bento permanecer no leme da nau de Pedro, mais se desmoraliza a Santa Sé.

Catellius disse...

E o Clóvis e o Yuri querem que tudo esteja normal, hehehe. Não podem desqualificar o relatório, feito meticulosamente pela própria ICAR. Podem dizer que é tudo mentira das vítimas. No entanto, a Igreja "preferiu" quebrar financeiramente várias dioceses e gastar centenas de milhões de dólares em indenizações por crimes sem provas? Nos EUA??? E no relatório vemos a porcentagem de denúncias feitas na época do abuso, as feitas 30 anos depois, as feitas pela vítima, as feitas por familiares, etc. Aí os dois dirão: mas os padres americanos são pervertidos mesmo... Mundo afora são santos, hehehe.

Bom, por precaução, não deixem seus filhinhos sozinhos com esses predadores de batina, hehehe. Hoje eles não são tão inteligentes quanto antes, segundo a própria ICAR (querem a fonte?), mas a libido está a mil...

Anônimo disse...

""Faça as contas: quanto é 7 dividido por 0,1? 70!""

""Então a chance de um religioso abusar de um menor é 93 vezes maior do que a de um não religioso""

Peraí ô porquinho: é 70 vezes maior ou 93 vezes maior?
Decida-se.

Catellius disse...

7% / 0,075% (a real proporção de religiosos na irlanda, em relação à população) = 93

Antes, estava explicando o raciocínio da Vivi para asnos como você, por isso usei os números dela (7/0,1).

E depois resolvi computar apenas os adultos e não a população como um todo, uma vez que menores de idade não são pedófilos, e adotei a proporção de 0,1% (comentário de 24/04/2010 10:26:00), usando dados de dezoito anos de nascimentos vivos, desconsiderando que muitos morreram.

Mas parvos asnáticos como você não devem ter entendido absolutamente nada. Tenho pena de antas que, nos dias de hoje, acham que tudo é normalidade entre os padrecos da ICAR, que é tudo maldade da mídia. Recomendo que não deixem os próprios filhinhos aos cuidados desses predadores de batina...

Catellius disse...

É, Janer,

"Quanto mais Bento permanecer no leme da nau de Pedro, mais se desmoraliza a Santa Sé."

Cada um com o mestre que merece... Veja aí as patéticas ovelhinhas do pastor alemão a defendê-lo a qualquer custo, nesta caixa de comentários! Tudo está normal! Os padrecos são tão pedófilos quanto o resto da população... Ha ha ha!

Anônimo disse...

""Considerando uma média de nascimentos na Irlanda de aprox. 80 mil por ano, temos que na época da pesquisa havia aprox. 1,4 milhão de pessoas não aptas a cometer abusos contra menores por terem elas próprias menos de 18 anos (80 mil x 18), desconsiderando os que morreram antes da maioridade(...)A chance de um padre abusar de uma criança na Irlanda é, então, aprox. 70 vezes maior do que a de um não padre, como bem escreveu a Vivi.""(tudo isso no mesmo parágrafo!!cade os 90 vezes maior??)
""Mas a Vivi foi acanhada por desconhecer que a porcentagem de religiosos (diáconos, freiras, etc.) é de 0,075%, na Irlanda. Então a chance de um religioso abusar de um menor é 93 vezes maior do que a de um não religioso (7 / 0,075)."""

Engraçado parvo asnático, não há nada de 90 vezes maior no dia em sua homenagem(24).

se você não sabe o que escreve, sugiro que deixe de escrever. Se você não pensa antes de escrever, asno, também sugiro que deixe de escrever.
Catellius parvo asnático e números é uma combinação que não dá certo.

Catellius disse...

Nem xingar o papagaio aí sabe, hehe! Tem que adotar o xingamento dos outros, feitos especialmente para ele, hehe. Que asno no úrtimo!

Vejamos, o meu comentário de 23/04/2010 17:47:00:

"Acho que enquanto ela está em Marte, você não chegou ainda à lua, hehe. Ela é mais rápida que você. Faça as contas: quanto é 7 dividido por 0,1? 70! O normal seria responderem por 0,1% dos casos, se a proporção fosse igual à da população em geral. Mas a Vivi foi acanhada por desconhecer que a porcentagem de religiosos (diáconos, freiras, etc.) é de 0,075%, na Irlanda. Então a chance de um religioso abusar de um menor é 93 vezes maior do que a de um não religioso (7 / 0,075)."

As antas não questionaram em nenhum momento a inclusão de menores na população como um todo, na Irlanda, para fins de comparação com a população de padres, uma vez que só podemos comparar adultos com adultos, nesta questão em especial. Eu então, honestamente, antes de qualquer contestação – que não viria, por serem burros demais -, no comentário de 24/04/2010 10:26:00 retirei os menores e fiz nova proporção. Isto por minha conta, claro!

Mas imbecis que já perderam a discussão fazem simulacros de contestação porque sequer entendem o que julgam contestar, hehehe. São quadrúpedes que não merecem a alfafa que ingerem e que depois, processada, lhes recheia o crânio. Mas ainda esses não são tão burros a ponto de deixar o filhinho todo o dia a sós com um padre, hehe! Deixam sem pestanejar com uma babá, com a empregada, com um tio, uma tia. Mas mesmo esses aí, esses Clóvis, Yuris e anônimos, não deixariam seus filhinhos com os santos representantes divinos.

Bom, como a anta estagnou na questão do 70/90 (70 vezes é minha estimativa), imagino que tenha concordado com todo o resto, se é que entendeu alguma coisa.

Vivi disse...

Desiste, Catellius.

Clóvis, Iuri e sua turma começaram pedindo provas e depois fontes das pesquisas.

Deste links e bons argumentos.

Provaste o que afirmavas.

Chegou um ponto em que desistiram do assunto em pauta para tentarem alfinetar-te.

Desiste.

Anônimo disse...

para tentarem TE alfinetar.


O para atrai o te, burra. Quer falar na segunda pessoa e se estrepa

Anônimo disse...

Catellius asno.

Não escreve coisa com coisa. Fica mudando toda hora de opinião. Uma hora diz uma coisa, outra hora outra, se perde, se confunde, se lembra disso, daquilo, fica falando meio sozinho como um doido varrido.

Você que deve ter sido abusado quando pequeno, por isso deixou de ser católico.

Anônimo disse...

Fugiu, medroso?

Anônimo disse...

Já que o catellius e o Janer adoram falar de pedofilia clerical, vou copiar e colar (recurso muito querido pelo catellius) um texto muito mais interessante que todas essas porcarias ideológicas regurgitadas por eles:
" Sade de batina?
PEDOFILIA ESTÁ na moda. Os "odiadores" da Igreja Católica estão em êxtase. Sempre digo que o único preconceito considerado "científico" nos jantares inteligentes é o preconceito contra a Igreja Católica.

Em jantares assim, você conta como seu pastor alemão é gostoso, como você despreza o conservadorismo dos heterossexuais, como sua alimentação é balanceada e…, é claro, como despreza a Igreja Católica, que, segundo você, é responsável pelo mercado negro de escravos sexuais (não de "escravas", é claro!), de armas e de órgãos. Reconhece-se um "odiador" da igreja pela baba que escorre pelo canto da boca cada vez que tem a chance de cuspir nela.

Nem adianta me acusar de católico reacionário porque nem católico sou. Lamento desmantelar a visão de mundo dos superficiais. Sou defensor de Bento 16? Sim, porque ele é um grande intelectual que faz diagnósticos corajosos sobre alguns males modernos. E também por outro motivo (este é segredo!): porque todo mundo parece concordar que ele não é legal.

O historiador judeu Johan Huizinga, no seu excelente "The Waning of the Middles Ages" (outono da Idade Média), narra de forma impressionante os processos de condenação e execução de hereges no final da Idade Média. Tais eventos eram um "programa de domingo" para o povo, como sempre, ansioso por manifestar seu ódio por alguém que não pode se defender. Levavam suas crianças e juntos faziam piquenique e cuspiam nos hereges.

É claro que muita gente acha chique ter sido queimada na Idade Média. Aliás, o número de gente que faz "regressão de vidas passadas" e descobre que foi queimada na Idade Média faz da Inquisição a instituição mais produtiva da história.

Segundo Huizinga, o povo cuspia nos hereges, xingava os hereges, jogava tomate neles e tinha absoluta certeza de que eles faziam sexo com o demônio e com as criancinhas.
Mas o que essa gente chique-cabeça não sabe é que o herege era uma figura mais próxima da imagem que temos hoje desses padres tarados do que figuras por quem sentiríamos alguma misericórdia.

Vejam: quando se trata de ódio de massa, pouco importa quem é inocente ou não, contanto que possamos cuspir na cara do acusado. Num caso como esse, basta a suspeita e o acusado já é culpado.

Quando leio as manifestações iradas dessa gente em êxtase porque existem padres que gostam de transar com meninos, sempre imagino como essa gente gostaria de poder gritar em praça pública: "Joga pedra na Geni!". Sempre suspeito que o que move a "indignação pública" é mais a chance de odiar (no caso, os padres tarados) do que de amar (no caso, a justiça) porque ninguém ama tão rápido assim, mas odeia na velocidade da luz. Acho inclusive que, no fundo, rezam (ironia…) para que o número de vítimas dos padres tarados aumente a cada dia. Dessa forma seu preconceito "científico" contra a Igreja Católica estará supostamente comprovado.
Sem dúvida é hora de a Igreja Católica cuidar disso. E ela o fará, porque se trata de uma grande instituição com uma história enorme de prestação de serviço à humanidade, apesar de seus erros evidentes -afinal, é humana como todos nós. Sabemos que, hoje em dia, muita gente entra na igreja sem uma seleção cuidadosa, inclusive porque ser padre ou freira hoje não é "um bom negócio" como já foi no passado.

O problema de como lidar com a pedofilia na Igreja Católica é mais um exemplo na longa lista de dificuldades que a igreja (uma instituição antiga e medieval) tem com o Estado laico moderno. O regime moral de penitência e busca de arrependimento que organiza a relação entre crime e castigo na Igreja Católica é nulo para a justiça do Estado moderno, que é cego à lógica do arrependimento.

Anônimo disse...

"Por isso, a necessidade de que esses padres sejam trazidos ao tribunal do Estado, como criminosos. Claro que a possibilidade de ganhar grana pode ajudar no acúmulo das denúncias. Tudo tem seu preço, ao contrário do que os hipócritas gostam de afirmar nos púlpitos. Mas, confesso, fico com uma curiosidade. O que diriam os apaixonados leitores de Sade ou Foucault sobre esses pedófilos (padres ou não, apesar de ser mais "gostoso" xingar os padres)? Seria a pedofilia uma forma de transgressão legítima contra as normas de opressão social sobre os corpos? Humm… Por que se calam nessa hora? Por que Sade e Foucault não poderiam fazer sexo revolucionário de batina?"
Luiz Felipe Pondé

Janer disse...

Besteira do Pondé. Fala do que não conhece. Foucault nunca estuprou ninguém. Que se saiba, teve um caso com um adolescente na Suécia, mas nada além disso.

Sade muito menos. Sua obra pode ter horrores em matéria de sexo. Mas em sua vida houve no máximo o espancamento de uma mulher.

Catellius disse...

Esse texto ridículo do Pondé pode ser usado por petistas, por exemplo. Basta trocar alguns nomes. É o vitimismo ridículo dos réus! “Você fica feliz cada vez que um petista é pego com dinheiro na cueca”, soa para mim! Como o cara que matou o pai e a mãe a machadadas e disse, no tribunal: “tenham pena de um pobre órfão!” Você que se fez órfão, imbecil! Você que se colocou aí sozinha, ICAR!

Esse Pondé é um idiota que tentou justificar a acobertação, por parte da Igreja, dos crimes sexuais de seus membros (sem duplo sentido) afirmando que ela é uma família e tenta resolver seus assuntos internamente, sem causar escândalos, como qualquer um que tem um filho, um irmão, um tio com problemas. Hum... Vale até transferir um familiar predador sexual de uma cidadezinha já violada para outra virgem, onde o lobo ainda possa posar de cordeiro...

Bom, o(s) anônimo(s) concordaram com tudo discutido neste post. Agora dizem, pela boca desse parvo com credenciais, o Pondé: “os padres podem até ser pedófilos, mas vocês gostam que eles sejam porque assim podem falar mal da Igreja”.

Se alguém vê vícios endêmicos na Igreja e não crê em sua santidade, e depois alguns vícios abafados por quadrilhas de batina escandalizam a sociedade, parvos como o Pondé julgam que primeiro não se creu na Igreja, depois se passou à busca por vícios que justificassem a descrença (não estou nem falando na crença em deuses).

Então agora os padres - e os prosélitos por extensão – são vítimas! Dos ateus ou irreligiosos, claro! Os 65% de católicos brasileiros estão contra a parede, acuados por alguma fração “atuante” do 1% de ateus daqui, hehe, ou dos 7% sem religião. Eles que têm redes de televisão, bancadas no congresso, feriados, propriedades, influência, poder (não o mesmo de outrora, ainda bem), sentem-se fracos nesta situação de poderosos, têm orgasmos múltiplos quando julgam poder se colocar como vítimas, mártires, como os de épocas remotas, quando julgam encontrar um “diabo” pronto, atuante, forte, difamador. Aí têm esperança de que ele os una como no passado, hehe. O diabo é a crítica, a sociedade secular! Têm saudade da época em que tudo era oculto, que não havia escândalos, da época em que eram imunes à crítica.

Catellius disse...

“Em jantares assim (inteligentes), você conta como seu pastor alemão é gostoso...”

Onde estão as provas? Fontes? He he he!

“...como você despreza o conservadorismo dos heterossexuais...”

Onde estão as provas? Fontes? Aliás, olha só o tipo de jantar que esse aí frequenta! Diz-me com quem andas... E a figura do Pondé? Óculos de designer, cavanhaquezinho , toda pinta... E ainda escreve como um! E defende seus pares (vejam as estatísticas. Grande parte dos padres é). Um careca de cavanhaquezinho e óculos de estilista... Como disse Diógenes, meus cumprimentos para os fios de cabelos que desertaram daquela cabeça perversa, hehe!

“...como sua alimentação é balanceada e…”

Onde estão as provas? Fontes?

“...é claro, como despreza a Igreja Católica...”

Onde estão as provas? Fontes?

“Reconhece-se um "odiador" da igreja pela baba que escorre pelo canto da boca cada vez que tem a chance de cuspir nela.”

Bom, quando ele coloca “odiador” entre aspas, imagino que não seja odiador de fato. Quando se cospe, a baba escorre pelo centro da boca, ho ho! Cuisp! Viu?

“Nem adianta me acusar de católico reacionário porque nem católico sou.”

He he he! Para ter legitimidade em defender os católicos ele não pode ser católico, hehe.

Catellius disse...

“Sou defensor de Bento 16? Sim, porque ele é um grande intelectual que faz diagnósticos corajosos sobre alguns males modernos. E também por outro motivo (este é segredo!): porque todo mundo parece concordar que ele não é legal.”

Todo mundo? Os 35% de brasileiros não católicos? Engraçado, quando ele veio ao Brasil, todos babaram ovo para ele! Criticaram-no por reabilitar um bispo que nega o holocausto, por ter protegido pedófilos, etc. E outra: se muitas vezes a massa é burra, não significa que tudo nela seja burrice. A verdade não deixa de ser verdade se for dita pela boca de um burro e mentiroso contumaz. Ele defender B16 porque todos parecem concordar que ele não é legal é de uma estupidez sem precedentes. Ele é idiota e ainda assume!

“Segundo Huizinga, o povo cuspia nos hereges, xingava os hereges, jogava tomate neles e tinha absoluta certeza de que eles faziam sexo com o demônio e com as criancinhas.
Mas o que essa gente chique-cabeça não sabe é que o herege era uma figura mais próxima da imagem que temos hoje desses padres tarados do que figuras por quem sentiríamos alguma misericórdia.”


Calma aí! Quem queimava hereges após julgamentos fajutos e acusações sem provas (a tortura foi permitida pela Igreja, para se obter confissões)? Membros da ICAR? Ah...
E quem anda comendo criancinhas por aí? Membros da ICAR? Ah...
Então, se hoje ficamos indignados e exigimos justiça, com um processo, advogados de acusação e de defesa, juízes, penas proporcionais aos crimes, estamos, na verdade, agindo como a santa ICAR do passado, mandando hereges para a fogueira, hehe. Ele fez uma tosca analogia. E mesmo assim, uma analogia nunca foi prova de nada. Ridículo!

Vamos substituir algumas palavras do parágrafo do Pondé, hehe:

“Quando leio as manifestações iradas dessa gente em êxtase porque existem petistas (padres) que gostam de roubar do erário (transar com meninos), sempre imagino como essa gente gostaria de poder gritar em praça pública: "Joga pedra na Geni!". Sempre suspeito que o que move a "indignação pública" é mais a chance de odiar [(no caso, os petistas ladrões (padres tarados)] do que de amar (no caso, a justiça) porque ninguém ama tão rápido assim, mas odeia na velocidade da luz. Acho inclusive que, no fundo, rezam (ironia…) para que o número de vítimas dos petistas ladrões (padres tarados) aumente a cada dia. Dessa forma seu preconceito "científico" contra o PT (a Igreja Católica) estará supostamente comprovado.”

Exatamente o discursinho dos petistas safados, hehehe! Idêntico! O Lula falava em “ódio”, etc. O Lula, como o Bentão, nada sabia, hehe.

Catellius disse...

“Sem dúvida é hora de a Igreja Católica cuidar disso. E ela o fará, porque se trata de uma grande instituição com uma história enorme de prestação de serviço à humanidade...”

Intermediadora da caridade alheia. E muitas vezes a “prestação de serviço” vem com proselitismo, demonização de preservativos, etc. Os africanos que o digam...

“...apesar de seus erros evidentes -afinal, é humana como todos nós.”

A política de Ahmadinejad também é humana... Mas o Irã é um país antigo, é a antiga Pérsia! Ó! A igreja é humana quando erra, santa quando acerta, hehe. Assim é o PT, para os petistas! O PT é santo, mas é uma instituição formada por homens. Delúbio pecou, mas os verdadeiros culpados são os acusadores, que torceram para ele pecar... O socialismo é perfeito, dizem os socialistas. Stalin errou, Lênin errou, como a Igreja errou na Inquisição e em qualquer outra época em que foi extremamente poderosa...

“O que diriam os apaixonados leitores de Sade ou Foucault sobre esses pedófilos (padres ou não, apesar de ser mais "gostoso" xingar os padres)?”

Outra falácia absurda! Wagner pode ter sido um boçal e sua ópera ser ótima! Garcia Márquez pode escrever bem e ser um castrista patético. Não sei se Sade e Foucault eram ou não pedófilos. Arthur Clarke era pedófilo e escreveu bons livros de ficção científica. A ICAR pode ser e ter sido o que quiser, mas as músicas eclesiásticas não são feias por isso, tampouco a Catedral de Notre Dame é feia por causa disso, tampouco as verdades que ela disser passarão a ser mentiras. Contudo, é natural que a imoralidade choque mais nos vendedores de moralidade. Será obviamente mais chocante pegar no flagra o Dourado do BBB com outro homem do que um intelectual com óculos de estilista, cavanhaquezinho e careca, hehe.

Esse Pondé pode ter credenciais. Pelos ornejos, é um asno com credenciais!

Marcos Vinícius Ferrari disse...

Chega de humilhação Catellius. Vc está inspirado, rsrs.

O Pondé pode nem ser católico. Mas o Papa é seu patrão. Ele é professor do Departamento de Teologia da PUC-SP.

' Óculos de designer, cavanhaquezinho , toda pinta...'

Eu tb, se visse aquela figura numa parada gay não estranharia nem um pouco.

Marcos Vinícius Ferrari disse...

Pondé disse q gostaria de se inserir na tradição jornalística "que vai do crítico Otto Maria Carpeaux e de Nelson Rodrigues a Paulo Francis". "Gostaria de fazer na coluna uma quebra da unanimidade em relação às grandes crenças, preconceitos e manipulações que dominam o mundo intelectual. E fazer uma ponte entre o mundo acadêmico e o jornalismo", afirma. "Essa é uma espécie de plano de vôo."

Por isso quer ser "do contra". Se todos se chocam com pedófilos, ele defende eles. Daqui a pouco vai defender Osama tb! Quer ser um Paulo Francis, rsrs. Tá longe...

Catellius disse...

É verdade, Marcos!

Não sabia que o sujeito era funcionário do Papa...

Há vários outros "Paulo Francis" em cidadezinhas como Arapiraca, hehe.

Como bem notou um certo Eduardo Dias, em uma versão da nossa expressão "rouba mas faz", temos agora o "é pedófilo mas ‘fez um bom trabalho na Igreja’"!

Correio da Manhã, 26 de Abril 2010

População apoia padre pedófilo

Numa reacção que surpreende quem acompanha o caso, o padre Luiz Marques Barbosa, de 83 anos, detido há uma semana sob a acusação de pedofilia, está a receber forte apoio da comunidade católica de Arapiraca, cidade do estado brasileiro de Alagoas onde foi pároco durante vinte anos e onde os supostos abusos terão ocorrido. A casa onde devido à idade foi autorizado pela Justiça a cumprir prisão domiciliária é cenário diário de uma verdadeira romaria de fiéis que querem confortar o sacerdote.

Desde o amanhecer, dezenas de pessoas, homens, mulheres e crianças, vão até à habitação, cercada por muros altos e por uma rede electrificada, para expressar solidariedade ao sacerdote. Rezam com ele e confortam-no. De acordo com testemunhos, o padre Luiz Barbosa está abatido mas recebe todos e não foge do delicado assunto que o colocou naquela constrangedora situação, assumindo que mantinha uma relação homossexual com o rapaz, ex-acólito, que o denunciou. Mas nega ter abusado de menores.
“Ele está a ser confortado pelos fiéis porque fez um bom trabalho na Igreja”, afirmou a um repórter o comerciante Robson de Paula, ao sair da casa do sacerdote, onde levou até a esposa e a filha, mostrando que o respeito e a quase devoção a Luiz Marques não acabaram.
Uma outra senhora, que não se quis identificar, afirmou que “não compete a nós julgar os pecados dele, quem tem d julgá-lo e, se for o caso, puni-lo, é Deus.”

---///---

O Pondé parece fazer o mesmo: São pedófilos, a instituição (na figura de seus membros) os protege, mas ela presta muitos serviços à sociedade...

Catellius disse...

O Pondé é igual à massa burra, pensa como ela!

André disse...

Excelente esse artigo do Pondé. Uma das poucas coisas inteligentes que apareceu até agora sobre o assunto. Mas isso não é nenhuma novidade, ele sempre esteve muito acima da média. Nesse tipo de discussão, onde a baixaria e o infantilismo são previsíveis — aliás, todas as supostas “opiniões” são — demora até sair algo legível, demora muito, mas cedo ou tarde aparece. E que falta faz um Francis nessas horas — não pelos motivos que alguns aqui teriam pra pensar “ah, se ele estivesse vivo desceria o pau na Igreja!” Não, nada disso. O buraco é bem mais embaixo, meus caros. E aqui eu me retiro. Boa sorte pra vcs, seja lá o que estejam fazendo. Over and out.

Anônimo disse...

E não é que catellius está ficando inteligente?
“Onde estão as provas? Fontes?”
Parabéns inútil, está aprendendo!

Anônimo disse...

"Onde estão as provas? Fontes? Aliás, olha só o tipo de jantar que esse aí frequenta!"
Ora, se o Pondé frequenta esse tipo de jantar, para ter as provas pergunte para ele, sr. otário.

"E a figura do Pondé? Óculos de designer, cavanhaquezinho , toda pinta... E ainda escreve como um! E defende seus pares (vejam as estatísticas. Grande parte dos padres é). Um careca de cavanhaquezinho e óculos de estilista..."
Claro, o catellius tem necessidade por encontrar esse tipo de gente ao seu redor. Ideia fixa nesse tipo de gente ('que a grande maioria dos padres é")

"Para ter legitimidade em defender os católicos ele não pode ser católico"
Segundo o catellius, não pode.

"Todo mundo? Os 35% de brasileiros não católicos? Engraçado, quando ele veio ao Brasil, todos babaram ovo para ele! Criticaram-no por reabilitar um bispo que nega o holocausto, por ter protegido pedófilos,"
Catellius nao consegue escrever coisa com coisa. Primeiro "babaram o ovo", depois "criticam".
"se muitas vezes a massa é burra, não significa que tudo nela seja burrice"
Cadê as provas?
"A verdade não deixa de ser verdade se for dita pela boca de um burro e mentiroso contumaz."
É por isso que vez ou outra o catellius fala verdade.
"Ele defender B16 porque todos parecem concordar que ele não é legal é de uma estupidez sem precedentes."
Sim, entendi. Todos podem ter gostos pessoais, mas jamais expressá-los. Devia o o Pondè ter deixado em segredo mesmo. "(este é segredo!)"

Catellius é um idiota sem precedentes! E nem assume!

"Calma aí! Quem queimava hereges após (...)..E quem anda comendo criancinhas por aí? Membros da ICAR?"
Coitado do catellius. Interpretação ZERO!
Ele nao está falando dos padres, mas da massa burra, que você faz parte.
sim, ele também não está eximindo clero de culpa. Mas a interpretação do burro catelius é 0=ZERO

"Então, se hoje ficamos indignados e exigimos justiça"
Exatamente otário. A massa também ficava indignada antes. Otário. BURRO. Interpretação ZERO!

"E mesmo assim, uma analogia nunca foi prova de nada."
Que diga o catellius, que queria a todos custo dizer que a quantidades de padres pedófilos pelo mundo é sempre semelhante a irlandesa.

Vamos substituir algumas palavras do parágrafo do Catellius, hehe:
Exatamente o discursinho dos ateus safados, hehehe! Idêntico! O Catellius falava em "celibato atraí a pedofilia”, etc. O Catellius, como o Lula, nada sabia (foi ignorante), hehe.

"E muitas vezes a “prestação de serviço”"
Aspas em prestação de serviços? Está com medo de afirmar categoricamente algo, parvo inútil?

"demonização de preservativos"
HAHAHA. é um burro mesmo.

"Os africanos que o digam..."
Que burro, dá zero pra ele! HAHAHAHA

"A igreja é humana quando erra, santa quando acerta, hehe"
Foi isso que disse Pondé, otário?

"errou na Inquisição e em qualquer outra época em que foi extremamente poderosa..."
Concluímos então que o poder pode levar ao erro. Interessante suas palavras;

"Contudo, é natural que a imoralidade choque mais nos vendedores de moralidade."
Claro. E isso justifica a massa burra gritanto.

Esse catellius nem credenciais possui. Pelos ornejos, é um asno sem credenciais! (e com retardo de sobra)

Anonymous disse...

O anônimo tem múltiplas personalidades...

Anônimo disse...

ou, simplesmente, são diferentes pessoas...

Holy Father disse...

A meu ver, essas constatações deveriam levar as lideranças do clero à busca de um diagnóstico do problema em profundidade, com o fim de resolvê-lo. O que vejo nos noticiários e declarações das autoridades religiosas a esse respeito é uma série de atitudes politiqueiras altamente suspeitas de má fé, como a vitimização, porque "a igreja está sofrendo ataques", a divulgação das demonstrações de apoio e de solidariedade para com o clero etc., junto a um absoluto mutismo quanto à preocupação com as vítimas dos abusos. Nenhum "mea culpa" tem qualquer utilidade se não servir para identificar o problema, saná-lo e prevenir novas ocorrências. Ainda vejo muito pouco disto sendo feito, se é que algo está sendo feito. No caso de estar sendo tomada alguma providência saneadora e preventiva, ela não pode permanecer secreta, mas tem que ser divulgada, porque a sociedade tem direito a uma prestação de contas. Mesmo quem está dentro da hierarquia e for inocente não tem o direito de se fazer de vítima, mas o dever de contribuir para a solução do problema. Para mim, a mais grave das distorções é esta lentidão em tomar providências, indicando uma postura frouxa diante de algo de tanta gravidade.

Anônimo disse...

"absoluto mutismo quanto à preocupação com as vítimas dos abusos"
Holy shit!!
Não é mutismo.
É cegueira. Abra seus olhos.

"No caso de estar sendo tomada alguma providência saneadora e preventiva, ela não pode permanecer secreta, mas tem que ser divulgada, porque a sociedade tem direito a uma prestação de contas."
Holy shit!!
Cadê os jornais na divulgação disso?

"Mesmo quem está dentro da hierarquia e for inocente não tem o direito de se fazer de vítima, mas o dever de contribuir para a solução do problema."
Holy shit!! É mesmo???

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...