23 junho 2009

Minhas preces foram atendidas

De passagem por este blog depois de mais de um ano...

Meu querido primo escreveu:

"Há pouco tempo resolvemos eu e a Alessandra passear em São Marcos. Paramos naquela conhecida gruta à margem da BR, para eu matar as saudades e bater fotos. Ela me sugeriu um pedido para Nossa Senhora das Graças, o que acabei fazendo ainda que um tanto cético; pedi pela minha saúde, que vinha bastante mal.

Só Deus sabe o quanto estava debilitado, com arritmias freqüentes, cansaço e estresse extremos, tonturas, palpitações etc., tendo que me abster de prazeres como vinho, bebidas com cafeína e até de passeios, porque uma caminhada de 50 metros já me exauria as forças.

Qual não foi minha surpresa quando em praticamente dois dias melhorei 90%! Hoje caminho em ritmo bastante forte, durmo bem, degusto vinho à vontade, café, mangio o que quiser, e o melhor de tudo, as arritmias escassearam significativamente, a ponto de quase desaparecerem. Soa até como papo de bispo da Igreja Universal, mas tenho testemunhas do antes e depois. O fato é que fiquei positivamente surpreso com o que aconteceu, e pretendo somar uma plaquinha de agradecimento àquelas muitas que enfeitam a gruta.

Fica o relato. Caso alguém ache que estou mentindo, que o efeito foi psicológico ou coisas do gênero, fique à vontade. Isso não mudará a verdade.
Abraços."


E eu respondi:

Bom, Cristiano, como o Estevão, estou feliz por você estar melhor! E para a próxima, e sou eu que lhe peço, vá lá e reze/peça pela paz no oriente médio. Ou pela cura da AIDS. Ou que um dedinho amputado de qualquer pessoa cresça... Bom, aí é difícil, porque sabemos que o seu deus não cura amputados, nem que todas as pessoas do mundo peçam com fé ao mesmo tempo... É como rezar para achar uma vaga no Setor Comercial Sul na hora do rush... Deuses costumam atender mais se rezarmos para achar uma vaga no Nilson Nelson durante a semana... Para que gastar a fé se ela faz tão bem, independentemente de seu objeto ser verdadeiro, como disse o Fábio?

Acredita que melhorou pelo fato de ter pedido pela sua saúde à Senhora das Graças, tudo bem. Partindo desse pressuposto, você deve as melhoras à Santa porque ela o ajudou. E se não tivesse melhorado, seria por recusa da Santa em o ajudar? Aí não, claro! Aí seria porque o deus sabe o que é melhor para nós, para nossa alma, etc. Ele se dá bem quando atende a preces e quando não atende. Ora, então as pessoas pias e que pedem com fé deviam colocar plaquinhas de agradecimento na gruta da Santa por não terem sido curadas, afinal o deus sabe o que é melhor para elas e para a humanidade...

Bom, 90% não é impressionante, Os cirurgiões psíquicos da Malásia garantem 100% :)...

E apenas a fé pode levá-lo a crer que merece ser "curado" de algum mal enquanto milhões de outras pessoas que têm a mesma crença estão na fila de espera há anos por um milagrezinho. Você deve ser muito especial para o seu deus...

Mas considero isso normal. Quando estamos impotentes perante algumas coisas, gostamos de ter um ser onipotente à disposição que é "comandado" por nós para que faça o que desejamos, e a prece (a prece que pede por algo, não a que agradece, que por vezes é fruto apenas de felicidade transbordante e às vezes é medo de ser mal-agradecido e perder o que foi conquistado por ser muito especial aos olhos de deus) é uma espécie de joystick com que julgamos controlar esse ser onipotente... E aí nos sentimos potentes... Pobre ser humano!

"Neptuno has ago gratias meo patrono, qui salsis locis incolit piscolentis, quom me ex suis locis pulchre ornatum expedivit, reducem et tempulis, plurima praeda onustum salute horiae"

(Graças sejam dadas a Netuno, meu patrono, que está na morada salgada dos peixes (não sei traduzir bem), pela rapidez com que me levou para casa e sei lá mais o quê...

Existem milhares de preces comoventes feitas em agradecimento a outros deuses, por graças alcançadas. Esses deuses não existem e isto é consenso, porque hoje não há crentes que reclamem sua existência.

Vamos às estatísticas:

Digamos que 0,15% da população mundial contraia uma doença nova da qual a chance de o contagiado se curar seja de uma em cem - 1%. Quem ouve de um médico "sua chance de sair vivo desta é de 1%" considera-se praticamente morto, não?

Bom, a população mundial é de 6,6 bilhões. Teremos quase 10 milhões de desgraçados no mundo que contrairam a doença. Quase todos terão algum deus e rezarão para ele, embora se considerem praticamente mortos. No fim das contas, teremos 100 mil pessoas salvas "miraculosamente" mundo afora a dar testemunho diário do quanto seu deus é poderoso, afinal estavam "praticamente mortas". As outras milhões estarão mortas e não terão chance de dar testemunho diário de coisa alguma. Estatística é isso aí! Se a possibilidade de ganhar em determinado jogo é de uma em um milhão e cinco milhões jogarem, provavelmente teremos cinco ou seis ganhadores, dez, quem sabe. E todos eles se considerarão agraciados pelos deuses, afinal rezaram antes de jogar... Assim como os outros que não ganharam...

4 comentários:

zefirosblog disse...

Que mais não fosse, um deus que responde orações implica num deus que viola o livre-arbítrio, portanto, num deus diretamente responsável por todas as desgraças humanas, uma vez que as poderia evitar.

Espero que esse post signifique o retorno do Pugnacitas, Cattelius.

Anselmo Heidrich disse...

Muito bom, Catellius.

Catellius disse...

Valeu, Raphael e Anselmo!
Vejamos se, aos poucos, acho tempo para escrever alguma coisa, ainda que pouca... E se acho tempo para frequentar blogs excelentes como os de vocês!
Abraços

André disse...

Ah, o site voltou? Que bom.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...