30 janeiro 2008

Arcebispo quer sharia

Diz o artigo 2º da Constituição da República Islâmica do Irã:

1. Há um só Deus que por direito é soberano e legislador, e o homem deve submeter-se a seu mando.
2. A revelação divina tem um papel a desempenhar na promulgação das leis.
3. A ressurreição desempenha um papel essencial no processo de desenvolvimento do homem em relação a Deus.
4. A justiça de Deus é inerente à sua criação e sua lei.
5. O imamato proverá a liderança e desempenhará um papel fundamental no progresso da revolução islâmica.
6. O homem é dotado de nobreza e elevada dignidade; sua liberdade acarreta responsabilidade perante Deus.
Leio nos jornais que o arcebispo de Recife e Olinda, dom José Cardoso Sobrinho, anunciou ontem que a Igreja vai entrar com uma ação para tentar evitar que a Prefeitura de Recife distribua a pílula do dia seguinte na cidade durante o Carnaval deste ano.”.

Para Dom José – continua a notícia - nem mesmo a violência sexual justifica o uso da pílula do dia seguinte. "A mulher que sofreu abuso sexual e engravidou é vítima de uma grande injustiça, mas não pode abortar. A Igreja condena o abuso sexual, mas não pode um crime justificar outro crime. É imoral. A Igreja não aceita isso. Nenhum ser humano tem o direito de suprimir a vida de um inocente. É pecado grave", disse o arcebispo, para quem o medicamento tem efeitos abortivos.

Bom, se é pecado, isto é problema dos crentes. Pecado só existe para quem crê em pecado. Mas o melhor vem agora. Segundo o purpurado, os padres das cem paróquias ligadas à arquidiocese em 19 municípios estão sendo orientados a defender essa posição em seus sermões. "Não temos força para impor alguma coisa ao governo. A gente pode pregar, tentar persuadir, dizer as nossas convicções e, sobretudo, que trata-se de uma lei de Deus".

Não estou vendo muita diferença entre a postura de Dom José e a do aiatolá Khomeini, que em 1979 impôs ao Irã uma constituição baseada na sharia, segundo a concepção dos xiitas imamitas. Ora, que tem a lei de Deus a ver com um Estado laico? Pretenderá Sua Eminência impor ao Brasil a sharia? Instaurar no país uma república teocrática? Essa história de Deus é para quem nele crê.

Quando reclamo desta mania dos católicos de pretender legislar para o universo todo, não falta quem me chame de intolerante. Se os católicos acham que aborto é crime, que não abortem, ora bolas. Os defensores do aborto falam em descriminalizar o aborto no país. Santa ingenuidade! O aborto está há muito descriminalizado.

O Ministério da Saúde considera que um milhão de abortos ilegais sejam feitos anualmente no Brasil, apesar da proibição no Código Penal e da forte oposição da Igreja. Ora, se um milhão de abortos são feitos anualmente em um país, é porque a prática já faz parte dos usos e costumes nacionais.

Os Testemunhas de Jeová, por exemplo, são contra as transfusões sanguíneas. É uma atitude insana que pode levá-los à morte. Mas pelo menos nunca pretenderam impor esta proibição à sociedade. Se preferem morrer por falta de transfusão, que tenham boa viagem.

Já propus, em crônicas passadas, que os católicos – e só os católicos – fossem punidos com todo o rigor da lei quando praticassem aborto. Não faltou quem se escandalizasse: “horror, leis especiais para determinados grupos”. Ora, o Brasil desde há muito tem leis especiais para determinados cidadãos. Índio pode matar, estuprar, fazer reféns... e tudo bem. Os sem-terra podem invadir fazendas, próprios da União, destruir laboratórios científicos e ainda têm a perspectiva de contar com aposentadoria por tais serviços. Negro vale por dois brancos nos vestibulares.

Por que não uma legislação especial para católicos? Se acham que aborto é crime, prisão firme para o católico que aborte. Que estes misóginos vulturinos deixem em paz as pessoas que querem apenas ter os mesmos direitos dos cidadãos dos países civilizados do Ocidente.”.

36 comentários:

Heitor Abranches disse...

Janer,

A posição da Igreja Católica é absolutamente coerente com as suas crenças. Eles acreditam que o dom da vida é divino e que não é papel do homem atentar contra a vida pois desta forma estaria atentando contra Deus.
O mesmo vale para a morte, a pessoa deve sofrer até morrer e nenhum médico tem o direito de interromper o sofrimento.
Por outro lado, do ponto de vista do indivíduo, temos o direito à vida. Se o feto for considerado um indivíduo então ele não pode ser morto.
Aí vc cai na questão de quando começa a vida e quando começa a consciência e o que define um indivíduo, um cidadão.
Do ponto de vista da democracia, a Igreja Católica como associação dos crentes da fé católica tem o direito de propor e defender leis que no seu entender beneficiam a todos.
Mas tudo é relativo, na Alemanha Nazista por exemplo, o Estado, em nome da eugenia não hesitaria em determinar o aborto de fetos que não atendessem critérios arianos...

Janer disse...

É simples, meu caro Abranches. Se os católicos acham que aborto é crime, que não abortem. Esta filosofia só vive em países subdesenvolvidos, onde a Santa Madre ainda exerce influência, graças à ignorância de seus cidadãos.

Na Europa toda, hoje, salvo as católicas Irlanda e Polônia, o aborto é legal. Serão os europeus todos criminosos?

Por falar nisso, a idade do consenso sexual na Espanha é doze anos. Serão os espanhóis todos pedófilos?

Os crentes podem propor e defender leis, como qualquer cidadão. Mas estão marchando na contramão da História. Acho que o aborto deveria ser proibido apenas no Vaticano. Sob risco, é claro, de termos uma outra papisa Joana.

Janer disse...

Corrigindo:

em vez de "só vive", leia-se "só vige".

André disse...

Heitor: “A posição da Igreja Católica é absolutamente coerente..."

Concordo.

E a comparação com a Constituição Iraniana passou longe, não tem muito a ver, a meu ver.

“O mesmo vale para a morte, a pessoa deve sofrer até morrer e nenhum médico tem o direito de interromper o sofrimento.”

Não acho que ela DEVA sofrer até morrer — se QUISER sofrer, tudo bem.

Dependendo do grau de sofrimento, o melhor é morrer logo, desligar as máquinas. Mas... e quando a pessoa está vegetativa (ou, por qualquer outro motivo, impedida de se expressar e pedir para morrer)? Nesse caso, médicos e familiares deveriam poder avaliar a situação e “matar” aquele que, na prática, já está morto. Eutanásia.

Tem gente que acha que o feto só é um indivíduo a partir do momento em que o cérebro passa a “funcionar” — se me lembro bem, tem algo a ver com o padrão das ondas cerebrais (quando estas se tornam diferentes das ondas cerebrais de fetos de outros bichos, pronto, é gente. Bicho-gente). Posso estar errado, mas o Carl Sagan já escreveu algo sobre isso e sobre a fase de gestação em que esse fenômeno aconteceria, ou seja, antes disso o aborto seria aceitável. O Catelli, que, imagino, lê muito sobre essas coisas, é mais “cientista” do que eu, talvez possa falar mais sobre o assunto --- e me corrigir se eu disse alguma bobagem.

Quando começa a vida? Acho que nunca saberemos. No direito, a personalidade civil da pessoa começa no nascimento com vida (mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro). Acho que o primeiro sinal de vida é a respiração, funcionamento dos pulmões, etc.

“Do ponto de vista da democracia, a Igreja Católica como associação dos crentes da fé católica tem o direito de propor e defender leis que no seu entender beneficiam a todos.”

Também acho. Desde que isso não comprometa nossos direitos e liberdades sob um Estado laico.

E podem também (os católicos e outros) orientar suas vaquinhas e ovelhinhas, "façam isso, não façam aquilo", etc. Segue quem quer. O Janer está certo nisso: se eles são contra, que não abortem. Só não vale ficar enchendo quem não é ou querer passar por cima do Estado, o que muitos deles obviamente fariam se pudessem.

Aí, essa é boa: está na hora de ter uma Papisa. Mulher é muito boa pra administrar as coisas, os lugares. Bota uma mulher em qualquer grande organização ou instituição que logo ela põe ordem na casa. Talvez uma mulher como delegada de Deus na Terra melhorasse um pouco a paisagem.

André disse...

Por falar em eutanásia, não é na Holanda que o troço é todo regulamentado, minuciosamente?

Orlando Tambosi disse...

Que coisa pavorosa! Estado teocrático é o inferno.

Janer disse...

Já houve uma papisa. O fato está narrado por um bibliotecário do próprio Vaticano, de nome Bartolomeo Sachi, em uma "História da Vida dos Papas", publicada em 1479, com imprimatur do papa Xisto IV, depois santificado.

João VIII, após "dois anos, cinco meses e quatro dias" - segundo Marian Scott, escrevendo sobre o escândalo nos fins do século XI - pariu o fruto de seu pecado amoroso com alguém de dentro do Vaticano. A partir daí foi instituído, a cada eleição de um novo pontífice, o ritual do exame dos órgãos genitais do eleito, que para isso se sentava numa cadeira sem fundo, o estercorário, onde o camerlengo os palpava cuidadosamente.

Bocage disse...

Rsrsrsrsrsrsrsrs

Catellius disse...

Janer,

Eu já expus o dilema um tempo atrás, mas vamos lá novamente. Depois da fecundação, temos uma vida! Toca um apito no Céu e uma alma novinha em folha - ou reencarnada, sei lá - é inoculada no ovinho. Mas eis que o zigoto, dias após a fecundação, se divide para dar origem a dois gêmeos univitelinos, idênticos.

Um católico pode achar que:

- No dia seguinte à fecundação havia uma vida humana;
- Poucos dias depois já existiam duas vidas humanas;
- Então o ser humano pode se reproduzir assexuadamente, por bipartição; Jesus nasceu de uma mãe virgem; há outros que nascem de um pai virgem que nem aparelho sexual possui, he he;
- Se o zigoto antes de originar dois embriões possuía alma, e uma nova alma veio do céu para atender a demanda do humano nascido de bipartição, o primeiro zigoto é de fato pai do segundo que surgiu, à sua imagem e semelhança;
- Há a possibilidade de um mesmo ser humano ter duas almas; deus sabia que o zigoto se bipartiria e já mandou duas almas após a entrada do espermatozóide;
- Um gêmeo é o outro, pois a alma original é ainda a mesma;
- Se o zigoto antes de originar dois embriões não possuía alma, e duas novas vieram do céu no momento da bipartição, em alguns casos o zigoto recém fecundado recebe uma alma e em outros casos não;

Enfim, estou com Tomás de Aquino e com o Concílio de Viena (exceto quanto à alma). Repito algo que escrevi n’O Expressionista um tempo atrás: “Tomás de Aquino defendia que o aborto pecaminoso acontecia quando o feto adquirisse forma humana reconhecida, quando ele receberia uma alma. A posição do mais importante teólogo Católico - ao lado de Agostinho de Hipona, o qual também apoiava o aborto em determinadas circunstâncias -, foi aceita oficialmente pela Igreja em 1312, no Concílio de Viena.”

Eu acho que quando há sistema nervoso há prazer e dor. A partir daí considero simplesmente inadmissível um aborto. A partir daí acho que o aborto deve levar os envolvidos para a cadeia.

André disse...

Sim, Janer, já houve uma Papisa. Obrigado pelos detalhes, só conhecia essa história por alto.

Estercorário, que nome...

Pobre camerlengo.

*********

Nazistas invadem os States em 1953

http://www.codemasters.co.uk/turningpoint/index.php?territory=EnglishUK#

Cliquem em Backstory pra ver os filminhos (sempre clicando na seta ao fim de cada um pra ver o próximo) e em Watch Video pra ver o filminho de abertura.

Zeppelins bombardeiros futuristas, pára-quedistas e jatos. E a suástica na Estátua da Liberdade.

Não que eu desejasse ver uma coisa dessas acontecendo, he, he.

Mas esse joguinho vai ser bom, espero.

André disse...

E, por falar em nazistas:

http://strangemaps.wordpress.com/2007/10/17/186-europe-if-the-nazis-had-won/

http://strangemaps.files.wordpress.com/2007/10/uusieurooppa.png

André disse...

Site enciclopédico sobre o III Reich:

http://www.axishistory.com/index.php

Site finlandês, realidade alternativa sobre o III Reich:

http://www.valtakunta.eu/blog/?page_id=2

http://www.valtakunta.eu/

http://www.valtakunta.eu/politiikka/germania.html

http://www.valtakunta.eu/politiikka/poliittinenkartta.html

http://www.valtakunta.eu/politiikka/katolinenkirkko.html

Catellius disse...

Continuando:

“...nem mesmo a violência sexual justifica o uso da pílula do dia seguinte. ‘A mulher que sofreu abuso sexual e engravidou é vítima de uma grande injustiça, mas não pode abortar.”

Uma semente de carvalho recém coberta por um palmo de terra adubada não é um carvalho. É uma semente de carvalho sob um palmo de terra, mesmo que eu volte depois de 40 anos e encontre um belíssimo e frondoso carvalho. Um zigoto tem a potência de vir a ser um ser humano. Mas não é. Em um homem e uma mulher pelados doidos para se conhecerem biblicamente e sem preservativos por perto também há uma imensa potência para um novo ser humano, he he.

“...os padres das cem paróquias ligadas à arquidiocese em 19 municípios estão sendo orientados a defender essa posição em seus sermões.”

Sermões para velhos que não transam. E para jovens que transam sem medo de ser feliz, que usam preservativos e até a pílula do dia seguinte, se for preciso. Estamos falando de Olinda pouco antes do carnaval? Ha ha ha ha! Os padres estão de brincadeira! O que eles querem é administrar a culpa que virá após o carnaval, isso sim. Porque eles mesmos sabem como é o carnaval em Olinda.

"Não temos força para impor alguma coisa ao governo. A gente pode pregar, tentar persuadir, dizer as nossas convicções e, sobretudo, que trata-se de uma lei de Deus".

Ele dá nitidamente a entender: “Não temos força para impor alguma coisa ao governo senão imporíamos”. Impor = obrigar a aceitar, constranger a. É isso aí! A vontade de autoritarismo nunca abandonará os padres porque para eles a lei de deus está acima da lei dos homens. Eles têm o mesmo gene dos Aiatolás e de qualquer outro líder religioso.

Morena Flor disse...

"E a comparação com a Constituição Iraniana passou longe, não tem muito a ver, a meu ver."

Penso q a analogia procede sim.

O q boa parte dos padres(senão a maioria deles) querem hj no Brasil é o mesmo q os aiatolás querem(e conseguiram!) no Irã: Q a sua religião(com todos os seus dogmas e doutrinas) domine o Estado e este se curve aos seus propósitos teocráticos. Assim como tem gente q quer pastor p/ presidente, por exemplo, acaba torcendo tb por um estado teocrático, mesmo q este não se aperceba disso.

Os propósitos são os mesmos. Só muda o "endereço".

Morena Flor disse...

Catellius,

"A posição do mais importante teólogo Católico - ao lado de Agostinho de Hipona, o qual também apoiava o aborto em determinadas circunstâncias -, foi aceita oficialmente pela Igreja em 1312, no Concílio de Viena.”"

1. Ouvi dizer q um desses "Pais da Igreja" dizer q feto masculino já tinha alma aos 40 dias e o feto feminino só tinha alma com 80 dias... É verdade?

2. É... E isso q vc escreveu detona com a tese de q a Igreja SEMPRE foi contrária ao aborto!

Catellius disse...

Heitor,

“Do ponto de vista da democracia, a Igreja Católica como associação dos crentes da fé católica tem o direito de propor e defender leis que no seu entender beneficiam a todos.”

A ICAR é uma instituição com grande histórico de autoritarismo, de intolerância, de crimes, de associação com ditaduras, etc. Ela visa a própria sobrevivência, não os interesses de seu rebanho, ainda que muitos padres estejam interessados nos fiéis. Mas os padres, no final das contas, são os idealistas da base da pirâmide, cumprem um papel semelhante ao do resto dos crentes. A ICAR larga os padrecos em algum rincão perdido e eles fazem das tripas coração para construir uma paróquia. Caçam doações para a paróquia pobrezinha, organizam quermesses, metem a mão na massa, etc. E a Igreja construída pelos fiéis sobre um terreno doado pela prefeitura passa a pertencer a quem? À ICAR. Ao Papa, ao Vaticano!

Os crentes “nascem católicos” e a tal associação se imiscui em cada atividade de suas vidas. Está lá no nascimento, no casamento, na morte; poucos se sentem como se tivessem alternativas.

E a Igreja Católica é o Vaticano. O Vaticano é uma nação estrangeira, possui embaixadores (núncios) com imunidade, goza de privilégios, seu líder é recebido pelo próprio presidente com as honras devidas a um chefe de Estado.
E assim, o líder de um Estado teocrático diz o que os brasileiros “associados” da “mera” “associação de crentes” devem fazer. Interessante, não?

Se os fiéis se reunissem e designassem um representante para brigar com o governo, tudo bem. Mas o líder local da tal “associação” recebe ordens, indiretamente, do chefão do Vaticano, um Estado criado por Mussolini na canetada; o líder da tal “associação” manipula os “associados”, age sozinho sem sequer consultá-los, age na maior parte das vezes de acordo com os próprios interesses, expulsa os associados que pensarem diferente, etc. E ainda reclama por não ter poder de IMPOR algo a um governo civil eleito democraticamente.

Ora, Heitor, um grupo de católicos pode realmente montar uma associação e defender o que desejar. Mas os líderes da Igreja Católica devem CALAR A BOCA fora do púlpito em questões políticas, principalmente de saúde pública. Se um padre quiser dar sua opinião, deverá tirar o vestidinho e dá-la como um cidadão comum, sem querer influenciar o povão por estar supostamente revestido de autoridade divina. O povo anui por medo da ira divina, por achar que a coisa é certa porque um padre disse que é certo. Isso alguma vez fez bem à democracia? NÃO!

Catellius disse...

Cara Morena Flor,

Ótimos comentários.

Nunca ouvi falar dessa diferença de prazo para a inoculação da alma entre homens e mulheres. Não me surpreenderia se isto tivesse sido uma "verdade" cristã. Sem bases para definir o que é verdade e o que não é, sem método científico, os estultos chegavam a afirmar que os anéis de Saturno eram o prepúcio de Cristo que ascendera aos céus, ho ho ho!

A Igreja proibiu o aborto em meados do século XIX, durante o pontificado de Pio IX, o da Infalibilidade, da Imaculada Conceição, da perda dos estados pontifícios, da condenação da democracia, do voto e de outras “modernidades”. No Brasil, com toda a influência da Igreja Católica, o aborto só foi proibido por volta de 1940.

Abraços

André disse...

Catelli, vai ver o zigoto já vem com um backup de almas adicionais, se precisar. Não vem nada do Céu, post coitum, ao menos.

“Eu acho que quando há sistema nervoso há prazer e dor. A partir daí considero simplesmente inadmissível um aborto. A partir daí acho que o aborto deve levar os envolvidos para a cadeia.”

É, eu também acho.

“Estamos falando de Olinda pouco antes do carnaval? Ha ha ha ha! Os padres estão de brincadeira!”

Pois é... brincadeira...

Catellius disse...

Antes da democracia moderna, os líderes católicos não perdiam tempo com povão. Resolviam as coisas nas instâncias superiores.

Em um primeiro momento se assustaram e condenaram a democracia. Depois viram que poderiam manter parte do poder sobre os governos por meio de chantagem, já que podiam manipular os eleitores, moldar sua consciência.

E assim, passaram a pentelhar governos e a querer participar de todas as discussões, para não ficarem no escanteio. Metem o dedo se o assunto é a transposição de um rio, desmatamento, reforma agrária, MST, energia nuclear, desarmamento, campanhas pelo uso de camisinha, aborto, direitos de presos, etc. Coisas com as quais nunca se preocuparam. As preocupações sempre giraram em torno a heresias, sua cosmologia bizarra, e seu próprio umbigo, obviamente.

E hoje, com a democracia, os políticos adoram freqüentar missas e cultos evangélicos, posar ao lado dos "representantes de deus" porque querem os votos do rebanho bovino do padre e do pastor. Nas Filipinas, por exemplo, um político precisou se ajoelhar perante o bispo e pedir perdão para que este voltasse a dar seu apoio. Os eleitores de lá não votam em alguém que não possui aprovação do clero. É nisso que dá respeitar demais uma “associação de fiéis”...

--//--

André,

"Catelli, vai ver o zigoto já vem com um backup de almas adicionais, se precisar. Não vem nada do Céu, post coitum, ao menos."

Ha ha ha! O pior é que vem do céu mesmo. E o fantasminha só sai do corpo quando ele morre. Você pode sair correndo, parar de repente, mudar de direção, pular de pára-quedas - não adianta! A porcaria do fantasminha vai junto! E é a alma que pensa, não o cérebro. Segundo o catecismo, deus dotou o homem de uma alma racional e imortal, he he.

Raphael disse...

Já tinha visto imagens do jogo, André. O enredo parece massa.

Raphael disse...

Falando em nazistas: http://carnaval.uol.com.br/noticias/2008/01/30/ult26u25598.jhtm

Anônimo disse...

Enredo de Escola de Samba tem virado literalmente Samba do Crioulo Doido

Otavio Rios disse...

Sr Abranches

'Por outro lado, do ponto de vista do indivíduo, temos o direito à vida. Se o feto for considerado um indivíduo então ele não pode ser morto.
Aí vc cai na questão de quando começa a vida e quando começa a consciência e o que define um indivíduo, um cidadão.'

Vc escreveu tb:[http://pugnacitas.blogspot.com/2007/09/individualidade-identidade-e.html]

'Os indivíduos têm várias identidades, ou seja, gênero, idade, grupo social, nacionalidade, posição política, e, dependendo da situação, utilizam uma destas identidades ou ela aparece e mecanicamente se impõe. Quando uma identidade se impõe temos uma identificação, ou seja, uma reação automática que traz um personagem supostamente mais bem adaptado a uma situação.

Este mecanismo onde uma identidade assume chama-se identificação, e contraria o funcionamento orgânico do indivíduo, que não decide qual personagem adotar em uma situação. Neste sentido, não há decisão, não há juízo e, portanto não pode haver julgamento. Filosoficamente, se não existe um indivíduo que toma a decisão então talvez não haja nada. Talvez, o indivíduo só comece a existir quando algo tome a decisão. Antes disso, somos apenas uma ilusão.'

Como vc concilia uma posicao c/ a outra?
Vc acha q zigoto tem consciencia?!??! Eh um individuo?!!???

Ricardo Rayol disse...

Só pode ser piada.

Raphael Piaia disse...

Perdoem-me pelo off-topic

Sugiro que alguém post esse texto ou então que falemos sobre ele por aqui. É o que se lê quando acessamos o'Expressionista:


Amigos,
Há pouco mais de dez anos atrás, em 1997, criei o jornal O Expressionista com mais três amigos de faculdade. O jornal foi crescendo ao longo da década, chegando a ter, em média, 20 mil acessos mensais. Claro que não poderia deixar de agradecer todas as pessoas que ajudaram a engrandecer o jornal. Também não posso deixar de lembrar - e agradecer - a amiga Milla Kette, que em toda história do jornal, foi a campeã de audiência, com suas reportagens desde os Estados Unidos. Uma, em especial, atingiu 6 mil visitas num único dia. Tratava das denúncias de corrupção do programa Oil for food da Onu, um verdadeiro furo em toda imprensa nacional, que só veio mencionar o fato dois longos anos depois.
Houve uma época em que não dispunha de tempo para atualizá-lo, e isso fez com que o jornal ficasse quase um ano fora do ar. Com ajuda dos amigos, Moreno Garcia e Sandro Ribeiro, o site voltou na versão que hoje vigora. Neste momento não posso deixar de me desculpar com ambos, por ter descumprido a promessa de pautar o site mais com assuntos culturais do que políticos. Mil desculpas!
Após esta introdução que a mim é muito pertinente, vamos direto ao ponto: é com pesar que lhes comunico que tirarei o site do ar. No entanto, não os deixarei sem os motivos que levaram a tal conclusão.
Em primeiro lugar, não tenho mais tempo disponível para ele, tanto em relação ao sistema (que detém algumas falhas grotescas), quanto em relação ao editorial, que, como editor, seria minha obrigação.
Em segundo lugar, é sempre bom saber a hora de fechar as portas. Um site que já teve uma média de 2.000 visitas diárias, não pode se contentar com uma média de 100. E o declínio é constante, exceto pelas últimas semanas, que com o advento do bate-boca com o sr. Janer Cristaldo, as visitas aumentaram, mas com ela veio o espírito de porco daqueles que têm predileção às porcarias. Claro que o incidente com Janer, pouco influenciou na decisão de fechar o jornal, que já se arrasta desde o final do ano passado. Certamente, precipitou a decisão, o que agora não importa lá muita coisa.
Decerto, Janer com sua nova turminha, não perderão a oportunidade de sair por aí a dizer que eram tão importantes ao jornal que tive que fechar depois e dispensá-los. Ou algo mais criativo que saiam das suas mentes férteis e detetivescas. Seja como for, estou me lixando para o que vão falar. Nos últimos dias foi triste vê-los enchendo a rede com baixarias e cretinices. É constrangedor eles não perceberem.
Por fim, agradeço a todos que colaboraram com o jornal. Peço desculpas aos excessos que aqui foram cometidos.
Aos colunistas, sorte e sucesso!
Aos leitores, um grande abraço e muito obrigado!
Diogo Chiuso

Raphael disse...

Chiuso desrespeita a todos. Tanto pelos artigos, tanto pelos comentários que agora estão perdidos.

Catellius disse...

Ôrra meu!
Que maluco esse Diogo! Que bichinha!!

Poderia, a exemplo do Primeira Leitura, deixar um tempo o site no ar, pois muitas pessoas chegam lá pelo Google. Há muita coisa interessante por lá, principalmente os posts do Anselmo e do Janer e os comentários que suscitaram.

E eu que passava lá às vezes, por preguiça, para copiar algo que eu havia escrito e que não desejava escrever novamente em outra discussão...

Mas, nem tudo está perdido, he he.
É só entrar no Google e digitar, no meu caso:

catellius "o expressionista" -pugnacitas

E voilà: acesso todos meus comentários em cache. Excluo as vezes em que digitei "o expressionista" por aqui com o -pugnacitas.
Vou salvá-los antes que sumam.
Se der, tento salvar outras coisas.

Esse Diogo é um prego mesmo!
E tenta se vacinar, adivinhando que irão analisar sua decisão patológica...
Grande adivinho, he he.

Catellius disse...

Sugestão:

Colem na barra de endereços:

http://www.oexpressionista.com.br/?p=395

Aí é só ir substituindo o 395 por 394, etc.
Trabalhoso mas acho que vale a pena.

O+cioso disse...

Kkkkkkk

Catéquitus é minha anta. Imagino o trouxa salvando 400 pgs uma por uma, kkkkk.

Catellius disse...

O+cioso,
bem-vindo, abutre.

Eu salvei 47 posts e seus respectivos comentários, parvo. Salvei os posts em cuja caixa de comentários meu nome aparece.

Quem quiser baixar o arquivo, clique aqui: 47posts-expressionista.zip.

Sugiro que o Janer e o Anselmo, caso não tenham os comentários de seus posts salvos em algum lugar, que anotem os números dos posts contidos no meu arquivo .zip e baixem os que faltam colando no campo de endereço o site:

http://www.oexpressionista.com.br/?p=395

Deve-se ir em "arquivo", "salvar como" e pronto.

Depois é só substituir o 395 por 394, etc. (número da página)

Aproveitem enquanto os arquivos estão na memória cache, he he he.

Mais uma vez: putz, esse Diogo é mesmo um caso sério!

Raphael disse...

“E eu que passava lá às vezes, por preguiça, para copiar algo que eu havia escrito e que não desejava escrever novamente em outra discussão...” Também faço isso às vezes...

Logo volto pra comentar a história do site..

Raphael disse...

É interessante ver as conclusões que Chiuso chegou.

De acordo com o rapaz, fomos “nós” que baixamos o nível da discussão. Vejam bem, NÓS – a “turminha do Janer” – em oposição a quem? A eles, talvez? A turminha do astrólogo?

Fomos nós que começamos com as ofensas pessoais? Talvez o Chiuso ache que deveríamos ter silenciado frente a elas? Fomos nós que, provavelmente, falsificamos assinaturas? Também foi interessante ver um discípulo de Olavo bloquear a caixa de comentários com ares de superioridade moral, criticando o nível do debate. O nível! Ele, sujeito que escreveu aquele artigo tão meigo intitulado Diogo, o censor.

Quando o debate foi bloqueado, até tentei entender. Imaginei que talvez a consciência do rapaz estivesse acordando, que ele tivesse se irritado com excesso de canalhice da pseudo-argumentação das olavetes, sei lá. Mas lendo o epitáfio que escreveu para seu jornal, fica claro que não.

Resta agora a missão para o Pugnacitas, que deverá preencher o vazio deixado pelo fim d’O Expressionista. Mais trabalho para o Editor e os Articulistas, é claro. Mas... Someone has to keep fighting the good fight!

Raphael disse...

Someone have*... Se bem que o has também cabe...

Janer disse...

Turminha do Janer? Que eu saiba, jamais tive turminha. Não consigo entender o que aconteceu. Tive bom convívio com o Diogo, derrubamos muitas garrafas de vinho madrugadas adentro.

Só me restam hipóteses. Apesar do besteirol usual do astrólogo, Diogo tinha muito apreço por ele. É possível que o último artigo a ser postado no Expressionista, o artigo do Anselmo, que gerou o debate sobre a parlapatagem do astrólogo, o tenha feito surtar. Sei lá!

Raphael disse...

Vai ver que, para o Chiuso, fazem parte dessa “turminha” todos que se estranhem com as olavetes.

Morena Flor disse...

Obrigada, Cattelius!

;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...