15 dezembro 2007

De Volta a Bizâncio (ou: Idéias de Jerico)

Acho que o pessoal religioso, sabem, aquele, que vivia querendo nos salvar quando éramos adultos lá na Idade Média, nos purificando numa fogueirinha santa, cansou um pouco de nós e, de uns cento e poucos anos pra cá, se voltou para a salvação das almas, digamos, menores. Hoje falam muito em fetos e, claro, em aborto. Lá pelas tantas, se cansaram disso também e parecem estar dando um tempo, ou não se saíram muito bem, não sei, mas o fato é que agora querem “proteger” os embriões, os óvulos, os espermatozóides. Parece que quanto menor, melhor. Daqui a pouco vamos chegar à proteção do estágio de blástula.

E um carola Procurador-Geral da República, que deveria ter mais o que fazer, redigiu uma ação direta de inconstitucionalidade equivocada, para usar uma palavra caridosa. Aconteceu. Ah, Brasil, Brasil, minha pátria amada, idolatrada, salve, salve… o que não acontece por aqui?

Em 2005, o papalvo Cláudio Fonteles fez isso. Uma ADIn que atravancou as pesquisas com células-tronco embrionárias no país. Francamente, o cara tem que ter mingau na cabeça pra se sair com uma presepada dessas.

Raspada a conversa fiada, o trólóló, o “embasamento jurídico” e o burocratês, essa foi uma idéia de jerico, naturalmente. Por mais que ele esconda os pruridos religiosos por trás do que fez, travestidos com aquele papo de que está estritamente preso ao que a Constituição diz, que a proteção da vida, que o Direito, blá, blá, blá...

Certo, ele nunca vai admitir: “fiz isso por que a minha fé, minha crença…”. O que é tolo, mas algo revelador (no que deixa entrever um raciocínio moralista rastaqüera). E honesto, ao menos. Pode-se até dizer que, por “acaso”, a crença dele casou direitinho com a questão, com o “caso em tela”.

Se essa lontra não fosse tão irrefletida, tão inconsciente de si mesma, talvez tivesse parado por um minuto, se dando conta de duas coisas singelas:

1) ninguém pode parar o progresso tecnológico

2) no longo prazo, as células-tronco embrionárias (e não as adultas, nas quais os religiosos estão se agarrando por conveniência, sem nem mesmo uma idéia clara das diferenças entre elas e as embrionárias) e derivados vão curar ou reduzir drasticamente o estrago de várias doenças degenerativas, sem falar na possibilidade de se fabricar órgãos.

E isso só pra ficar na superfície.

Mas não adianta. O sujeito é incapaz de raciocinar, de pensar por um instante além de seu mundinho besta e vidinha idem. Sua cabeça não vai além da Palavra Revelada na Sagrada Escritura, edição autorizada pela Santa Madre Igreja. Um cara limitado, enfim, por mais respeitado, cheio de títulos e o que mais seja ou tenha. Um cara que segura na mão do padre, enquanto com a outra redige uma excrescência.

Pela mão do pároco, o cara joga para a platéia, faz o seu acting, o seu show, mas é claro — e mais uma vez — sempre podendo argumentar que não é nada disso, antes muito pelo contrário, que só está cumprindo seu dever profissional, de procurador, cidadão consciente, sei lá. O bom cristão. O pior idiota sempre é o mais consciente.

Não é à toa que o mesmo pessoal se dedique com tanto afinco para impedir a legalização do aborto de anencéfalos. Deve ser a Mãe Natureza, o instinto de autopreservação lhes dizendo: “preservem os seus”…

E olha que estamos num Estado laico… mas nem falemos nisso, já que nosso laicismo ainda é cotó demais. Vai levar mais umas décadas (séculos?) para a mentalidade de sacristia desinfetar de nosso “inconsciente coletivo”. Se desinfetar. Imagino que ele realmente acredita no que diz, que seja mesmo um crente pio. Gente assim é importante para a Igreja, para toda religião. É útil. A força do bom-mocismo desses inocentes úteis não pode ser menosprezada. E dá ibope viver se indignando com as injustiças do mundo, sempre bestificado com o que acontece — e, não vamos nos esquecer, sempre por uma “boa” causa, com aquele ar grave, sério, a cara de compungido.

Em última análise, porém, no grande esquema das coisas, ele não passa disso, de uma ovelhinha prestativa. Bonitinha, mas ordinária. Os bestificados, depois de um tempo, só servem para isso: se bestificar. Sua pose, o teatrinho vulgar que nem sabem que estão fazendo, já que acreditam no que dizem, é a regra.

Tudo isso é muito cansativo. O bom é a gente saber das coisas, o que entre outras coisas nos torna impermeáveis a surpresas, decepções e até algumas desilusões maiores. Essa prostração bovina, essa ausência do pensar por conta própria, de pensamento, ponto — que afinal é o que nos torna seres humanos completos, gente, no sentido mais amplo da palavra (eu sei, eu sei, a maioria da humanidade nunca chega nesse estágio, fica lá no de blástula, por falar nisso, mas estou falando dos 2% que sabem das coisas, que salvam, que “redimem” um pouquinho a espécie) — esse rastejamento todo é deprimente.

Sem falar na sensação de vácuo, de falta de receptividade, quando escrevo sobre essas coisas. Sobre qualquer coisa, aliás. Quantas vezes, dizendo o que me parece o óbvio, não fui tomado por uma vontade irresistível de silenciar, de cair fora, porque consciente da futilidade do que escrevo, pelo fato de que quem concorda comigo já sabe do que estou falando, enquanto quem discorda nunca vai me entender - muitos nem saberão, porque vivem na indiferença primitiva, minimalista, da sociedade brasileira, ou estão de tal forma esmagados pelo trabalho braçal, que enfrentam sem preparo físico, que nem sequer sonham que uma vida melhor é possível.

Mas as coisas mudam, felizmente. Talvez nesse caso mude rápido, acho bem provável que o Supremo derrube a ADIn.

O engraçado é que, depois da presepada, talvez vendo o tamanho dela, o lobby clerical catou uns cientistas não sei de onde e veio com um catálogo de conversa mole. Cada dia é uma. A última, a reboque da própria Ciência (a séria), foi a de que andaram fazendo progresso por aí com células adultas. Ok, nada contra, mas estas nunca terão o potencial das embrionárias, por uma penca de motivos.

Depois — e o mais divertido — ainda acharam que podiam pegar emprestado da filosofia uma questão jamais resolvida, e quem sabe até dar um jeito nela: o início da vida. Para mim, outra idéia de jerico, cortesia, “geração espontânea”, da idéia de jerico inicial. Às vezes se tem a impressão de que voltamos a Bizâncio: logo vamos discutir o sexo dos anjos, a essência da Santíssima Trindade e excentricidades metafísicas mil.

A vida começa… bem, vocês escolhem. Podem dizer que ela começa no zigoto, no rabinho do espermatozóide, no átomo da mitocôndria… A convenção católica, por exemplo, diz que ela começa na concepção. Ninguém sabe quando ou onde ela começa. A meu ver, os religiosos se deram mal na audiência pública (acho que eu e outros cinco assistiram a ela quase toda na TV Justiça) feita pelo STF sobre o assunto. Insistiram nessa estaca zero, tinham que fincá-la de alguma maneira, dizendo “a vida começa aqui, ó”. Terminaram dando voltas e se perdendo.

Mas tudo bem. O homem não cria problemas que não possa resolver. Não acho que o mundo vá regredir para alguma forma de bestialismo medieval um dia, apesar dos tropeços. Nem que tudo vá acabar em besteira generalizada ou em pseudointelectualismo, como achava um Ortega Y Gasset. Há saídas, estreitas, mas seguras e claras, dessa porcaria toda.

Se já armaram essa briga toda por causa das CTEs, imagino o que não vão armar quando começarem a clonar gente no futuro distante. Quem sabe, quando estivermos clonando gente como pãezinhos na padaria e torcendo o DNA à vontade, os incompreendidos e malvados caras de jaleco branco não aproveitam pra dar uma melhoradinha na espécie. Se alguém reclamar, podem dizer, como o Millôr, que eugenia é só uma forma científica de se ter filhos mais bonitos.

27 comentários:

Heitor Abranches disse...

Esta discussao e boa. Como diria o Freakanonimics, se vc quiser prevenir o nascimento de um grande numero de latrocidas permita que as maes solteiras que estatisticamente sao suas maes abortem. Por outro lado, o aborto indiscriminado estimula o egoismo, a irresponsabilidade alem de ser uma politica anti-vida. Filosoficamente, a igreja nao pode ser anti-vida. A vida so pode ser extinta quando ela ameaca outra vida...e a doutrina da legitima defesa. O Freakanomics propoe aborto como legitima defesa da sociedade...Parece o Minority Report do Tom Cruise.

André disse...

Quando o Freakonomics foi lançado, o Reinaldo Azevedo ficou louco da vida. Também acho isso q vc acha, q esse livro sugere o aborto como uma forma de defesa da sociedade, a longo prazo. É algo bem frio mesmo... Só achei estranho pq mais tarde (quando o Sérgio Cabral propôs o aborto em favelas do Rio e citou o livro) o Reinaldo saiu em defesa do livro, dizendo q não era bem assim, q não foi bem isso q o autor quis dizer. Ora, foi sim. Ele propôs uma solução fria para reduzir o número de criminosos - ainda q estes sejam em potencial. De repente, a solução se tornou "razoável".

Heitor Abranches disse...

Encontro regional do Foro de São Paulo discute integração
Começou ontem (12) e termina nesta quinta (13) em Montevidéu, o Encontro Regional Cone Sul do Foro de São Paulo, que reúne as forças de esquerda da América Latina e do Caribe. Na pauta estão os temas do processo de integração Latino Americano, o Mercosul e as operações das Forças de Paz da ONU no Haiti.

Representam o PT no encontro o presidente do partido bo Rio Grande do Sul, Olívio Dutra, e o secretário nacional de Movimentos Populares, Renato Simões. Outro participante brasileiro é Ronaldo Carmona, da Comissão de Relações Internacionais do PCdoB.

O encontro ocorre pouco antes da realização da reunião semestral dos presidentes dos países do Mercosul, na próxima segunda também em Montevidéu. Os partidos do Foro aprovarão também uma carta aos presidentes, na qual se defenderá o aprofundamento do Mercosul.

Heitor Abranches disse...

PT promove 3º. Seminário de Formação para Juventude Negra, em fevereiro
Entre 6 e 10 de fevereiro, deve ocorrer no Instituto de Cajamar (SP), o 3º. Seminário Nacional da Juventude Negra do PT. O evento da Secretaria de Combate ao Racismo será feito em parceria com a Secretaria de Formação, com o caráter de formação de lideranças para o debate dos grandes temas do movimento negro.
Este seminário se diferenciará do recente Curso de Formação em Combate ao Racismo, ocorrido em setembro, também em Cajamar, pelo público jovem. Os temas abordados serão direcionados para as questões relativas aos problemas da população jovem negra. “A questão do extermínio da população jovem negra pelas polícias, o desemprego maior entre esta população e a qualidade das escolas públicas, assim como o racismo institucional são temas que nos tocam e devem se tornar uma pauta mais forte no partido e no movimento”, defende Roque Peixoto, coordenador do Orçamento Participativo da Prefeitura de Maragogipe (BA).

O militante lamenta que as questões raciais se restringem a “um parágrafo em teses do PT”, fazendo com o partido perca a oportunidade de “empoderar” sua juventude negra. “Hoje, a mídia é a grande formadora de opinião da juventude negra nos barracos de cada favela desse país”, avalia. Em sua opinião, os argumentos contra políticas afirmativas e reparadoras da população negra são mais fortes do que as favoráveis. “A elite brasileira não admite dividir o bolo ao promover a reparação à população negra, devido à exploração escravagista”, diz Peixoto

Segundo Peixoto, que participa da coordenação do seminário, o evento deverá reunir cerca de cem petistas que têm participado de instâncias nacionais do movimento, como o Encontro Nacional da Juventude Negra (Enjune), ocorrido em julho, em Lauro de Freitas (BA).

De acordo com ele, o curso quer preparar a militância para a pauta de mobilização sobre os rumos do projeto nacional no Congresso Nacional de Negros e Negras (Connen) e no Fórum Nacional de Juventude Negra, Para isso, é preciso, segundo ele, qualificar o PT para a disputa de espaço nestas instâncias.

Peixoto defende que os palestrantes do curso tenham propriedade, de fato, no assunto a ser abordado, e não façam apenas “falas de mobilização”. Entre os palestrantes que devem participar do curso estão o Secretário Nacional de Combate ao Racismo, Martvs das Chagas e o diretor da Fundação Perseu Abramo, Flávio Jorge.

Catellius disse...

"Crente é fogo, como disse o Bocage uma vez, se não me engano (não o poeta, me refiro ao nosso Bocage)."

He he he. Você se enganou. No post A Xícara de Chá Quebrou o Bocage escreveu (grifo meu):

"...Durante a visita do teocrata de sapatilhas vermelhas ao Brasil o Reinaldo escreveu que a doutrina da ICAR assume-se excludente e que a instituição apenas se dirige aos católicos, rsrs. Pronto, tornou-se este o argumento-mestre da descerebrada, sacado após quaisquer acusações à ICAR. O outro escreve sobre o Foro de São Paulo como se estivesse denunciando uma reunião secreta dos Illuminati, rsrs, Passou a repetir, alvorotado, o conteúdo alarmista dos vídeos do Nãolavo o Caralho, às cegas, por mera confiança. Crente não tem jeito mesmo, rsrs."

e respondi mais adiante com um "Crente é fogo, realmente...".

Catellius disse...

Os créditos por tal magnífica frase, que certamente entrará para a história, são MEUS!! E o Janer Cristaldo que inventou Supremo Apedeuta, e NÃO foi o Reinaldo Azevedo que inventou "pobrismo", he he he.

Excelente post, André! Excelentes os últimos posts do Heitor! Obrigado pelos parabéns pelo prêmio. Ainda devo continuar ausente por uma ou duas semanas. Nem tempo para ler e-mails estou tendo... Vamos ver se consigo escrever alguns posts quando a avalanche de trabalhos passar.

Falou, amigos, e até mais!

Catellius disse...

“Daqui a pouco vamos chegar à proteção do estágio de blástula.”

Se os líderes budistas fossem tão hipócritas quanto os líderes católicos - são hipócritas, claro, porque são líderes religiosos -, conseguiriam aprovar leis que proibissem tocar o chão ao caminhar, porque se está a matar seres vivos. Se líderes budistas fossem tão idiotas quanto líderes católicos – são idiotas, claro, afinal são líderes religiosos -, militariam contra firmas de dedetização, contra as “matanças” de mosquitos da dengue, que estão em processo evolutivo e um dia podem reencarnar como Dalai Lama, contra ratoeiras e extermínios de cupins e baratas! Seria um sério entrave à profilaxia de doenças transmitidas pelos “nobres” seres vivos companheiros de planeta e de evolução espiritual... Mas pelo menos os budistas estão mais preocupados com os budistas. O tal “Meio de Vida Correto” pode ser um princípio que impeça um budista de ser açougueiro, mas não proíbe todo o país de comer carne.
Algo um pouco diferente ocorre com a AIDS, camisinha, células-tronco, aborto e líderes católicos. O obscurantismo em que vivem não deve prejudicá-los, apenas, deve virar lei e reger toda a sociedade! Cuisp!!!

Catellius disse...

“Um cara que segura na mão do padre, enquanto com a outra redige uma excrescência.”

Boa! Lembrei-me da grotesca cena em que o Marquês de Sade interpretado por Geoffrey Rush escreve suas excrescências com... ...os próprios excrementos fazendo as vezes de nanquim, he he.

“Não é à toa que o mesmo pessoal se dedique com tanto afinco para impedir a legalização do aborto de anencéfalos. Deve ser a Mãe Natureza, o instinto de autopreservação lhes dizendo: ‘preservem os seus’... “

Ha ha ha! Boa e sutil. Infelizmente os anencéfalos não entenderão a piada.

“Às vezes, tenho a impressão de que voltamos a Bizâncio, de que estamos discutindo o sexo dos anjos, a essência da Santíssima Trindade e excentricidades metafísicas mil.”

Discutia-se até o tamanho das asas dos anjos. A propósito, o cisma ortodoxo, de 1054, teve como pretexto uma querela envolvendo a origem do Espírito Santo, não do pior estado do Sudeste. Os católicos acham que vem do pai e do filho e os ortodoxos que vem apenas do pai, conforme se lê no Disangelho (après Bocage après Nietzsche) de João. A discussão é bizantina, mas os bizantinos tinham “razão”, dentro do universo das crenças absurdas cristãs, claro.

“Se alguém reclamar, podem dizer, sarcasticamente como o Millôr, que eugenia é só uma forma científica de se ter filhos mais bonitos...”

Caso um pai católico venha a descobrir que se não autorizar uma manipulação genética em seu lindo embriãozinho ele terá uma forte tendência a involuir para uma criatura de batina, não tenho dúvidas de que abrirá uma exceção e descartará a “vida” ou a alterará para que não vire uma aberração, uma anti-vida por excelência, um eunuco que não passará (teoricamente) seus genes adiante.

Catellius disse...

E acabei de escrever no blog do Tunico, que escreveu um post sobre os 100 anos de Niemeyer:

"É idealista e como todo idealista, não sabe tirar vantagens dos outros."

Cof cof cof.... Essa foi druris...

Idealismo é devaneio, é fantasia, é subordinar o pensamento e a ação a um ideal, e um idealista é sectário do idealismo, é um fantasiador. Então acho que é justamente o contrário. O idealista tende a contar com os outros para seus "nobres" fins, até a forçá-los a colaborar, caso não queiram por livre e espontânea vontade. O Niemeyer não possuía meios para implantar o comunismo, pois foi mera rêmora de governos irresponsáveis com o erário. Mas a figurinha talentosa – reconheço que TINHA talento - era um stalinista que mesmo mais de dez anos após a queda do muro de Berlim sonhava com a volta do comunismo soviético. Lê-se no Jornal do Brasil de 11/10/98 essas pérolas ditas pelo idealista:

"Nunca dei atenção a essa história de que o comunismo morreu. O que está doente e sem remédio é o capitalismo ainda existente. A revolução soviética representa 70 anos de vitória. A ela devemos a destruição do nazismo. As histórias de Krushev sobre Stalin nunca me convenceram. Com que prazer li no JB: "Comunistas soviéticos a caminharem pela Praça Vermelha com o retrato de Stalin!" Agora, no Canadá, o partido comunista está relançando uma série de livros sobre a vida de Stalin, para reviver a idéia dele. Tudo que foi dito sobre ele foi uma invenção do mundo capitalista. A revolução soviética foi um acidente de percurso. A coisa vai mudar."

Ele parecia desconhecer que o partido nazista era um partido socialista, claro...

E sobre uns fuzilamentos em Cuba o Niemeyer disse: “se o comandante achou certo, então era certo”. Facínoras apóiam facínoras. Mas Niemeyer era um facínora sem meios, embora no trato pessoal fosse uma pessoa amistosa, como você bem atestou. Mas saiba que se Fidel Castro decidisse executar o Tunico, o Niemeyer diria “se o comandante achou certo...”

Niemeyer defendeu a revolução comunista armada no Brasil, e se gostaria de ver o comunismo implantado aqui, ele é um safado que não se importa com o fim da liberdade de expressão, com o fim da propriedade privada, é um cretino que não se importa em ver seres humanos fuzilados por se oporem à ditadura, por ousarem dizer o que pensam.

Mas gostei de seu post! Não duvido que o Niemeyer seja uma pessoa afável e fiel aos amigos. Dizem que Hitler era ótimo com sua secretária, com seus funcionários, era ótimo com seus cães, devia ser ótimo trabalhar com ele... Talvez se nunca tivesse sido alçado ao poder e se tivesse tido sucesso nas artes teria sido alguém como Niemeyer, um idealista afável e inofensivo...

Abraços,
Catellius

Catellius disse...

Trechos de um excelente post do Rodrigo Constantino:

"O arquiteto Oscar Niemeyer completou um século de vida sob grande reverência da mídia. (...) Não vem ao caso julgar suas obras em si (...) Entendo perfeitamente que podemos separar as obras do seu autor, e julgá-los independentemente. (...) O problema é que vejo justamente uma grande confusão no caso de Niemeyer e tantos outros “artistas e intelectuais”. O que acaba sendo admirado, quando não idolatrado, é a própria pessoa. E, enquanto figura humana, não há nada admirável num sujeito que defendeu o comunismo a vida inteira.

Niemeyer, sejamos bem francos, não passa de um hipócrita. (...) O arquiteto mamou e muito nas tetas estatais, (...) No entanto, ele insiste em pregar, da boca para fora, o regime comunista, a “igualdade” material entre todos. (...) Além disso, a “igualdade” pregada por Niemeyer é aquela existente em Cuba, cuja ditadura cruel o arquiteto até hoje defende. Gostaria de entender como alguém que defende Fidel Castro, o maior genocida da América Latina, pode ser uma figura respeitável enquanto ser humano. São coisas completamente contraditórias e impossíveis de se conciliar. Mostre-me alguém que admira Fidel Castro e eu lhe garanto se tratar ou de um perfeito idiota ou de um grande safado. E vamos combinar que a ignorância é cada vez menos possível como desculpa para defender algo tão nefasto como o regime cubano, restando apenas a opção da falta de caráter mesmo. Ainda mais no caso de Niemeyer.

Na prática, Niemeyer é um capitalista, não um comunista. Mas um capitalista da pior espécie: o que usa a retórica socialista para enganar os otários. Sua festa do centenário ocorreu em São Conrado, bairro de luxo no Rio, para 400 convidados. Bem ao lado, vivem os milhares de favelados da Rocinha. Artistas de esquerda são assim mesmo: adoram os pobres, de preferência bem longe. Outro aclamado artista socialista é Chico Buarque, mais um que admira Cuba bem de longe, de sua mansão. (...) A definição de socialista feita por Roberto Campos nos remete diretamente a estes artistas: “No meu dicionário, ‘socialista’ é o cara que alardeia intenções e dispensa resultados, adora ser generoso com o dinheiro alheio, e prega igualdade social, mas se considera mais igual que os outros”.

Aquelas pessoas que realmente são admiráveis, como tantos empresários que criam riqueza através de inovações que beneficiam as massas, acabam vítima da inveja esquerdista. O sujeito que ficou rico porque montou um negócio, gerou empregos e criou valor para o mercado, reconhecido através de trocas voluntárias, é tachado de “egoísta”, “insensível” ou mesmo “explorador” por aqueles mordidos pela mosca marxista. Mas quando o ricaço é algum hipócrita que prega aos quatro ventos as “maravilhas” do socialismo, vivendo no maior luxo que apenas o capitalismo pode propiciar, então ele é ovacionado por uma legião de perfeitos idiotas, de preferência se boa parte de sua fortuna for fruto de relações simbióticas com o governo. Em resumo, os esquerdistas costumam invejar aquele que deveria ser admirado, e admirar aquele que deveria ser execrado. É muita inversão de valores!

(...)

Enfim, Niemeyer completa cem anos de vida. Um centenário defendendo atrocidades, com incrível incapacidade de mudar as crenças diante dos fatos. O que alguém como Niemeyer tem para ser admirado, enquanto pessoa? Os “heróis” dos brasileiros me dão calafrios! Eu só lamento, nessas horas, não acreditar em inferno. Creio que nada seria mais justo para um Niemeyer quando batesse as botas do que ter de viver eternamente num lugar como Cuba, a visão perfeita de um inferno, muito mais que a de Dante. E claro, sem ser amigo do diabo, pois uma coisa é viver em Cuba fazendo parte da nomenklatura de Fidel, com direito a casas luxuosas e Mercedes na garagem, e outra completamente diferente é ser um pobre coitado qualquer lá. Acredito que esse seria um castigo merecido para este defensor de Cuba, que completa um século de hipocrisia sendo idolatrado pelos idiotas."

C. Mouro disse...

Essa eu não resisto, tenho que romper o jejum, foi fantástica demais para manter-me calado:

"Idealismo é devaneio, é fantasia, é subordinar o pensamento e a ação a um ideal, e um idealista é sectário do idealismo, é um fantasiador. Então acho que é justamente o contrário. O idealista tende a contar com os outros para seus "nobres" fins, até a forçá-los a colaborar, caso não queiram por livre e espontânea vontade."

Clap clap clap! ...com empolgação.

Abraços
C. Mouro

André disse...

Pois é, Heitor, Fundação Perseu Abramo... vi uns livros dessa editora uma vez, com aqueles desenhos do dragão da inflação comendo dinheiro. Ridículo mesmo.

E vc, Catellius, ainda se deu ao trabalho de pesquisar onde foi q o Bocage comentou aquilo, Vc é mais aplicado do q eu nessas coisas de arquivos de internet.

Se vc quiser, pode corrigir o texto, colocar o seu nome, he, he.

“o Janer Cristaldo que inventou Supremo Apedeuta, e NÃO foi o Reinaldo Azevedo que inventou "pobrismo", he he he.”

É, eu fiquei sabendo.

“O obscurantismo em que vivem não deve prejudicá-los, apenas, deve virar lei e reger toda a sociedade! Cuisp!!!”

Acho q foi mais ou menos isso q eu queria dizer com esse post. Gostei da sua frase, muito boa.

Aquele filme em que o Geoffrey Rush faz Sade é legal. Fantasioso, mas legal. Amadeus também é a maior fantasia, não um filme sobre a vida de Mozart, mas uma fantasia sobre a vida dele. Mas é divertido, pelo menos, e o cara q faz o Salieri, F. Murray Abraham, é excelente. Descontando as bobagens, é um filme legal. E pelo menos é um filme em q toca Mozart o tempo todo, também. A edição ampliada, com uns 25 minutos a mais, ficou até boa. Até deram uma melhorada na imagem e no som, comparadas à imagem e som do 1º dvd. Andam fazendo isso com muitos filmes em dvd.

E logo vai estrear Elizabeth – The Golden Age, com Sir Walter Raleigh (Clive Owen, bom ator, quer dizer, acho q é o Raleigh q ele está fazendo nesse filme) e Sir Francis Walsigham (Geoffrey Rush de novo). O primeiro Elizabeth, de 97 ou 98, é bom. Outra patacoada histórica, cheia de erros, mas bom mesmo assim. Aquela série q está passando no canal People & Arts, Os Tudor, na verdade é bem pior, muito mais falseada q Elizabeth, ainda q tenham falado muito mal desse filme na época. Eu gostei do filme. Essa série, só vi uns pedaços por falta de tempo.

E só agora comecei a ver Roma, a
2ª e derradeira temporada em dvd, graaaaande, maravilhosa série, e relativamente (uns 70%) fiel aos atos, sem falar na reconstituição de época, q é primorosa. Por mim, essa série podia continuar até 1453 pelo menos, até a Queda de Constantinopla.

“Discutia-se até o tamanho das asas dos anjos.”

A grande obra Byzantium em 3 vols. de John Julius Norwich, um diplomata inglês aposentado, é cheia dessas historinhas.
“a origem do Espírito Santo, não do pior estado do Sudeste”
Há, há, ha

Os bizantinos eram extremamente detalhistas e até um pouco “racionais” em matéria de teologia, é a impressão q eu tenho depois de anos lendo sobre essas coisas. Claro q não foi só por causa disso, mas aposto q isso também devia deixar a Igreja de Roma ensandecida com esses caras.

Os bizantinos pareciam realmente amar discussões teológicas (na verdade, era um dos esportes prediletos do povo em geral, muito bom também pra se começar brigas), num grau muito maior q os católicos não-ortodoxos, romanos, ocidentais, etc.

Ah, tá, o Niemeyer não “sabe” tirar vantagem dos outros...

Sempre foi isso mesmo, uma rêmora que não podia ver um presidente ou governador por perto. E ele tinha talento, q se perdeu de uns tempos pra cá.

A revolução soviética foi um acidente de percurso? Então eu não quero nem ver a coisa quando ela “der certo”.

É, todo mundo que convive com o Niemeyer e outros tipos assim elogia a afabilidade desses caras.

Hitler era um amor com seus pastores alemães, e um pouco menos amoroso com a Eva Braun (que, cá entre nós, não passava de mais um bichinho de estimação dele. Nem quero entrar naquelas discussões esquisitas sobre uma possível viadagem congênita do Führer, não é isso, mas aquilo não era um casal de verdade, era uma miniditadura de dois).

Uma vez um sujeito me disse, com ar de superioridade, q Hitler não era alemão, nem austríaco. Era “austro-húngaro”. Bom, burocraticamente corrreto, mas inexato. O q era um austro-húngaro? Isso nem existia. Esse Império sempre foi a maior zona, e ninguém se entendia. Ainda mais austríacos e húngaros. Cada um tinha seu próprio sistema legal e monetário, entre outros. Sem falar nos povos menores q ficavam dentro dele. A EU, assim como todos os impérios europeus, sempre vai ter uns problemas com isso: europeus se entendem mal, abundam nacionalismos e brigas de comadres. Os vizinhos ali nunca se dão muito bem.

Hitler também era anti-tabagista fanático e louco por doces. Era capaz de devorar um bolo de chocolate ou uma barra de chocolate suíço em segundos.

Como acontece com alguns tipos sistemáticos e meio doidinhos, mas q não tiveram as oportunidades certas na vida pra virar Hitler, devia ser bom trabalhar pra/com ele.

Também não há nada admirável no comunismo do Chico Buarque e de outros “Hollanda”, etc e tal.

Uma vez, no aeroporto aqui de Brasília, havia uma exposição de esboços do Niemeyer. Isso tem muitos anos. Me lembro de um desenho tosco de um homem de quatro, com o símbolo do cifrão, $$$$, Tio Patinhas, em cima dele, pesando sobre suas costas. Aí ele exagerou na tinta vermelha, q era o sangue jorrando onde o $ esmagava o coitado. Que cara maluco.

Esquerdista brasileiro gosta da pobreza in vitro, no formol.

E rico se for trabalhador, empreendedor, no Brasil, é malvado.

Pq ele chegou aos 100? Pq é tão chato q nem a Morte quer vir buscá-lo.

Não tem gente q admira Luis Carlos Prestes, aquele assassino vulgar? E q morre de amores pela Olga Prestes. Claro q eu não a mandaria pra morrer em Ravensbrück (campo de extermínio), ainda mais grávida. Aliás, Vargas era outro filho da puta. Mas ela não queria nada de bom por aqui.

Olá, grande C. Mouro! Feliz Natal e Ano-Novo, caso não volte a falar com vc de novo.

Heitor Abranches disse...

Enviado por Ricardo Noblat - 16.12.2007| 19h47m
Aloprado derrota suspeito de ligação com máfia das vans





Foto: Fernando Pilatos/Futura Press



Tatto e Marta







Que sina a do PT depois que foi atingido em cheio pelo escândalo do mensalão...



Deve releger hoje para presidente o deputado Ricardo Berzoini (SP), indiretamente chamado de "aloprado" por Lula no ano passado quando estourou o escândalo da tentativa de compra de um falso dossiê para prejudicar a eleição de José Serra (PSDB), candidato ao governo de São Paulo, e a de Geraldo Alckmin, candidato a presidente da República.



Foram funcionários do comitê eleitoral de Lula comandado por Berzoini que forjaram o dossiê junto com os cabeças da Máfia dos Sanguessugas - aquela que subornava deputados para desviar dinheiro público destinado a compras de ambulâncias a preços superfaturados. Berzoini foi afastado por Lula do comando da campanha.



Ele derrotará no segundo turno da eleição do PT o deputado federal Jilmar Tatto, ex-secretrário de Transportes da prefeita Marta Suplicy. Tatto foi acusado por Luiz Carlos Efigênio Pacheco, presidente da Cooper Pam, uma das principais cooperativas de perueiros da capital paulista, de ligações com a facção criminosa PCC.



Pacheco disse que a pedido de Tatto empregou como motoristas de vans integrantes do PCC. Na época, a prisão preventiva de Tatto chegou a ser decretada, mas depois foi suspensa.

Heitor Abranches disse...

Hoje, depuseram João Paulo Cunha e José Genoíno no Mensalão. A imagem dos dois era absolutamente contrastante, enquanto Genoíno repetia pausadamente, de peito aberto e olhar firme a sua inocência o João Paulo Cunha sequer conseguia encarar os jornalistas e o seu advogado falava que ele não havia sido incluído na denúncia. Meu palpite é que o João Paulo é uma pessoa normal que se sente constrangida e humilhada nesta situação enquanto o Genoíno dá mostras de psicopatia.

Heitor Abranches disse...

De fato,

os psicopatas são mais atraentes que as pessoas normais...
as dúvidas e conflitos das pessoas normais consomem muita energia e sobra pouca coisa para alimentar o carisma.

C. Mouro disse...

Perfeito, Heitor:

"Meu palpite é que o João Paulo é uma pessoa normal que se sente constrangida e humilhada nesta situação enquanto o Genoíno dá mostras de psicopatia."

André, um abração e boas festas para você também. E, claro, estendo a todos do blog os meus votos de boas festas e muito sucesso.

Obs.: Não vou retomar minhas "matracagens" não, fico nas rápidas passagens apenas.

Abraços
C. Mouro

André disse...

"as dúvidas e conflitos das pessoas normais consomem muita energia e sobra pouca coisa para alimentar o carisma" Essa foi boa, he, he.

Eu gostava das suas matracagens, C. Mouro.

Suzy disse...

Off Topic...
Catellius, vim especialmente para parabenizá-lo pelos comentários lúcidos no blog do Tunico (Niemeyer)diante de tanta "insanidade" que li por lá.
Depois eu volto para ler o post (tenho perdido muitos). Inclusive eu ia fazer esse comentário por e-mail, mas sou desorganizada e não encontri o seu.
Um grande abraço

Catellius disse...

Obrigado, Suzy.

Salve, grande Mouro!

Feliz Solstício de Verão (Natal) e um proveitoso 2008 a todos!

Mouro, interessantíssima a reação da Maria da Pomba no blog do Tambosi ao meu comentário. Começou atacando, depois ensandeceu, lamuriou-se, chorou, ameaçou nunca mais escrever por lá, desabafou, lamentou que ninguém tivesse corrido para ajudá-la... Pelo jeito ela dá mais importância ao mundo virtual do que ao mundo real... Pobre coitada...

André, se você não leu, acesse aqui, he he. Freud faria a festa com uma louca como aquela...

Abraços!

André disse...

Bom, li a discussão toda por lá. Muito bom o q o Roberto Romano disse no blog dele sobre a nova encíclica, aliás. Concordo com ele.

E é legal o blog desse Orlando Tambosi.

Bom, a Maria do The Holy Spirit parece ser a maior viciada em coisas alemãs, tipo literatura e filosofia. Da filosofia, só gosto mesmo é de Nietzsche e algumas coisas do Schopenhauer. Kant era um chato e me dá sono, mas tudo bem, reconheço a importância de algumas idéias dele para a filosofia, blá, blá, blá. Mas não tenho saco para as vaporosidades filósóficas alemãs e seus paralelepípedos verbais --- tirando Nietzsche, q não tem muito a ver com o resto. Kant e, mais tarde, aqueles existencialistas alemães todos, não me interesso.

Nem eu entendi pq ela ficou toda atacadinha. Até pq vc mesmo, Catellius, estava comportado. Se tivesse escrito alguma coisa com ácido sulfúrico, um daqueles comentários enormes descendo o pau em tudo... Acho q a briga dela foi com todo mundo lá. Metidinha a moça --- ou véia --- sei lá.

Freud façaria ela falar, falar, como agia com as histéricas. E parece q ela gosta mesmo é disso, tagarelar. Mas o chato falador é mais suportável do que o chato perguntador.

Eduardo Silva disse...

Bom, vou tentar voltar a postar por aqui agora que o judiciário pára um pouco suspendendo os prazos processuais............até que fim...............



Quanto ao texto do André


André,


não gostei do texto, tá muito informal e alguns períodos não estão muito claros pra quem lê, muitas ingerências feitas por você mesmo entre parentesis não ficaram muito boas textualmente



Você começa a afirmar um monte de coisas sobre os católicos usando como paradigma o PGR Fonteneles, mas não tem nenhuma premissa boa e se é que podemos chamar o fato de impetrar uma ADin contra uma lei é uma premissa plausível


Enfim, não tá bom o texto


espero que as discussões por aqui ainda continuem com um bom nível....



Valeu pessoal

C. Mouro disse...

É caro Catellius, a sujeita é mesmo esquisita. Ela se apavorou ante a possibilidade de perder a fantasia que acalenta, algo como o fanático que teme perder a fé, e tal temor o faz fanático impermeavel a qq reflexão, então tal qual um vira-latas ele mostra os dentes, rosna e late desesperado, tentando intimidar, pois tem consciência de sua baixa potência.

Veja só, eu fiquei incucado por não entender a razão de ser chamado de tirano/tiranete e ditador. Não encontrava qq relação mental que o permitisse. Mas no fim a coisa se revelou; ela sentiu-se torturada e uma mente asnática faz associações. Logo, tortura ela associa a ditadura e esta a um tirano, vai daí...

Depois que retornei, eu postei mais alguma coisa, num "papo" com o Tambosi.
Na verdade essa mistura de vaidade com imbecilidade acaba misturando assuntos diferentes. A questão inicial nada tinha com a "logica da linguagem", mas só por se falar que as palavras são convenções para referências, ela sentiu-se melindrada. Pareceu-me ter problemas "nas idéias". Num caso desse é melhor se divertir, não vale ter trabalho. ...hehehe! ela realmente esperava que eu fosse atacado pelos demais da mesma forma que ela fez, ela queria isso, e não argumentos. E o fato de não me importar com tal tipo de ataque a deixou ainda mais frustrada. Enfim, o assunto era inútil, e eu ri as pampas com a histeria injustificada.

...Interessante mesmo os lamentos dela por ninguém te-la ajudado. ...de fato uma pobre coitada.

....hehehe! ela não quis argumentar, aterrorizou-se pelos próprios erros e tolices, partiu para o barraco sem mais nem menos, queria a censura e depois eu é que era o tirano, ditador ...hehehe!

Bem, André, eu já matraqueio desde o inicio da internet. Nas listas e fóruns que eu entrava ninguém ousava criticar o socialismo, mas eu, como bom blasfemo, matraqueava e me divertia com a histeria dos esquerdinhas. Tinha sujeito que quase enlouquecia de raiva. Depois quando qq um falava algo desfavorável ao socialismo, marxismo e lá o raio, os desgraçados diziam ser eu. Certa vez o sujeito que entrou e foi acusado de ser eu, não entendeu chongas e, ao ser atacado raivosamente, acabou quebrando o pau com o esquerdinha que insistia que era eu. ...hehehe! foi engraçado demais.

Então, é chegada a hora de fechar a matraca, coisa que há muito tento. Meu prazo de validade já venceu, agora eu quero só assistir.
Fazer raiva nos esquerdinhas imbecis era divertido, compensava e era necessário. Mas são muitos anos de "guerra", e já me entedia as discussões inúteis. Mas ficam boas lembraças, uma delas inesquecivel: um sujeito depois de trocentos pacientes argumentos para tentar fazer o coitado entender o que todos já tinham entendido, o pobre diabo solta o seguinte contra minha argumentação:

"Pensei que já tivesse ficado claro que a vontade nada tem a ver com os efeitos que ela produz"

...hehehe! ...essa é uma passagem inesquecivel. Esse tipo de resposta bem demonstra o que vai nas mentes. E isso, quando não mais diverte, passa a desanimar. Afinal, para esse tipo de coisa acontecer, há que se alongar tediosamente o debate, ficar redizendo o que já foi dito, já que os tipos "esquecem" e depois retornam com as mesmas asneiras. Então há que se ir cercando os desgraçados até que soltem coisas deste tipo. ...dá um trabalhão, mas o prêmio chega para a paciência: e eu acabava rindo sozinho, e aí os próximos ficavam me questionando por rir sozinho. ...Mas piada perde a graça depois de muito repetida.

Dessa vez eu fecho a matraca de vez.

Bem, um forte a braço para todos e votos de boas festas. De minha parte, o vinho português e a cerveja serão boas companhias, junto com bolinhos de bacalhau e churrascos - claro que não tudo junto.

Abraços
C. Mouro

C. Mouro disse...

Ah! Catellius, a discussão vinha de outro post anterior, algo como "Esquerda, essa mentira" (algo parecido com isso uns 2 ou 3 posts abaixo. Foi nesse que começou, só porque eu disse que as palavras são meras referências estabelecidas.

Abraços
C. Mouro

Heitor Abranches disse...

O AEROLULA merecido


Sylvia Romano*



Ao ver o que os nossos senadores fizeram com a carta do presidente Lula, na qual ele se comprometia a destinar integralmente a CPMF à saúde, razão única da criação do já extinto e achacante tributo, chego à conclusão que o aviãozinho de papel que virou a missiva é o único transporte aéreo que um mandatário como o nosso merece.




O resultado dessa importante votação é a resposta que toda uma população esperava e agora aplaude, além de servir de alerta aos que pensam que nos governam em meio aos escândalos que permeiam a atual administração federal.




Espero que essa importante derrota do governo, bem como o plebiscito na Venezuela e a reação de alguns governadores das províncias bolivianas, sejam o início mais uma vez da vontade dos povos contra as tentativas e pretensões ditatoriais de governantes latino-americanos que querem se perpetuar no poder, a exemplo do nefando Fidel Castro.




Outro grande ponto positivo dessa vitória da oposição foi que o Senado pode estar começando a tentar melhorar a sua imagem, hoje totalmente desacreditada em razão do que vem acontecendo com os seus membros, como os escândalos de Renan Calheiros.




A população, por outro lado, passa a contar também com um pouquinho mais de dinheiro, já que recentes pesquisas divulgadas apontaram que a CPMF aparece com custos maiores que a carne e o feijão consumidos pela população.




O momento da virada está se aproximando, um ano novo está começando, e o brasileiro, como "Fênix Rediviva", irá saber o que é melhor para si. É o momento do "basta", mais uma vez começa o tempo da luta e a nossa arma será o voto — voto este que deverá ser consciente, buscando-se sempre o melhor, o mais ético e preparado candidato. E se este não aparecer, a nossa arma deverá ser anulada, pois só assim iremos alijar a corja pretensiosa que só tem olhos para seu próprio bem-estar e que se utiliza de manobras "marqueteiras e demagógicas", tais como esmolas aos mais carentes, para atingirem o seu único e rentável objetivo, que é o poder.

André disse...

Bom, Eduardo, eu escrevo de maneira informal. Quanto à clareza dos períodos, estão bem claros para mim.

Acho que meu prazo de validade já está vencendo também, C. Mouro. Um dia ainda vou ficar só assistindo.

C. Mouro disse...

Não faça isso, André, ainda tem muita quizumba pra rolar.
...senão quem eu vou assistir?
Depois de um descanso é capaz que eu volte mais inspirado, retome o animo para novos "confrontos", com esquerdinhas desavergonhados, claro.

Um abração
C. Mouro

André disse...

É, acho q só preciso mesmo recarregar as baterias, C. Mouro.
Posso reduzir a freqüência, na verdade já reduzi bastante, mas não vou sumir.

Não sou polemista como vc --- ou sou, mas de um jeito diferente --- mas entendo o q vc quer dizer quando dá a entender que está cansado de tentar argumentar com certas figuras virtuais. É muito cansativo mesmo, ainda que seja divertido no início.

Um abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...