03 novembro 2007

Faço porque posso

Por que o Chávez aprovou a reeleição sem limites na Constituição da sua Revolução socialista? Simplesmente porque ele pôde. Como disse Lord Acton, “O poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente”. Espero que isto nos sirva de lição e nos incentive a valorizar a democracia como uma instituição que dificulta que uma pessoa ou grupo detenha mais poder do que seria conveniente.

Infelizmente, as nossas raízes lusas são autoritárias. Em algum lugar do nosso inconsciente ainda esperamos o retorno do jovem D. Sebastião, o rei português que morreu em Alcácer-Quibir, no norte da África, uma batalha sem significado algum estratégico ou comercial, e cujo corpo jamais seria recuperado.

A perda foi um trauma para Portugal. Com a sua morte terminava a dinastia de Avis, que transformara Portugal na maior potência da Europa de então. Sem deixar herdeiros, Portugal viria a ser governado pela Espanha dos Habsburgos.

Poucos sabem, mas grande parte da Invencível Armada com a qual Felipe II atacou Elizabeth I da Inglaterra era portuguesa. A perda da sua armada foi um golpe fatal para um reino cujas possessões estavam espalhadas pelo mundo. Era o inicio de uma longa decadência, que teve na crescente dependência em relação ao poderio marítimo inglês uma faceta. Portugal dependia dos navios ingleses para conectar suas colônias e, talvez com mais urgência, para colocar as pretensões espanholas de reconquista de Portugal em cheque.

Para o populacho surgia o sebastianismo, um misto de saudade e de messianismo, que colocava as esperanças de uma vida melhor nas mãos de um rei que retornaria glorioso do Hades para devolver a Portugal o seu lugar entre as grandes nações. Nós herdamos este mito autoritário de alguém que, investido de todo o poder, faria o bem.

O problema, amigos, é que somos apenas homens, imperfeitos por natureza e, infelizmente, o “poder” não torna ninguém melhor. Muito pelo contrario, alimenta a vaidade e o narcisismo que geralmente se encontram em grande quantidade naqueles que buscam o poder absoluto e revolucionário.

Na minha limitada experiência, conheci alguns homens “excelentes” que talvez devessem ser nossos líderes. O curioso é que estes homens não desejam o poder. A sua realização não está em receber o delirante aplauso dos outros seres humanos. Talvez estes homens tenham a prudência de, mesmo podendo, não desejar a adulação dos outros, para o seu próprio bem.

De fato, acredito que este desejo, esta esperança no aparecimento de um líder autoritário que resolva todos os problemas, esconde uma preguiça doentia. É uma tentação para os fracos encontrar alguém cujo carisma prometa coisas pelas quais não precisarão se esforçar. Mais do que isto, alguém que se proponha a pensar por eles, a lhes mostrar o caminho. Alguém disposto a lhes dizer que não têm culpa de nada, que são vítimas de um passado de exploração. Infelizmente, para muitas pessoas, é melhor ser manipulado do que ter de assumir responsabilidade pela própria vida e pelo seu destino.

21 comentários:

André disse...

Millôr

Companheiro Lula. Se me permite. Acho que ainda é tempo. Deixa pra lá essa tal de CPMF. Ou combine com seus companhos, afetos, apaniguados, todos os seus goodfellas, e também todos os seus adversários de boa-fé: a CPMF fica. Mas todo o dinheiro vai, como era idéia do Jatene, pra saúde. Não, corrige aí: pra doença.

Mas tu me perguntarás, na tua eterna dúvida filosófica: "E como é que vou governar, Millôr? O Manteiga disse que sem essa gaita não é possível tocar o país, quero dizer, o Bolsa Família".

Honesto Lula (Otelo, do Shakespeare, pro Iago, do mesmo), a coisa é tão simples que salta aos olhos de um cego (deficiente visual): Libera as drogas! Tudo. É. TUDO!

Olha, companho, o dinheiro dos impostos sobre drogas (e fabrico e comercialização, transporte, tudo devidamente estatizado) vai dar até pra avião novo e algum pra distribuir entre os afro-africanos.

"Liberar drogas, Millôr, tu tá maluco? Só o Gabeira vai ficar a favor! Tu te responsabiliza pelo que vem depois?"

Eu não me responsabilizo por pomba nenhuma, companho, não sei o que vai acontecer depois. Quem tem prospectiva, expectação, probabilidades, antevisão, prenúncio, conjectura, prognóstico, antevisão, cheirar ao longe, prelibação, presciência, vaticínio, é economista. Pergunta aos economistas aí. Tem tanto.

Mas uma coisa eu te garanto: liberadas as drogas, na mesma hora, não é no dia seguinte, não, companho, desaparece o traficante. Não precisa esperar os tais 20 anos pra que a educação e o apoio social (escolas, creches, centros de cultura e o escambau) resolvam a questão. E uma coisa eu prevejo, companho – ninguém morre mais de bala perdida.

Efeito negativo – sei lá. Os Estados Unidos, que tanta coisa nos encinam, encinam ou insinão?, podem nos ensinar também essa. Nos 10 ou 12 anos que teve por lá a Prohibition (no Brasil Proibição ou, mais popular, Lei Seca) nunca se bebeu tanto. Imediatamente, como aqui, se criou o "crime organizado". E a polícia corrupta. O mínimo que os policiais honestos faziam era revelar uma batida. Lembra alguma coisa? Nos speakeasy ("Falabaixo!, cara, tem sempre gente ouvindo") era um luxo encher a cara.

Reinava então, rei de Chicago, o saudoso Al Capone (diz aí sinceramente: se aparecer um filme novo com ele você vai ou não vai correndo ao cinema?). Cada tempo tem o Che Guevara que merece.

E, lá como aqui, ninguém escapava – até o genial Piazzola, com 12 anos, de vez em quando o pai mandava entregar uma encomenda de moonlight (uísque de banheira). Avião, sim, senhor.

Suspensa a Lei Seca, é claro que o crime derivou pra outras formas de lucro, como seqüestro e "proteção".

Claro que aqui – agora vou bancar o economista e prever – o crime também vai pra outros lados. Mas bala perdida, repito, nunca mais. Nem a morte e o crime estarão localizados em áreas onde vive grande parte da população pobre.

E é evidente que vai aumentar muito o assalto a banco. Quanto a isso, juro, não tenho opinião formada. Eles que são brancos que se entendam.

André disse...

“O poder corrompe e o poder absoluto corrompe melhor ainda.”

No Brasil o Presidente é um delegado de deus na Terra. E ele quer mais 4 anos, e depois mais 4... se colar, colou...

Gostei do novo marcador: vaidade, he, he

André disse...

Sobre o padreco tarado:

http://www.oexpressionista.com.br/?p=330

Ricardo Rayol disse...

Sim somos homens, o que não é o caso do pequeno fidel, huguito, presidente perpétuo da chavezlandia, que não sabe lidar com protestos contra suas sandices.

Orlando Tambosi disse...

Bota sebastianismo nisso, Heitor. Por isso mesmo é que o Estado é visto como pai, vítima do tosco patrimonialismo cucaracho.
Aqui se desconfia do indivíduo, sempre tido como egoísta e anti-social, se glorifica a pobreza (eita, franciscanismo calhorda)e se inveja quem tem um pouco mais - ressentimento que se propaga contra os Estados que vão bem. Daí o antiamericanismo, aqui disfarçado com anti-bushismo. Basta ver o que escrevem calhordas de agências oficialistas como Carta Maior, Caros Amigos e que tais.

Que este blog desça sempre o cacete nas ideologias. Tim-tim.

O+cioso disse...

'O poder corrompe, e o poder absoluto corrompe absolutamente'

Que adágio popular o quê. Isso é de Lord Acton, santa inguinorança, kkkkkkk.

O+cioso disse...

'Espero que isto nos sirva de lição e nos incentive a valorizar a democracia como uma instituição que impede que uma pessoa ou grupo adquira o poder total.'

A democracia impede o que mesmo?
Ah, que uma pessoa ou grupo adquira poder total...
Poder total? kkk Anda lendo muito gibi kkkkkk
PODER TOTAAAAAL! MUNRÁÁÁÁ!
Aí é que não é democracia, né pedro bó!
Deixa eu ver se entendi. A democracia impede (é ela que impede?) que a democracia acabe (poder totaaaaallll)! A democracia impede que a democracia acabe! Carácoles! Posso ficar repetindo isso pra sempre kkkkk
Anta huhuhu

Heitor Abranches disse...

o+cioso petralha,

Vc esta correto, a origem desta frase vem da cultura politica inglesa que tem se caracterizado pela aversao ao poderio do Estado o que nao impediu a sua absorcao pela cultura popular.

Quanto as instituicoes democraticas sao justamente elas e a proposta de separacao de funcao, de mandatos e checks and balances que buscam impedir a excessiva concentracao de poder.

Agora, eu pergunto, vc acredita na concentracao de poder como uma forma de resolver nossos problemas? Pessoalmente, prefiro o trabalho de se construir consensos em uma sociedade aberta e democratica.

Heitor Abranches disse...

ha tbm os que confundam democracia com anarquia...na democracia ha ordem e progresso..

tem-se de ter negociacao, de preferencia uma que consiga tratar de forma transparente dos problemas e dos interesses envolvidos...

infelizmente, muitas vezes a sociedade nao tem maturidade para conseguir tratar dos seus problemas.

neste processo os verdadeiros lideres deveriam ser facilitadores destas questoes. para isto tem de ser sujeitos com um minimo de etica e de necessidade de cumprir seus acordos. se vc tem todo o poder vc nao precisa cumprir suas promessas.

Roberto Eifler disse...

Caro Heitor.
Concordo com o teu artigo, bem escrito, como sempre, mas nem tanto com a mensagem final. De fato, não há “preguiça doentia”. O que há é que o homem é um animal gregário, e animais gregários estão inatamente condicionados a serem líderes e/ou liderados. Para uma sociedade se tornar socialmente estável ela tem de se constituir de uma grande maioria de liderados. O sebastianismo não é uma particularidade portuguesa. A sociologia francesa tem um nome para isso: o mito do rei escondido (Le roi caché).
Quanto ao poder, todos o queremos, só que na sociedade moderna ele assume várias formas: poder financeiro, status intelectual, status profissional, “celebridade”, etc., e os grandes homens se satisfazem de várias maneiras. Resta que o poder “poder”, restrito à esfera de governo, tende a ficar com oportunistas, picaretas, “líderes” que não encontram expressão em atividades sociais que exigem esforço, trabalho. São líderes naturais, demagogos, e é o que se vê, por exemplo, entre os chimpanzés (V. “Eu, Primata”, do primatólogo Frans de Waal), e que, entre nós, vão para a política ou fundam igrejas pentecostais, por exemplo. As democracias avançadas desenvolvem condições que inibem (até certo ponto) a ascensão desses tipos. E essas condições são estruturais, que podem se desfazer (a Alemanha de Hitler) ou podem ainda não se fazer presentes (o caso do Brasil).
Não há solução a curto prazo, amigo. Não podemos mudar a História (a não ser que nós mesmos tenhamos a liderança “natural”, primata, de Hitler, Fidel ou Chávez). Temos que viver o dia-a-dia, agradecer a Lula por não ser tão maluco como poderia ser, e, em termos de História, não pensar em anos, nem em décadas, mas em séculos (como os chineses). A não ser, é claro, que você goste de disputar a liderança. Nada contra. É um atividade social como tantas outras. É um impulso natural entre os mamíferos gregários. Entre os primatas, os bugios jogam merda um no outro. Trata-se de uma forma mais, digamos, literal de fazer política.
Um abraço.

Catellius disse...

Ótimo texto.
Concordo com o Eifler. Latino-americanos, africanos e outros ignorantes estão sempre à espera de algum messias. Sempre há um Bob Marley para depositar suas tolas esperanças em algum patético Hailé Salassié, infelizmente.

Quase tudo voltou ao normal no Pugnacitas. Coloquei as imagens no Wordpress. Mas ainda há alguns posts sem ilustração. Heitor, se tiver algumas mande-mas por e-mail, please.

Estou pensando em uma programação para o Pugnacitas, agora que completaremos 1 ano, no dia 06 de novembro. O que vocês acham?

- Cada domingo será lançado um "fórum da semana", que ficará 7 dias no topo da página, para uma discussão não ser interrompida com um novo post e para tentarmos usar os posts para comentar sobre o assunto em pauta.
- Segunda-feira: Notícias e pequenos comentários sobre o fim de semana.
- Terça-feira: Texto do Heitor
- Sexta-feira: Em uma sexta um post do Catellius e na sexta seguinte um post do André.

É uma sugestão!
Abraços

Heitor Abranches disse...

nao sei....

acho dificil um forum da semana conseguir disciplinar os comentarios...

Catellius disse...

Muito fácil, o+dioso, fingir corrigir depois que o Heitor já havia alterado o texto...

Catellius disse...

"Entre os primatas, os bugios jogam merda um no outro. Trata-se de uma forma mais, digamos, literal de fazer política."

ha ha ha!
Impagável!

Heitor, vamos testar. Se funcionar, beleza, he he. Senão volta a ser como sempre foi!

Abraços a todos

André disse...

De repente entro aqui e vejo tudo novo. Legal. Gostei da pena escorrendo sangue. Sangue com ácido sulfúrico.

“Sempre há um Bob Marley para depositar suas tolas esperanças em algum patético Hailé Salassié, infelizmente.” Engraçada essa.

Também estou gostando do Wordpress. Vamos ver se dura.

Vai fazer 1 ano agora? Eu entrei aqui pela primeira vez em dezembro. Só percebi que o site era daqui pq vc descia o pau em algumas jequices arquitetônicas da cidade.

Por mim, tudo bem, esse fórum. Acho legal. Vou tentar participar dele pelo menos uma a duas vezes por semana.

Só não posso garantir um post regularmente. Na verdade, não tenho a menor idéia de quando vou poder escrever algo. Minha cabeça está vazia, eu tento tirar um tempo para ler as análises acumuladas de geopolítica e passo o resto do tempo estudando. Ou seja, estou sem idéias e cheio de responsabilidades desde q passou o último concurso e eu fui forçado a uma mudança de rumos com relação às matérias que estudo/estudava e os tipos de prova que vou ter q fazer daqui pra frente. Até parei com as leituras prazerosas, enfim, todas as coisas que não são obrigações para mim. Também estou procurando emprego fora dessa rotina de concursos, o que toma algum tempo, mas não muito.

Bom, gostei do visual. Sempre que puder passo por aqui.

E esse comentário do Eifler foi demais. Ele estava inspiradíssimo.

Heitor Abranches disse...

BOLIVIA'S GAS SECTOR LOSING OUT

A year and half after taking office, Bolivian President Evo Morales faces
declining approval ratings, increasing friction among the members of his
own coalition, rising assertiveness of the opposition bloc, and a deeply
divided society. Although the impact of Bolivia's populist agenda has yet
to manifest fully, signposts point to continued political instability,
increasing social unrest, and a vulnerable economy.

* Regionalism is increasingly polarizing the political arena and has now
become a threat to the Morales Administration as opposition forces
coalesce.

* The transition to a new Constitution, if it occurs at all, is expected
to continue well into 2008 and beyond. Disagreements and discord could
also bring the collapse of the Constituent Assembly.

* Bolivia's economy continues to be propped up by a heavy dependence on
gas exports and by high international oil and commodity prices, indicating
that the recent higher-than-average economic growth rates could reverse at
any time. Foreign direct investment levels are less than half those of the
past decade.

* In addition to the lack of investment, the slowdown in energy industry
activity could undermine Bolivia's short- and medium-term prospects as a
major energy player in the region, prompting neighboring countries to seek
other sources of supply and changing the energy landscape throughout the
region.

Heitor Abranches disse...

5 Dívida do governo está crescendo
O governo Lula comemora todo mês a queda da dívida líquida do setor público em proporção do PIB, pois este é o melhor indicador da solvência das contas públicas. A queda vem ocorrendo, no entanto, a despeito do comportamento da dívida do governo central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social), que está crescendo desde dezembro de 2005. Este fenômeno, pouco conhecido, foi explicitado pelo economista José Roberto Afonso, durante depoimento na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. O aumento continuado do débito líquido do governo central vem sendo compensado pelo comportamento excepcional das empresas estatais e dos governos estaduais e municipais. A dívida líquida dos governos estaduais caiu de 14,2% do PIB em dezembro de 2005 para 12,2% do PIB em setembro deste ano, conforme dados do Banco Central. (O Estado de São Paulo - 05.11.2007)

Heitor Abranches disse...

Rio sem plano B para falta de gás
Data: 5 de novembro de 2007
O Estado do Rio de Janeiro não tem um plano B se a Petrobras derrubar a liminar que garante o
abastecimento de 7,3 milhões de metros cúbicos de gás/dia, ou 2,1 milhões de metros cúbicos além
dos de 5,2 milhões de metros cúbicos previstos no contrato com as distribuidoras de gás do estado.
Segundo o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico do Rio de Janeiro, Júlio Bueno,
dependendo do vencedor da batalha no Judiciário, faltará gás no estado: "Se a Petrobras conseguir
derrubar a liminar na Justiça, não tem jeito. Vai faltar gás no Rio. É preciso assumir neste país que há
falta de gás e que haja diretrizes para lidar com essa situação", disse, defendendo um pacto entre
estados, União e Petrobras para pôr fim à crise.
Segundo ele, a briga do governo estadual não é com a Petrobras, mas com "os burocratas do setor
elétrico que pensam bastar acionar uma térmica quando o modelo matemático assim ordena".
Entre as propostas do pacto que o governo do Rio pretende apresentar, a mais importante é o
rompimento do acordo entre a Petrobras e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a
alteração da prioridade de despacho das térmicas do Operador Nacional do Sistema (ONS): "A
Petrobras não pode ser multada por não cumprir exigências de uso de térmica, se não há gás.

Heitor Abranches disse...

STF retoma hoje julgamento de habeas corpus de Genoino


Da Agência Brasil


05/11/2007
14h28-O Supremo Tribunal Federal (STF) deve retomar nesta segunda-feira(5) o julgamento do habeas corpus impetrado pelo deputado e ex-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) José Genoino (PT-SP) contra o ato do ministro Joaquim Barbosa de declarar válida a decisão da 4ª Vara Federal Criminal de Belo Horizonte, que recebeu a denúncia oferecida pela Procuradoria da República no estado de Minas Gerais contra o parlamentar.

De acordo com a denúncia, Genoino praticou crimes de gestão fraudulenta de instituição financeira e falsidade ideológica relacionados a esquema de compra de votos de parlamentares, no caso que ficou conhecido como mensalão. O julgamento do habeas corpus impetrado pela defesa de Genoino está previsto na pauta da sessão da tarde de hoje do Supremo.

Segundo informações da assessoria do STF, os advogados de José Genoíno pedem a concessão de liminar para suspender a tramitação da Ação Penal 420, que está no tribunal desde abril deste ano, quando foi aceita a acusação apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) de Minas.

Para a defesa do deputado, o juiz federal não poderia ter recebido a denúncia no dia 18 de dezembro de 2006, porque o protocolo eletrônico registrou a entrada do documento no dia 19 de dezembro de 2006, data em que Genoino foi diplomado deputado federal pelo estado de São Paulo.

Isso, segundo os advogados de Genoíno, modificaria a competência quanto ao processamento e julgamento da ação penal. Além disso, a defesa argumenta "não ser razoável, nem possível que a denúncia tenha sido recebida antes de ser protocolada".

O julgamento do habeas corpus teve início no dia 15 de agosto, mas foi suspenso por um pedido de vista da presidente do STF, ministra Ellen Gracie. Já votou contra o pedido de Genoino o relator do habeas corpus no tribunal, ministro Marco Aurélio.

Indeferiram o pedido também os ministros Ricardo Lewandowski, Carlos Ayres Britto e Cezar Peluso. Já os ministros Eros Grau, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Sepúlveda Pertence votaram pelo deferimento do habeas corpus.

A Ação Penal 420 traz os nomes de 11 réus, entre eles José Genoino, o empresário Marcos Valério de Souza e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. Também são duplamente citados os ex-sócios de Valério: Cristiano de Mello Paz, Ramon Hollerbach Cardoso e Rogério Lanza Tolentino.

José Genoino já é réu em pelo menos mais um processo no STF sobre o mensalão. Ele está entre os 40 citados na denúncia da Procuradoria-Geral da República, julgada em agosto deste ano pelo Supremo, de envolvimento no esquema de compra de voto.

André disse...

Catelli, depois cheque seu e-mail, mandei algumas coisas legais e um fecho para os assuntos q conversamos hoje à tarde.

Boa noite, boa semana e até mais!

Heitor Abranches disse...

NOS ESTATUTOS DO MERCOSUL ESTÁ PREVISTA A PARTICIPAÇÃO APENAS DE PAÍSES DEMOCRÁTICOS! ESPERA-SE QUE O CONGRESSO NACIONAL CUMPRA ESSE ESTATUTO!

Este Ex-Blog tem recebido pedidos para que resuma as principais mudanças que Chávez fez na Constituição da Venezuela. Aí vão!

1) O mandato será de 7 anos com reeleição ilimitada.
2) O presidente promoverá os militares em graus e hierarquias por ato seu.
3) O presidente administrará as reservas monetárias e decidirá sobre a política monetária.
4) Designará e removerá os vice-presidentes e governadores estaduais.
5) Muda a divisão territorial do país.
6) O direito à informação pode ser suprimido nos estados de exceção.
7) Os estados de exceção não terão mais limite de tempo.
8) Cria um poder popular através dos conselhos de comunidades, operários, estudantes e camponeses.
9) Elimina a autonomia do Banco Central.
10) Dá as Forças Armadas o caráter de corpo bolivariano e antiimperialista.
11) As constituições estaduais passam a ser apenas estatutos.
12) O conselho do Estado passa a mão do presidente.
13) Perdem suas autonomias, as controladorias estaduais que ficam integradas ao sistema nacional de controle fiscal.
14) A criação ou extinção de territórios federais passa a ser feita por decreto presidencial.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...