03 setembro 2007

Irmãos, Compadres e Companheiros

Acredito que a corrupção no Brasil seja resultado da ação de redes clientelares desde a colônia até a República dos Sindicalistas. Acredito que estas redes clientelares sejam os agentes de algumas elites para sua perpetuação de forma autoritária e ilegal no poder. Como se diz por aqui: “Aos amigos tudo, aos inimigos a lei.” Na colônia, aqueles que tinham uma relação de pertencimento ou obrigação se chamavam compadres. Os pertencentes à mesma igreja se chamam irmãos. Os petistas se chamam de companheiros.

Outro dia, o Lula disse que era preciso agradecer a ele a valorização das ações da Bovespa e que aqueles que mais o criticavam eram aqueles que mais ganhavam com o seu governo. Esta afirmação é um tanto narcisista, mas também trai uma visão clientelista e totalitária do papel do governante. Aparentemente, o governante espera aplausos em troca de favores. Isto não é democrático, pois a ação do Estado no interesse público não pode ser vendida em troca de favores a alguns particulares, pois isto é corrupção.

Talvez este seja o problema da nossa frágil civilização latina e tropical, talvez aí esteja o papel didático da propriedade privada; se ao menos aprendêssemos a respeitar o que pertence ao outro, então talvez aprendêssemos a valorizar o que é nosso e um dia talvez até consiguíssemos respeitar o que é de todos. Infelizmente, prevalece a visão de que o que é de todos é de ninguém, e o sonho da maioria dos filhos desta terra, dos governantes até dos mais miseráveis, é apropriar-se daquilo que não pertence a ninguém. Esta é a tragédia do nosso socialismo caboclo, onde o bem público repousa sobre o vácuo.

O Mensalão é fruto desta confusão e desta tradição histórica da elite governante pôr a seu serviço uma ampla rede clientelar, neste caso os companheiros, que ocuparam os cargos de confiança e privatizam os meios do Estado em prol do projeto de poder desta elite sindical. Neste contexto, nada mais natural que o ministro chefe do gabinete civil, o braço direito e esquerdo do presidente, fosse denunciado e esteja sendo julgado pelo STF por estes crimes. E tudo graças ao Judas Roberto Jefferson!

Na visão de FHC, este apóstata do marxismo, a solução para o Brasil é reduzir e enfraquecer o Estado de forma a retirar estas redes clientelares do seu seio. Desta forma, estaria se combatendo a corrupção e possivelmente se ajudando a nossa civilização tropical a melhorar esta relação doentia entre o público e o privado.

O capitalismo, apesar de centenário e de permitir a organização da produção de uma sociedade complexa de forma bastante eficiente, é algo difícil de ser compreendido pela psiquê das pessoas. O lucro desperta emoções como desejo, culpa e inveja. Estas emoções geram um mal-estar que alguns políticos sabem manipular em seus discursos e o capitalizam em prol dos seus interesses.

O capitalismo na nossa sociedade tropical, assim como a democracia, é difícil de ser aceito em meio a estes velhos hábitos autoritários coloniais de usar redes clientelares para se sobrepor à lei e se apropriar de recursos materiais públicos e privados para o projeto de poder da elite de plantão. O liberalismo e a delimitação mais clara da esfera de atuação do público e do privado nos serviriam melhor do que este socialismo caboclo.

43 comentários:

C. Mouro disse...

Agora sim, foi no "olho da mosca":

"O lucro desperta emoções como desejo, culpa e inveja. Estas emoções geram um mal-estar que alguns políticos sabem manipular em seus discursos e o capitalizam em prol dos seus interesses."

Magnífica percepção, caro Heitor.

A politica é um fenomeno emocional, e não racional ou técnico.
Jamais será possivel o sucesso na politica se não se mexer nas emoções, na vaidade sobretudo ou apenas.

As ideologias limitam-se a atuar sobre as emoções, os anseios, frustrações e traumas. Daí o sucesso de sua irracionalidade.

Abraços
C. Mouro

Heitor Abranches disse...

Errata.

Os cumpadres são posteriores a colônia, de fato, este era marcadamente a forma de tratamento na República do Café com Leite. Na República dos Sindicalistas ficamos com os companheiros.

Segundo um interlocutor, esta questão apresentada no artigo já foi bem explorada no livro a Sociedade dos Individuos de Norbert Elias que fala da passagem de uma sociedade de classes para a sociedade dos individuos e as mudancas de comportamento decorrentes dela.

Neste contexto, no Antigo Regime, a riqueza de um Nobre dependia do Rei e de certa forma pertencia ao Rei que distribuia mercês. Na nossa sociedade moderna, a distribuição de mercês ou bolsas família pelo Rei é uma forma de corrupção como disse o Cristovam Buarque.

Heitor Abranches disse...

A bolsa família é uma questão delicada.

Como já disse um especialista sobre o assunto, o melhor dela é que se localiza as pessoas que precisam ser beneficiadas pelas politicas públicas existentes.

Entretanto, o bolsa família como não visa desenvolver as pessoas como é o caso da Bolsa Escola ela deveria ter uma contrapartida ou tempo de vinculação ou algum acompanhamento da família.

Da forma que está é uma modernização das velhas práticas de curral eleitoral de se dar uma cesta básica vinculada ao líder político, neste caso, o Lula.

Anônimo disse...

'Entretanto, o bolsa família como não visa desenvolver as pessoas como é o caso da Bolsa Escola ela deveria ter uma contrapartida ou tempo de vinculação ou algum acompanhamento da família.'

Aí é que vc se engana. Há a contrapartida sim. As crianças tem que estar matriculadas para receber a bolsa família

André disse...

Gostei dessa parte:

“Aparentemente, o governante espera aplausos em troca de favores. Isto não é democrático, pois a ação do Estado no interesse público não pode ser vendida em troca de favores a alguns particulares, pois isto é corrupção.”

Essas “bolsas” todas só tem porta de entrada, não porta de saída. O pessoal entra nisso e não sai mais.

“Da forma que está é uma modernização das velhas práticas de curral eleitoral de se dar uma cesta básica vinculada ao líder político, neste caso, o Lula.” Isso mesmo.

Heitor Abranches disse...

Caro Anônimo,

Desculpe, bolsa é o Bolsa Escola e todas as bolsas até a bolsa de doutorado que visam desenvolver as pessoas e a sociedade.

Quanto ao Bolsa Família,melhor dizendo, o Mensalinho,estas obrigações acessórias não interrompem o pagamento do benefício apenas o reduzem e isto se o acompanhamento for efetivo.

Assim, a República vai bem. De Mensalinho a Mensalão, a República dos Sindicalistas vai comprando o apoio que precisa e criando este curral de clientes.

Prova disso foi a medida na semana passada do apedeuta de incluir no Mensalinho os jovens eleitores de 16 e 17 anos que são cerca de 2 milhões de votos a mais para o curral do nosso mandatário.

Assim, enquanto atacam o Mensalão ele nega tudo e reforça o Mensalinho.

Heitor Abranches disse...

É um Vale Tudo...

E como não seria para esta turma que não acredita em governanr mas em fazer campanha eternamente...

Esta é a vida de sindicalista...Fazer campanha, viajar, fazer articulações políticas enquanto alguém governa.

Para eles é melhor assim pois quando der xabu é só demitir a vítima e dizer que não sabia de nada...

Anônimo disse...

Não há muita diferença entre o Bolsa Família e o Bolsa Escola. Eu mesmo conheço uma professora que envia à Secretaria de Educação informações sobre freqüência estudantil de beneficiários do Bolsa Família. Como isto funciona eu realmente não sei. Do site da Confederação Nacional dos Municípios:

"O sistema de acompanhamento da freqüência escolar dos beneficiários do Bolsa Família, para o período de fevereiro a abril de 2005, está à disposição das prefeituras municipais no site www.caixa.gov.br. Os municípios têm até 31 de maio para coletar e enviar os dados sobre a presença de crianças e adolescentes de seis a 15 anos na escola.

A freqüência de pelo menos 85% das aulas é obrigatória e considerada um importante mecanismo de inclusão social da população beneficiada pelo Bolsa Família. Cada escola deverá encaminhar os dados às secretarias municipais de Educação. Após incluir as informações no sistema na Internet, os gestores vão envia-las à Caixa. Caberá à instituição financeira consolidar e transmitir os resultados aos Ministérios da Educação (MEC) e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

O primeiro levantamento mostrou que 95,6% das crianças e adolescentes, com informação de frequência escolar no período de outubro a novembro de 2004, cumprem a condicionalidade relacionada à educação. O objetivo das contrapartidas do programa é garantir a participação dos beneficiários no processo educacional e em ações de saúde, como vacinação das crianças e acompanhamento de pré-natal, que promovam melhorias nas condições de vida das famílias. “As contrapartidas é um investimento nas famílias para que elas tenham um destino diferente”, afirma Rosani Cunha, secretária de Renda de Cidadania do MDS.

Para estimular escolas e prefeituras a encaminharem os dados de cerca de 12,3 milhões estudantes beneficiados, o MEC enviou correspondência aos prefeitos e está chamando gestores municipais e professores a participarem desse processo.

Dados sobre a saúde

Os relatórios sobre acompanhamento em relação aos cumprimentos da condicionalidade vinculada à saúde, referentes ao período de 1o. de dezembro a 31 de maio, devem ser encaminhados ao Ministério da Saúde até 30 de junho.

Enquanto as informações de educação devem ser consolidadas por bimestre, as de saúde ocorrem por semestre. O Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan) está à disposição das prefeituras desde o início março. Os levantamentos são feitos pelos agentes de saúde.

O Bolsa Família, uma das ações do Fome Zero, está presente em mais de 6,5 milhões de lares pobres de 5.533 municípios. As prefeituras devem estar atentas aos prazos para a transmissão de dados sobre educação e saúde."

Anônimo disse...

Secretaria de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica da Presidência da República:

- Pesquisa revela aumento na freqüência escolar dos alunos do Bolsa Família


Dados divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) mostram que 95,6% das crianças e adolescentes atendidos pelo Bolsa Família estão cumprindo a exigência de freqüência a pelo menos 85% das aulas - meta estabelecida pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome para a concessão dos benefícios financeiros às famílias desses estudantes. O Ministério da Educação elevou a percentagem de freqüência escolar informada, de 19%, máximo atingido até 2003, para 50,8% em outubro e novembro de 2004, dados que servem de parâmetro para a concessão do programa Bolsa Família.

Este levantamento obteve informações de 6.301.747 milhões de alunos entre 5 e 15 anos de idade, uma verificação que representa 50,8% dos 12.393.146 beneficiados pelo programa - o mais elevado índice de freqüência escolar apurado pelo governo. Em levantamento anterior, feito em 2003, o governo conseguiu apurar apenas 19% de freqüência escolar de alunos beneficiados por programas sociais.

Esses números são complementados com a informação de que dos alunos que tiveram freqüência apurada, apenas 4,4%, ou 277.387 estudantes, tiveram comparecimento escolar abaixo dos exigidos 85% de aulas. Além de atingir 50,8% dos alunos, a freqüência escolar informada obteve dados de 55,24% das escolas públicas (de um total de 206.621 escolas) e 69,62% dos municípios envolvidos no programa social. Segundo o secretário-executivo adjunto do Ministério da Educação, Jairo Jorge da Silva, o governo pretende atingir até meados deste ano a meta de 60% da freqüência escolar informada e até o final de 2005, atingir 70% desse levantamento.

Com a implementação do sistema de acompanhamento da freqüência escolar (Safe/MEC), a ser implantado até o final do ano, o Ministério da Educação espera atingir 100% dessas informações escolares. A implantação desse programa terá início em abril deste ano, com a execução de um projeto-piloto e o cadastramento dos alunos será iniciado em maio, com base na atribuição de um número de identificação social (NIS) a cada estudante do ensino fundamental e médio atingido pelo programa. O sistema permitirá o acompanhamento individualizado de toda a vida escolar de cada aluno e permitirá, além disso, a comunicação entre o Safe/MEC e os demais programas sociais do governo federal, como o Bolsa Família e o Sistema Único de Saúde (SUS).

A partir dos dados já conhecidos e divulgados na semana passada, o MEC tomará algumas medidas, como reforçar junto às prefeituras solicitações de informações das escolas públicas sobre a falta de dados relativos a 49,2% dos alunos inscritos no programa Bolsa Família, ou 6.091.393 estudantes, bem como sobre aqueles alunos que obtiveram índice escolar de freqüência inferior aos exigidos 85% de comparecimento, ou seja, 4,4%, ou 277.387 alunos. Haverá, ainda, mobilização dos gestores municipais do programa para reforçar junto às famílias beneficiadas que a freqüência escolar é condição essencial para o recebimento dos benefícios do Bolsa Família.

Quando da divulgação desses dados, a secretária interina de Renda e Cidadania, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Lúcia Modesto, explicou que o programa poderá até mesmo descredenciar as famílias dos alunos que não freqüentarem a escola e não cumprirem a meta de 85% de comparecimento às aulas. Para o próximo período de aferição programado pelos dois Ministérios - os meses de fevereiro, março e abril de 2005 - o descumprimento das exigências do programa Bolsa Família levará a sanções gradativas, que serão aplicadas da seguinte forma: 1, advertência - na primeira ocorrência, formalizada por meio de comunicação escrita; 2, bloqueio temporário - o benefício será depositado, mas ficará bloqueado durante 30 dais; 3, bloqueio ordinário - o benefício ficará bloqueado sem possibilidade de saque pelo responsável legal; e 4, cancelamento da concessão - depois do bloqueio ordinário por três períodos consecutivos, a coordenação municipal do Bolsa Família avaliará as causas que levaram a família a descumprir as exigências do programa, com o objetivo do cancelamento definitivo do benefício.

A secretária Lúcia Modesto explicou que os gestores do programa vão acompanhar as famílias beneficiadas durante um ano, "para saber se elas cumpriram as regras para receber o benefício. Se, depois desse prazo, elas não atenderem às exigências do programa, deixarão de receber os R$ 15 por aluno", disse Lúcia Modesto. As medidas escalonadas, segundo ela, visam a identificar o problema da família e promover mecanismos de inclusão das crianças e adolescentes na escola, antes da suspensão definitiva do benefício.

Anônimo disse...

31 de Agosto de 2007 - 08h39 - Última modificação em 31 de Agosto de 2007 - 08h39


Frequência escolar de beneficiários do Bolsa Família deve ser registrada até 21 de setembro

Agência Brasil


Brasília - O dados da freqüência escolar de beneficiários do Bolsa Família devem ser registrados pelos governos municipais no sistema do Ministério da Educação até 21 de setembro. Até agora, segundo o ministério, apenas 19% dos 15,1 milhões de alunos beneficiários do programa tiveram a freqüência escolar registrada pelos municípios. Os dados são referentes a junho e julho.

A freqüência escolar é condição necessária para que as famílias continuem recebendo o benefício do Bolsa Família, repassado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O descumprimento da medida por cinco vezes consecutivas leva ao cancelamento do benefício.

A presença de crianças e adolescentes na escola é acompanhada bimestralmente pelos ministérios da Educação e do Desenvolvimento Social. Para continuar a receber a transferência de renda, os pais precisam, além de efetuar a matrícula dos filhos com idade entre seis e 15 anos, se certificar de que eles assistam, no mínimo, a 85% das aulas a cada mês.

Os gestores municipais devem acessar o endereço eletrônico http://frequenciaescolarpbf.mec.gov.br e registrar os dados. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones: (61) 2104-6286/2104-6034/ 2104-8290.

Os beneficiários do Bolsa Família também precisam manter atualizado o cartão de vacinação das crianças com até sete anos de idade. Devem, ainda, seguir as instruções do Ministério da Saúde e conduzir os filhos para que sejam medidos e pesados nos postos municipais.

Gestantes devem fazer o pré-natal e nutrizes são orientadas, durante as atividades educativas promovidas nos postos de saúde, sobre a importância da amamentação e de uma alimentação saudável.

Anônimo disse...

E se alguém vier me chamar de 'petralha' vou avisando que votei no PSDB e que odeio o PT, o partido mais corrupto da história. Daí a eu fazer afirmações mentirosas como você, Heitor, é outro papo.

Apesar disso, gostei do seu texto, em linhas gerais.

Heitor Abranches disse...

Petralha,

Vc parece o seu presidente...Bate e assopra.

Quanto aos seus textos 'oficiais' não creio neles.

Gostaria de ver uma auditoria independente validando estes números. Quem sabe uma agência internacional. Isto.

Então petralha, manda aí um artigo de alguma entidade internacional independente atestando estes números.

Heitor Abranches disse...

Mas voltando a questão.

Bolsa Família é corrupção porque é uma mercê do presidente da República para famílias carentes que se tornam devedoradas dele e do seu partido passando a fazer parte da sua clientela ou curral eleitoral.

Precisamos de um Bolsa Escola que INVISTA na qualificação da nossa mão-de-obra que hoje tem uma das piores produtividades do mundo, cerca de 25% da americana, por exemplo.

Anônimo disse...

Do site dos Democratas:
O fim da CPMF, portanto, não implica o abandono de bons programas sociais, como o Bolsa Família. Há recursos para a sua manutenção em outras receitas da União e seu financiamento depende apenas de uma gestão eficiente.

Aécio disse:
O Bolsa-Família precisa ter portas de saída tão estimulantes quanto as de entrada. Em Minas estamos implantando programas inovadores, como o Poupança Jovem, que vai permitir a emancipação do cidadão que eventualmente esteja filiado ao Bolsa-Família. Não quero crer que a ampliação do Bolsa-Família possa ser o grande projeto de um governo. Ele foi essencial num dado momento, mas tão ou mais importante do que ele é criar condições, através da qualificação, de novas oportunidades de trabalho para as famílias que hoje dependem do programa.

Cristóvam Buarque disse:
– Eu não digo que o Bolsa-Família seja ruim, mas não emancipa. A emancipação vem da escola.



Se não emancipa é ruim. Como ele acha que não é ruim MAS não emancipa...

Heitor Abranches disse...

Em primeiro lugar, sou a favor do investimento no desenvolvimento das pessoas. Todos merecem ter oportunidades. A bolsas em geral visam qualificar as pessoas para que elas possam desfrutar das oportunidades. Senão vira um circulo vicioso de pobreza onde as pessoas vão ficar eternamente dependentes dos favores do Lula e dos seus sucessores petistas. Isto é emancipar. É ter eleitores que não dependam das benesses do governo...Neste sentido, o Bolsa Família é um Mensalinho..

Heitor Abranches disse...

Agora, nenhum político pode criticar um programa que dá dinheiro para o povo. Isto seria suicídio...Só gente mais íntegra como o Cristóvam tem coragem de criticá-lo...

Heitor Abranches disse...

Falando na integridade do Cristovam...Ele perdeu uma eleição para governandor por dizer a verdade! É um senador muito bom...Como executivo não é lá estas coisas.

André disse...

Bom, não vou dizer q odeio o PT, mas os desprezo. Só se pode realmente odiar quem está no nosso nível ou acima de nós. Os q estão abaixo só podem ser desprezados.

Além do que, odiar faz mal ao coração (que meigo...).

Heitor, quanto às estatísticas oficiais:

“There are three kinds of lies: lies, damned lies, and statistics.”

Há três tipos de mentiras: mentiras, mentiras deslavadas e estatísticas.

Acho que deslavadas/descaradas cai melhor do q "malditas" (damn) nesse caso.

E são "malditas" também as estatísticas, em algumas traduções.

Ao q que eu digo: fucking right.

Deve ser a terceira vez que cito essa frase de Disraeli, uma das minhas prediletas, aqui no Pugnacitas. Peço desculpas a todos pela minha falta de originalidade contumaz, mas já estou aqui desde novembro ou dezembro de 2006, se não me engano. Depois de um tempo a gente começa a ficar repetitivo, isso é inevitável. Mas q essa frase é do c..., isso é.

Vossa Mercê, “Mestre” Lampião, distribui mercês como “nunca antes na história destepaiz”...

Eu também queria ver uma auditoria independente validando esses números.

Catelli, quando tiver tempo, gravo o resto do q tenho aqui de música clássica pra vc. Inclusive óperas. Vou fazer aquilo q vc fez, bem mais prático: um DVD de MP3 cheio de “pastinhas”.

Boa semana pra todo mundo!

Bocage disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bocage disse...

Excelente texto, Heitor!
Quanto ao programa Bolsa Família, devemos ter consciência de que 100% dos beneficiados são cristãos e que, para garantirem um máximo de prazer na vida futura, na qual um decilhão de decilênios elevados à potência de bilhões de decilhões serão, relativamente, infinitamente mais breve do que um bilionésimo de segundo nesta vida, devem sofrer o máximo possível nesta instância terrena em que vivem como efemérides, larvas da brilhante borboleta em que se transformarão, posto que, segundo II Coríntios 4, os galardões da vida vindoura estão diretamente ligados ao sofrimento nesta existência: "17. A nossa presente tribulação, momentânea e ligeira, nos proporciona um peso eterno de glória incomensurável. Porque não miramos as coisas que se vêem, mas sim as que não se vêem . Pois as coisas que se vêem são temporais e as que não se vêem são eternas."

E assim, o PT prejudica os cristãos ao impedir que recebam na próxima vida o grande mensalão, o "eternidão", rsrs.

André disse...

Corrigindo: "ao que eu digo"

Infinitamente mais breves e muito mais prazerosos do que aqui, Bocage.

"A nossa presente tribulação, momentânea e ligeira, nos proporciona um peso eterno de glória incomensurável. Porque não miramos as coisas que se vêem, mas sim as que não se vêem. Pois as coisas que se vêem são temporais e as que não se vêem são eternas."

Legal! Mentiras, damned lies, mas ditas de maneira muito, muito bonita. E na tradução ordenada pelo Rei Jaime deve ficar mais bonito ainda.

É, os comunistas ateus do nosso Workers Party estragam até isso!

Bocage disse...

infinitamente mais breveS do que

falha nossa, rsrs

Catellius disse...

É isso aí, André,

"Legal! Mentiras, damned lies, mas ditas de maneira muito, muito bonita"

Quando a crença em algo se torna mais "real" do que a realidade, quando o que acreditam seja a verdade torna-se mais importante do que a própria verdade - que É, independentemente das crenças supersticiosas de poeiras com cara de macaco pelado -, quando se força a barra para se encaixar absolutamente tudo dentro das "verdades" apregoadas no bolorento livro "sagrado", e quando as estultices deste próprio são minimizadas por meio de interpretações (hipóteses ad hoc) para que ele permaneça válido quando suas contradições vêm a tona, em prol de que o que ainda não foi provado falso seja considerado verdade literal (até deus virará simbólico daqui a pouco, he he), quando se vive nesta "realidade" alternativa não se pode apelar à razão sob pena de ser tachado de "sem fé", "infiel", "traidor", he he. E chegam ao ponto de dizer que o bom é sofrer, chamam a lógica de "lógica humana", a razão de "razão humana", e o que seu deus quer sempre coincide com o que eles próprios querem, pois "compreendem" a sua "lógica", he he. São loucos, loucos de pedra!

Depois marcamos para você me entregar o DVD. Vou ripar o Idomeneu de Mozart, conforme o prometido.
Abração

Catellius disse...

E isto vale também para os petistas: as versões oficiais, o que eles querem que seja verdade, são mais importantes do que a própria verdade...

Crença: Os petistas são os únicos honestos...

Realidade: Montaram a maior quadrilha da história do país e roubaram por todos os lados

Crença adaptada: A corrupção vem à tona porque investiga-se mais e pune-se mais...

A quantidade de crentes adaptados é a prova viva das teorias darwinianas, he he. A razão, extremamente agressiva para as ideologias, destrói muitas crenças na cachimônia de muitos indivíduos; uma parte, contudo, mais resistente à razão, adapta-se incrivelmente com hipóteses ad hoc, e com o passar dos anos formou-se essa fauna tão exótica de teólogos, esses ornitorrincos ideológicos, he he. Os crentes têm pescoço comprido, patas longas, cauda, são coloridos, pintados, listrados, têm bico de pato e leite nas tetas, localizam-se por radar, são anfíbios e voam! E ainda acham que o demiurgo os criou assim, criou sua fé desse jeitinho, quando antigamente ela era muito mais simples: tudo era literal e, como não conheciam os dinossauros "era como se não existissem", como os anencéfalos da turma da Patrícia M asseveravam lá no Expressionista, he he. E era isto justamente o que pensavam aqueles que queimaram Giordano Bruno e que hoje se opõe à Seleção Natural: a "verdade" tem que ser o que eu acredito que ela seja, e se ninguém mais descobrir nada que o contradiga, É COMO SE ELA FOSSE VERDADE", ha ha ha! É só queimar o cientista ou repetir ad infinitum que não existe a Seleção Natural para que ela deixe de ser verdade, he he.

Parabéns, grande Heitor! O texto foi no olho da mosca, como bem disse o Mouro.

Falou!

Bocage disse...

Genial, caro Catellius:

"Os crentes têm pescoço comprido, patas longas, cauda, são coloridos, pintados, listrados, têm bico de pato e leite nas tetas, localizam-se por radar, são anfíbios e voam!"

Rsrsrsrsrs

Encontrei a verdadeira face, o vero+ícone, a "verônica" do Omnildo, nosso mais divertido e estúpido criacionista adaptado, rsrs, e adianto que não é a do dinossauro que escolheu como avatar. Clica aqui para conhecê-la, rsrs.

Catellius disse...

HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA

Tenho que escrever um post sobre os criacionistas adaptados apenas para poder usar essa imagem! Simplesmente genial, ha ha ha!

Valeu Bocage!

Vou ver se hoje no final do dia arranjo um tempo para comentar algumas coisas legais que li por aqui.

Abraços a todos

Catellius disse...

Ah, e gostei da sua referência ao IICoríntios. Apologistas do sofrimento... o dos outros...

Abraços

André disse...

O dvd ainda vai levar um bom tempo pra ficar pronto, falta passar muita coisa para o HD. Não tenho tido tempo, senão já teria feito isso há uns dois meses, pelo menos.

Essa da “corrupção vem à tona porque investiga-se mais e pune-se mais”... e tem gente q acredita. Acho q tem um sujeito q aparece aqui de vez em quando e fala nisso. Ou falou nisso uma vez.

Engraçado o desenho, Bocage.

Bocage disse...

Gostou?
Mais algumas charges,rsrs:

As aparências enganam

Corte Religioso

Desktop do Papa (desatualizado, rsrs)

Evolução da Religião

Cristo é meu guia

A Morte de Cristo

Jesus e o Coelhinho da Páscoa

Jesus antes da fama

Clássico do Jaguar

Desígnios Divinos

O cristão deve ser forte

O golpe mais velho do mundo

Porta-voz de Deus

A Bíblia pode ser útil

Simone Weber disse...

Este é um de teus mais sensatos artigos, amigo Heitor. Cheguei a fazer a seleção dos trechos de que mas gostei, mas acabei por não salientar nada, pois todo ele está perfeito.
Beijocas a todos!

Simone Weber disse...

de que mais gostei
:-)

Holy Father disse...

Estas charges são de péssimo gosto. Contudo, não somos como os muçulmanos. Não saímos quebrando tudo porque alguns insensatos desrespeitam nossa fé.

Como a maioria dos católicos, faço a leitura do Gênesis como uma bela poesia cheia de simbolismos, uma tentativa daqueles povos antigos de dizer que tudo o que existe veio de Deus, mesmo que a Evolução das Espécies fosse parte de seus planos.

Holy Father disse...

Catellius e Bocage,

Lemos no Catecismo: Sob suas múltiplas formas - extrema privação material, opressão injusta, enfermidades físicas e psíquicas e, por fim, a morte -, a miséria humana é o sinal manifesto da condição natural da fraqueza em que o homem se encontra após o primeiro pecado e da necessidade de uma salvação. É por isso que ela atrai a compaixão de Cristo Salvador, que quis assumi-la sobre si, identificando-se com os 'mais pequeninos entre seus irmãos'. É também por isso que todos aqueles que ela atinge são objeto de um amor preferencial por parte da Igreja, que, desde as suas origens, apesar das falhas de muitos de seus membros, não deixou nunca de trabalhar por aliviá-los, defendê-los e libertá-los. Ela o faz por meio de inúmeras obras de beneficência, que continuam a ser, sempre e por toda parte, indispensáveis.

André disse...

Das charges, Cristo é meu guia, Clássico do Jaguar e Desígnios Divinos são realmente boas, muito criativas.

Bom, Holy Father, não acredito em pecado, o original ou qualquer outro, nem em necessidade de salvação. Mas q a miséria humana é bem real, isso é. A vida é uma guerra e eu não vejo nenhum sentido nela. Quase sempre, se vc consegue 20% do q vc quer, em qualquer setor, já pode se considerar um privilegiado. Mas mesmo assim... isso não é motivo pra entrar em desespero. "Não existem situações desesperadoras, mas apenas homens desesperados", já dizia um general alemão da II Guerra que lutou na Rússia. O negócio é agüentar firme e tentar viver da melhor maneira possível.

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Heitor:

Artigo muito interessante e com uma argumentação pertinente.

Penso que, de facto, ao mencionares a "herança" colonial és capaz de ter alguma razão.
Perde-la no entanto quando não "actualizas o calendário".

Quer isto dizer que uma coisa era a vida e a organização social na Idade Média e outra bem diferente é a organização social dos tempos modernos.

Ora o que aqui se pode constatar é uma situação bem diferente e que se prende com o facto do Brasil e dos brasileiros no seu conjunto não terem sabido ajustar a sua organização social aos novos tempos.

Isto é de sua exclusiva responsabilidade e não de qualquer forma de colonialismo.
A prova-lo está a organização social de outras potências económicas outrora colónias e hoje países soberanos.

Essa mania de julgar o passado por se ser incompetente no presente já está completamente ultrapassada e já não colhe.

O mesmo procedimento é usado pelos governos incompetentes que, por insuficiências próprias, estão sempre a dizer que a culpa do seu insucesso é do, ou dos, que o precederam.

Um abraço a todos,

O+cioso disse...

Holy Father,

'uma tentativa daqueles povos antigos de dizer que tudo o que existe veio de Deus, mesmo que a Evolução das Espécies fosse parte de seus planos.'

Mandou bem!

O+cioso disse...

Catéquitus vomitou:

'Os crentes têm pescoço comprido, patas longas, cauda, são coloridos, pintados, listrados, têm bico de pato e leite nas tetas, localizam-se por radar, são anfíbios e voam!'

E os descrentes, em oposição, são seres unicelulares que não têm propósito na vida a não ser nascer, crescer, reproduzir-se e morrer, como qualquer PERRO da esquina, kkkk.

Catellius disse...

Caramba, O+dioso, vá anarquizar outro blog! Vou apagar os trechos ofensivos e colar aqui o resto, seu boçalizinho irritante.

O+dioso disse:

Para o Heitor
"- Não é preciso ter sido colônia para hoje se ter redes clientelares, compadrio, cartéis, etc."
"- o Hector não respondeu ao anônimo que mostrou que existe contrapartida para o Bolsa Família: a freqüência escolar. Ficou pedindo dados não oficiais, mudando de assunto."

Para o André:
"- 'Só se pode realmente odiar quem está no nosso nível ou acima de nós. Os q estão abaixo só podem ser desprezados.' - Só porque não odeio ninguém no Pugnetitas, só porque desprezo o Catéquitus e todos os outros quer dizer que eu estou acima deles? Obrigado!"


Pronto. O resto foi moderado por falta de respeito e anarquia.

Clarissa disse...

Mouro
A falta de tempo tem-me impedido de comentar mas não de ir fazendo umas rápidas visitas. Falocontigo aqui, abusando da amabilidade dos donos da casa, porque me recuso a voltar a comentar no Expressionista onde, referindo-te ao Klatuu, afirmas
«C. Mouro, disse:
September 4th, 2007 at 16:30
É, caro Anselmo,
o pobre diabo tem problemas psiquiatricos.

E quanto ao Gabriel, não é que que eles “se droguem”, eles são drogas, lixo.»

Já experimentaste ler os blogs do Klatuu e do Lord que são a mesma pessoa?! Há um velho ditado que diz «porcas apressadas parem leitões cegos», o que significa que fazer juízos de valor apressados não dá bom resultado. O Klatuu foi a primeira pessoa que conheci na net, é uma pessoa extremamente culta e inteligente que não tem medo de travar as suas lutas em favor dos valores que defende.
A utilização da net permite desenvolver a argúcia em relação a traçar o perfil do parceiro de debate, mas permite também, maioritariamente, e infelizmente, o rebaixamento do outro, usualmente considerando-o um garoto, um drogado, alguém com problemas psiquiátricos... O respeito pela inteligência alheia é algo que a humanidade ainda está longe de alcançar. É que o facto de não compreendermos algo não faz, necessariamente, dos outros ignorantes; talvez, de vez em quando, os ignorantes sejamos nós.
Um abraço
Abraço

Catellius disse...

Colo o que escrevi no Expressionista:

A despeito do clima “gótico” dos sites do Klatuu/Lord of E.., os quais não combinam comigo, que sou mais diurno, acho que ele (segundo a Clarissa são a mesma pessoa) é articulado, tem boas idéias e escreve muito bem; passeia com desenvoltura pelas idéias de Nietzsche - e até sobre as “idéias” do Olavo de Carvalho, em uma compreensão do tartufo muito além da alcançada pela maior parte dos blogueiros que o amam ou o que o odeiam.
Discordo dele e da Clarissa em assuntos como a questão indígena, mas parece-me que lá na Europa o politicamente correto, principalmente no que diz respeito às ex-colônias e seus aborígenes, é em parte derivado de um sentimento de culpa meio besta, reforçado após a 2ª Guerra e o trauma das ditaduras de esquerda e de direita que infestaram aquelas terras antes e depois do dito conflito. Os europeus consideram que exageraram para um lado e agora exageram para o outro; espero que em breve encontrem um equilíbrio. E em breve se cansarão de fazer vista grossa para as gangues de muçulmanos a fazer arruaças em Paris e a estuprar meninas na Suécia…

Bom, colo aqui algo que o “energúmeno” (substantivo que o gótico Klatuu/Lord deve tomar como um elogio, pois, ao contrário do que boa parte dos brasileiros pensa, significa “possuído pelo demônio” e não “desmiolado”), “rebelde urbano” (é mister distingui-lo do rebelde rural, o integrante do MST, muito comum em Portugal, he he), escreveu em meu blog sobre o Olavo de Carvalho. Nada para destronar Saramago, é claro, mas é um mero comentário passageiro em um blog qualquer, e que acaba dizendo mais sobre seu autor do que seu próprio site e todos aqueles capetas, tripas e sangue, he he.

“Há muita coisa aqui que não comentarei, porque não estou da posse de todos os dados da sociedade brasileira actual… mas de uma coisa estou certo: o declínio progressivo do Brasil é sintoma - também - do declínio dos seus intelectuais! Olavo de Carvalho é um excelente exemplo disso mesmo; não passa de um fala-barato sem verdadeira cultura filosófica, é um parafrasedor de filósofos mais que interpretados: agarra na ‘ignorância’ socrática e repete o preceito como se tivesse acabado de o inventar; vai a caquéticos ‘pensadores’ cristãos da Contra-Reforma e repete as suas abstrusidades milagreiras; enfim, é um diletante da filosofia comparável ao Paulo Coelho na literatura, este escreve literatura de cordel com anjinhos esotéricos para solteironas alienadas e sexualmente carentes, aquele escreve filosofia de cordel para políticos analfabetos e corruptos!
Quando a cultura brasileira for só paulos coelho e olavos de carvalho… o melhor é vossas excelências venderem o Brasil a retalho aos vossos vizinhos.”

Enfim. E reitero aqui minha admiração pelo Anselmo e principalmente pelo Mouro, sempre inspirador e destemperado, he he.

Abraços a todos

Lord of Erewhon disse...

Meu caro Catellius, por mais que bem pensemos... nunca devemos esquecer que é impossível pensar fora de um contexto de pre/conceitos - cada um de nós todos terá os seus. Os pre/conceitos não são necessariamente maus: marcam as fronteiras de quem somos e do que somos e queremos ser; marcam, também, tantas vezes, onde não queremos ir e não conseguimos ir. Há pre/conceitos inteligentes e pre/conceitos estúpidos.

Os meus blogs têm templates assumidamente adolescentes, ou melhor, fingidamente adolescentes - nenhum adolescente as faria do mesmo modo irónico - e, como tal, são uma intencional opção estética - e ética. Não quis que o que escrevo, em ambos os blogs, tivesse por moldura aquela template branca e «neutral» dos blogs «sérios».
Com isto assumi um risco: o de não ser lido por quem melhor poderia entender o que escrevo. Mas, na verdade, eu faço esses dois blogs para, fundamentalmente, «falar para» gente muito jovem. E isto é, para mim, a única coisa que justifica fazê-los.

Não ignoremos o poder da Internet - os meus blogs encerram uma mensagem cultural, política e filosófica. São também uma espécie de «pedagogia das trevas» - cansei-me de ver gente muito jovem a auto-destruir-se por aderir a uma sub-cultura de que pouco sabe.

Eu pertenço à primeira geração que ajudou a construir o que hoje se chama «Gótico» - ser pioneiro em algo torna-nos eticamente responsáveis por aqueles que nos seguem depois.

Tenho formação universitária e em nada necessito de blogs para a minha vida pessoal, profissional e criativa - mas sempre fui um sonhador. Esse é o meu melhor lado... e o palácio onde residirá sempre a minha juventude eterna e a minha inesgotável fidelidade a tudo o que amo.

Os melhores cumprimentos, amigo Catellius, e um sincero abraço.

Lord of Erewhon disse...

P. S. Um beijinho, Clarissa - por estares sempre disponível para justificar este vampirito antigo e meio fora do mundo.

Anônimo disse...

Todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor.
Minha oração é para que o Senhor venha se revelar a vocês assim como se revelou a mim...
Fiquem na Paz do Senhor

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...