22 maio 2007

A Herança Maldita

O chefe do Executivo, sempre quando acuado por algum problema, gosta de dizer que tudo é culpa de uma "herança maldita" vinda de FHC e outros membros de uma pestilenta elite. Ele, o homem mais poderoso do Brasil, se diz perseguido pelos meios de comunicação que não mostram "as coisas boas" do seu governo. Ele devia procurar conhecer melhor a Carta Capital, a Tribuna da Imprensa, a Agência de Notícias do Planalto, a Caros Amigos, a Hora do Brasil e outros meios de comunicação patrocinados pelos seus aliados. Acho que seu problema é querer que todo mundo fale bem dele e do seu governo. Ele não gosta de crítica nem de oposição.

Ultimamente, sentindo o ceticismo em relação à sua pessoa, tem gostado muito de dizer "vocês vão ter que me engolir", evocando o desabafo de Zagallo após vencer a Copa América. Por outro lado, quando a notícia é boa ele adora se jactar com a frase "nunca antes na história deste país" ou "da humanidade", dependendo do quanto estiver embriagado... pelo próprio discurso.

Embora ele seja um sindicalista de origem humilde e nordestina, muitos do grupo que o cerca são da famosa geração de 68. São aqueles jovens esquerdistas de classe média que queriam mudar o mundo, que participavam de Manifestações na Cinelândia, roubavam bancos, justiçavam, faziam guerrilha e praticavam atos terroristas contra o regime Militar. Queriam implantar no Brasil algo como uma Revolução Cubana. Foram vencidos pelos militares e expulsos. Mas voltaram.

O curioso é que eles vivem da herança deixada pelos seus inimigos. O Lula herdou a estabilidade econômica iniciada no governo de Fernando Henrique Cardoso com o Plano Real, que venceu a inflação, e hoje o Brasil bate recordes de redução do Risco País graças à gestão do Banco Central por um ex-banqueiro internacional e ex-membro do PSDB.

O alarde em torno da autosuficiência em petróleo, que incluiu uma visita sua vestido de operador a uma plataforma, foi graças à "herança maldita" do regime militar no qual o próprio Geisel foi presidente da Petrobras e durante cujo governo passou a ser explorada a bacia Campos, que após anos de pesquisa e investimentos, durante o governo FHC, nos proporcionou finalmente a autosuficiência.

Pelas exportações agrícolas ele pode agradecer à Embrapa que, fundada pelos militares em 1973, promoveu uma verdadeira revolução em nossa agricultura, aos fortes investimentos durante o governo FHC, aos latifundiários, além, é claro, à China, que paga regiamente pelos nossos produtos. Pela Companhia Vale do Rio Doce ele também pode agradecer aos militares, bem como pela Embraer e pelo Pró-Álcool, que hoje nos abre as portas para grandes oportunidades na indústria do etanol.

Está na hora de pensar na herança maldita do PT. A desprofissionalização do Serviço Público com a introdução de milhares de cabos eleitorais do PT, a existência de mais de 300 Grupos de Trabalho Ministeriais, o uso de cargos de confiança para arrecadar dinheiro para o partido. O reconhecido uso de Caixa 2, a troca de apoio por cargos que movimentam grandes orçamentos nas empresas públicas, uma TV Oficial que terá como objetivo falar bem do governo, a transformação de altos comissários do partido em consultores de grandes empresas.

Ao menos eles foram forçados a amadurecer e abandonar parcialmente o discurso fácil, inconseqüente e superficial, como ameaçar não pagar a dívida externa, e sentem na pele as dificuldades de se fazer as coisas. Se o Brasil tiver sorte, esta será a grande herança do período Lula; uma esquerda mais amadurecida. Se não tiver sorte, teremos uma esquerda mais corrupta, mais autoritária e instituições democráticas enfraquecidas. Curiosamente, estão a se formar alguns clãs de coronéis da esquerda, irmãos, filhos e netos que herdam o poder dos seus parentes... Apenas mais uma contradição destes "socialistas".

53 comentários:

André disse...

Eles são arrivistas inconseqüentes que vivem falando de pobre com um copo de whisky na mão.

José Alberto Mostardinha disse...

Boooommmmm!!!!

Háaaa!!! grande Heitor... reaccionário por conta própria a quem "tiro o chapéu".

Quem te ouvir falar vai logo deduzir que antes do Lula o Brasil era o país mais rico do mundo e que agora com Lula é o caos.

Cego não é o que não vê mas aquele que não quer ver.


Ainda me vais explicar quando é que no Brasil não houve corrupção, tráfico de influências, assassinatos nas ruas, etc., etc.

A mentira tem perna curta.
Sou um crítico da gestão do vosso presidente nas áreas em que ele deveria imprimir outra política e para a qual o povo lhe depositou a confiança como sejam exactamente essas aí acima.

Pelo que tenho lido nessas áreas tem defraudado todas as espectativas.

Mas daí até achar que o antes era o "paraíso" e o depois o "dilúvio" vai uma grande distância.

Em democracia ninguém ganha eleições por acaso mais, quem está no poder só as perde se for estúpido politicamente.

Foi o que se passou com quem lá estava antes do Lula... senão teriam democraticamente ganho a eleição.

A democracia não é boa quando ganham as ideias apoiamos e má quando acontece o contrário.

Aliás neste momento até parece haver unanimidade na política brasileira... já nem existe oposição.

Um abraço a todos e... bom senso, o Brasil precisa dele.

José Alberto Mostardinha disse...

PS:
reaccionario,ria
adj. y s. Conservador,contrário ás inovações,especialmente em política.

(retirado da WordReference.com
http://www.wordreference.com/definicion/reaccionario)

André disse...

"Ainda me vais explicar quando é que no Brasil não houve corrupção, tráfico de influências, assassinatos nas ruas, etc., etc."

Não é esse o ponto do post.

"Mas daí até achar que o antes era o "paraíso" e o depois o "dilúvio" vai uma grande distância."

Antes não era o Paraíso. Mas agora certamente estamos mais próximos do Inferno.

"Em democracia ninguém ganha eleições por acaso mais, quem está no poder só as perde se for estúpido politicamente."

Nem sempre. Raposas políticas muitas vezes perdem eleições. Mas Lula realmente não ganhou por acaso, até pq é o tipo q "se elege" (força própria), não que "é eleito" (forças externas). Explico: foi eleito na 1a vez pelo seu carisma, não por nenhuma qualidade intelectual ou coisa q o valha, mas ainda assim por uma qualidade pessoal. Conseguiu vender sua rapadura à rude massa, naturalmente. E fez isso de novo, mesmo desacreditado entre o 0,1% da população que não tem mingau na cabeça, q sabe das coisas. Claro q o caixa 2 ajudou, mas esse é universal e, aliás, descaradamente defendido pelo próprio Virgulino Ferreira, o Lampião, nosso amado, idolatrado, salve, salve presidente, que chega matando, comendo e bebendo... mas querendo bem, como disse o grande Millôr.

"A democracia não é boa quando ganham as ideias apoiamos e má quando acontece o contrário."

Sem dúvida. O problema vem depois: quando a gente descobre q o vencedor simplesmente não tinha idéias.

"Aliás neste momento até parece haver unanimidade na política brasileira... já nem existe oposição."

Toda unanimidade é burra, como dizia Nelson Rodrigues. Mas não vejo tanta unanimidade por aqui. Vejo acomodação e covardia, q são irmãs nesse caso.

Eduardo Silva disse...

Quando se fala em corrupção, o governo lula se ostenta dos números de presos nas operações da polícia federal, isso demonstra que ainda há corrupção, e não que ela cessou. O fato intrigante é que o PT por anos levantou uma bandeira falsa, que hoje não o faz mais por vergonha das chicanas políticas que tem feito. Estamos fadados ao populismo do Hugo Chavez, Kichner, Morales, Lula? Esse populismo que incha o Estado usurpando nosso dinheiro prestando péssimos serviços públicos.

Catellius disse...

Viva Mostardinha!

Claro que o Heitor sequer sugeriu que vivíamos no paraíso. A crítica foi para a fixação que Lula tem com aquilo que chama de "Herança Maldita" de governos anteriores, e que isto é apenas retórica de um eterno palanqueiro em campanha, que tem cacoetes de revolucionário, sendo que é a figura mais poderosa do país. Ele consegue ser um presidente-oposicionista que ataca moinhos de vento, que esgrime espantalhos e presidentes mortos de governos militares.

Abração,
Catellius

Heitor Abranches disse...

mais heranca maldita

as perdas da petrobras na bolivia e na venezuela...

as proximas perdas para o paraguai...

um nivel de cooptacao da oposicao com cargos nunca antes atingido na historia....

André disse...

Acho q vcs vão gostar dessa aqui:

http://execout.blogspot.com/2007/05/vejam-senhores-algum-aqui-no.html

Marc's Blog disse...

Actually I prefere our drunk president than yours! lgs

Bocage disse...

Bem, Heitor, a herança maldita levou Lula ao poder, mas esta é uma longa história...

Eduardo Silva disse...

"mais heranca maldita
as perdas da petrobras na bolivia e na venezuela...
as proximas perdas para o paraguai..."

Heitor, tente ver a situação da seguinte forma: quando os árabes elevam o preço do petróleo sem mais nem menos, ninguém fala nada, porém quando é a coitada da Bolívia, que só tem indíos querendo uma revolução socialista, aí podemos reclamar e ir até a justiça impedir que as mudanças propostas por Morales se efetivem. O Morales é um idiota, vai afundar mais o país dele, porém nós brasileiros vemos a Bolívia como um país inferior, por isso muitos reclamam da diplomacia do governo nisso tudo. O fato é que Nietzsche estava certo, nós temos é que dominar o fraco mesmo, sem pena e sem culpa. Assim devem pensar os norte americanos quando, nós brasileiros, solicitamos a diminuição dos subsídios agrícolas, devem dizer: não o Bush não pode aceitar isso, senão ele será fraco. O mesmo que dizemos do Lula nessa relação com a Bolívia.

Catellius disse...

Repetindo um convite de Helder Sanches, perdido no post passado:

Catellius (e todos os interessados),

Conto com a sua participação no debate em curso. Sei que você tem vindo comentando alguns dos artigos participantes do debate, mas gostava de ter um artigo seu também.
Quem quiser saber como funciona o debate siga este link:
http://www.heldersanches.com/2007/05/18/debate-inter-blogues-sera-o-agnosticismo-mais-racional-que-o-ateismo

A Língua disse...

VAMOS DESMASKARAR OS KÚMMUNISTAS!!! - MULLA É NARKO-TRAFIKANTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Prezado Leitor(a), por favor, divulgue meu blog religiosamente todos os dias para seus, parentes, amigos, colegas, conhecidos. Eu quero fazer este blog ser um jornal diário que será meio de divulgação de pessoas de almas limpas que são contra a toda essa patifaria do "podrer polítiko-kúmmunista-narko-trafikante". No A Língua! você saberá de boa parte da realidade sobre esses filhos das PuTa$ do pó do ovo da serpente.

Anônimo disse...

Não acho que a gestão Lula está corrigindo 100% do país que recebeu, mas é um primeiro passo. Apenas rezo para não darmos um passo atrás elegendo outro presidente nazista, digo, tucano em 2010.

Entre as lambanças do FHC:
- Sucatemaneto das Forças Militares Brasileiras;
- Sucatemaneto do Serviço Público;
- Tentativa de entrega da base de Alcântara aos Militares Estadunidenses;
- Política de subserviência aos EUA;
- Aumento da dívida externa brasileira...
- Apagão
- Ainda tem aquela piadinha infame que ele falou sobre os professores.

E quem propôs uma censura à imprensa não foi o LULA, o PT apenas encaminhou ao congresso sugestão tirada num dos orgãos de classe ligados a imprensa!

Poderia falar sobre a robalheira por trás da privatizações... dos escândalos do proer e de todos os outros que FHC travou as investigações de todos os meios!

A história é inexorável! Você pode escolher qualquer indicador econômico da sua escolha e verás que a adminstração PT/LULA foi melhor do que FHC/PSDB! (59 milhões de brasileiros concordam comigo!)

Há erros e corrupção no Brasil atual? Sem dúvida, mas é combatida com muito mais transparência e eficiência na Era LULA que na era FHC.

Você lembra de alguma prisão importante da Polícia Federal na era FHC? Nem eu! Quantas investigacões, processos, prisões e condenações efetuadas pela PF na Era LULA?

O Governo Lula tem erros, o do FHC teve acertos, mas o primeiro é melhor que o segundo, na minha opinião. Claro que existem outras opiniões, igualmente legítimas e válidas...

Petista sim, e daí? disse...

Dá-lhe José Alberto Mostardinha

Dá-lhe anônimo

Vamos mostrar pra essa turma de tucanos como funciona a coisa

Olhe o naipe da tucanada, do tipo dessa Língua, q devia ir pro hospício!

Petista sim, e daí? disse...

Há um jeito petista de ser.

Quantas pessoas só de verem um petista falar, mesmo que não seja de política diz logo:

“Esse é PT...”.

Temos uma cultura própria, mais que uma ideologia, um entusiasmo só comparado às torcidas de futebol e às religiões, uma energia que leva os militantes - a tão famosa militância do PT - a sair às ruas, bandeira em punho, estrelinha no peito...

Isso é lindo!

Menos para os invejosos...

Que perderam as eleições!

O PT soube, desde o início produzir uma imagem própria, moderna, alegre, jovem, contrastando com a caretice dos outros partidos.

E programas eleitorais do PT conseguem a proeza de não serem chatos, às vezes são até divertidos, a ponto de hoje não faltarem imitadores em todos os partidos.

SOU PETISTA, porque me recuso a me acostumar com a injustiça que nos foi legada pela sociedade capitalista, com o embrutecimento dos homens, com a covardia e o autoritarismo.

Desprezo a ironia e o humor macabro dos que riem enquanto o povo sofre, torcendo para que a situação piore. Meu repúdio aos que generalizam em um só conceito milhares de pessoas tão diferentes entre si.

Andrew, Lord of Lemmings disse...

Waaal, eu adoro esses comentários cretinos em q os americanos são chamados de “estadunidenses”. Me faz sentir tão... 1900 e lá vai coquinho, sei lá...

“Sucatemaneto das Forças Militares Brasileiras”, “Tentativa de entrega da base de Alcântara aos Militares Estadunidenses”, “subserviência aos EUA”...

Parece uma edição da revista Caros Amigos.

“E quem propôs uma censura à imprensa não foi o LULA, o PT apenas encaminhou ao congresso sugestão tirada num dos orgãos de classe ligados a imprensa!”

É, divertido... e conveniente, não?.

“Poderia falar sobre a robalheira por trás da privatizações... dos escândalos do proer e de todos os outros que FHC travou as investigações de todos os meios!”

Na verdade, o Proer foi bom, mas essa é uma longa história. Quem sabe um dia, numa mesa de bar.

“A história é inexorável!” Nossa, é mesmo? Que descoberta... mas e daí? Ela podia ser inefável, admirável, suplantável, incontornável, inexplicável, que não iria fazer muita diferença.

“Você pode escolher qualquer indicador econômico da sua escolha e verás que a adminstração PT/LULA foi melhor do que FHC/PSDB! (59 milhões de brasileiros concordam comigo!)”

E daí se fosse a China inteira? Não preciso dizer o q esses 59 tem na cachola.

Ok. Mas lembre-se de Disraeli, estadista inglês: “Há mentiras. Há mentiras deslavadas. E há malditas estatísticas.”

Esse cara deve ser do IBGE, ou qualquer outro órgão de estatísticas, tão descartável e dinamitável quanto aquele. Prefiro me basear no q os meus olhos vêem, não em números. Mas é uma discussão inútil essa.

“Há erros e corrupção no Brasil atual? Sem dúvida, mas é combatida com muito mais transparência e eficiência na Era LULA que na era FHC.”

Pausa. Silêncio. Vocês aí, comentaristas, decidem.

“Você lembra de alguma prisão importante da Polícia Federal na era FHC? Nem eu! Quantas investigacões, processos, prisões e condenações efetuadas pela PF na Era LULA?”

Desde que não haja nenhum vermelhinho envolvido, a coisa funciona. Um pouco.

“Claro que existem outras opiniões, igualmente legítimas e válidas...”

Sim, e boa parte delas igualmente idiotas.

Ideologias, assim como teorias conspiratórias e sobretudo acusatórias — vc é isso, vc é aquilo, não sei quem fez não sei o quê... — estou tecnicamente morto diante dessa conversa.

Bom, poderia desancar otras cositas más, mas, cá entre nós, Catellius, C. Mouro, Bocage, Heitor, et al, estou cansado de rebater esse tipo de raciocício (e raciocínio é a palavra certa?). Pra valer. Essa é minha última rajada de metralhadora por um bom tempo. Estou bem, mas cansado. Vou dar um tempo. Comprar artilharia pesada, aqueles belos canhões de 155 mm montados em tanques, por isso chamados de autopropulsados. Um dia volto com uma barragem de fogo arrasadora. Só que agora, eu e meus diligentes funcionários lemingues vamos todos pra toquinha. Lemingue vive em tocas? A National Geographic deve saber.

Mas não vou evaporar daqui, lógico. Continuo onisciente, onipresente, onipotente...

Porém não full time. Como Deus: poderosíssimo, mas aparentemente não quer se envolver... Ateus e agnósticos do meu Brasil: foi só uma brincadeirinha, he, he!

The Last Lemming disse...

“Temos uma cultura própria, mais que uma ideologia, um entusiasmo só comparado às torcidas de futebol e às religiões, uma energia que leva os militantes - a tão famosa militância do PT - a sair às ruas, bandeira em punho, estrelinha no peito...”

Aleluia, irmão! Glória ao Senhor! Hosana nas alturas! Amém, amados!

Bem, eis mais um homem-massa de Ortega Y Gassett. Eifler, Eifler, meu caro, estás me ouvindo? Essa foi pra vc!

“Os programas eleitorais do PT são até divertidos...”

“SOU PETISTA, porque me recuso a me acostumar com a injustiça que nos foi legada pela sociedade capitalista, com o embrutecimento dos homens, com a covardia e o autoritarismo.”

“Desprezo a ironia e o humor macabro dos que riem enquanto o povo sofre, torcendo para que a situação piore. Meu repúdio aos que generalizam em um só conceito milhares de pessoas tão diferentes entre si.”

Ok, já chega, vamos apagar as luzes, fechar as cortinas e ir embora...

Aqui fala o último lemingue, signing out, se suicidando. Pulando na água... kaploft!

Catellius disse...

Como o André, estou meio sem tempo. Estou trabalhando em uns projetos e o Outlook Express apita a cada novo comentário, o que é uma boa emoção, confesso!

Vou ignorar os últimos anônimos, pois todos nós já perdemos tempo analisando os números dos petistas e sua fixação com a tal "herança maldita" de FHC. O tema do post é justamente essa fixação com os governos anteriores. Toda crítica é rebatida com uma acusação a FHC, em um maniqueísmo pueril. Como se estivéssemos em um FlaFlu ou GreNal; se não é pelo Lula, é por FHC... O anônimo já deixou clara a relação entre petismo e time de futebol, e o Heitor já escreveu até um post sobre isso.

Acho o termo "estadunidense" péssimo. É uma espécie de "convescote" ou de "ludopédio", ressuscitado recentemente de dicionários embolorados recendendo a antiamericanismo (inventem rapidamente um nome substituto para essa doença; anti-estadunidensismo, talvez). Eles são americanos e pronto. Somos sul-americanos e pronto.

Por acaso "norte-americano" soa pejorativo? "Sul-africano" soa melhor do que "africano", não é mesmo? Talvez um morador da Cidade do Cabo se ofenda por ser chamado de "africano". "Sul-americano" soa pejorativo porque somos uns coitados governados por peronistas, bolivaristas e petistas em cujas cacholas limitadas o espírito do século XVIII dos americanos demoraria milênios para brotar espontaneamente. Nos romances europeus do séc. XIX e XX os "americanos" são freqüentes. Oscar Wilde fala de um certo "americano" rico que comprou um castelo x; Sartre, Conan Doyle e outros usam o termo "americano" exclusivamente para os EUA. Simplesmente porque os EUA sempre foram uma extensão da Europa - da Inglaterra, mais precisamente. Cultural, geográfica, econômica, social e etnicamente mais próximos da Europa do que nós sul-americanos. Nova Iorque a Londres? Um passo. Cientistas, músicos, pintores, filósofos, escritores saiam da Europa para a América. Para onde? EUA.

Abraços a todos

Heitor Abranches disse...

andrew,

Nao poderia concordar mais com vc....

O discurso do nosso torcedor petista e juvenil...

Como diria a Hebe, e uma gracinha....

Petista sim, e daí? disse...

"em um maniqueísmo pueril"

Por que então não elogiar o Lula de vez em quando, bando de falsos? Por que só falar mal dele?

E Sul-africano é por causa do nome do país, estúpido! O país chama-se África do Sul!

Catellius disse...

Sem xingamentos, moleque!

E o nome do país dos americanos é Estados Unidos da América. Satisfeito? he he

C. Mouro disse...

Grande Catellius,
o bom de provocar estes tipos ideológicos, é que eles quanto mais falam mais exibem a própria estupidez. Por isso são divertidos e até compensam o trabalho que dão, ao nos proporcionarem saborosas risadas ...hehehe!

Veja só, o Heitor critica o apelo estúpido de Lulla - o maior corrupto que estepais já conheceu - de sempre se referir ao cumpanheiro camarada FHC como se tal justificasse todas as canalhices e incompetências de seu governo.
....e então, os tipos absurdos fazem o que?
....hehehe! ...eles tentam justificar Lulla falando do cumpanheiro camarada FHC. ....hohoho!

A polícia federal (stasi bananeira) engoliu a estória de 30 dias dias para pegar quem quebrou o sigilo do caseiro; ela não pegou o Waldomiro; ela não pegou o Marcos Valério; ela não pegou a corrupção de Ribeirão e o Palocci; ela não descobriu a origem da grana do dossiê e ainda queria liberar os que estavam com a grana sob a açlegação de eles não terem dito de quem era - porra! então era deles e teriam que explicar como conseguiram e serem enquadrandos em outros crimes, até de sonegaão, lavagem de dinheiro e etc.. Mas a Stasi bananeira é majoritariamente petista - torço para que a divisão interna resulte em indesejadas. Se gravaram a combinação para a entrega da grana, só iosso já seria suficiente para enquadrar até o PT. Mas a Stasi corrupta só prende a dona da Daslu, usando dezenas de policiais para prender uma mulher ...hehehe! só para fazer espetáculo e tentar mudar o foco das notícias.
CURIOSAMENTE A STASI BANANA SÓ APARECEU DEPOIS DOS ESCANDALOS DO PT, para tentar desviar o foco com seus espetáculos exibidos nas TVs ...MAS O 1,75 MILHÃO, FOI PROIBIDO SER MOSTRADO, e punido quem mostrou.

Quero ver se vão chegar em quem atua desde obras e lixo até emprestimos consignados, ...só quero ver se vão chegar nesse conchavo petista.... Se estão na letra "Z" falta uma meia dúzia de letras prá atrá ....hehehe!

Os esquerdistas e tipos ideológicos em geral, são tipos recalcados, atormentados pela inveja, pelo ciúme e pelo desprezo por si mesmos como indivíduos. Por isso tentam parasitar pretensas representações coletivas, glórias postiças, mais prezam o mito ou o "algo maior" em que se querem representados do que a si próprios, pois desprezam-se por conhecerem-se ...são incorrigiveis coletivistas, capazes de produzir qualquer asneira para simular argumentação ...e isso é que diverte. ...hehehe!

Abraços
C. Mouro

Simone Weber disse...

Ótimo texto, Heitor,

"Petista sim, e daí?" disse:

"Por que então não elogiar o Lula de vez em quando, bando de falsos? Por que só falar mal dele?"

A resposta adequada à tua pergunta está no primeiro parágrafo deste post. És livre para reforçar tuas crenças lendo Carta Capital, Tribuna da Imprensa, Caros Amigos.

Coisa difícil de explicar aos membros da torcida organizada petista é que não podem constranger toda a humanidade a avaliar positivamente o governo Lula. Repetindo uma frase do C. Mouro, "a crítica, a contestação, é uma focinheira para ideológicos."

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Catellius:

Vim aqui de novo simplesmente para que tomes conhecimento de que li a tua observação acima que, obviamente, tomo em conta.

Vem isto ainda a propósito de que, por cá, há um ditado popular que diz:
- "Não é com vinagre que se apanham moscas".

Isto para dizer que este tipo de retórica, refiro-me á do post do Heitor, é contraproducente em todos os sentidos, quando muito servirá unicamente para "carpir mágoas" e servir de "escape" a frustrações contidas.

Este tipo de discurso conduz á cristalização de posições e aí... quem ganha é o Lula.

Um discurso mais moderado, sensato e ponderado pelo contrário faz a pessoa reflectir, não a afastando ao primeiro parágrafo.


Como em democracia as eleições só se ganham com votos... temo que o objectivo final do discurso seja por isso um... "desastre".

Mas isto sou eu a reflectir com "os meus botões" e com a pouca experiência política que tenho.

Com consideração e estima.
Forte abraço,

André disse...

“Estadunidense"! Quem gosta de falar assim é o Moniz Bandeira, o guru intelectual do Samuel Pinheiro Guimarães, o doidinho do Itamaraty. Bandeira não escreve um livro com menos de 800 pgs. E com mais notas de rodapé do q texto.

Há, Há, "convescote", há quanto tempo não ouço essa! E que tal “vetusto”, “aleivosia” e "mancebo"? Parece discurso do Zé Ribamar do Maranhão.

Aqui: afroblacknegão. Em Pretória e nos EUA: afroblackblack. Se falar “nigger”, apanha!

“Por que então não elogiar o Lula de vez em quando, bando de falsos? Por que só falar mal dele?”

Ora, ele tem todo o orçamento público pra fazer seu auto-elogio. E ainda vai abrir uma tv nova, superfaturada.

“Stasi bananeira” foi um achado. Muito boa.

E o Márcio Thomaz Bastos dizendo q certas investigações tem “limites”? No caso do dossiê, acharam o limite rapidinho.

Há uma divisão dentro da PF q ainda pode render coisas boas. Vamos ver.

Ah, sim, essa de terem tentado impedir q o dinheiro fosse MOSTRADO não tem paralelo...

C. Mouro disse...

Uma coisa vale ressaltar.

Quando os esquerdinhas têm vergonha de declararem suas preferências, ou manias, isso é um bom sinal.

Tudo que os canalhas querem é que ninguém os critique contundentemente e, claro, "como não se pega moscas com vinagre" podem atuar como quinta coluna e tentar pegar o que pensam ser moscas, com as merdas que falam. ....hehehe!
Afinal, com merda se pega moscas e só elas caem em tal diarréica conversa.

A quinta coluna é uma estratégia que já está com prazo de validade vencido.

O candidato "chuchu", com o seu papo merda, ficou jogado às moscas, e o Lulla, maior corrupto questepaís já viu, faturou em cima do insoso quinta coluna e seu papo bosta. FHC foi o maior cabo eleitoral de Lulla.
Frase que me vem à mente:
"Se tem que existir uma oposição, sejamo-la nós mesmos"
E na sequencia:
"Plus ça change plus c´est la meme chose"

Onde já se viu alguém crer que FHC é diferente de Lulla?
Me lembro quando juravam que "a Globo" era oposição à esquerda e até diziam que recebia $ da CIA ...hohoho! ...eu questiona: então por qual motivo a Globo adotou e enriqueceu a militância do PCB? por que suas novelas são propaganda esquerdista? por que bota militantes nos altos cargos/ por que não há ator ou autor global que ataque a ideologia, que não faça propaganda ideológica? ....hehehe! será coisa do sangue o fato dos artistas (beneficiários dos poderes estatais) em quase sua totalidade serem esquerdistas e grande parte militantes esquerdistas?
Aqueles que frente a mim diziam que a CIA bancava a Globo se viam enroscados com as questões...
será que habilidade artistica e autoral está no gene esquerdista?
Ou tais formadores de opinião são escolhidos se esquerdistas?

A esquerda precisa ser contestada com contundência, para fazer cada vez mais esquerdinhas envergonhados. Até que se quebre essa aura de "idealismo" consagrador desses recalcados e parasitas.


Abraços
C. Mouro

Eduardo Silva disse...

Aí, eu sei que é cansativo refutar os argumentos pacóvios desses petistas, mas ao mesmo tempo é sedutor vê-los caindo por terra gradativamente, isso quando sua tolice não é imensa e permite um strike, vou me conter!!! Tais estórias, daquelas que são contadas nas escolas do acampamento do mst às crianças, não merecem o dispêndio de algumas linhas desse blog que se propõe a discussões sérias e não de falácias ideológicas que se aprende numa roda de invejosos frustrados.

A tolice dos marxistas
os faz perder de vista o real,
e acabam na mesma maniqueísta.
Dentre os sons que arranham a audição
temos os istas e mais istas,
marxistas, petistas, comunistas,
ainda bem que àqueles que defendem a liberdade, não restou o liberalista.

Ricardo Rayol disse...

Fica dificil ele acusar o governo passado ehehehehe incompetencia, marca registrada pelo PT

André disse...

Nossa, a CIA financiar a Globo... cada coisa...

As novelas da Globo têm mesmo muito esquerdismo rasteiro em alguns casos.

E quando um artista dela fala mal dessa "pureza ética" toda, do PT ou do esquerdismo em geral, é hostilizado na hora.

FHC e Lula tem diferenças, claro, e não são poucas, mas também tem vários pontos de contato, em comum. Mais coisas do q seriam recomendáveis, infelizmente...

FHC teve potencial para ter mudado muita coisa nestepaiz. Fez coisas boas, apesar de tudo. Mas acho q faltou vontade. E força. Talvez ele tenha visto q não teria força pra fazer certas mudanças, reformas, e depois foi se acomodando.

Política é um troço interessante, mas deprimente quando se olha para as suas entranhas. Mas alguém tem q fazer as coisas (sem corrupção, claro, ou ao menos não corrupção descontrolada, à la Worker's/Labor Party)

The more things change, the more they stay the same. Mandou bem, C. Mouro.

"Quand la canaille se mêle à raisonner, tout est perdu."
Voltaire. Quando a canalha se mete a raciocinar, tudo está perdido. Não levo isso ao pé da letra. Mas sempre achei essa frase divertida.

Heitor Abranches disse...

Falando em Moniz Bandeira que alias escreve ate bem me faz lembrar uma estoria de um amigo da Historia que falava que ele usava um metodo bem americano de producao...Ele punha os seus alunos para pesquisar os temas do seu proximo livro e depois recolhia os trabalhos que iria depois aproveitar...Me faz lembrar da discussao do Lacan com seus alunos maoistas que diziam que ele era um conservador e ele respondia que ele eram uns explorados pelos seus orientadores...

André disse...

É, o Moniz Bandeira não escreve mal, Heitor. O problema são as idéias, ou falta de, e o excesso de notas de rodapé. Isso mata qualquer livro, mas isso é uma questão de gosto. Eu não gosto.
Mas, como fiz direito, e não história ou rel. internacionais, nunca precisei ler nada dele inteiro.

Bocage disse...

SEX, CRIMES AND VATICAN

Documentário completo, em inglês com legendas em italiano.

Eduardo Silva disse...

"uma esquerda mais amadurecida"
Não entendo o que o autor do texto quis dizer com isso, pois o que é o amadurecimento? Encarar ainda mais o dinheiro público como privado e usurpá-lo do país? Ter um rendimento pífio do PIB e aumentá-lo na canetada(daqui a pouco crescemos mais que a China)? Lotar o serviço público de incompetentes? Unir todos os parlamentares na base aliada via dinheiro de emendas orçamentárias? Querer se perpetuar no poder a qualquer custo? Distribuir renda para os famintos no nordeste sem lhes dar dignidade? Controlar a inflação em detrimento do crescimento econômico? Fazer publicidade com ações falsas da polícia federal que não dão em nada? Inventar plano mirabolante para restruturação na economia que não passa de uma panacéia?
Prefiro que ela continue verde apesar de vermelha, mas no túmulo do nosso tão vergonhoso passado.

C. Mouro disse...

ôpa!

"Há uma divisão dentro da PF q ainda pode render coisas boas. Vamos ver"

A esperança é a última que morre. Já houve uma disputa feia há uns mais de 10 anos, mas tudo se acomodou.
Vamos ver se eles exibem os podres de todos os lados. Sinceramente eu assim espero; que eles não se entendam nem troquem favores.

Um grande abraço
C. Mouro

André disse...

C.Mouro, esse é o problema em vários setores no Brasil: tudo se acomoda!

Bom, tudo o q vc disse, Eduardo Silva, está certo. Amadurecimento, claro, passa longe das coisas q vc mencionou. Só acho q as ações da PF são reais, infelizmente a publicidade é mais importante do q as operações em si, o q as prejudica. Sinceramente, duvido que a esquerda amadureça e enterre essas práticas todas.

C. Mouro disse...

Acabo de ler no Diego Casa grande que Lulla I - o maior corrupto questepais já sofreu - bem como políticos e mesmo um membro do supremo, já reclamam da operação navalha. ...hehehe! É CURIOSO COMO NADA DISSERAM DAS OUTRAS, e até elogiaram a ridicula operação da Daslu, a moeda verde e etc. ...hehehe!
Essa é a diferença dos crápulas, eles falam sempre para se defender, não fazem concessões tolas. ...tocou neles, imediatamente fazem barulho, e a coisa vai ser abafada e a PF (Stasi bananeira) que era louvada vai passar a ser enchovalhada pelos "excessos fascistas" mas só aqueles que tocam nos cumpanheiros kamaradas, o resto, até dezenas de policiais e viatiuras para prender a dona da Daslu, ou ações ridiculamente espetaculosas como essa, aí sim estão aprovadas.

Mas nada de mexer nos corruptos amigos partidários, isso só vale para "os poutros", para os não alinhados e lá um ou outro bucha útil, não iniciado.

Abraços
C. Mouro

C. Mouro disse...

Ora bolas, uma Stasi que se preza não pode deixar que suas desavenças prejudiquem os chefes, não podem tocar em "cachorro grande" que manda no quintal, só nos dos quintais alheios.

Abs
C. Mouro

André disse...

Opa... até um ministro do STF não gostou? Qual? O inominável Eros Grau?

Hora de viajar um pouquinho, de fazer um detour.

Direto da cachimônia, mas a ser lido com os devidos caveats... nas entrelinhas, sempre nas entrelinhas...

Belos aforismos, retirados de Crepúsculo dos Deuses (Paulo César de Souza, Cia. das Letras), de Nietzsche:

“Mesmo o mais corajoso entre nós raras vezes tem a coragem para o que realmente sabe...”

“Para viver só, é preciso ser um bicho ou um homem, diz Aristóteles. Falta o terceiro caso: é preciso ser as duas coisas – filósofo.”

“De uma vez por todas, muitas coisas eu não quero saber. A sabedoria traça limites também para o conhecimento.”

“Ajude a si mesmo: então, todo mundo lhe ajudará. Princípio do amor ao próximo.”

“Homens póstumos, como eu, são menos compreendidos do que os contemporâneos, mas mais ouvidos. Mais precisamente: não somos jamais compreendidos – daí nossa autoridade..”

“Desconfio de todos os sistematizadores e os evito. A vontade de sistema é uma falta de retidão.”

“Raramente se comete uma precipitação apenas. Com a primeira, sempre se faz demais. Justamente por isso, se comete uma segunda, em geral – e então se faz de menos.”

André disse...

“Erro do livre-arbítrio — Hoje não temos mais compaixão pelo conceito de “livre-arbítrio”: sabemos bem demais o que é — o mais famigerado artifício de teólogos que há, com o objetivo de fazer a humanidade “responsável” no sentido deles, isto é, de torná-las deles dependente... (...) a doutrina da vontade foi essencialmente inventada com com o objetivo da punição, isto é, de querer achar um culpado. (...) os sacerdotes à frente das velhas comunidades quiseram criar para si o direito de impor castigos — ou criar para Deus esse direito... Os homens foram considerados “livres” para poderem ser julgados, ser punidos — ser culpados: em conseqüência, toda ação teve de ser considerada como querida, e a origem detoda ação, localizada na consciência (assim, a mais fundamental falsificação de moeda em questões psicológicas transformou-se em princípio da psicologia mesma...). Hoje, quando encetamos o caminho inverso, quando nós, imoralistas, buscamos com toda a energia retirar novamente do mundo o conceito de culpa e o conceito de castigo, e deles purificar a psicologia, a história, a natureza, as sanções e instituições sociais, não existem, a nossos olhos, adversários mais radicais do que os teólogos, que, mediante o conceito de “ordem moral do mundo”, continuam a empestear a inocência do devir, do vir-a-ser com sua “culpa” e “castigo”. O crisitanismo é uma mentalidade do carrasco...”

“Qual pode ser a nossa doutrina? Que ninguém dá ao ser humano suas características, nem Deus, nem a sociedade, nem seus pais e ancestrais, nem ele próprio. (...) Ninguém é responsável pelo fato de existir, por ser assim ou assado, por se achar nessas circunstâncias, nesse ambiente. A fatalidade do seu ser não pode ser destrinchada da fatalidade de tudo o que foi e será. Ele não é conseqüência de uma intenção, de uma vontade, de uma finalidade próprias, com ele não se faz a tentativa de alcançar um “ideal de ser humano” ou um “ideal de felicidade” ou um “ideal de moralidade” — é absurdo querer empurrar o seu ser para uma finalidade qualquer. Nós é que inventamos o conceito de “finalidade”: na realidade, não se encontra finalidade... Cada um é necessário, é um pedaço de destino, pertence ao todo, está no todo — não há nada que possa julgar, medir, comparar, condenar nosso ser, pois isto significaria julgar, medir, comparar, condenar nosso ser, pois isto significaria julgar, medir, comparar, condenar o todo... Mas não existe nada fora do todo! O fato que ninguém mais é feito responsável, de que todo o modo do ser não pode ser remontado a uma causa prima, de que o mundo não é uma unidade nem como sensorium nem como “espírito”, apenas isto é a grande libertação — somente com isso é novamente estabelecida a inocência do vir-a-ser... O conceito de “Deus” foi, até agora, a maior objeção à existência... Nós negamos deus, nós negamos a responsabilidade em Deus: apenas assim redimimos o mundo.”

“(...) o que as escolas superiores da Alemanha realmente alcançam é um brutal adestramento, a fim de, com a menor perda possível de tempo, tornar útil, utilizável para o Estado um grande número de homens jovens. “Educação superior” e em grande número — duas coisas que se contradizem de antemão. Qualquer educação superior pertence apenas à exceção: é preciso ser privilegiado para ter direito a tão elevado privilégio. Todas as coisas grandes, todas as coisas belas não podem jamais ser um bem comum: pulchrum est paucorum hominum (o belo é para poucos). (...) E em toda parte vigora uma pressa indecente, como se algo fosse perdido se o o jovem de 23 anos ainda não estivesse “pronto”, ainda não tivesse resposta para a “pergunta-mor”: qual profissão? Um tipo superior de homem, permitam-me dizer, não gosta de “profissão”, justamente porque sabe que tem “vocação”... Ele tem tempo, ele toma tempo, não pensa em ficar “pronto” — aos 30 anos alguém é, no sentido da cultura elevada, um iniciante, uma criança.”

O Zaratustra quando estava com a macaca:

“A guerra educa para a liberdade. Pois o que é liberdade? Ter a vontade da responsabilidade por si próprio. Preservar a distância que nos separa. Tornar-se mais indiferente à labuta, dureza, privação, até mesmo à vida. Estar disposto a sacrificar seres humanos à sua causa, não excluindo a si mesmo. (...) o ser humano que se tornou livre, e tanto mais ainda o espírito que se tornou livre, pisoteia a desprezível espécie de bem-estar com que sonham pequenos lojistas, cristãos, vacas, mulheres, ingleses e outros democratas. O homem livre é guerreiro. Como se mede a liberdade, tanto em indivíduos como em povos? Conforme a resistência que tem de ser vencida, conforme o esforço que custa ficar em cima. O mais elevado tipo de homem livre deve ser buscado ali onde é continuamente superada a mais alta resistência: a cinco passos da tirania, junto ao limiar do perigo da servidão.”

“Já não nos estimamos suficientemente quando nos comunicamos. Nossas verdadeiras vivências não são nada loquazes. Não poderiam comunicar a si própriias, ainda que quisessem. É que lhes faltam as palavras. Aquilo para o qual temos palavras, já o deixamos para trás. Em toda fala há um grão de desprezo. A linguagem, parece, foi inventada apenas para o que é médio, mediano, comunicável. O falante já se vulgariza com a linguagem. — De uma moral para surdos-mudos e outros filósofos.”

“Os homens mais espirituais, pressupondo-se que sejam os mais corajosos, também experimentam as mais dolorosas tragédias: mas justamente por isso eles honram a vida, porque ela lhes opõe o seu máximo antagonismo.”

“Consideremos ainda, por fim, que ingenuidade é dizer “assim e assim deveria ser o homem!”. A realidade nos mostra uma fascinante riqueza de tipos, a opulência de um pródigo jogo e alternância de formas, e algum pobre e vadio moralista vem e diz”Não, o ser humano deveria ser outro!”... Ele sabe até como este deveria ser, esse mandrião e santarrão; ele desenha a si próprio no muro e diz: “ecce homo!” (eis o homem). (...) O indivíduo é, de cima a baixo, uma parcela de fatum (fado, destino), uma lei a mais, uma necessidade a mais para tudo o que virá e será. Dizer-lhe “mude!” significa exigir que tudo mude, até mesmo o que ficou para trás...”

Fim da viagem

André disse...

Quem quiser ler mais, basta checar os últimos dez ou quinze posts em www.execout.blogspot.com

Eduardo Silva disse...

Que bom que discutem filosofia de primeiro escalão como a de Nietzsche nesse blog. A referência dos dois primeiros parágrafos é Les crepuscule des idoles, do louco Friedrich Nietzsche. Esse de fato diz que só se é livre para ser responsabilizável, e essa historinha de livre-arbítrio foi criada para enganar as almas que sofrem de uma profunda inocência teórica.
Vai mais fundo: a liberdade não existe senão como artífio da linguagem, é mera criação técnica, e não uma verdade em si, e para usar um termo espinosiano, uma coisa-em-si-mesmo.
Porém devemos ter cuidado nas palavras de Nietzsche, sua filosofia interpretada na sua essência conduz ao absolutismo, ao totalitarismo. Há ainda na mesma filosofia nietzschiana uma contradição, ela oscila entre dois conceitos, o de liberdade(aqui inclui sua obra fantástica sobre a moral e sobre o cristianismo) e exploração( aqui a obra Além do bem e do mal), ora não há que haver(bem grosseiramente, isso é uma longa discussão) exploração sem o sentir,sem a própria liberdade, ou se explora apenas por necessidade?

André disse...

Exagero meu: só os últimos sete posts no meu blog fugiram à geopolítica costumeira.

Mas quem se dispuser a cavucar os arquivos (preguiçoso, não o dividi em áreas temáticas, isso teria facilitado imensamente a minha vida e a de eventuais interessados...) pode encontrar um ou outro poema e um pouco de filosofia.

André disse...

Trabalhinho para o final de semana: o que é um homem de bem?

Eu não sei mais.

Lula disse estar convicto de que "puniu um homem de bem" (o ministro Silas Rondeau). Hummm... sei...

O homem "de mau" devo ser eu...

Começou o movimento pra abafar a operação da PF. Grande incômodo nos 3 poderes. Menos no Quarto, o Dinheiro, esse aí já sabe se safar.

P.S.: quanto ao ministro do STF incomodado, foi um incidente. Um homônimo do ministro Gilmar Mendes causou a confusão. O cara ficou uma arara, obviamente. Mas, até onde minhas fontes dizem, ele é um cara decente. O que não quer dizer q não haja sujeira no STF. Há, bastante, mas ele nunca foi mesmo um "foco" desse tipo de coisa.

C. Mouro disse...

Grande André,

Nietzsche é realmente genial, mas peca por não escrever de forma "mastigada".

Por vezes, lido sem exagerada atenção pode levar à confusão. Apenas uma leitura muito cuidadosa é apaz de entender muito do que fala.

Concordo com o Eduardo "Porém devemos ter cuidado nas palavras de Nietzsche".

Há que se entende-lo no todo, toamdo nas partes gera "m", e mesmo se pode entender o contrário do que está dizendo. ...é preciso cuidado exagerado.

Mas Nietzsche foi um defensor da liberdade, mesmo não sendo o que se poderia entender como liberal ou libertário.
A idéia de justiça é um ponto em que o imoralista (que não significa "poder tudo") parece vacilar em alguns trechos, em outros não. ...e por aí vai...

Abraços
C. Mouro

Catellius disse...

Grandes amigos!
Desculpem pela ausência. Queria poder comentar tudo, mas, infelizmente, estou meio sem tempo.

Um notícia engraçada, que vi no blog do Helder:

Lightning damages Jesus statue

Cai um raio em uma estátua de Jesus, arranca-lhe um braço, e as freiras dizem que foi um milagre porque ninguém se machucou...

Outra disse que foi um mero ato da mãe natureza... Pelo menos uma honesta...

Nem tanto, porque se o mesmo ocorresse com uma estátua de Baal estaria "comprovada" a ira de Jeová...

Obviamente, o boneco molhado de Jesus no alto de uma montanha foi o melhor caminho que a descarga elétrica arranjou para ascender aos céus... (caso o raio tenha vindo de baixo, he he)

Estou tentando escrever qualquer coisa para participar do debate interblogs promovido pelo Helder, afinal a data limite para postagens é hoje. Abraços a todos!

C. Mouro disse...

Grande Catellius,
acabei de postar comentários na pag do Helder:

O primeiro (o verdadeiro comentário) não saiu, pensei que fosse a mediação, e ao postar o complemento que tinha esquecido, e que saiu, percebi que o anteiro não. Enão postei outro relatando o fato, e ele também não saiu. Postei então outro que saiu.

...pô! vai ver que isso é "aviso do além" ....hehehe!

o comentário nem sai nem permanece para reenvio ...eu heim! ... e eu que tinha gostado tanto do primeiro. Vou ter que escrever antes e usar o copiar e colar ...haja saco!

Abração
C. Mouro

André disse...

É isso aí, Nietzsche tem q ser lido com cuidado!

Mas eu gosto do estilo dele, quando ele se esteeeeende.

Recebi um e-mail desse site sobre o debate e até mandei um e-mail pra lá, achei o tema legal. Mas não vou participar. Sou agnóstico, até prova em contrário, há, há, mas um agnóstico sem idéias no momento. O que teria a dizer não seria muito original. Ou racional. Queria poder mandar algo com mais recheio. Prefiro o agnosticismo porque... não sei o que iria escrever. Talvez eu nem saiba ainda qual dos dois prefiro. Ou se é uma terceira coisa, se é q existe uma terceira saída não-religiosa. Só não posso entrar em crise e ir pro seminário. Vai q eu chego a Papa, ai o mundo vira do avesso!

Bom, pelo menos o raio não atingiu ninguém. Um mais forte teria partido ela ao meio.

Catellius disse...

Caro Mouro, realmente, o site parece estar com alguns problemas. No meu caso, se uso o botão de rolagem do mouse na página do Helder todas as páginas abertas do Internet Explorer caem ao mesmo tempo. Vai que são as bênçãos dos crentes...

Catellius disse...

Não há como não se lembrar do terremoto de 9 graus na escala Richter ocorrido em Lisboa no ano de 1755, no dia de todos os santos, no momento em que todas igrejas estavam apinhadas de fiéis. Não temos aí a prova de que Júpiter é o verdadeiro deus, que estava punindo a cidade mais beata de uma Europa apóstata? he he Duvido, pois o catolicismo nada mais é do que a religião politeísta romana com um flavour semita.

Para o clero da época os culpados foram os portugueses, vis pecadores. Como todos têm culpa no cartório, imagino que milhares de famílias dilaceradas por perdas materiais e humanas devem ter vestido a carapuça. Os mais impressionados devem ter apertado um pouco mais o cilício...

Eduardo Silva disse...

Aqui fica algo para pensar sobre a vida espiritual,se é que ela existe.
Nesse universo sobrio e obscuro respostas para tudo agradam o ânimo humano, aí nasce Deus à imagem e semelhança do homem, e não o contrário, pois como o homem poderia conhecer outra essência senão a sua? O homem não pode olhar além de si mesmo, é limitado à sua própria essência, o que há de transcendente é a própria essência humana. Quando o indivíduo pede um carro a Deus e trabalha bastante poupando dinheiro, quando consegue o carro, pensa que foi Deus, mas não, foi ele mesmo, um "eu" exteriorizado, por isso que a oração não passa de um monólogo com o próprio eu. Se o homem se visse como causa sui(termo kantiano, significa causa em si mesmo), Deus não passaria de um animal de estimação, o qual não mereceria louvores. Deus deve nos agradecer por termos o criado e dotado de tantas qualidades boas, onipotente, onipresente,e etc... O homem é sequiosos de sentido, a mãe quando perde seu filho pergunta:"por que meu Deus?". Isso não a torna mais feliz, apenas supre sua sede de sentido, o ateu quando perde o seu filho diz:"sabia que tinha gerado um mortal"...

André disse...

“o ateu quando perde o seu filho diz:"sabia que tinha gerado um mortal"”

Inteligente essa

Legal seu comentário

J.Rosa disse...

Inteligente!? Vai ler os estóicos e Feuerbach (Das Wesen des Christentums).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...