17 fevereiro 2007

O Populismo Étnico do PT

O principal erro das cotas é de diagnóstico. O problema real é o ensino fundamental e médio público não ser de qualidade, tornando muito difícil aos pobres competir com seus colegas de escolas particulares pelas vagas nas universidades públicas, fato agravado pelo pouco tempo de que dispõe para se debruçar sobre livros, já que muitas vezes são obrigados a conciliar estudo e trabalho ainda na adolescência. As cotas são apenas mais uma operação tapa-buracos; a educação permanecerá ruim, e sem crescimento econômico o adolescente continuará a prejudicar seus estudos por ter de trabalhar. A propósito, o sistema de cotas favorecerá, em primeiro lugar, negros (e pardos) das classes média e alta, os quais já têm condições de ingressar no ensino superior por conta própria.

Mas por que o PT não enxerga esta realidade simples? Porque as cotas raciais são um projeto político que visa criar uma clientela eleitoral composta pelos beneficiários destas cotas, assim como os beneficiários do Bolsa Família, que foram decisivos na reeleição do Lula.

Com este intuito, recentemente, conseguiu-se articular a aprovação de uma verba de R$ 3,4 bilhões do MEC para as universidades que extingam o vestibular e implementem as cotas étnicas. A expectativa é que esta política multiplique as vagas das cotas nos próximos anos. O próximo passo será a mobilização destes jovens para se tornarem o curral eleitoral ou os cabos eleitorais do partido de quem serão devedores.

O mais grave da questão das cotas é o vício petista de enfraquecer os critérios que favorecem o mérito individual, como o vestibular ou a avaliação individual dos formandos na universidade. A meritocracia é incompatível com os valores petistas.

O discurso em defesa das cotas raciais busca estabelecer uma relação entre “Raça” e "Classe", seguindo uma tradição marxista uspiana a la Florestan Fernandes. Estas releituras neomarxistas buscam encontrar e enfatizar o conflito nas relações entre sexos, raças (etnias) e classes. Na tese em questão, a mais-valia teria sido roubada pelos escravocratas brancos dos escravos negros. O discurso alega que para se indenizar a perda desta “mais-valia” se justifica uma política de cotas raciais.

Esquece-se que a escravidão era um instituição africana a que estavam sujeitos os prisioneiros de guerra. Claro que o cativeiro não era aviltante como o que posteriormente lhes impuseram os europeus, e obviamente a enorme demanda internacional por escravos fomentou cada vez mais a captura de africanos por outros africanos. Esquece-se que o racismo do brasileiro não impediu que muitos negros tivessem ascensão social, o que não é muito perceptível porque a maioria de seus descendentes se miscigenou, vide Aleijadinho, Ataíde, Machado de Assis, Carlos Gomes, entre outros.

Costuma-se confundir rótulos e agentes causais. São Francisco não era bom por ser cristão, Bill Gates e Warren Buffet não são os maiores filantropos da história por serem ateus, o comunismo não faliu por abrir mão de Deus, e não foi por serem brancos que os europeus escravizaram os africanos, do mesmo modo que estes não foram escravizados por serem negros.

43 comentários:

André disse...

Patrícia e Catellius:

Desçam o pau no povo à vontade, critiquem, tendo essa ratatuia defesa ou não. Se não tem, ótimo. Se tiver, desçam o pau mesmo assim. E se um dia ele tiver razão, bom, a gente sabe q quando a "canalha" começa a raciocinar, tudo está perdido... E entre o ame-o ou deixe-o, escolham uma terceira: dêem uma bela cacetada e mandem-no comprar pão ou catar coquinho.

Marta Suplicy só é fundamental para o próprio guarda-roupa, o ex dela daria um bom caso psiquiátrico, Lula é subserviente, mas também um manipulador desses fantoches do nosso amado, idolatrado, salve, salve Subcontinente (se bem q suas manipulações não vem dando o efeito desejado), mas, q sei eu? No final ele se entorpece com cachaça e só não ri de gente como a gente porque o "Mé" - como diria nosso filósofo Mussum - não permite. Y asín pasan los dias... Quer ser um Maquiavel local, mas teria q comer muita rapadura pra chegar lá. Enquanto isso, já diria Kid Mumu da Mangueira, nós continuamos a levar no “forevis”.

E cuidado, camaradas: Fidel está melhorando. O câncer é o de menos: já foi fuzilado. Vcs estão pensando o q, q ele iria embora fácil assim? Mas espero q seja só aquele caso da luz q brilha mais forte antes de se extinguir.

Em homenagem a Nelson Mandela, vamos fazer um Apartheid aqui: cota é cota, pobreza é pobreza.

O negócio é consertar o ensino fundamental, não agir como se isso aqui fosse Pretória ou Johannesburg nos anos 50. Isso aí de cotas nunca vai dar certo. Há pobres brancos também. Ah, o mesmo vale p/ o ensino médio. Elas nem chegam a ser um remendo: são pura demagogia de esquerda. E o buraco é mais embaixo, como notou o autor do post: criar uma clientela, mais um curralzinho. Populismo racial, é isso aí.

Bom, já q todos viemos lá da África, nossa mãe está enterrada em algum lugar no Vale do Olduvai na Tanzânia, eu também quero a minha vaga por cota. Pode ser lá em Harvard? Do jeito q as coisas vão, já vi q nasci na cor errada. Michael Jackson embranqueceu. Dá pra escurecer?

Vai falar em meritocracia com petista... é uma contradição em termos.

Sim, quando as tribos guerreavam (como fazem até hoje), os prisioneiros eram vendidos para os europeus. Negros vendendo negros. Que bom que alguém ainda se lembra disso.

Tudo muito bom, tudo em cima, mas... e se fosse o inverso? E se os negros fossem os europeus (literalmente) e os africanos fossem branquinhos? Waaal, eu seria uma minoria! Já pensou, ouvir algo assim: “Vc até q é um bom rapaz, mas não serve pra casar com a minha filha. Vc é... é... é branco!”

Bill Gates e Warren Buffet são ateus? Essa eu não sabia.

Frase subdesenvolvida da semana, atribuída a D. Pedro I, filho do cabeça de toicinho, o II: “Tudo pelo povo, nada para o povo.” No Brasil, nem mesmo nada do povo. Mudou alguma coisa, meus amigos?

Catellius: se eu não aparecer, é por falta de tempo. O lado bom é q se alguém falar mal de mim, não ficarei sabendo. Mas e daí? So what? Caso algum camarada da URSS/CCCP me critique um dia, pode incluir a minha defesa num de seus comentários, se quiser (he, he, he). Ou melhor, ignore, deixe passar. Baltasar Grácian, o aforista jesuíta, dizia q precisamos enterrar certas pessoas no pó da própria insignificância, algo assim. Ah, sim: vi o site do seu escritório de arquitetura: muito legal mesmo. Boa sorte com seus projetos!

Bom feriado pra vcs!

Eleitor disse...

Caro André:
Não perco tempo falando mal do seu texto. Sua eloquência é o seu inimigo. Você escreve contra si mesmo.Parodiando um certo autor: Seu texto é asmático e asnático. Entretanto: vou posta-lo no meu Blog
para o deleite de outras pessoas

Glênio Gangorra disse...

Prezado Catellius, como não estou limitado pelas diretrizes da Igreja conservadora eu uso preservativos, logo sou livre de DST's. Sua alusão é uma ofensa que só pode ser retrucada com uma grande passeata dos militantes ativistas contra seu blog.

Prezado Hietor, graças ao grande plano educacional implantado com o advento do governo de nosso amado presidente Lula, nunca, nesse Brasil, houveram tantos estudantes das classes menos favorecidas e exploradas pelo capitalismo meritocrático que ingressaram nas universidades. Esse acesso garante um completo nivelamento de todas as classes sociais e oportunidades igualitárias a todos. Viva Fidel, Viva o movimento bolivariano, Viva Gilberto Gil.

Pênio Moraes disse...

Caro Catellius,

Muito inoportuna vossa colaboração em nosso espaço vermelho-democrático. Veja, fossemos nós outros participantes de seita religiosa qualquer, seríamos contra o sexo livre, o uso de preservativos e o casamento gay. Inclusive o senhor poderá observar que agregamos a nossas fileiras uma senhora casada com outra, pessoa de fino trato e ativa (sexual e politicamente).
Seus erros crassos quanto a nossa orientação desmerecem a este movimento anárquico-carismático ( e em minha idade, asmático),
Será muito bem-vindo novamente a nosso espaço, mas sugiro que reveja sua posição francamente contrária a nossos princípios. Afinal, nós temos razão, sempre.

Ricardo Rayol disse...

Sou vítima da maldita cota social. Apesar de ter ido muito bem obrigado no vestiba para uma universidade publica daqui fiquei de fora pois apenas 30% eram para estudantes oriundos da escola privada. Sendo que fui melhor que praticamente todos os outros 70%

Anônimo disse...

Lamento por vc Ricardo mas vc é apenas uma das primeiras vítimas que virão. Umas das bases da vida em sociedade é a justiça. Esta estória de que existem vítimas históricas que constantemente tem que ser indenizadas a gente já conhece. São os judeus que de vítimas se tornaram em monstros e hoje usam o Holocausto como uma forma de justificar a sua colonização no Oriente Médio bem como as atrocidades praticadas contra os árabes.

Simone Weber disse...

Heitor,

Ótimo teu texto. A título de curiosidade, anexo aqui uma carta de Esperança Garcia, a primeira escrava a peticionar no Brasil, escrita no Piauí em 6 de setembro de 1770:

"Eu sou hua escrava de V. Sa. administração de Capam. Antº Vieira de Couto, cazada. Desde que o Capam. lá foi adeministrar, q. me tirou da fazenda dos algodois, aonde vevia com meu marido, para ser cozinheira de sua caza, onde nella passom to mal.
A primeira hé q. ha grandes trovoadas de pancadas enhum filho nem sendo uhã criança q. lhe fez estrair sangue pella boca, em mim não poço esplicar q. sou hu colcham de pancadas, tanto q. cahy huã vez do sobrado abaccho peiada, por mezericordia de Ds. esCapei.
A segunda estou eu e mais minhas parceiras por confeçar a tres annos. E huã criança minha e duas mais por batizar.
Pello q. Peço a V.S. pello amor de Ds. e do seu Valimto. ponha aos olhos em mim ordinando digo mandar a Procurador que mande p. a fazda. aonde elle me tirou pa eu viver com meu marido e batizar minha filha q.
De V.Sa. sua escrava EsPeranÇa garcia"

Patricia M. disse...

"...os judeus que de vítimas se tornaram em monstros e hoje usam o Holocausto como uma forma de justificar a sua colonização no Oriente Médio bem como as atrocidades praticadas contra os árabes."

Hmmmmm, ainda estou digerindo a posicao do anonimo. Quer dizer que na verdade a culpa das atrocidades cometidas no Oriente Medio eh dos Nazistas, ne? Se nao houvesse existido o holoucausto, nao haveria vitimizacao. Sem vitimizacao, sem "monstruosidades". Raciocinio meio torto e simplista na MINHA opiniao....

André disse...

Sim, Patricia, um raciocínio bem torto e extremamente simplista esse do anônimo de Auschwitz. Claro q o que o Estado de Israel faz com os palestinos não é certo, mas dizer q hoje eles, q um dia foram os perseguidos, estão fazendo igual ou pior q seus perseguidores nazistas, é bobagem. Há um movimento de "industrialização" do Holocausto, já denunciado por um certo Finkelstein, acadêmico judeu de esquerda, cujos pais morreram num campo de concentração. De lá pra cá ele só escreveu bobagem, mas esse livro em particular é bom. O problema é q dizer q há um "colonialismo" judaico q se vale do passado para cometer atrocidades hoje é muita forçação de barra.

Mas é isso aí, blog é assim mesmo. Há comentários pertinentes, outros nem tanto, alguns simplistas e outros... petistas. Sem falar nos marxistas-leninistas, anarcossindicalistas, maoístas, hiperfeministas, eleitoreiros, eleitoristas e derivados. Tem até os meus, "asmáticos e asnáticos" segundo o Eleitor. Waaal, vamos chegar no dia em q alguém ainda vai dizer sobre o voto o q Thomas Jefferson disse sobre um certo bicho: "O cavalo já foi um erro."

Uma pequena digressão:

No Brasil já houve voto censitário, aquele por renda. Mas acho q nunca tentaram o capacitário, q só permite o voto de quem cumpre certos requisitos de ordem intelectual. Já pensaram, meus amigos, admiradores e odiadores?

Anônimo disse...

André,

Acho que inteligência ou melhor dizendo preparação intelectual é superstimada. Prova disso é que o presidente Bush e o presidente Lula são semi-alfabetizados. O povo não gosta de gente inteligente...acha eles arrogantes como o Serra. O povo prefere histéricos perdidos como a Diana ou bestas ignorantes como os presidentes dos EUA e do Brasil. Quem assistiu o debate entre Lula e seus adversários ou entre Bush e seus adversários assistia eles tropeçar, gaguejar, trocar números, ignorar mas voto mesmo eles não perdiam nenhum. Aquele Berzoini mesmo tem uma cara de retardado que eu vou te falar e comeu meia dúzia de petistas históricos...rsrsrs

Catellius disse...

Heitor,

Ótimo texto. A ocasião não é das melhores,
já que estamos em pleno carnaval,
onde não se discute a questão racial,
porque pega mal (bis).
Brincadeira. Boa viagem aí para os States! Não se esqueça de meu ipod!

André,

Ser encachaçado não é um problema em si, senão todo presidente da Russia teria que ser importado. Grandes líderes como Noé, que foi o grande responsável pela perpetuação das espécies animais na Terra, exceto os peixes, entornou tanto "Mé" que foi estuprado pelas próprias filhas e saiu da tenda sem roupas, de gargalo a mostra, amaldiçoando sua prole e estragando os planos de Deus de tirar o mal do planeta.
O problema do Lula não são os neurônios destruídos pelo álcool mas a falta de neurônios para destruir (na verdade, aquele lá tem neurônios até demais).

Simone,

Triste missiva, não é mesmo? Ela apenas pede que a deixem retornar para a Fazenda dos Algodões, para junto do marido, e batizar sua filha. Nem cogita uma punição para o "Capam" que a estuprou e a jogou "peiada" de cima do telhado. Esperança Garcia, pelo que pesquisei, virou grupo de afirmação negra no Piauí.
Abraços e bom carnaval!

Patrícia,

Os que negam o holocausto são os mesmos que negam que o homem tenha pisado na Lua (excelente explicação de Widson Porto Reis), que dizem que não caiu nenhum avião no Pentágono. Não são céticos, como pode parecer em um primeiro momento, mas extremamente crédulos, que engolem o primeiro hoax que vai ao encontro de seus preconceitos. São estes mesmos que acreditam nos Protocolos dos Sábios de Sião, uma farsa montada pela Okhrana (polícia secreta), a pedido do Czar Nicolau II, que alegava que uma conspiração judaica planejaria assumir o controle do mundo. Hoje, sabe-se até de qual texto a farsa, na qual anti-semitas como Hitler e Gerald Ford acreditavram mesmo depois que sua falsidade fora denunciada, foi inspirada: uma novela do séc. XIX escrita por Hermann Goedsche, o qual roubou a história de outro escritor, Maurice Joly, cujos "Diálogos no Inferno Entre Maquiavel e Montesquieu" tratavam de um complô no inferno com o objetivo de se opor a Napoleão III.

Todos,
Por ocasião do Carnaval, recomendo que leiam meu segundo post aqui neste blog: Marchinhas da Posse. É brincadeira, heim, petistas (ou petralhas, como quer a tucanada)!
Algumas delas:
- Você pensa que cachaça é água (só o Larry Rohter não poderá cantar)
- Ei, você aí! Me dá um dinheiro aí!(mensaleiros e governadeiros)
- Eu fui às touradas em Madri e quase não volto mais aqui (o Aerolula não será leiloado)

Patricia M. disse...

Anonimo, comparar Bush a Lulla eh de um simplismo atroz. Bush nao eh semi-analfabeto. Bush tem faculdade pela UT e MBA por Harvard... Dizer que ele eh burro eh tipico dos anti-americanos de plantao...

Patricia M. disse...

Catellius, o mundo esta cheio dessa gente... Gente que acha que 9/11 foi fabricado pelo Bush/CIA/FBI etc etc etc. So para poder atacar o Afeganistao... Teorias da conspiracao, sempre... Hahahahahahaha.

André disse...

Sim, o povo não gosta de gente inteligente. Se for inteligente e culta, então... Basta ser esperto e demagogo.

Essa história dos Protocolos, da conspiração judaica, é famosa. São 24 capítulos, onde cabem todas as maldades do mundo. Com algumas adaptações, dá pra perseguir qualquer povo com aquilo.

Ainda existe a Sociedade da Terra Plana? Eles também negavam a ida à Lua.

Bom, não levo muito em consideração títulos acadêmicos, mesmo respeitáveis como os de Bush, mas independentemente disso, sei q ele não é o burro e louco do discurso “oficial”. Geopoliticamente falando, ele é apenas mais um jogador, q fez algumas boas apostas e outras péssimas. Arriscou, acertou umas e errou outras. Nesse aspecto, Bin Laden e Al-Zawahiri também não podem ser chamados de loucos idiotas. Dizem q Bush se faz de bobo, o q é provável. Não tem muita cultura e sua mentalidade é mesmo aquela de fundamentalista cristão, ao menos nos assuntos em q essa crença se mete. Mas é esperto e instintivo. Raposa velha, o q lembra o próprio Lula (poucas luzes, visão estreita, mas muita esperteza). Esses tipos adoram o poder e sabem se preservar nele, se segurando até onde podem.
O que obviamente lhes falta é a já mencionada cultura, visão de mundo e uma inteligência refinada. Mas essas são características q pouquíssimos líderes apresentam. Churchill, Disraeli, De Gaspari, Adenauer, Eisenhower, César, et al, são “eventos” muito ocasionais.

Os judeus, a CIA, o governo norte-americano, o sorveteiro da esquina... todo mundo está por trás do 11/9. Estão por trás de tudo. Teorias conspiratórias nada mais são do q um reflexo da perplexidade da maioria das pessoas diante do mundo. E da vida também. Tem gente q vive em estado de confusão mental. Sempre bestificadas com as coisas.

Bom resto de feriado pra todos vcs!

Petrallius disse...

Grande André,
Só um detalhe: Nós(brancos) não viemos da África. Somos originários dela.Direita Brucutu é assim mesmo. Lê pouco, entende errado e chuta de primeira.Vade Retro!!!

Bocage disse...

Catellius,
"já que estamos em pleno carnaval,
onde não se discute a questão racial"
E o que dizer do enredo da Porto da Pedra? Um trecho:

"...O anjo invasor me deu a cor, mas cor não tenho
Eu tenho raça e a cada farsa, a cada horror
O meu empenho, meu braço, meu valor
Se ergueu contra o monstro da cobiça
Caveirão da injustiça, filho da segregação
Liberto permanece o pensamento
Ele foi o meu alento
Quando o corpo foi prisão
O nosso herói Mandela é
Senhor da fé, clamou o povo
E o Tigre encontra o leão
A maior inspiração de um mundo novo
Do gueto um palco de glória
Corre em meu sangue a história
Num mundo misturado
Matizado com as cores deste chão..."

Alguém entendeu alguma coisa? A impressão é que a letra é contra o racismo.

Catellius disse...

Sou contra cotas
Em alguns casos sou contra até a obrigatoriedade de curso superior.

Dispensáveis de curso superior: o que não envolve risco de vida e que pode ser fiscalizado por leigos ou outros práticos, como administração, contabilidade, economia, arquitetura, jornalismo, direito, artes plásticas e moda.
Os cursos superiores continuariam a existir e certamente forneceriam os melhores profissionais ao mercado. Mas vejamos o caso da arquitetura. Os clientes sabem se algo está bonito ou não, as prefeituras e administrações só aprovam os projetos após uma série de exigências cumpridas, como altura máxima da edificação, afastamentos obrigatórios, condições de iluminação e ventilação, largura de circulações, proporção de degraus, condições de fuga em caso de incêndios, etc. Se o projeto só será aprovado mediante isto, e só se tornará viável comercialmente caso esteja harmônico, não há qualquer necessidade de curso superior. É claro que o profissional só poderia trabalhar associado a um conselho como o CREA.

Indispensáveis de curso superior: Atividades diretamente ligadas à vida alheia, de alto risco caso mal executadas: medicina, odontologia e congêneres, engenharia civil, elétrica e outras.

Clarissa disse...

Caro Heitor... as questões políticas aí pelo Brasil andam tão acesas e os ânimos tão exaltados que aviso já que este meu comentário tem a ver com a noção geral de política, e não partidária.
Cá em Portugal a questão das quotas colocou-se em termos da participação das mulheres na vida partidária, pelo que percebi aí é ao nível do ingresso no ensino superior. Estas questões nunca se colocariam numa sociedade verdadeiramente democrática,mas enfim, uma coisa são os nossos ideais, outra bem diferente é a realidae social com que nos deparamos e em que vivemos.
Por princípio sou contra esta questão das quotas, por ela indiciar, a meu ver, um certo preconceito social, ou aquilo a que chamam preconceito pela positiva.No entanto sou obrigada a reconhecer que, já que nem todos têm livre acesso à educação que por princípio deveriam ter, talvez esteseja o caminho. Mas o facto de haver quotas só é sinal do muito que há a fazer, pelo que as quotas não podem ser senão uma medida temporária, a curto prazo.
Uma vez mais gostei muito do comentário da Simone, pelo conteúdo, pela forma como responde e acima de tudo pelo que não diz.
Um abraço para todos e um beijinho especial para a Simone :)

André disse...

Catellius,

Concordo totalmente com o q vc disse:

"Em alguns casos sou contra até a obrigatoriedade de curso superior.

Dispensáveis de curso superior: o que não envolve risco de vida e que pode ser fiscalizado por leigos ou outros práticos, como administração, contabilidade, economia, arquitetura, jornalismo, direito, artes plásticas e moda."

Pensei q só eu tivesse idéias assim, é bom saber q não estou sozinho nessa.

Catellius disse...

André,

E com a profusão de faculdades com que nos deparamos, é óbvio que o contínuo de um escritório de advocacia fará das tripas coração para se graduar por uma faculdade de direito de 5ª categoria para continuar a ser o contínuo do escritório de advocacia. Só que ele poderá servir de laranja para os patrões, poderá mexer em processos, terá mais serventia, digamos. Mas isto não representa obrigatoriamente uma ascensão social.

Clarissa,

Achei uns esboços bem despretensiosos que eu fiz quando estive em Mértola. Tão despretensiosos que foram feitos sobre papel pautado...
- Uma vista geral
- Um trecho da muralha
- Uns ovinos extramuros
Abração!

Clarissa disse...

Catellius... obrigada por partilhares estes esboços :)
Eu adorei a forma como captaste a essência de Mértola... o castelo, a muralha e a torre, as ovelhas... muitas vezes os meus textos têm sons de Mértola e é para mim um paraíso de recolhimento.
Abraço grande :)

Clarissa disse...

Esqueci de dizer... guardei-os, para memória futura, com anotação do autor. Com a tua permissão, gostaria de um dia os usar para um post.
Beijocas

André disse...

Pois é, Catellius. Infelizmente vivemos na Era do Diploma. Eu e vc podemos ser muito mais capazes do q outra pessoa, mas se ela tiver um diploma e nós não, ela tem mais "serventia", entre outras coisas.

Aliás, diploma E derivados... (mestrado, doutorado, especialização nisso e naquilo, MBA... daqui a pouco vão inventar um ISO 9000 pessoal, individual)

Até mais!

Suzy Tude disse...

Heitor, você como sempre perfeito na pontaria.
Além de tudo o que você expôs, as cotas tendem a baixar o nível da Universidade. E mais tarde, também isso pode muito bem acirrar o racismo.
Tudo em nome da manutenção do poder (delles).
Grande abraço

Patricia M. disse...

Andre, Catellius, tambem sempre pensei assim. Nao eh todo mundo que precisa do canudo nao. Tudo bem que um curso superior na teoria abre a mente do individuo (quando nao a fecha completamente, como no caso das faculdades de jornalismo). Mas dai a dizer que 100% da populacao precisa de diploma... Por que nao investem nos cursos tecnicos, como na Alemanha?

Simone Weber disse...

Clarissa,
Que bom que nos entendemos bem. Concordo também contigo que estamos lidando com a realidade, mas a pobreza não escolhe cor; destarte, se formos partir para as quotas, estas devem contemplar todos os desfavorecidos. Para além disto, incomoda-me sermos obrigados a criar critérios para definir até onde se é negro, a estimular rótulos baseados em fenótipos, alheios à nossa essência.
Li tuas cartas a Moema, I e II, e apreciei-as imensamente. Beijocas também para ti.

Susy,
Muitos profissionais de hoje ingressaram na universidade quando a competição era muito menor. Certamente, a maioria deles não conseguiria passar pelos vestibulares concorridos de hoje, para os quais os estudantes de cursinhos são preparados exaustivamente; estudam mais a matéria "vestibular" do que química e física. Contudo, tanto os universitários de ontem quanto os de hoje atingiram a nota mínima exigida nas provas seletivas, o que os qualifica para o curso e, possivelmente, para o exercício da profissão. O detalhe que parecemos esquecer é que o regime de quotas ainda mantém a exigência de nota mínima, por isso, na pior das hipóteses, os negros, pardos, índios ou pobres brancos que entrarem nas universidades públicas estarão nivelados por aqueles que prestaram vestibular dez ou vinte anos atrás, quando a concorrência era diametralmente menor.
Mesmo assim, como escrevi anteriormente, se formos partir para as quotas como um paliativo, nunca devemos segregar os candidatos por fenótipos - tamanho de nariz e lábios, cor da pele, tipo de cabelo - sob o risco estimularmos o racismo e os rótulos.

Beijos a todos

Ana Karenina disse...

Eleitor,
Sobre o primeiro dos comentários:
Asmático até que o asno não é. O bicho tem fôlego. Vai galopando e dando patada prá todo lado. Alguma ele deve acertar. No mais, te derruba de gargalhada.

Catellius disse...

Clarissa,

Que bom que você gostou dos esboços - como escrevi, muito despretensiosos. Claro que pode usá-los à vontade. Também li o Cartas a Moema II e gostei muito mesmo. Vou dar minha opinião por lá!
Abraços

david disse...

Heitor,

Tenho insistido muito nisso lá em casa: sem ensino básico que preste, pouco adianta tr vaga em universidade. O semi-anafalbetismo continua em roda-viva.
É a mesma situação: o governo planeja se não me engno para abril/maio, um tour de force para implementar a informatização nas escolas. Minha pergunta: de que adiantará? Existem professores qualificados a abandonar o giz? As escolas tem como proteger o investimento dos vândalos que as invadem, para roubo ou simplesmente por prazer em destruir?

Não existe uma diretriz séria na educação (imagine agora: Marta no Ministério!).

A incopetência do governo em gerir problemas básicos da população (saúde, educação e segurança) só não é maior do que a rapidez com que se apropria de bens públicos, para uso pessoal/partidário.

Lamentável e burro.

david disse...

Desculpem os erros de português: tenho a péssima mania de escrever e não revisar.

Catellius disse...

André,

É, amigo. Você anda incomodando alguns esquerdistas. Se eles já estão na situação, como sonharam nas cervejadas após as reuniões do sindicato, e nós somos a oposição, o que querem mais? Unanimidade? Em torno ao PT? Talvez após contratarem Jesus Cristo como marqueteiro...

David,

Muito bom o texto de teu blog, sobre o carnaval!

Se no carnaval o bom cristão se entrega ao demônio e aos prazeres hedonistas antes da penitência da quaresma, os muçulmanos, durante o Ramadã, ficam com ar de mártires durante o dia, quando deixam até de tomar água, para a noite se entregarem à comilança desenfreada. Viram uns animais no trânsito, no retorno ao lar após o trabalho, buzinando e vociferando uns contra os outros, doidos para chegarem em casa para estufarem o estômago com suas iguarias cheias de tahine. Comem das 19:00 à meia-noite e acordam de madrugada para encher o tanque.

O interessante é que o clima "carnal vale" contagia tanto os cristãos do maior país católico do mundo que começa cada vez mais cedo e termina cada vez mais tarde. A sexta-feira santa que se cuide. Em pouco tempo será celebrada ao som de Ivete Sangalo, com muito beijo roubado e loló.

Antes, a máscara carnavalesca, depois, as máscaras piedosas, quando se retorna à posição de joelhos, no caso dos católicos, e de quatro, no caso dos muçulmanos após o raiar o dia. Um dia evoluirão para o Homo Erectus. Basta um pouco de paciência.

Viva os EUA, Fora Bush disse...

não sou antiamericana, mas que bush é burro, pomba, basta olhar bem na cara dele e ouvir os discursos, ele nunca, NUNCA, sabe do que está falando muito bem. E muitas vezes ainda tropeça na decoreba dos textos. Isto é fato, é só ver o homem falando.

Heitor Abranches disse...

Vou postar outro texto, mas as discussões por aqui ainda estão abertas. Abs

Luisete disse...

Heitor,
Comentei o seu texto novo e, aqui, vejo que serei a única voz discordante, com excessão de que também vejo, e lamento, a manipulação política na implementação do sistema de cotas.

Catellius,
Ter curso superior virou uma espécie de obrigação que acredito que tenha origem nessa espécie de "elitismo" que caracteriza as relações no trabalho, começando pelos salários, altíssimos no topo e, nas camadas médias, salários dez vezes menores, uma vergonha. Por que essa distância? Até no setor público, que deveria dar o exemplo contra a concentração de renda, a estória se repete. Aí, as pessoas se sentem compelidas ao "curso superior". Não é por vocação, pelo gosto pelos estudos e sim por buscar melhores salários. E nessa, claro, os "pobres" saem perdendo. Eu já postei um artigo a esse respeito, mostrando o absurdo que é as universidades públicas serem custeadas pelo Estado. Não há como a universidade pública absorver todos os egressos, pobres, do ensino médio que, derepente, resolvam cursar uma faculdade. Essa é a questão de fundo que, no final do primeiro mandato do Lula, muitos preferiram não enxergar: ficaram na propaganda da criação das 10 universidades públicas, uma verdadeira engação. Assim, se a realidade presente é essa "perversão" onde um título, mais que a experiência e os fatos determinam os salários, os negros e pardos devem, sim, brigar pelas cotas. Eu, e meus filhos pardos, cursamos universidades públicas sem as cotas. E pude constatar que, dentre os muitos estudantes pobres que chegam à Universidade Pública, conta-se um ou outro pardo. E negros praticamente não há. A melhor explicação para o fato é que as condições de trabalho para o pardo e para o negro são tão mais difíceis que se torna praticamente impossível superá-las para buscar os melhores salários. A discriminação, a desconfiança com que somos, frequentemente, encarados, é um obstácullo a mais que precisamos, sempre, encarar.

Bocage disse...

Atacar as conseqüências é tentar secar a água espalhada pelo chão da casa sem antes consertar o vazamento da pia.

Bocage disse...

Luisete, a Clarissa também se manifestou favorável às cotas.

Com pouco esforço de imaginação já vemos experts com compassos medindo abertura de narinas e dando pedigree para esta ou aquela pessoa. O racismo inventou as raças. O ser humano só pode ser classificado em etnias. Nos cachorros os indivíduos de uma mesma raça têm traços em comum como tamanho, agressividade, pendor para o pastoreio. Nos humanos vemos diferenças extremas de altura e índole na mesma "raça", de modo que a alma gêmea de uma longilínea norueguesa pode ser um pigmeu perdido no coração da África.

Luisete disse...

Bocage,
Atacar as consequências não é nada inteligente mas, por vezes, é o que se tem.
O "critério" utilizado para discriminar tem sido a cor da pele, principalmente. Se o cabelo for liso mas a pele for escura, a pessoa será discriminada; quanto mais escura a pele mais presente é a discriminação. Assim, esse critério deveria ser utilizado para identificar os candidatos às cotas.
Lábios e nariz combinados com pele branca não são alvo de discriminação. Eu consigo lidar com o "problema"; com o tempo vai-se ganhando repertório para identificar e para se proteger dos efeitos do racismo, no dia a dia.

A maneira de resolver é atacar as causas: a desinformação trazida por uma educação preconceituosa. Os professores precisariam estar preparados para lidar com a diversidade dos tipos brasileiros e para ensinar seus alunos a valorizar essas diferenças, ao invés de repudiá-las. Já vi professor chamando aluno negro de 10 anos de idade de branca de neve. Esse foi o apelido que ele deu ao aluno humilhando-o diante de toda a classe.
Se a educação, ao invés de estabelecer estereótipos, tratasse de removê-los o racismo embora não fosse extirpado, estaria sob controle. Digo "sob controle" porque certos mecanismos do pensamento e das emoções humanas talvez não sejam passíveis de supressão em todas as pessoas. Há pessoas problemáticas.

Patricia M. disse...

Estou com o Bocage. Em um pais miscigenado como o Brasil, falar em branco puro eh ate brincadeira. Em negro puro entao, vai virar motivo de chacota. Ja disse, vao ter que fazer um exame de DNA e determinar o percentual minimo de sangue negro para ser agraciado com a cota. Sei la, 51% esta de bom tamanho? Estao tentando implementar no Brasil o odioso racismo, mas se eh isso que querem, eh isso que vao ter: odio racial. Porque aqui nos EUA o odio eh reciproco: negro odeia branco e branco odeia negro. Ja experimentei negro me olhando aqui como se fosse pior que um cachorro. Nunca vi isso no Brasil, ou mesmo agi dessa forma. O problema nao eh racial, eh SOCIAL.

Luisete disse...

Oi Patrícia,
Acho muito importate que o brasileiro tome consciência de que, aqui, temos um problema. Não vou me referir a brancos ou negros, o melhor é referir-se ao tom da pele porque é aí que "o bicho pega". O fato é que pessoas de pele clara têm pouco contato com pessoas de pele escura quando o ambiente é o de um poder aquisitivo mais alto; e nessa circunstância, pessoas de pele escura que conviveran com pessoas de pele clara de mesmo nível social não olharão o "branco" de qualquer nível com o olho ruim. Mas a questão é inversa, creia. O "negro" recém chegado à classe mais alta, às escolas particulares, aos melhores empregos, depois de ter vencido as barreiras disfarçadas que encontra em seu caminho, enfrenta olho torto e pouco caso a toda hora!!!!!!! Já me exigiram, em agência do BB, carteira de identidade quando eu tentei sacar com o meu cartão, caso em que você somente precisa digitar a senha. Era um valor normal, porém maior do que aquele que um caixa de banco imagina que o negro, que não pode passar do salário mínimo, teria condições de sacar. Foi o que despertou a desconfiança do Caixa. E são vários episódios. Já me perguntaram se o cheque que eu estava preenchendo e assinando era meu mesmo!

Patrícia, o "olho torto", a desconfiança, a menos valia fazem parte da nossa rotina aqui e agora, nem precisamos ir aos Estados Unidos. E não é em razão das recém-chegadas cotas. Foi sempre assim. Quando dei aos meus filhos, ainda menores, cartões de crédito adicionais, recomendei-lhes cuidado, principalmente o mais novo, de pele mais escura. Sabia, pelas experiências que já vivera, que ele poderia ser interpelado como ladrão. Afinal, um negro de 16 anos com cartão AMEX... para muitos não passaria de um "trombadinha".

O brasileiro precisa entender que existe racismo aqui, sim, fomentado pela educação, pelos veículos de comuninação que alimenta, todos os dias, esses estereótipos que fazem com que pessoas de pele clara, e até pessoas de pele escura (policias, por exemplo), discriminem as pessoas de pele escura.

Enquanto o brasileiro não se convencer da existência do racismo pouco se fará para minimizar os seus efeitos.

Catellius disse...

Cara Luisete,
Esta é a pura e triste realidade, mas é uma outra frente de batalha. Para mim, o sistema de cotas não a alterará.

- Discriminação sócio-econômica.
Uma vez que quase tudo neste mundo materialista envolve dinheiro, de clubes a viagens, de passeios de barco a restaurantes, do presente para o cônjuge a uma boa escola, sem poder aquisitivo o homem se torna um pária. Os pobres têm que sair da pobreza e isso é consenso.

- Discriminação Racial.
Atinge todas esferas sociais e deve ser combatida em profundidade. Como reage intimamente um branco pobre, que às vezes por falta do que se orgulhar vangloria-se de sua tez e não mui raramente é filiado a grupos extremistas contra negros e nordestinos (seja em Orkut, seja na vida real) ao ver uma família negra descer de um BMW? Da mesma maneira que reage ao ver brancos fazendo o mesmo? Aqui em Brasília, amiúde, os porteiros, mesmo os negros e pardos, usam seu direito de examinar a carteira de identidade do visitante quando ele é negro, enquanto os brancos fazem "positivo" de longe e entram no prédio sem delongas. A situação lembra o problema que você teve ao sacar o dinheiro.
Vemos racismo até em coisas triviais. Diz-se que fulana é uma negra bonita, enquanto cicrana (branca) é bonita, apenas. Exagerando muito e rotulando: branco que sai com negra é Senhor de Engenho (Freire explica); negro que sai com branca está indo atrás de seu ideal de beleza e perfeição. Negra que sai com branco quer purificar a prole e branca que sai com negro é tarada sexual ou está encalhada.
O que mais dá raiva é aquele sujeito estúpido cuja adrenalina vai às alturas quando cruza pela rua com um negro - o que é perceptível pelo seu cão de estimação de olfato apuradíssimo - que por isso afirma que os cães conhecem a índole do ser humano e que não gostam de negros. É tão estúpido que não percebe que negros também criam cachorros. Mas este assunto me dá nos nervos. Espero que um dia consigamos evoluir para o Homo Tolerantis...

Patricia M. disse...

Catellius, concordo. De novo, eh social. E cota racial nao vai atacar nenhum problema social.

Quanto a discriminacao, ela eh implicita no Brasil, nao explicita. Mas nao eh com cotas que se resolve isso. Porque so transformaria a discriminacao implicita em odio explicito. Acho que piora. Pois uma pessoa de pele escura que chega a faculdade por seus proprios meritos (como o caso ESSE ANO do PRIMEIRO colocado da Unicamp) eh muito digna de estar ali. Ja uma que chegou porque a pele dela eh um pouco mais escura que a media da populacao, ahhhhh...

Outra coisa: sabia que com todas essas cotas para negros aqui nos EUA, eles AINDA sao a parte mais atrasada da populacao? Sabia que ficaram tao acostumados a receber benificios que muitos ainda sentam e esperam literalmente ganhar algo do Estado? Pois eh, nao se esquecam disso. Bolsa-Esmola, Bolsa-Aquilo, Cota-X, Cota-Y, sem MERITOCRACIA, so faz as pessoas ficarem ainda mais preguicosas... Do que verdadeiramente ja sao. Ponto a refletir. (se quiserem, peguem estatisticas sobre desemprego branco x negro x latino, taxas de juros branco x negro x latino, etc etc etc)

Anônimo disse...

REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA! 1parte
Viva Zumbi! Viva Che!Viva Hugo Chávez! Feliz 2010!
Conscientização Justiça Prosperidade Solidariedade
Fraternidade Amor Paz. Socialismo Quilombolivariano
Ao Nosso Povo Viva Brasil! Venceremos Feliz 2010!
Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada a elite mundial, é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criaram-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo este afro-ameríndio descendente vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosas quantos as do 1º Mundo. É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT ,Record IURD,BAND e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.
Manifesto da Revolução Movimento Revolucionário Socialista QUILOMBOLIVARIANO

vivachavezviva.blogspot.com/

quilombonnq@bol.com.br
Organização Negra Nacional Quilombo
O.N.N.Q. Brasil fundação 20/11/1970
por Secretário Geral Antonio Jesus Silva

Anônimo disse...

REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA! 2 parte
Viva Zumbi! Viva Che!Viva Hugo Chávez! Feliz 2010!

Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder Zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar as histórias dos nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Oswaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam.Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Argentina, Boliviana, Peruana, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma,não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che, Viva Martin Luther King,Malcolm X Viva Oswaldão, Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma,Rafael Correa, Cristina Kirchner, Fernando Lugo ,Tabaré Vazquez,Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva os Trabalhadores do Brasil e de todos os povos irmanados.
Movimento Revolucionário Socialista QUILOMBOLIVARIANO

vivachavezviva.blogspot.com/

quilombonnq@bol.com.br
Organização Negra Nacional Quilombo
O.N.N.Q. Brasil fundação 20/11/1970
por Secretário Geral Antonio Jesus Silva

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...