21 fevereiro 2007

Corrompendo Congresso e Povo

No Brasil, é muito comum as pessoas afirmarem que o Congresso é uma vergonha, que é um absurdo isto, um absurdo aquilo. Esquecem-se que o Congresso é o lugar de discussão, de debate e a última instância de nossa frágil democracia.

Elas são injustas em relação ao Congresso porque esquecem ou desconhecem que ele é dominado pelo Executivo. Para começar, o Governo manda toneladas de Medidas Provisórias, que por terem prioridade na votação trancam a pauta e deixam o Congresso parado. O único que pode marcar as votações é o presidente da Casa, eleito com o apoio do chefe do Executivo. O primeiro só marcará as votações se o líder do governo tiver reunido votos suficientes para aprovar as MPs. Enquanto isto, as iniciativas dos parlamentares dançam. O resultado é que 80% das leis aprovadas são de iniciativa do Executivo.

E como o líder do governo arregimenta os votos da base do governo no Congresso? Fácil; os parlamentares precisam de recursos para se reeleger e o Executivo controla os recursos do Orçamento e os cargos da Administração que têm acesso a recursos ou que possam dar visibilidade aos parlamentares ou seus grupos. O certo é que o parlamentar ou grupo de parlamentares que não votarem as MPs do Executivo não terão nenhuma dessas benesses. O sistema é coerente. Os parlamentares podem ganhar emendas no orçamento e os populares podem ganhar Bolsa Família. Como já disse Cristóvam Buarque, Bolsa Família é corrupção.

Na verdade, no primeiro mandato do Lula ainda tem-se notícia de um expediente inédito, que foi o uso de caixa 2 para sustentar a base de apoio do governo durante o mandato. Geralmente, o caixa 2 é usado na campanha mas não creio que ninguém houvesse pensado em usá-lo durante o governo. Certamente, a vantagem de um esquema desses seria a redução da distribuição de cargos em troca da entrega direta dos recursos. Seria um avanço, como foi a substituição das cestas básicas pelo Bolsa Família.

Enfim, este me parece ser um retrato mais acurado da realidade do que a simples repetição da crença da maioria, às vezes estimulada pelo próprio Executivo, que critica o Congresso por não querer aprovar as medidas com a presteza desejada ou de se atrever a querer discutir o "mérito" das propostas.

Neste nosso recente aprendizado da democracia, acho que o evento de cassação do Collor foi fundamental para que se estruturasse esta forma de relacionamento entre Executivo e Congresso. Percebeu-se que o chefe do Executivo tinha de ter um presidente da Câmara aliado, caso contrário poderia aceitar um processo de impeachment. Lula mesmo já teve uns 20 pedidos de impeachment, incluindo o do Mensalão, engavetados.

Resta saber se a idéia de três poderes independentes é, afinal, uma utopia de Descartes. Será que em alguma democracia no mundo os três poderes são realmente independentes e suas relações não são viciadas? Talvez os petistas achem que isto seja coisa de democracia burguesa e que a democracia popular começa no sindicato e termina na rua, como fez Chávez recentemente.

42 comentários:

david disse...

Postei algo relativo hoje, mas em forma de "viagem na maionese". Um dia escrevo sobre bonitinho assim.

André disse...

Gostei da idéia de colocar uma foto do Imperador Palpatine. Gosto da trilogia antiga, a nova achei muito fraca, se bem q o Ep. III é passável. Os "universos" até combinam. Ao invés de um Congresso cheio de aliens, temos uma fauna de criaturinhas, de baixotes atarracados e sem pescoço, com cara de celerados. Ou seja, aliens.

Imagine onde já não estaria o esquema de caixa 2 se não tivesse estourado o escândalo de 2005...

Bom, vc já deve estar preparado pra receber um monte de comentários descendo o pau nesse seu post, naquela linha “o nefasto neoliberalismo de FHC fez o mesmo no Congresso durante 8 anos” ou "seu elitista reacionário direitista tosco burguês!", sem falar nas negações (não houve caixa 2, Mensalão, Valerioduto, nada). Mas o q mais gosto mesmo é dos floreios ("finalmente temos nestepaiz um governo q fez isso e aquilo, nunca antes na História..."). Bom, fazer o q? Só posso lhe desejar: May the Force be with you. Not with them...


Bom, mesmo no melhor dos mundos, há uma certa promiscuidade entre os três poderes. É inevitável. Mas aqui, e hoje, o negócio é bem pior: eles acham mesmo q a “democracia popular começa no sindicato e termina na rua, como fez Chávez recentemente”. É isso aí.

Anônimo disse...

E... Por tudo isso, é necessário aperfeiçar a Sra. Democracia e se ela é o governo do povo para o povo, tem-se que melhorar o povo com mais educação de verdade, mais informação, mais cultura, mais ética. Se isso não acontecer seremos cada vez mais uma democracia de ignorantes, analfabetos e desonestos.

Klatuu o embuçado disse...

Isso se admitirmos que Petista reúne a capacidade de «achar», o que requer uma velha faculdade de julgar kantiana - gajo burguês sem qualquer importância para a revolução do proletariado! - que não se coaduna com a vida em rebanho! Já dizia Fernando Pessoa: «A multidão é estúpida, porque a inteligência é uma faculdade individual.»

Mas sabe, quando Lula da Silva chegou à Presidência... eu senti esperança... Acho que a mesma só durou uma semana!

P. S. Nem sei como Lula da Silva ainda se não lembrou de fazer um «Talk Show do Presidente»!

Luisete disse...

Oi Heitor,
Expor um assunto identificando possíveis causas, como você fêz, acrescenta, contribui para o entendimento ampliando o espaço da discussão. Tenho visto que muitos blogs dedicados à política e identificados com a oposição ao atual governo, não passam da indignação, da mera reclamação. Registrei no meu blog, às vésperas das eleições, minha perplexidade com esse, digamos, "fenômeno" que consiste em "comprar" votos, de congressistas e do povo, por meio da manipulação de políticas públicas que, constitucionalmente, ambos os poderes tem obrigação de prover.
o Anônimo, aí em cima, disse tudo: só a educação poderá reverter esse "fenômeno".

Klatuu o embuçado disse...

May the Force be with You, and You, and You, and You...

Catellius disse...

Como você bem escreveu, Heitor, o que vemos é a ditadura do Executivo. É como se o Espírito Santo, que é o executor, que age em nosso meio, segundo o politeísmo cristão, interviesse na cena das Tábuas da Lei e desse a Moisés 30 MPs, uma nomeando o pombo como ave símbolo de todas as nações - "não terão aves símbolo a não ser o pombo" - , outra obrigando os homens a alimentar os pombos com comida de primeira, outra permitindo que eles pousem em qualquer estátua, mesmo nas de Baal, outra exigindo que a glossolalia substitua o hebraico como língua oficial, etc. E também no outro poder, o de Jesus, durante o Juízo Final. Como se um criador de pombos que estivesse indo para o inferno fosse absolvido após a intervenção do Espírito Santo, que recorreria da decisão daquele que julgará os vivos e os mortos.
Pelo menos a ditadura do executivo se restringe aos poderes temporais. Enquanto Lula, a exemplo de Calígula, não nomear seu jegue para senador, para desmoralizar de uma vez o parlamento, e não o incendiar, como a música do Capital Inicial e o fogo no Reichstag (é mais de seu feitio pedir ao Rainha que o ponha abaixo a pontapés), tudo bem, nós vamos levando. Antes débil democracia do que nenhuma.

André disse...

Catellius, se o Lula nomeasse seu jegue, no melhor estilo Calígula, lançaria um adversário político potencialmente perigoso. Dois jegues, isso daria briga.

Lula não queimaria o Reichstag do Niemeyer, primeiro pq o velhinho comunista viria até aqui dar uma canetada nele, segundo pq uma ocupação simulada pelo MST sai muito mais barato.

Simone Weber disse...

"When opposite basic principles are clearly and openly defined, it works to the advantage of the rational side; when they are not clearly defined, but are hidden or evaded, it works to the advantage of the irrational side." Ayn Rand

Evo Morales e Chávez cumpriram suas promessas e instituíram o Socialismo do Século XXI - novo cronologicamente, velho ideologicamente - em grande estilo, com desfile de coturnos, pompa, povo, gritos de ordem, bandeiras.
O extremismo dos bolivarianos é claro, e quando cumprem o que prometem, seus opositores lidam com conceitos mais ou menos claros. Com o tempo as pessoas perceberão exatamente o que está em jogo e como é o jogo. Não é preciso ser profeta para antever que o extremismo acabará com o romantismo da esquerda latina - e esperamos que isto não leve 70 anos, a exemplo do Leste Europeu (Rússia incluída).
Por aqui o jogo não é claro e o lado irracional levará a vantagem no embate. Mas, temos um lado racional? A Clarissa escreveu sabiamente, comentando o último post do Catellius: "a grandeza dos povos mede-se pela sua capacidade de pensar de forma crítica". E nossa grandeza ainda está espelhada em nosso futuro, como aparece no Hino Nacional. Nosso povo não pensa de forma crítica quando acerta nem quando erra. Repete chavões, aceita os demônios que lhe impõem, vende-se barato. Nossa oposição não é racional e vende-se mais barato ainda. Como diria Waldir Pires em sua santa sabedoria: só nos resta rezar.

Lord of Erewhon disse...

Meus senhores e senhoras, tudo se resume a uma fundamental e inaugural cláusula, sem a qual não há democracia possível: Educação e Cultura. Nenhum Estado que falhe em promover a construção da Cidadania Democrática, proporcionará alguma vez que o Povo que governa viva em Democracia. A Democracia é um expoente de Civilização, e Civilização significa a hegemonia da racionalidade... e como a racionalidade não é nenhum estádio iluminado de graça de uma razão teológica, mas sim a luta contínua e diária contra a opressão e a ignorância - trabalho humano, do homem concreto, elevado a poder de Lei no ideal de Estado - é imperioso que seja a finalidade condutora das sociedades, e dos estados como organização das sociedades.

Sartre, na sua obra, fala de uma questão política que o atormentava, trágica e incontornável: o papel do intelectual adentro do progressismo da Esquerda... a conclusão que se retira da leitura é simples e clara: o intelectual - um burguês - que se coloca ao lado da revolução, é usado por esta enquanto é útil... para depois ser aniquilado e silenciado como um inimigo de classe!
Isto continua actual... com uma diferença: já não há proletariado, há novo-burguesismo... bem pior, por sinal, porque menos culto e mais ávido da riqueza que nunca teve... e que agora lhe parece legítimo adquirir por todos os meios, a maior parte deles corruptos.

Não é apenas a América Latina que precisa de reflectir sobre estas questões... é toda a Civilização Ocidental... até que consigamos realizar a Grande Utopia que só existe adentro desta Civilização: o respeito da Carta dos Direitos Humanos como Lei da Humanidade e a edificação de uma sociedade verdadeiramente democrática e justa, com uma melhor destribuição da riqueza e a eliminão de todas as formas de miséria!

Lord of Erewhon disse...

Errata: onde se lê «eliminão»; leia-se «eliminação».

Lord of Erewhon disse...

P. S. Eu não rezo por uma sociedade melhor, li Feuerbach!

Simone Weber disse...

Lord of Erewhon, nobre filho de Samuel Butler, também não acredito no poder da oração preconizado pelo nosso Waldir Pires, um total incompetente que, em meio ao caos aéreo em que nos vimos metidos tempos atrás, teve a ousadia de pedir que rezássemos para a confusão cessar. Estamos falando do ministro da defesa brasileiro.
É impossível ler o que escreves em teu blog. Texto azul escuro "inselecionável" contra um fundo preto é demais para meus pobres bastonetes.
Beijos

Simone Weber disse...

Amigos,
O Heitor está com dificuldades de comentar porque está viajando. Retornará na semana que vem. Possui dois textos engatilhados: "Ramayana ou Rinayana?" e "Os frutos das Revoluções".
Beijos

Lord of Erewhon disse...

Não tenho sempre o entendimento do contexto cultural que me permita entender a vossa brasileira ironia... Esse senhor Waldir é pior que Olavo de Carvalho? :)

P. S. É um blog gótico, tem que ter luz de túmulo... Lê-se melhor à luz da vela, ou com lanterna de cabeça de arqueólogo... :)

Tente meu outro blog: http://cronicasdapeste.blogspot.com/
... este o escrevo para a normalizada população que não foi ainda abençoada com visão de predador nocturno! Mas aí tem um machado sangrento... o mundo normal é bem mais cruel! :)=

Cumprimentos.

Ricardo Rayol disse...

Sei não Heitor, mas se o chiqueiro age dessa forma é pq se deixa dominar. Não é possível que não possam mudar esta situação. A unica coisa que tem feito é dar munição aos anti-democratas.

Catellius disse...

Grande André,
“Gosto da trilogia antiga, a nova achei muito fraca”
O episódio IV, o clássico, possui muitos ingredientes análogos a Os Três Mosqueteiros de Dumas. O aprendiz D’Artagnan (Luke Skywalker) que aspira ser mosqueteiro (jedi) e monta um cavalo velho amarelo (uma nave velha) e acaba recrutado para servir a rainha (Princesa Leia) com o auxílio dos inteligentes Athos e Aramis (Hans Solo), do bruto Portos (Chewbacca) e dos histriões porém prestativos escudeiros Bazin, Planchet, Mousqueton e Grimaud (C-3PO e R2-D2). Luta contra Rochefort, o homem da cicatriz (Darth Vader, cujo rosto é desfigurado), braço direito do Cardeal de Richelieu (Imperador Palpatine). Rochefort torna-se amigo de D’Artagnan (na seqüência de Os Três Mosqueteiros) e expira em seus braços, como Darth Vader, que morre nos braços de Luke. Uma grande vantagem para a história de Dumas é que não peca pelo maniqueísmo, e o protagonista acaba se vendendo para o Cardeal em troca de um posto de capitão. Isto após Richelieu autorizar (involuntariamente) Milady, a sedutora vilã, a assassinar Constance Bonacieux, adúltera amante de D’Artagnan, casada com o velhaco Sr. Bonacieux...
É bom parar por aqui. Comparar Dumas e Lucas é covardia.

Prezado Klatuu,
”A multidão é estúpida, porque a inteligência é uma faculdade individual”.
Por isso Aristóteles considerava a democracia o pior dos bons regimes e a melhor das más vertentes. Considerava-a uma degeneração da República, como a Oligarquia seria uma degeneração da Aristocracia e a Tirania da Monarquia. Mas é o melhor que temos, não é mesmo? Então fiquemos com ela.

Cara Luisete,
“Tenho visto que muitos blogs dedicados à política e identificados com a oposição ao atual governo, não passam da indignação, da mera reclamação”
A indignação é positiva. Só não gosto de clima de linchamento.

Querida Simone,
“Repete chavões, aceita os demônios que lhe impõem, vende-se barato.”
Mas o que poderíamos esperar? Todos povos têm tais características. Alguns menos intensas outros mais.

Lord of Erewhon,
“o respeito da Carta dos Direitos Humanos como Lei da Humanidade e a edificação de uma sociedade verdadeiramente democrática e justa”
Bravíssimo. Se as nações substituíssem a Bíblia, o Torá, o Alcorão e outros escritos "sagrados" pela Carta dos Direitos Humanos, viveríamos muito melhor.
Olavo de Carvalho acredita ser um filósofo por ter estudado filosofia, enquanto Waldir Pires é o ministro da defesa de si próprio, cujas entrevistas a respeito do supracitado caos aéreo cuidam, antes de tudo, de eximi-lo de qualquer responsabilidade. Ambos são católicos exemplares. O primeiro xinga seus contendores de todos palavrões que sua alma piedosa suscita e o melhor que o segundo faz pela nação é convocá-la a rezar para que o caos nos aeroportos termine. Rezar a quem mesmo? Acho que para a Virgem de Loreto, padroeira da aviação, que transportou pelos ares a casa onde vivia com o mítico filho e o distraído marido em Nazaré para a Itália, próximo à vila de Recanati, no ano de 1294. Se hoje o caos foi resolvido, certamente devemos à intervenção da Virgem Maria a pedido de nosso ministro da defesa.

Bocage disse...

Para quem está cansado do catolicismo e se recusa a acreditar em gnomos recomendo a Jedi Church, que "recognises that there is one all powerful force that binds all things in the universe together, and accepts all races and species from all over the universe as potential members of the religion. Join the Jedi Church today!"

André disse...

Catellius, gostei da analogia. Talvez o Lucas tenha copiado, ou copiado sem querer/saber. Mas vc acertou. Nunca li os 3 Mosqueteiros, mas conheço o enredo.

Richelieu, o verdadeiro, era um maquiavélico muito interessante. Já li muito sobre ele na obra de La Rochefoucauld, q adoro. Ele aparece nas Memórias desse duque.

Tenho aqui Le Comte de Monte-Cristo, no original, 2 vols. grossos, mas ainda não tive tempo de ler, estou sempre dando prioridade a outros livros. É uma looooonga novela. Pelo q sei, os 3 Mosqueteiros são 1 volume de uma obra imensa.

Se eu vivesse de rendas, gostaria de ler A Comédia Humana de Balzac, deve ser boa. Enorme.

O universo de Star Wars poderia ter sido bem desenvolvido, mas Lucas sempre foi ótimo pra ter idéias... apenas pra depois enfiá-las numa gaveta. Uma pena. Ele, o próprio criador, estragou bastante a série. Particularmente, gosto da música do John Williams e do design das naves e das forças Imperiais.

Hoje, prefiro a série Alien. Sempre um bom clássico.

Mas gosto mesmo é daquele outro John Williams, o da guitarra/violão clássico. E, claro, Andres Segovia. Procure no You Tube por Asturias (Leyenda) c/ Segovia, música de Isaac Albéniz.

Olavo de Carvalho é um chato. Arrogante, fanático, esquisitóide, obsessivo e pedante/empolado. Um saco.

André disse...

Um exemplo entre centenas de uma idéia/conceito interessante engavetado por Lucas:

No universo de Star Wars, há os Jedi, os Dark Jedi (não necessariamente maus, apenas rebeldes, independentes) e os Sith, esses sim, do balacobaco... logo, muito mais interessantes.
Os Dark cobrem os dois espectros da Força, enquanto os Jedi só cobrem o "bright" side. E os Sith, só o dark. Daí, os dark jedi se consideram infinitamente superiores aos Sith e Jedi.

Nas mãos de um bom roteirista, daria uma ótima história.

Boa noite, Mosqueteiros!

Suzy Tude disse...

Heitor, muito bom seu artigo. O executivo submeteu tanto judiciário quanto legislativo,por meio de mps, benesses e mensalão, além de se precaver elegendo na base do troca troca. Não respeito esse congresso, mas não o abandono assim mesmo já que é tudo o que os petralhas querem: fazer tudo à la chávez. É certo que com esse congresso de quase nenhuma qualidade, ainda conseguem ter seus momentos chavistas. Mas melhor um congresso podre do que nenhum.
Hoje assisti um discurso do Senador Cristóvão Buarque na tribuna do Senado que me deixou enjoada. Você precisava ver como ele está apoiando os lulopetistas.
Quanto à independencia dos poderes, é por isso que temos de lutar. Nada é ideal, mas se pode chegar perto.
Claro que para isso as pessoas teriam antes de aprender a votar, no caso brasileiro, pelo menos.

Grande abraço

Catellius disse...

Os Três Mosqueteiros continua em uma obra maior (em nº de páginas) e melhor, na minha opinião, chamada "Vinte Anos Depois", que começa com D'Artagnan, Porthos (escrevi anteriormente sem o “h”) e Rochefort lutando pelo Cardeal Jules Mazarin, amante de Anna d’Áustria, contra Aramis e Athos, estes do lado do Rei. O vilão é o filho de Milady, um psicopata que deixa a mãe no chinelo. A história ainda continua na obra em quatro volumes "O Visconde de Bragelonne" - é filho de Athos - onde todos os quatro famosos amigos morrem. Falando em filhos, o de Alexandre Dumas, o júnior, escreveu "A Dama das Camélias", aquele água-com-açúcar que inspirou a “La Traviata” de Verdi.

Também prefiro o John Williams do violão. O compositor de música incidental só faz copiar os ingleses do final do século XIX, preferencialmente Gustav Holst. Se bem que é a praxe dos filmes americanos de trinta anos para cá. Ouça o comecinho de dois movimentos de sua sinfonia "Os Planetas", de 1915. É só clicar que abrirá o Player.
- Marte, o que traz a Guerra (Guerra nas Estrelas?)
- Urano, o Mago

Abraços

André disse...

O q mais gosto de Verdi é o Rigoletto. Tnho uma gravação aqui dos anos 50 com a Maria Callas e o Giuseppe Di Stefano. Mas, como não sou muito fã de ópera, só tenho essa, La Traviata e quase todas de Mozart. O resto são obras sinfônicas e concertos ou sonatas p/ piano, só Mozart e Beethoven, muito, muito Vivaldi, um pouco de Bach, quase tudo de Chopin e até algum César Franck e Antonio Salieri (ele tem algumas composições boas). Devo ter em torno de uns 80 a 90 cds de música clássica aqui. Hoje, compro uma média de dois a três por ano, mais versões/interpetações diferentes de obras q já conheço.

Mahler, Schumann, Schubert e os russos em geral, não gosto muito. Haydn é bom. Tchaikovsky tem coisas interessantes também. Lizst às vezes é bom.

Gosto do filme, Amadeus, é divertido. Tenho uma versão extendida dele. Não tem nada a ver c/ a vida de Mozart, é uma fantasia sobre ele, mas pelo menos é bem feito. E o F. Murray Abraham fazendo Salieri é perfeito.

pennywise disse...

Ae petezada e peéssedebada, quando vocês vão parar com as picuinhas e acertar os ponteiros para dar um jeito nesse pais?


Essa foi escrita pelo Luís Nassif:

PSDB e PT
Na entrevista que me concedeu, e que será divulgada junto com o livro "Os Cabeças de Planilha", o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acha que a única saída política para o país será PT e PSDB esquecerem as diferenças, sentarem à mesa e negociar um projeto de país. Do lado do PSDB, a liderança será de José Serra e Aécio Neves. FHC admite que quem não tem cargo (como ele)
não pode aspirar a liderar.

Anônimo disse...

oh como o Cadellus eh culto gentem! ele ja leu os 3 mosqueteiros e saca tudjo de musica erudita. meu idolo! citar nomes com h ou sem h c/ o google do lado eh facil, brodi. eh patetico como uns carinhas q deviam estar trabalhando e ganhando dinheiro p/ sustentar a familia ficam perdendo tempo p/ vender q sao os bonzoes do pedaco. cansei de ler estas porcarias vazias q so tratam do obvio. tenho + o q fazer.

Catellius disse...

Cissa Guimarães,

Por que "deviam estar trabalhando e ganhando dinheiro p/ sustentar a familia"? Acaso não sabe que somos pagos regiamente por um mecenas para mantermos este blog? E você, alguma novela em vista? Abraço

Patricia M. disse...

Hahahahahahahahahahahaha.

Questao 1: eh verdade que o blog eh patrocinado? Se sim, por quem ou o que? Eh legal sabermos em que terreno estamos pisando, no minimo.

Questao 2: voces que atiram pedras no Olavao, de quem voces gostam? Nao vale dizer que eh de voces mesmos, hahahahaha.

André disse...

Anônimos e Anônimas,

não trabalhamos, vivemos de rendas. Mas, no caso desse site, somos mesmo regiamente pagos por um mecenas, que prefere permanecer... anônimo. Nem queiram saber o que ele faz, não é prudente nem imaginar...

Catellius disse...

Patrícia, cá entre nós, (sussurrando para a Cissa não ouvir) não somos pagos por ninguém não. Vivemos de renda, como bons cearenses. Especialmente de crochê. Como os cearenses são os maiores fornecedores de comediantes do país, imagino que não se sentirão ofendidos com esta batida piadinha de salão...

É impossível dizer que tudo do Olavo é ruim, mas muitas vezes ele põe seu raciocínio lógico e conhecimento histórico a serviço de suas questionáveis ideologias, e as defende de maneira grosseira, prepotente e petulante.
Gosto de tanta gente... Gosto muito do Paulo Francis, gosto até do Tio Reinaldo, desde que não esteja ensandecido em alguma cruzada pessoal contra o Mino, o Sader, em defesa de seus sacrossantos valores religiosos ou de suas pudicas escovações de dente as escondidas da mulher.
Gosto até do Diogo Mainardi, que não é tão pedante quanto o anterior e é um fã de Montaigne e Bayle, como eu. Não ligo muito para seu desprezo para com o Brasil e os brasileiros. É licença poética como o seu "Republiqueta Bananeira". Gosto de algumas coisas do Janer Cristaldo, de muita coisa do Jabor, mas gosto principalmente dos sábios mortos, he he. De Bertrand Russel a Aristóteles, passando por Feuerbach, Hume e Dante, vale tudo, mesmo que eu não concorde com o que está escrito. E de milhares de outros. Ah, até do ex-blog do César Maia...
Abraços

Patricia M. disse...

Catellius, eu adoro o Reinaldao, o Diogao, e o Olavao. :-) Mas ja me disseram que faco mais a linha mainardiana, o que alias foi um baita elogio que recebi. Triste ficaria se dissessem que a minha linha eh originaria dos Emirados Saderes, ou Minimo Cartense... Anyway...

André disse...

Montaigne "rules"... é o cara...
La Rochefoucauld também. Nietzsche é obra de interesse permanente, Russell e Huxley são bons, Maquiavel impressiona e Paulo Francis civiliza e diverte. Mino Carta e Emir Sader ficam melhor ignorados.

Catellius disse...

André
Todos esses que você citou são excelentes. Muitos crentes tentam desabonar Nietzsche porque cometeu suicídio. Um ateu não pode mais ter esquizofrenia sossegado? E criaram uma brincadeira ridícula, mais ou menos assim:

Nietzsche disse: Deus está morto
Deus disse: Nietzsche está morto

Como realmente o alemão morreu, então o resto deve ser verdade...
Abs

André disse...

Bom, ainda não sei quem morreu primeiro, se Deus ou Nietzsche.

Nietzsche cometeu suicídio? Q eu saiba, ele morreu definhando, depois de dez ou onze anos em estado de demência/esquizofrenia após uma crise nervosa. Mas ele não se matou.

Quando estava em Roma, vi um noviço/seminarista com cara de nerd distribuindo na rua panfletos dizendo exatamente isso (Nietzsche disse... Deus disse: NIETZSCHE É QUEM ESTÁ MORTO!!!).

Era sobre uma palestra de ex-racionalistas e ateus q "descobriram" Deus. Coisa do Vaticano, lógico

Até mais!

Lord of Erewhon disse...

Há muita coisa aqui que não comentarei, porque não estou da posse de todos os dados da sociedade brasileira actual... mas de uma coisa estou certo: o declínio progressivo do Brasil é sintoma - também - do declínio dos seus intelectuais! Olavo de Carvalho é um excelente exemplo disso mesmo; não passa de um fala-barato sem verdadeira cultura filosófica, é um parafrasedor de filósofos mais que interpretados: agarra na «ignorância» socrática e repete o preceito como se tivesse acabado de o inventar; vai a caquéticos «pensadores» cristãos da Contra-Reforma e repete as suas abstrusidades milagreiras; enfim, é um diletante da filosofia comparável ao Paulo Coelho na literatura, este escreve literatura de cordel com anjinhos esotéricos para solteironas alienadas e sexualmente carentes, aquele escreve filosofia de cordel para políticos analfabetos e corruptos!
Quando a cultura brasileira for só paulos coelho e olavos de carvalho... o melhor é vossas excelências venderem o Brasil a retalho aos vossos vizinhos.

Cumprimentos.

Heitor Abranches disse...

Simone,
Obrigado, mas é "Mahayana ou Hinayana".
Abs

André disse...

Exatamente, Lord of Erewhon, Olavo de Carvalho é isso aí mesmo.

Catellius disse...

Repetindo o que escrevi no blog do Onildo:

Concordo que o Constantino não presta para discutir com o Olavo, mas aposto que Voltaire, que "já era", segundo o "sedizente" filósofo, e que não deixou nada de interessante além de uns contos (ha ha ha), em uma discussão pública com seu guru Olavo extrairia o que este tem de mais verdadeiro - o que talvez não fosse tão vantajoso para sua imagem. E aposto que o Olavo xingaria menos, coraria algumas vezes, e aposto que as ovações iriam para Voltaire. Mas são minhas apostas baseadas no que já li dos dois...
Olavo perde tempo discutindo se a Teoria da Evolução estimulou o ideário nazista, joga os holofotes sobre fraudes e falsos elos perdidos, mas não pode discutir a Teoria da Evolução em si, no máximo consegue reproduzir as opiniões dos criacionistas mais habilidosos. Por isso, iguala-se a qualquer blogueiro palpiteiro, que repete a opinião de tal "renomado cientista" que lhe convém. Acho conveniente, nesses casos, rechear-se os textos de "para mim", "acho", "de acordo com minha visão", embora muitas vezes seja impossível não querer meter a própria visão goela abaixo do leitor. Já no dogmático Olavo essas coisas soariam quase como um atestado de pusilanimidade. Olavo, assim, não é uma figura que representará qualquer tipo de avanço intelectual, social ou filosófico, pois é mais fiel às próprias idéias e à própria fé do que ao espírito questionador que Sócrates preconizou.
Ele lembra muito, mas muito mesmo, o Orlando Fedeli do site Montfort. Entrem lá e vasculhem. Cuidado para não saírem católicos, he he.
Abraços

Catellius disse...

By the Way...

Lord of Erewhon, a respeito de Olavo de Carvalho:

Bravo! Você foi brilhante, he he

André disse...

Depois q li um texto do Olavo dizendo q um anencéfalo viveu muito bem sem cérebro até os 30 e poucos anos, e ainda se tornou um matemático brilhante --- tudo isso pra dizer q o aborto de anencéfalos era um crime --- nunca mais entrei naquele site. E ele ainda pôs o link (norte-americano) do site "científico" q "comprovava" esse fato...

Voltaire transformaria Olavo numa boa personagem obtusa, tipo Dr. Pangloss. Seria divertido.

Caras como ele, no melhor estilo TFP, Il Duce, Pio XII e saudosistas da Batalha de Lepanto, existem aos montes.

Blogildo disse...

Tem um princípio bíblico que diz o seguinte: "Tire a trave do próprio olho antes de tirar a farpa do olho do teu irmão". Acho o princípio válido quando portugueses - que adoram as novelas brasileiras - começam a tirar um sarro com a cultura tupiniquim.

Milorde, olhe para o José Saramago (Oh! O Prêmio Nobel) antes de atirar pedras no Olavo de Carvalho.

Lord of Erewhon disse...

Gosto mais de olhar para morena pelada... :) ... do que para escritor velhinho - mesmo nobelizado - que acha que Cuba é uma paraíso! :)

Lord of Erewhon disse...

Errata: «um» paraíso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...